História Um Colegial Diferente - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Iris, Kentin, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Hentai, Romance
Visualizações 50
Palavras 4.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, gente linda !!! Tudo bem com vocês ?
Gostaria de agradecer a todos os 14 favoritos na Fanfic, isso me deixa muuuuito feliz e muuuuuito inspirada, tanto que escrevi essa capítulo gigante especialmente para vocês.
Espero de verdade que gostem.
Uma boa leitura a todos vocês !

Link de roupas nas notas finais.

Capítulo 10 - Hot N' Cold


Fanfic / Fanfiction Um Colegial Diferente - Capítulo 10 - Hot N' Cold

“ I should know that you're no good for me. ” Hot N' Cold - Katy Perry.

~~ POV Katherine ~~

Eu tinha sofrido uma torção no tornozelo, nada muito grave, mas tive que passar meu fim de semana todo deitada na cama colocando compressas de gelo e em repouso absoluto, sem poder colocar o pé no chão.

Domingo Rosalya e Alexy passaram a tarde comigo, fizemos maratona de Gossip Girl, comendo um monte de besteiras. Alexy me contou sobre sua conversinha com Castiel na enfermaria e fiquei tão orgulhosa da atitude de meu amigo, que me defendeu com bravura. Já Rosalya me contou do barraco que Castiel arrumou com Ambre e Charlotte, ele não sossegou até as duas serem suspensas por terem me deixado cair da pirâmide de propósito. Bom saber que eu voltaria para escola na segunda e encontraria um pouco de paz.

Sobre Castiel, eu já tinha jogado a toalha, levantado a bandeira branca e me retirado do meio do campo de batalha. Ele esfregar na minha cara sua relação sexual com Debrah, foi longe demais. E depois se acha no direito de demonstrar ciúmes para Alexy ? Ou então brigar com Ambre e Charllote por mim querendo me vingar pelo que elas tinham feito ? Sinceramente, já estava cansada dessas oscilações de humor, ele que morra para lá com essa bipolaridade louca dele.

- Se sente melhor, querida ? - Minha mãe entrou em meu quarto enquanto me arrumava para escola.

- Sim, consigo fazer as coisas sozinhas já, porém mancando.

- Fiz waffles com gotas de chocolate para o café, seu preferido. - Minha mãe disse toda atenciosa comigo e sorri agradecida.

- Vou ficar uma bolota com todos esses mimos. - Disse de brincadeira enquanto colocava os livros da aula de hoje dentro da bolsa.

- Querida, fiquei preocupada com você. Sabe que não quero que o que aconteceu na sua antiga escola se repita.

Estremeci ao lembrar, tínhamos prometido não tocar nesse assunto novamente, já que meu pai não podia saber do verdadeiro motivo de termos saído da nossa antiga cidade e termos vindo para cá, morar aqui. Todos têm um passado sombrio, um segredo que fazem de tudo para esconderem e eu tinha o meu.

- Não vai se repetir. Está tudo sobre controle. Não precisa se preocupar com isso. - Disse para ela e para mim mesma. Tentando nos tranquilizar. Ela me lançou um sorriso amarelo, não muito convencida.

Tomei meu café saboreando cada pedacinho de chocolate, aliviando os meus sintomas da tpm e tentando esquecer o que minha mãe tinha dito, não queria estragar o dia que mal começou.

Quando cheguei na escola encontrei com Rosalya, Alexy, Lysandre, Iris, Armin e Violette que conversavam em uma mesa no canto do refeitório.

- Hey Kathy ! Como está ? - Armin perguntou ao notar minha presença.

- To bem melhor já. Do que estão falando ?

- Debrah conseguiu com que a banda de Lysandre e Castiel toquem em um bar da cidade hoje a noite. - Rosalya me explicou.

- Que ótimo ! Parabéns ! - Disse parabenizando Lysandre que sorriu para mim animado.

- Você vai né ? - Ele me perguntou e sorri para ele.

- Não perderia por nada.

- Até estranhei aquela cobra fazendo algo caridoso. - Alexy disse desconfiado e tive que concordar com ele, Debrah não fazia nada sem antes se beneficiar primeiro.

- Ela vai ser a vocalista. - Rosalya disse emburrada.

- Como assim ? Pensei que fosse Lysandre. - Disse confusa.

- Não mais, fico na bateria agora, Castiel na guitarra e Debrah como vocalista. - Lysandre me explicou desanimado.

Rosalya parecia irritada, como se ela tivesse tomado as dores de Lysandre. Ele estava chateado com a situação mas sabia disfarçar.

- Estava vendo que tem karaokê nesse bar. Vai ser uma noite divertida. - Alexy disse animado enquanto lia o panfleto do show.

- Quer ir lá para casa ? Podemos nos arrumar juntas. - Rosalya sugeriu e concordei.

O sinal tocou e fomos todos para sala de aula.

Não sabia dizer se eu estava animada ou não para hoje a noite, estava feliz pela conquista de Lysandre mas a Debrah como vocalista da banda dos meninos me deixava irritada, ela chegou a tão pouco tempo e já está sentando na janela, tomando o posto do Lysandre e eu podia apostar que Castiel estava do seu lado nisso, a defendendo. Era injusto com o Lys e eu não gostava daquilo.

Tentei não pensar muito nisso, quanto mais eu pensava mais ódio eu tinha de Debrah. Era melhor esperar para ver o que aconteceria hoje a noite, como Alexy disse, a noite promete.

(...)

- Rosalya, é sério, porque você é tão maravilhosa assim ? - Perguntei indignada quando a vi. Ela gargalhou de um jeito gracioso e deu uma voltinha, desfilando para mim.

Rosalya estava simplesmente perfeita. Ela estava tão linda e gostosa que faria todos os caras babarem por ela, senti uma leve inveja branca. Ela usava um vestido de seda vermelho, bem curtinho, mas soltinho no seu corpo, um par de botas pretas. Seus cabelo estavam deslumbrantes, com ondas volumosas. Sua maquiagem estava concentrada em seus olhos delineados de preto e um batom vermelho fosco, quase vinho.

- Me poupe né, Kathy, olha só para você.

Modéstia parte eu também não estava nada mal. Estava usando um body que peguei emprestado de Rosalya, era preto rendado, parecia mais uma lingerie. Usava uma saia de veludo rosa bem colada em meu corpo e um salto preto, com um laço que ia até meu joelho.

- Olá meninas! Nossa, vocês estão maravilhosas. - Leigh apareceu na porta do quarto de Rosalya e nos elogiou, claro que os olhos deles estavam vidrados em sua namorada, ele só me elogiou por educação porque nem sequer olhou para mim. - Vim chamar vocês, estamos atrasados já.

- Já estamos descendo, amor. - Rosalya o respondeu de forma carinhosa dando um beijo demorado no namorado que estava babando por ela. Desviei o olhar do casal perfeito e fui passar mais uma camada de rímel em meus cílios.

- Vocês parecem ter um relacionamento tão perfeito. - Comentei depois que Leigh foi embora.

- Nenhum relacionamento é perfeito. Nós temos nossos desentendimentos.

- Mas quem olha assim para vocês vê o quanto se amam.

- Isso eu não posso negar. Sou louca por ele. - Ela disse com um ar de apaixonada, sorrindo toda boba.

Descemos e encontramos Leigh já lá fora manobrando o carro. Fui no banco de trás sozinha, até pararmos na casa de Alexy para o dar uma carona, ele entrou no carro todo animado, mal contendo sua empolgação.

Poucos minutos depois chegamos no bar. Era um ambiente meio rústico, com uma iluminação mais escura. Em uma lateral havia um bar e na outra as mesas de madeira. Seguindo reto havia o palco e no meio uma pista de dança. O lugar já estava lotado, a multidão parecia ansiosa para o início do show, já que estavam todos aglomerados em frente ao palco.

- Acho melhor irmos sentar no bar, se ficarmos aqui mal vamos conseguir ver eles. - Rosalya disse nos guiando até o bar. Sentamos nos bancos de madeira de frente para o balcão.

Rosalya pediu bebida para todos nós. Ali da lateral conseguimos ter uma boa visão do palco. O dono do bar anunciou a banda no microfone e eles entraram.

Debrah estava vestida como uma verdadeira estrela do rock, ela usava uma macacão de couro grudado em seu corpo, só faltava uma máscara de gato e ela estaria pronta para uma festa fantasia, vestida de mulher gato. Mas a cara de vagabunda era a mesma.

Lysandre estava lindo com suas roupas vitorianas de sempre, ele parecia tão concentrado no que fazia, colocando paixão na música, se dedicando por completo e aquilo era maravilhoso de assistir.

Por mais que eu não quisesse notar Castiel, pois estava decidida a ignorar ele e odiá-lo. Ele também estava lindo, vestido todo de preto, com aquela jaqueta de couro que o deixa extremamente sexy. Sem contar que ele tinha muito talento, seus solos de guitarra eram arrasadores.

Desviei o olhar para Lysandre novamente, que notou que eu olhava para ele. Lysandre abriu um sorriso para mim que deixou minha pernas bambas, seus olhos brilhavam. Ele estava feliz de estar ali e estava dividindo aquela emoção comigo, naquele sorriso. Sorri de volta para ele, com a mesma emoção. Sentindo todo meu corpo se aquecer apenas com aquela troca de olhares.

(...)

- Você foi maravilhoso ! - Rosalya disse toda orgulhosa pulando animada enquanto esmagava Lysandre em um abraço.

- Obrigado, Rosa. - Ele agradeceu sorrindo para ela.

Esperei no meu cantinho, pacientemente a minha vez de abraçá-lo e prestigiá-lo pelo show que foi um sucesso.

- O que você achou ? - Ele perguntou preocupado, como se minha opinião de alguma forma importasse para ele.

- Tá brincando né ? Foi incrível, você é incrível. Parabéns !

Lysandre me puxou para um abraço e relaxei em seus braços, sentindo o calor que emanava de seu peito. Era tão confortável ali, que não quis me afastar. Em seus braços eu me sentia tão segura. Senti um impulso e cheirei seu cabelo. Sabe o que dizem sobre cheirar o cabelo de uma pessoa né ? Você está caidinha por ela. Seu cheiro era tão doce e amadeirado, um perfume masculino que só pertencia a ele.

Nos afastamos quando Alexy pigarreou. Alexy olhou para mim malicioso e desviei o olhar antes que começasse a corar.

- Precisamos cantar no karaokê. - Alexy disse animado e puxou Rosalya pela mão para se inscrever.

Fiquei com Leigh e Lysandre no bar enquanto Rosalya e Alexy cantavam no karaokê, completamente desafinados mas se divertindo aos montes, gargalhando a cada verso.

Quando eles terminaram o nome que surgiu na tela foi o meu, eu não acredito que eles tinham me inscrito para cantar. Continuei sentada no meu assento, ignorando a situação. Rosalya veio correndo até mim e começou a puxar meu braço para ir com ela.

- Eu não vou cantar !

- Vai sim, você precisa se divertir !

- Não !

- Sim e se teimar comigo eu juro que dou um chute na sua bunda. - Ela disse em um tom ameaçador. Rosalya era o tipo de pessoa que não aceitava um não como resposta e quando ela queria muito alguma coisa ela não sossegava até conseguir.

Minhas mãos soavam tanto que eu estava com medo de o microfone escorregar e cair no chão. Minhas pernas estavam tão trêmulas que eu estava com medo de não conseguir me manter em pé e cair no chão na frente de todos. Minha garganta estava tão seca que eu estava com medo de minha voz não sair e eu ficar parada em cima do palco igual uma retardada. Minha mente pensava em tanta coisa ao mesmo tempo que eu estava com medo de esquecer a letra da música e começar a gaguejar. A verdade era que eu estava tão nervosa e com a sensação de que algo horrível aconteceria e a apresentação seria um desastre. Todos iriam rir de mim e eu morreria de vergonha.

Olhei para Rosalya receosa e ela me lançou um olhar de apoio. Caminhei até o microfone ainda sem olhar para a plateia abaixo de mim. Quando me posicionei em frente ao palco as primeiras batidas de Hot N' Cold começaram a tocar. Fechei os olhos e respirei fundo, tomando coragem.

- You change your mind like a girl change her clouds. - Comecei a cantar de olhos fechados e só relaxei quando ouvi minha própria voz saindo com clareza e suavidade. Eu não estava gaguejando. Abri os olhos e meu olhar se cruzou com o de Alexy que sorria orgulhoso e animado para mim. Me senti confiante com aquilo e continuei cantando. - Yeah you, PMS, like a bitch, I would know.

A plateia cantava e dançava animada, fazendo eu me soltar, no refrão eu já jogava o cabelo e cantava colocando emoção e sentimento na música, ainda mais depois que meu olhar se cruzou com o de Castiel. Assim que olhei fundo naqueles olhos cinzas escuros não consegui desviar o olhar, uma onda de emoções me atingiu com força e comecei a cantar somente para ele. Como se só estivesse eu e ele ali naquele bar, completamente sozinhos e eu pudesse finalmente dizer tudo que estava entalado em minha garganta para ele. Porque convenhamos a letra da música parecia ter sido escrita para ele.

- You don't really want to stay, no. But you don't really want to go-o. - Vários flashback de momentos nossos começaram a aparecer em minha mente.

Nosso primeiro encontro, que foi ele esbarrando em mim no corredor da escola e depois nem se desculpou, como sempre sendo um mau educado. E então ele muda de repente e faz algo gentil por mim, como ele tomando a culpa da armação de Ambre para cima de mim, por colar no teste. Depois ele volta a ser um estúpido ao espancar Nathaniel e então ele me beija de um jeito que faz eu esquecer até mesmo meu próprio nome. Até o momento em que ele se torna um completo idiota de novo. Quando ele escolhe Debrah, aquela piranha, ao invés de mim.

- You're hot then you're cold

You're yes then you're no

You're in then you're out

You're up then you're down. - Eu fuzilei ele com meu olhar que devia estar fervendo de raiva.

A verdade era que até brigar com aquele garoto era excitante.

- Someone call the doctor

Got a case of a love bi-polar

Stuck on a roller coaster

Can't get off this ride. - Cantei botando toda minha raiva e frustração. Castiel me olhava furioso e não ficou mais ali parado vendo meu show.

Ele balançou a cabeça negativamente e saiu do bar, parece que alguém não gosta de ouvir a verdade.

(…)

- Acho melhor maneirar na bebida, Kathy. - Rosalya tirou o copo de minha mão me olhando preocupada e olhei irritada para ela, fazendo um bico infantil e cruzando os braços. Fazendo birra como uma criança de cinco anos de idade.

- Da Licença. - Peguei meu copo de volta e entornei sem querer um pouco de bebida na minha mão.

- Descontar as frustrações na bebida, super normal. - Alexy disse me encarando, mas sem dar tanta importância quanto Rosalya. - Deixa ela, nunca termina em coisa boa mas ela que sabe. - Alexy disse dando de ombros e sorri para ele.

Meus dois melhores amigos eram completamente diferentes.

Porque ele tinha que ser tão idiota ? Eu odiava aquele ruivo ! Odiava ! - Pensei comigo mesmo e decidi gritar isso para o mundo todo ouvir.

- A PARTIR DE HOJE EU ODEIO UMA PESSOA CHAMADA CASTIEL ! - Disse alto erguendo meu copo no alto propondo um brinde.

O único que levantou o copo foi Alexy, que brindou comigo. Rosalya olhava para a gente com um olhar de reprovação.

- Um brinde a isso. - Alexy disse rindo.

“Continua repetindo isso, talvez uma hora você acredite.” A voz de Castiel ecoou em minha cabeça, me lembrando de quando ele me disse isso na enfermaria do colégio. Será que ele tinha razão ?

Minha mente já estava confusa depois de algumas doses de tequila. Parecia que os dois hemisférios do meu cérebro discutiam entre si.

Comecei a rir sozinha ao sentir minha mão formigando e uma vontade louca de jogar a cabeça para trás.

- Alexy ! Ela está bêbada ! - Ouvi a voz de Rosalya um pouco distante, ela parecia irritada.

Acho melhor eu me afastar dela ou a Rosalya vai querer acabar com minha diversão e a bebida estava me fazendo esquecer de Castiel, ou não estava já que sua voz teimava em gritar na minha cabeça.

“Foi só um beijo.” Poderia até ter sido só um beijo, mas foi um dos melhores da minha vida.

Eu sentia meu corpo cambaleando, como se um vento muito forte quisesse me derrubar. As pessoas em minha frente pareciam se mover rápido demais me deixando tonta, tudo que eu enxergava em minha frente era vultos coloridos. A música alta me dava vontade de dançar loucamente e gastar a energia pulsante que tinha dentro de mim.

Tropecei em meus próprios pés e segurei em alguém para conseguir me manter de pé. Comecei a rir sem parar.

- Oh meu Deus ! Eu quase cai. - Porque eu estava achando isso tão engraçado ? Porque eu estava falando sozinha ?

- Kathy, você está bem ? - Uma voz conhecida se aproximou por trás de mim. Senti a pessoa segurar meus dois braços e me virar, me fazendo olhar para ela. Quando meus olhos encontram aqueles olhos de cores diferentes eu sorri feliz.

- Lys, eu amo seus olhos. Eles são tão lindos. - Disse me jogando em seus braços e acariciando seu rosto.

Percebi que eu já não tinha controle nenhum sobre meus atos. Eu simplesmente falava e fazia o que me dava vontade. Uma voz bem lá no fundo até me alertava dizendo que o que eu estava fazendo era errado, mas eu continuava mesmo assim.

Lysandre me olhou confuso e preocupado.

- Lys, dança comigo. - Pedi fazendo bico. - Eu amo essa musica. - Disse o puxando pelo braço para a pista de dança.

- Kathy, você está bêbada.

Coloquei dois dedos sobre seus lábios o silenciando. Ele ficou surpreso já que arregalou aqueles olhos maravilhosos para mim. Sorri sapeca para ele e pisquei um olho.

Me virei de costas para ele e comecei a rebolar no ritmo da música, pouco me importando com o fato de estar rebolando minha bunda no quadril de Lysandre. Ele segurou minha cintura firmemente e eu sorri maliciosa. Tinha esquecido como ele tinha pegada. Ele me virou para ele. Olhei em seus olhos que brilhavam de desejo, mas ao mesmo tempo pude sentir que algo o impedia.

- O que você está fazendo, Kathy ?

- Não está gostando ? - Perguntei mordendo o lábio inferior, tentando fazer a minha melhor cara de sedutora. Bancando a falsa santa. Não devia estar funcionando muito bem já que ele riu de mim. Vai ver a bebida não me ajudava a ser sexy.

- Você bêbada tentando me seduzir é adorável.

Envolvi meus braços em seu pescoço e grudei meu corpo no dele. Balancei meu corpo conforme a música, fazendo questão de me esfregar em seu corpo. Aos mãos de Lysandre continuavam em minha cintura, me segurando junto à ele. Ele começou a mexer seu corpo junto ao meu.

- Viu ? Não é tão difícil assim dançar comigo. - Disse o fazendo rir.

Comecei a dançar de um jeito mais provocativo, minhas mãos passeavam livremente pelas suas costas. Olhei para Lysandre que mordia o lábio inferior tentando se controlar. Puxei sua nuca e colei nossos rostos. Lysandre olhou em meus olhos e eu senti todo meu corpo em chamas, com a intensidade que ele me olhava.

- Lys, porque não me beija ? - Perguntei baixinho em seu ouvido e senti os pelos de sua nuca se arrepiarem sobre minha mão.

Ele se aproximou de mim e eu fechei os olhos e fiz bico, esperando que ele me beijasse. Então, senti uma mão esmagar meu braço e gemi de dor, meu corpo foi puxado bruscamente para longe do corpo de Lysandre. Olhei para quem tinha feito aquilo e meu coração pulou no peito quando vi Castiel furioso, olhando de mim para Lysandre.

Castiel me arrastou com ele, ele abria caminho entre as pessoas em sua frente às empurrando. Ele nos levou até o estacionamento que estava deserto. Ele me soltou e começou a gritar comigo.

- MAS QUE PORRA VOCÊ ESTAVA FAZENDO ?!

- Eu estava dançando. - Respondi bancando a sonsa.

- Você ia beijar o Lysandre ? - Ele perguntou exigindo de mim uma resposta, seus olhos estavam grudados nos meus, cintilando de ódio.

- Sim, eu ia beijar o Lysandre de novo. - Eu coloquei o “de novo” de propósito. Eu não sei o que eu estava fazendo, eu estava o desfiando, brincando com o perigo, mas eu só estava pagando para ver. Sem medo do que poderia acontecer.

- DE NOVO ?! - Ele explodiu e eu sorri debochada.

- Sim, de novo. Você é surdo, por acaso ? - Perguntei sarcástica. - DE NOVO, DE NOVO, DE NOVO, DE NOVO ! - Fiquei repetindo isso aos berros enquanto via a cara de Castiel ficar da cor de seu cabelo, ele parecia prestes a explodir de raiva.  - Me desculpe, mas até onde eu sei, eu sou solteira e livre para eu beijar quem eu quiser e aonde eu quiser. Se me dá licença é isso mesmo que vou fazer agora. Beijar Lysandre.Ele beija mil vezes melhor que você. - Sai andando determinada mas Castiel puxou meu braço me impedindo.

- Você não vai a lugar nenhum, Katherine ! Você está bêbada, não sabe nem o que está falando. - Castiel disse me olhando de cima abaixo.

- Eu sei sim ! - Protestei teimosa. - Vou voltar pra festa e ficar com Lysandre que diferente de você está disponível.

- Então você só está com Lysandre porque ele está disponível e eu não ? - Ele perguntou convencido com aquele sorrisinho de canto de boca, me provocando e eu percebi que tinha falado demais. - O gato comeu sua língua, Kathy ? Me responde. - Ele continuou me provocando, chegando mais perto de mim. Nossos corpos já estavam se esbarrando, ele estava tão perto que minha mente estava confusa. Eu não conseguia raciocinar direito e formular uma frase sequer, com seu olhar sobre mim, seu corpo tão perto, seu perfume me sufocando.

- O que você quer que eu te diga ? Que se você não estivesse com Debrah eu seria sua ?

- É essa a verdade ? - Ele perguntou curioso arqueando uma sobrancelha. Senti seu braço contornar minha cintura.

- Você queria que fosse verdade ? - O provoquei também, entrando em seu joguinho.

- Não responde minha pergunta com outra pergunta, Katherine. - Ele riu e meu coração acelerou no peito. Ele tinha a risada mais gostosa, o sorriso mais lindo e me vi perdida ali, então entreguei a verdade para ele de bandeja.

- Até mesmo você estando com a Debrah, eu quero ser sua. - As palavras saiam da minha boca sem freio nenhum. Castiel me olhou surpreso mas sorriu satisfeito.

- Ótimo ! Porque eu também te quero. - Castiel disse antes de grudar nossos lábios com pressa e urgência.

Sua língua invadiu minha boca e buscou a minha língua de um jeito desesperado. O beijo começou rápido, como se estivéssemos ansiosos demais para esse momento a bastante tempo.

Suas mãos não eram nada gentis sobre meu corpo, ele me apertava como se precisasse me sentir mais do que ele precisava de oxigênio para respirar.

Já eu me sentia tão quente que parecia que poderia entrar em combustão a qualquer instante. Eu estava ofegante, quente, excitada, desesperada por mais do que ele estava me dando. Arranquei a camisa de Castiel com pressa, mostrando para ele todo meu desespero em tê-lo logo para mim.

Minhas mãos não perderam tempo em tatear todo aquele corpo maravilhoso dele. Castiel puxou meus cabelos e virou minha cabeça para o lado, sua boca foi para meu pescoço e comecei a gemer baixinho quando ele começou a chupar com força a pele fina de meu pescoço, fazendo sucções que deixariam marcas amanhã pela manhã.

Suas mãos estavam por baixo de minha saia apertando minha bunda, sua ereção era grande e batia em meu baixo ventre conforme ele se esfregava em mim, me fazendo senti-lo por completo.

- Você pode sentir né ? Pode sentir o quanto eu te quero. - Ele sussurrou em meu ouvido e eu rolei os olhos sentindo uma onda de prazer fazer todo meu corpo estremecer. Porque ele tinha que sussurrar essa coisas obscenas em meu ouvido ? Era como tortura.

Bem lá no fundo eu sabia que eu estava bêbada, incapaz de tomar uma decisão sensata. Mas eu também sabia que a bebida só fazia aflorar coisas que no fundo você já tinha a intenção de fazer antes. Era algo que muito provavelmente eu me arrependeria amanhã pela manhã, mas nesse momento eu não conseguia pensar em outra coisa que não fosse sentir Castiel dentro de mim, me possuindo. Eu o queria, eu queria transar com ele, ali e agora.

- Eu preciso de você. - Disse embriagada de tesão, minhas mãos lutando com seu cinto na difícil missão de tirar sua calça.

- Não vou fazer isso com você nesse estado, linda. - Ele disse de forma gentil e delicada, olhando fundo nos meus e acariciando minha bochecha de forma carinhosa.

O que aconteceu ? Eu era a imprudente e ele o cara sensato agora ?- Pensei comigo mesma, um pouco indignada. 

- Só volta a ser o idiota que você é e me beija. - Disse irritada o calando com meus lábios.

Beijei Castiel com toda minha vontade e senti que ele já não me retribuía mais. Olhei para ele contrariada, confusa e principalmente irritada. Eu não queria parar.

- Eu quero você, eu preciso de você. - Implorei o agarrando e o puxando para mim. - Eu quero que você me foda. - Eu disse safada e em seguida mordi seu lábio inferior o puxando comigo. Acho que coloquei muita força já que senti um gostinho de sangue em minha língua e Castiel gemeu baixo. - Diz que me quer como eu quero você, Castiel. Eu preciso saber que você me quer.

Antes que ele pudesse responder eu o calei com meus lábios novamente, minha língua procurava a dele com pressa e desespero. Minhas mãos agarravam seus cabelos com força e eu forçava meu corpo contra o dele, dessa vez ele retribui o beijo na mesma intensidade. Comemorei por dentro.

Em algum lugar bem distante em minha mente eu ouvia uma voz gritando para eu parar com isso. Me repreendendo de todas minhas ações. Mas eu apenas a silenciava. Concentrando toda minha atenção em como Castiel era lindo e em como eu o queria.

- Eu quero isso também, linda, mas não agora. - Castiel disse interrompendo o beijo e me afastando.

- Você está me rejeitando. - Disse fazendo um bico triste.

- Estou te rejeitando porque você está bêbada, porque sóbria você nunca faria isso e nem me diria essas coisas, estou te rejeitando porque se fizermos isso agora não vai ser real e eu quero que seja real, quero que seja algo que você vá lembrar no dia seguinte e que nunca vai esquecer, não quero que se arrependa. - Ele me explicou tudo com paciência, olhando em meus olhos de forma gentil, ele estava calmo e todo sensato enquanto eu parecia uma maluca tarada.

- Castiel … - Comecei tentando me defender mas parei quando comecei a enxergar não um mas três Castiel, senti meu estômago revirar. Um bolo começava a se formar em minha garganta e antes que eu pudesse dizer mais alguma coisa eu vomitei tudo que estava em meu estômago em Castiel, sujando seu peito nu, suas calças e sapatos.

Olhei para ele de uma forma débil e ele estava de olhos fechados, tentando se controlar e se concentrar, pensando o que faria em seguida. Aquela imagem foi tudo que eu vi antes de enxergar tudo preto.


Notas Finais


EITA ATRÁS DE EITA
E aí ? O que acharam da Kathy bêbada ? Me digaaaam, comentem !
Perceberam que Katherine está escondendo um segredo né ? Já vou adiantando que vai ser algo bombástico.
No próximo capítulo as consequências dessa bebedeira toda.
Beeeijos e até logo.
Kathy https://weheartit.com/entry/290099976?context_page=2&context_type=user&context_username=Thamy_1D
Rosa https://weheartit.com/entry/307053476?context_page=2&context_type=user&context_username=Thamy_1D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...