1. Spirit Fanfics >
  2. Um Clichê Diferente >
  3. Insinuações Erradas

História Um Clichê Diferente - Capítulo 3


Escrita por: e Disppy


Notas do Autor


Yo 🖤

Desejo que estejam bem! Enfim, dessa vez nem demorei muito com a atualização rs
Bem, esse capítulo é mais longuinho que o outro e espero que gostem. Quero agradecer por todos os comentários e favoritos, vocês são incríveis ❤
Aos novos leitores, desejo boas vindas!

No mais, tenham uma boa leitura!

Capítulo 3 - Insinuações Erradas


Fanfic / Fanfiction Um Clichê Diferente - Capítulo 3 - Insinuações Erradas

Um Clichê Diferente

Por: Diana_Hatake

.

Insinuações Erradas

.

Hinata fez uma careta ao ouvir a insinuação de sua amiga Ino; dando um passo pra trás se afastando da mesma.

— N-não fale essas coisas, Ino — a repreendeu com as bochechas levemente coradas. Por que Ino ainda insistia nesse assunto bobo? Não estava sendo paga pra ficar ouvindo besteiras. 

A Yamanaka apenas esboçou um sorriso extremamente malicioso em seu rosto referente à sua opinião. Ino que era sua amiga desde que se conheciam como pessoas estava tirando decisões muito precipitadas; mas aquilo não era uma novidade.

— Eu vi com meus olhos Hinata, e eu sempre tenho razão. 

— Você está delirando! — deu por fim um ponto final naquele assunto, bem… é o que achava. Ao se acomodar no estofado confortável, sentiu a amiga loira se sentar ao seu lado e franziu o cenho ao vê-la pegar o celular de sua mochila. — O que vai fazer? — a Hyuuga indagou tentando tomar seu aparelho da mão da Yamanaka.

— Fazer você mandar mensagem pro gostoso do Sabaku — respondeu levantando-se e começando a correr até o banheiro para ter privacidade e conseguir se passar por Hinata pra pedir a solicitação de amizade do ruivo.

— Ino! — Hinata gritou tão alto podendo assim chamar a atenção de Tenten que estava na cozinha terminando o brigadeiro pra noite das garotas. 

Hinata correu como um furacão atrás da loira, mas o que recebeu foi uma porta fechando em sua cara. A morena sentiu perder os sentidos, ao notar que não era qualquer uma que estava com seu celular e sim Ino, e não conhecia menina com mais atitude que ela. A Yamanaka era bem capaz de mandar uma mensagem se passando por si, dizendo que se sentia muito sozinha e carente, não queria parecer uma atriz pornô juvenil ainda por cima, poderia ser até presa.

— O que foi, Hina? — sentiu a mão de Tenten pousar sobre seu ombro, e notar o semblante confuso que a dona dos dois coques despojados tinha. — O seu grito foi tão alto que senti as janelas da casa inteira vibrarem. 

Hinata que tentava segurar o choro apontou para porta do banheiro trêmula.

— I-Ino quer me fazer virar p-prostituta. — a dona dos cabelos semi-azulados se assustou por ter falado uma palavra de baixo calão, assim como Tenten também se surpreendeu.

— Ino, sua porca! Sai desse banheiro agora! Hinata está falando coisas feias por sua culpa. — vociferou a Mitsashi batendo com força freneticamente na porta. Mas não precisou de muito drama porque a loira saiu do cômodo sem alarde e com uma feição sorridente. Tenten que estranhou pegou o celular da mão dela. — O que você fez, hm? — murmurou analisando a timeline do Instagram.

Ino se aproximou de Hinata e sorriu animada.

— Elas crescem tão rápido. — Ao perceber que ninguém ali entendia o que quis dizer, apenas soltou uma risada baixinha. — Eu nem precisei fazer nada, já que Gaara começou a te seguir no Insta. Esse é um menino com atitude. 

Hinata arregalou os olhos acinzentados e levou a atenção para Tenten, que parecia estar em estado de ánalise. 

— É verdade! Ele começou a te seguir. — Tenten confirmou vendo Hinata finalmente conseguir pegar seu celular.

As bochechas estavam avermelhadas, e realmente não sabia o porquê! Mas realmente ela pressentia que aquilo não era nenhum pouco um bom sinal.

Nunca correu tanto contra o tempo! Sair da casa de Tenten e ir correndo pra sua só porque tinha esquecido seu dever de casa. Ela não era atleta pra correr igual o Usain Bolt.

Além do calor que fazia naquele início de manhã, seu uniforme estava um completo lixo. Tudo bem, ela queria economizar dinheiro para pagar a faculdade, mas nem tanto! Precisava sinceramente de um uniforme novo, sua blusa de frio estava suja, sua saia com o zíper emperrado e suas meias extremamente largas.

Aquelas meias ⅝ realmente a incomodavam, o elástico frouxo fazia o tecido preto escorregar por suas pernas. Realmente deveria ter deixando Neji costurá-las, porque se abaixar pra arrumá-las a cada minuto que se passava era cansativo e suas costas não aguentavam mais nenhum segundo.

Talvez ela tivesse algum laço ou fita para amarrar a meia. Tirou uma alça da mochila de seu ombro abrindo-a, em busca de algo que pudesse a ajudar, mas no fundo não achou absolutamente nada e nem seu lanche… calma, lanche? Os olhos perolados se arregalaram assustados e começaram a vasculhar tudo. Cadernos, canetas, livros; menos sua comida. Mas pelo menos o chá que tinha feito ao Sasuke, estava ali e isso a aliviou um pouco. Percebeu que no dia passado ele estava com dor de cabeça, nada melhor que um chá de Camomila para aliviar.

Mas agora estava com um problema e tanto: odiava pedir comida para os outros, como também odiava ficar um dia inteiro sem comer.

Mas por sorte, sua carteira estava dentro da bolsa e sorriu animada, tinha dinheiro para o lanche e havia uma pequena loja de conveniência ali perto. Faltava meia hora para começar a aula, daria tempo! 

Puxou a porta de vidro e entrou na pequena loja, se deparando com corredores estreitos e prateleiras cheias de tudo o que poderia se imaginar ali. Guloseimas era o que não faltavam, se ela tivesse mais dinheiro consigo com certeza compraria metade da loja, mas só havia consigo alguns trocados. Pelo menos algo para beber  já o alimentaria direito. 

Passou pelo atendente murmurando um “Bom dia” e começou a analisar os pequenos pacotes de salgadinhos nas prateleiras. Pegou uma embalagem vermelha analisando e logo olhou para o preço, estava favorável, melhor que uma simples água. 

— Vai comer isso no colégio?

Hinata acabou se assustando e escorregando para trás, mas foi impedida quando uma mão a segurou pela cintura, a mantendo apoiada. 

— Desculpe, eu não queria te assustar! — a maneira calma como falava fez Hinata olhar para a fonte da voz, e a coloração de suas bochechas ficaram rosadas e mais quente do que já estavam. 

— M-me perdoe… — se afastou rapidamente do garoto com um semblante envergonhado e tentou se recordar do nome dele.

— Gaara. — ele completou olhando a menina atentamente que neste momento não sabia onde enfiar a cara; e achou graça. — Não respondeu minha pergunta!

A morena piscou céleremente tentando se recordar qual pergunta o ruivo havia feito por conta da vergonha, mas logo se recompôs.

— É… sim! Eu acabei esquecendo meu lanche em casa. — se explicou desviando o olhar das duas esmeraldas que insistiam em fazer contato visual; por que ele a olhava tanto assim?

— Não seja por isso — disse abrindo sua mochila. De início ela não entendeu o motivo, mas quando ela o viu estendendo sua comida, ela engasgou negando com a mão. 

— Não precisa, Gaara… sério. 

— Pegue logo. — e antes que Hinata pudesse pensar, ele pegou a sua mochila colocando a marmita lá dentro. Ele notou o olhar preocupado da Hyuuga e seus lábios quase se formaram em um sorriso. — Não se preocupe comigo. 

Hinata sentiu todo seu corpo arrepiar, colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha e agradecer com uma breve reverência antes de caminhar até a saída do estabelecimento e se espreguiçar. Com Ino praticamente gritando a noite toda em seu ouvido falando que finalmente ela ia arrumar um namorado e desencalhar. Mas no fundo sabia que isso era apenas uma idéia mirabolante, ninguém tecnicamente estava apaixonado por ela.

Viu Gaara passar na sua frente, e logo a olhar por cima do ombro. — Você não vem? — indagou, mas Hinata sabia que esse não era o caminho certo que o levaria para o Colégio Sunagakure, e como se novamente Gaara lesse seus pensamentos, ele respondeu. — Também vou por esse caminho. — e sem a esperar, voltou a caminhar.

Mordiscou o lábio e moveu a cabeça em concordância, indo atrás do ruivo.

Mas em seus pensamentos aquilo era estranho, porque ele estava indo pelo caminho mais longo?  Apenas para a acompanhar? Não! Eles tinham se conhecido ontem a tarde, não tinha sentido. Talvez ele era apenas bastante gentil, isso era um ato de gentileza. Sorriu minimamente ao finalmente achar uma resposta, e ficou mais relaxada pela presença de seu talvez, novo amigo? 

Estava tão absorta em seus pensamentos, que nem notou os olhares que o Sabaku ao seu lado lhe lançava, se perguntando o motivo daquela garota estar tão radiante, o que será que ela pensava? O motivo de estar tão confortável, ou até mesmo se estava pensando naquele idiota do Uchiha. Não sabia bem o porquê de estar irritado sobre essa probabilidade, já que estava claro que o Uchiha não era correspondido, mas também nem conhecia Hinata direito, então não poderia tirar conclusões precipitadas.

— De novo… — Hinata resmungou parando já perto do portão da escola, e se agachando para novamente subir suas meias até a canela.

Gaara observando a cena, já tinha percebido que a meia da morena estava aos poucos se alargando.

— Você tem um elástico? 

Hinata o olhou confusa, mas acenou positivamente abrindo sua mochila em busca do objeto pedido pelo Sabaku. Gaara que até então estava observando os objetos que a morena carregava na bolsa azul, notou uma garrafa térmica que parecia estar cheia, mas ela tinha dito que não tinha nada para beber ou comer no intervalo.

— O que é isso? — se atreveu a perguntar.

— Ah, é um chá de camomila que fiz para o Sasuke! — respondeu ainda ocupada demais em busca de um elástico em sua bolsa, sem nem notar que Gaara ficou com uma carranca enorme. — Ele disse que estava com muita dor de cabeça ontem no Ichiraku, e resolvi fazer isso pra ele. — logo retirou o que Gaara pediu e o olhou com um sorriso. — Achei! — disse animada.

O ruivo deu um suspiro fundo tomando da mão da Hyuuga o objeto e se abaixou até suas pernas.

— Licença. — pediu, antes de encostar na coxa da morena, a fazendo levantar o pé e passar o elástico por sua sapatilha, o levando até chegar a sua  perna  e enfim prender o pequeno elástico na meia da garota. Hinata olhou para os cantos jurando que podia desmaiar de vergonha ali mesmo com toda a atenção que estavam atraindo. — Tem outro? — murmurou se levantando.

— N-não… 

Gaara notou que os longos cabelos sedosos da garota estavam presos, e foi aí que teve outra ideia. Se aproximou da Hyuuga, deixando ambos os corpos a milímetros de distância, podendo jurar que sentia a respiração pesada da garota batendo em seu pescoço e o perfume doce que ela exalava invadindo suas narinas o fazendo querer se aproximar ainda mais. Levou sua mão até a nuca da morena e subiu o palmar até o cabelo, assim retirando o elástico lilás podendo contemplar a cena dos fios de Hinata se soltando lentamente, podendo jurar que ela era um anjo.

— G-g-gaara? — chamou pelo Sabaku que devia estar paralisado.

— O-oh, sim! — balançou a cabeça se afastando um pouco da Hyuuga. — Peguei emprestado. — murmurou, se abaixando e novamente prendendo as meias pretas com o elástico. 

Hinata podia ouvir os inúmeros burburinhos tanto das meninas quanto dos garotos, ai que vergonha! Ao ver que Gaara se levantou novamente apenas deu um sorriso encostando ambos os indicadores antes de fazer outra reverência.

— Muito obrigada! 

Gaara apenas esboçou um mínimo sorriso, as esmeraldas estavam fissuradas nas duas orbes lunares. Ela era realmente muito mais linda, do que qualquer garota que já tinha visto. Mas o clima imenso que se instalou ali foi rapidamente quebrado por um grito estridente vindo do outro lado da rua.

— Sai de perto da Hinata-Sama! — Vociferou uma voz masculina que Hinata conhecia bem e ela arregalou os olhos ao vê-lo avançando em Gaara, mas rapidamente o ruivo desviou. — Ele te machucou? Te fez algum mal? Te tocou onde não devia? — fez um bombardeio de perguntas enquanto chacoalhava Hinata pelos braços, a deixando totalmente sem forma de se defender e ficando totalmente tonta. 

— N-neji… — sussurrou tentando fazer o primo parar.

— Está machucando ela. — Gaara disse o puxando pelo cabelo, fazendo Neji cambalear para trás, recebendo um olhar mortal do cabeludo. — Ela estava sufocada. — disse de maneira simplista, dando de ombros, e olhou para Hinata que ainda estava um pouco trêmula.

— Você não tem medo da morte, seu ruivo de farmácia? — berrou irritado.

Gaara apenas revirou as duas orbes colocando as duas mãos nos bolsos da calça.

— Não quando a morte parece cantor de brega brasileiro — retrucou, achando tudo aquilo ridículo. 

— O que disse seu arrombado?

— Além de ter pontas duplas é surdo? — disse ficando de frente ao Hyuuga mais velho, o olhando de cima.

Hinata que olhava toda a cena, poderia jurar estar vendo uma luta Escanor vs Estarossa em full HD.

— Eu não tenho nenhuma ponta dupla, seu, seu…

— Sério? Então porque vários fios quebrados seus ficaram na minha mão quando puxei essa droga de cabelo? — Neji iria retrucar, mas foi cortado por Gaara. — Ao invés de puxar tanto o saco de sua irmã, porque não vai escrever músicas idiotas para adolescentes sem inteligência? 

Todos que observavam a briga ficaram abismados ao verem pela primeira vez Neji sem conseguir retrucar, ou se defender, algo que nem mesmo Sasuke havia conseguido. Todos olhavam Gaara como um tipo de Jabiroca, dono de um poder extremamente poderoso capaz de conseguir fazer coisas impossíveis. 

Hinata ficou na frente dos dois, e logo segurou o braço de Neji.

— Não faça nada de idiota! — murmurou ao primo, praticamente irmão.

O Hyuuga respirou fundo, podendo se sentir um pouco mais calmo.

Gaara esboçou o sorriso que sempre dava aos jogadores adversários, de completa vitória! Mas bem… tudo o que é bom, dura muito, muito pouco. Já que sentiu alguém o segurar pela orelha e o puxar bruscamente para o chão.

— Gaara… — aquela voz ameaçadora, a aura tenebrosa. Oh merda! — Eu disse em alto e bom som em casa, não é pra agir como um cuzão! Não disse? — Vociferou irritada na orelha do mais novo.

— T-tema… — aquele gaguejo fez a pose de macho extremamente durão se rachar, igual uma armadura de areia. — S-s-sim, v-você disse. Agora m-me solta… — tentava se soltar, mas a força de Temari era realmente surreal. 

— Vou te soltar porra nenhuma, se eu disse porque não me escutou? É SURDO POR ACASO? — Apenas para pirraçar, Temari berrou a última frase no ouvido dele, o fazendo fechar os olhos com força. A loira finalmente olhou para frente, notando os dois Hyuugas. Hinata preocupada com a situação de Gaara, e Neji querendo apenas uma pipoca e um celular pra gravar aquilo. — Mil desculpas pelo idiota do meu irmão. — disse se curvando para Neji, e logo fazendo Gaara se ajoelhar para ele. 

O ruivo estava se sentindo extremamente humilhado, ainda mais na frente de uma garota.

— N-não precisa se desculpar! — Hinata balançou as mãos rapidamente sorrindo extremamente sem graça.

— Ah, precisa sim. — disse Neji.

Hinata o olhou irritada, cerrando os punhos e em um ato rápido, colocou a mão na cabeça de Neji e a levou para baixo, o fazendo se curvar também.

— Foi meu primo que começou tudo, e pedimos desculpas por isso… não é Neji? — apertou levemente o couro cabeludo do Hyuuga mais velho que fez uma careta de dor, e assentiu com dificuldade.

— S-sim! — Engoliu em seco.

Temari esboçou um sorriso finalmente soltando o irmão, e esticou a mão para Hinata.

— Prazer, Temari!

A morena se surpreendeu pela troca repentina de personalidade, mas logo retribuiu o aperto de mão.

— Hinata, e o prazer é meu.

Gaara que ainda estava com dor na orelha, ao notar o aperto de mão, queria muito dar um sorriso. Não esperava sua irmã se dando bem com Hinata, Temari era uma mulher extremamente difícil de se lidar. 

A loira olhou as horas no relógio de pulso e engasgou.

— Merda! Sua aula vai começar. — e novamente apertou a orelha do ruivo o puxando. — Novamente, desculpem ele, sim? — disse olhando para Hinata e logo começou a correr para atravessar a rua, com Gaara murmurando coisas desconexas por sentir muita dor.

Hinata que estava ocupada observando os dois, nem notou que ainda segurava Neji.

— H-hinata-Sama… minhas costas… 

— Ah, é. — respondeu o soltando rapidamente, e logo desamassando a roupa do primo. — Desculpe, mas você mereceu. — deu um sorriso e sem demora ultrapassou o portão metálico da entrada do colégio.

Aquele final de tarde estava realmente bom.

Enquanto observava o sol se pôr da janela, apenas conseguia pensar em como aquela manhã foi confusa e quem sabe divertida. Esboçou um sorriso pequeno ao lembrar de Gaara oferecendo o lanche dele, e ainda por cima arrumando suas meias. 

De tudo o que ouviu de seu primo ou até mesmo dos rapazes do time reclamarem dele, ela esperava alguém completamente o oposto, arrogante, frio, alguém sem sentimentos… mas o tanto que ele foi caloroso consigo, gentil e tão, hm… intenso. Realmente estava surpresa.

Mas também era estranho, ajudar alguém que tinha acabado de conhecer, na verdade eles não trocaram palavra alguma no Ichiraku. Isso apenas mostrava o quão dócil e gentil ele era, e realmente gostou disso.

Gaara era fofo.

Sentiu uma imensa vontade de rir com esse pensamento, já que acabou se lembrando dele jantando Neji e quase brigando com Sasuke.

Ah, é verdade, Sasuke! Tinha se esquecido totalmente do que tinha feito pra ele, ela tinha que pensar em como entregar o chá hoje. 

— Liberados — Kurenai disse e todos os alunos saíram mais rápidos que um furacão, e logo já estava preparada para ir também.

— Sensei — Hinata praticamente berrou chamando a atenção da mulher, e correu até ela. — Poderia me fazer um favor?

Ok, aquele lugar estava cheirando a peixe podre. O suor masculino exalando por toda a extensão do vestiário o fazia realmente querer vomitar ali mesmo.

Mano, até o Chouji estava fedendo, e ele só andou pra beber água.

O Uchiha jogou a toalha no ombro, enquanto ficava em frente o armário azul metálico em busca de algum desodorante, mas pelo visto já tinha alguém o usando.

— Socorro, pior que meu peido! — Naruto disse com uma mão tampando as narinas e a outra com o desodorante perdido de Sasuke, o chacoalhando por todo o cômodo. — Ah, eu vou morrer.

— Mê dá essa merda. — tomou das mãos do Uzumaki, logo o passando pelas axilas. 

Mas logo sua cabeça doeu, como se algo estivesse acontecendo. Ele não tinha levado nenhuma bronca de Neji aquele dia, na verdade, o Hyuuga estava quieto até demais para seu gosto. O que poderia ser? Bem, ele era curioso mas não ao ponto de ter que puxar assunto com alguém, então decidiu ficar na dele.

Neji entrou no local, sem nem se importar com a bagunça que ali estava, Kiba praticamente fazendo um pirucoptéro molhando Shino, Naruto tentando matar um pernilongo, e os outros rapazes conversando alto demais. Ok, ele estava estranho pra caramba. Ele nem ao menos se importou com o cheiro.

Mas ele realmente devia achar que estava bom demais pra ser verdade, porque quando o pernilongo pousou nas costas do Hyuuga ele sabia que viria merda, já que Naruto sem nem ao menos perceber que era Neji ali meteu um tapa sem dó nas costas nuas do Hyuuga, e o vestiário ficou extremamente quieto ao ouvir o enorme estalo do impacto.

— Te peguei, seu pernilongo arrombado. — disse o Uzumaki vitorioso. Mas o loiro levantou a sobrancelha ao notar todos os olhares assustados para cima de si, o fazendo coçar a nuca confuso. — O que foi? É proibido matar pernilongos agora?

Sasuke estapeou a própria testa, agora o circo ia pegar fogo e infelizmente não era do 7Minutoz. 

Naruto apenas tremeu quando sentiu um frio na barriga ao notar que Neji o encarava tão feio, mas tão feio, que estava até parecendo a bunda peluda do King Kong.

— Naruto… — disse em tom mortal, se levantando e ficando atrás do assassino mosquiteiro. 

— D-desculpa — murmurou dando um passo para trás, como uma tentativa de escapar da fúria do Hyuuga, e se encolheu ao vê-lo estender a mão.

— Só não te meto a porrada porque, eu ‘tô irritado com outra coisa — respirou fundo olhando para o teto e fechando os olhos tentando se controlar. — Nem me perguntem… — virou o rosto  para o lado, mas ao ver que ninguém nem ao menos se importou e retornou aos seus afazeres, Neji se rendeu. — Tá bem, eu conto! 

— Mas ninguém quer saber-

— Shh, eu sei que vocês querem. — respondeu com convicção e se jogou na cadeira. — Tudo começou quando… — viu todo mundo soltar um suspiro de arrependimento e tédio.

— Não é pra contar a história da sua vida, cara. — Kiba disse entediado, jogando a toalha ao redor da nuca.

— Ok, ok! Vou contar a parte que interessa — pigarreou a garganta. — Gaara apareceu aqui. 

Sasuke que estava de costas, parou por um momento de analisar as roupas limpas que tinha dentro do armário apenas para prestar atenção no assunto. E parece que foi o que os outros rapazes fizeram também.

— Eu nunca, jamais, nunquinha, never, nem por minha bunda, eu imaginaria que esse idiota me humilharia de uma maneira tão escrota na frente de todo mundo. — suspirou abaixando a cabeça. 

— E por que caralhos ele fez isso? Tipo, mano… ele nem te conhece, 'tá ligado? — disse Naruto colocando um chiclete na boca. — Será que ele apareceu aqui  ontem? 

Sasuke soltou uma risada baixa, fazendo todos olharem para ele.

— Se fosse ontem, ele teria vindo aqui apenas pra levar uma surra naquela cara amassada de corno. — murmurou o Uchiha, enquanto amarrava o tênis. 

— O que vocês fizeram ontem? — questionou Lee.

— Não, esqueça ontem… não tem nada haver. — Neji retrucou. — ele… ele… aquele bosta estava com a Hinata, a minha prima, deusa Hinata! — quando o Uchiha ouviu, apertou com toda força que tinha o desodorante que estava guardando. Como assim ele estava com a Hinata?

— Hina-Chan? Espera… o que? — Naruto estava extremamente chocado. 

— Como assim? Já está pegando a cachorrona? Estamos perdendo território. — Kiba negou com a cabeça, fazendo quase todos ali revirarem os olhos.

— Se repetir essa palavra para se proferir a Hinata ou a qualquer outra garota, eu juro que vou enfiar uma barata no teu boga. — Shino já estava sem paciência pra esses apelidos idiotas do Inuzuka.

— Bem… — começou Neji. — eu realmente não sei como, mas eu vi os dois irem juntos para o colégio, e ainda vi aquele… pervertido pegar na coxa dela. 

O Uchiha naquele momento sentiu cada gota de seu sangue ferver mais que amaterasu. Fechou a porta do armário com tanta força que chamou a atenção de todos que estavam ali para si. Vestiu a camisa branca do colégio, e sem dizer mais uma palavra saiu do vestiário com a cara fechada, ainda podendo ouvir um “está com ciúmes” de Neji.

Não, ele definitivamente não estava com ciúmes sobre aquilo. Por que diabos ele estaria?

Andava pelo corredor com ambas as mãos no bolso da calça azul de moletom, respirando fundo enquanto fechava os olhos.

Os pensamentos de Sasuke voaram longe, aos acontecimentos no Ichiraku. Os olhares que ambos trocaram ali, doeu por um momento saber que Hinata também quem sabe pudesse retribuir o amor de Gaara, só de pensar nisso seu corpo por inteiro estremeceu. 

Mas logo algo fez seu coração ficar quem sabe mais calmo, Gaara havia acabado de a conhecer, não teria como ter sentimentos tão profundos pela Hyuuga. Entretanto, ficou novamente irritado e ansioso, quem ele queria enganar? Hinata era a menina mais linda que ele já tinha conhecido, a personalidade extremamente calma e a sua inteligência a destacavam ainda mais entre as garotas, principalmente sua gentileza.

Ah cara, ela é perfeita.

A escola estava praticamente vazia, apenas os alunos que faziam aula extra e o time de basquete ficavam até tarde praticamente quase todo dia.

Adentrou na sala pra pegar sua bolsa, mas viu uma garrafa térmica junto com um papel em sua mesa. O que era aquilo? Se aproximou, pegando a garrafa prateada em mãos a analisando, e imediatamente começou a ler o bilhete.

“Oi Sasuke, desculpa não te entregar pessoalmente, acabei não te vendo hoje! Você disse que estava com dor de cabeça ontem no Ichiraku, então decidi fazer um chá. Acabou esfriando, então eu tive que pedir pra Kurenai-Sensei esquentar, mas caso esteja frio o esquente de novo! Espero que tenha melhorado da dor de cabeça, e te desejo melhoras pelo tornozelo.

xoxo Hinata Hyuuga

O Uchiha nem percebeu o sorriso que abriu em seu rosto ao notar que foi a própria Hinata que tinha feito. Como sempre atenciosa, pensou abrindo a garrafa e tomando um gole, antes de dar um suspiro de satisfação e sentir uma nostalgia boa.

— Igual o da mamãe! — murmurou observando a garrafa e logo a virar, tomando todo líquido.

— Não me diga que eu não avisei, Hina! — A Yamanaka disse após Hinata lhe falar sobre os acontecimentos que ocorreram na manhã daquele dia. — Pô, é só olhar as entrelinhas, não é difícil. 

Hinata respirou fundo, enquanto pegava a caixa de leite e logo derramando o líquido preto dentro da enorme tigela com farinha.

— Eu sei, mas...não sei?

— Como você pode saber e não saber, sua tonta? — retrucou Ino observando a amiga e levantou a sobrancelha. — Não precisa ser a medida exata do leite? Você não deve estar colocando a quantidade correta.

— Eu sei o que eu estou fazendo, Ino.

— Enfim… — se sentou com certa dificuldade no balcão, pra poder ver como a massa do bolo de chocolate estava indo. — Por quanto tempo vai negar essa probabilidade, Hinata?

A morena riu, mesmo que Ino não tivesse feito piada alguma.

— Só quero dizer que não acredito em nada dessa conversa, assim como Sasuke e eu somos apenas amigos, com Gaara eu terei a mesma relação. — explicou, e deu de ombros para a enorme carranca que a loira fez. 

— Mas… mas… Hinata, você é cega por acaso? — inquiriu, Ino estava extremamente indignada com aquilo, ela realmente faria tão pouco caso ou estava se fazendo de burra? — Você viu muito bem o que eu vi… no Ichiraku, você segurou a mão do Sasuke e ele parou de tretar na hora, eu sei que você também percebeu.

A Hyuuga apenas esboçou um sorriso.

— Isso significa amizade, Ino, apenas entenda… mesmo que isso fosse verdade, nada iria mudar.

— O que isso quer dizer? — se atreveu perguntar.

— Que mesmo se o Sasuke estivesse apaixonado por mim, ou até mesmo o Gaara não iria mudar nada. — percebeu a amiga ficar ainda mais confusa e deu um suspiro baixo. — Quero dizer que: Eu não iria corresponde-los. 


Notas Finais


E aí, gostaram? Foi um sacrifício e tanto escrever esse capítulo, mas no final de tudo valeu a pena!

↬ Quero dar agradecimentos especiais a helper @Kurishina_naru por ter me dado várias idéias, e sem ela esse capítulo não teria ficado tão bom assim <3 Muito obrigada, xuxu!
↬ Também a @HinaPotts que está me forçando a atualizar todas as minhas fics, ou seja, sem ela eu não estaria atualizando nada KKKK Minha salvadora ae.
↬ O Capítulo foi betado lindamente pelo @Listyo, eu só tenho a agradecer por isso! Tu é incrível, dengo <3

Espero que tenham gostado, e só digo que agora as coisas vão começar a andar KKKK Então tenham paciência!
Favoritos e comentários são muito bem vindos, então sintam-se a vontade <3

No mais, até o próximo capítulo, docinhos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...