História Um Colegial Diferente - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Iris, Kentin, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Hentai, Romance
Visualizações 114
Palavras 2.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie, voltei com mais um episódio.
Gente, gostaria de agradecer os comentários e os favoritos, saber que alguém está lendo e aguarda ansiosa pelos próximos capítulos me ajuda muito a escrever.
Espero que gostem. Boa leitura ...

Capítulo 5 - Treat You Better


Fanfic / Fanfiction Um Colegial Diferente - Capítulo 5 - Treat You Better

“ I know he's just not right for you ... ” - Treat You Better - Shawn Mendes

~~ Pov Lysandre ~~

- PORQUE A DROGA DAQUELA GAROTA IRRITANTE TINHA QUE SE INTROMETER, LYSANDRE ?! - Castiel gritava comigo, seu bafo de cerveja soprando contra meu rosto assim como as gotículas de saliva que voavam e molhavam meu rosto. Ele agarrava meu casaco com força e me sacudia. Seus olhos estavam perdidos. - Acha que eu machuquei ela ? - Ele perguntou obviamente arrependido e preocupado com Katherine.

- Rosalya está cuidando dela, não acho que ela tenha se machucado, já Nathaniel …

- QUE SE FODA AQUELE MERDA ! - Castiel me empurrou irritado e tive que respirar fundo, precisava ter paciência e manter a calma para levar meu amigo bêbado para casa em segurança.

- Eu não ligo para ele também. - Menti para acalmá-lo.

- Por isso que é meu amigo, Lysandre. Eu realmente gosto muito de você. - Castiel disse com uma voz melosa me abraçando. - Mas não posso confiar completamente em você, também era amigo dele antes dele roubar minha garota.

Castiel estava se referindo a Debrah, sua ex namorada. Ele pegou Nathaniel e a garota se beijando, mas para mim aquela história estava muito mal contada, afinal de contas a garota nunca foi flor que se cheire.

- O que acha de ir para casa ? - Perguntei tentando o manter de pé já que o mesmo cambaleava para lá e pra cá.

- Acho que deveria ligar para ela, sinto sua falta. - Castiel disse melancólico pegando o celular no bolso. O tomei de sua mão.

- Você vai se arrepender dessa decisão amanhã, parceiro, acredita em mim. -  Eu disse e Castiel fez bico e cruzou os braços como uma criança. Seus punhos estavam sujos do sangue de Nathaniel. Sacudi a cabeça com pesar ao lembrar do estado deplorável que Castiel deixou Nathaniel.

- Você é sempre tão inteligente. - Ele se jogou em mim me abraçando e vi que ele já não conseguia ficar de pé sem se apoiar em algo e ele estava me usando como apoio. O abracei e peguei a chave de seu carro no bolso traseiro de sua calça. Apertei o botão do alarme e localizei o carro pelo barulho.

Castiel cantava uma música romântica se enrolando com as palavras, eu o arrastava até o carro com dificuldade. O sentei no banco do carona passando o cinto de segurança pelo seu corpo. Dei a volta e sentei no banco do motorista.

- Vou te levar para casa. - Eu disse dando partida no carro.

- Ela deixou o perfume dela no banco. - Castiel disse cheirando o banco do carona e sorrindo abobado. Antes de fechar os olhos e cair no sono.

~~ Pov Katherine ~~

- Deixa eu te ajudar. - Eu tentava levantar Nathaniel que recusava minha ajuda.

- Não preciso da sua ajuda, Katherine ! Não preciso da ajuda de ninguém, eu sei me virar com esse tipo de situação. - Nathaniel disse com uma expressão de tristeza.

Rosalya e Alexy tentavam dispersar a multidão de curiosos, tentando dar privacidade a Nathaniel, que ainda estava jogado no chão humilhado.

- Por favor. - Supliquei olhando em seus tristes olhos azuis. Ele não disse mais nada mas parou de protestar.

Consegui levantar Nathaniel que se apoiou em mim enquanto o levava para um local mais afastado, sentei ele em uma pedra perto da entrada da floresta.

- Vou procurar alguma coisa para limpar seu machucado. Espera aqui.

Fui até a mesa de pizza e bebidas procurando por um pedaço de pano ou guardanapos limpos. Percebi que minhas mãos tremiam de nervosismo. Parei para respirar fundo e me recompor, como eu ia cuidar de Nathaniel se nem conseguia me manter calma ? Achei guardanapos do lado de uma caixa de pizza vazia e uma garrafa de vodka. Iria doer mas pelo menos a ferida não ia infeccionar. Enchi um copo com gelo para ele colocar sobre o olho roxo.

Voltei e Nathaniel estava do mesmo jeito que o tinha deixado, com o olhar triste e a cabeça baixa. Me ajoelhei em sua frente, enrolei o guardanapo e o segurei em seu nariz, para estancar o sangramento. A mão de Nathaniel cobriu a minha.

- Deixa que eu seguro. - Ele disse com a voz serena e concordei com a cabeça afastando minha mão.

Molhei um outro guardanapo na vodka e coloquei sobre o corte em seu supercílio. Nathaniel deixou escapar um resmungo de dor.

- Me desculpa. - Disse nervosa mordendo os lábios.

- Não precisa se desculpar, você não tem culpa de nada. - Ele disse calmo olhando em meus olhos. O que me admirava nele é que ele não parecia estar puto com Castiel, ele conseguiu manter a calma a todo momento, tentando resolver as coisas de outro jeito, sem violência. - Eu que deveria pedir desculpas, vi que Castiel te empurrou. Você não deveria ter se metido.

Balancei a cabeça tentando afastar aquela lembrança que queria tanto esquecer, que era Castiel me empurrando e me derrubando no chão. Ou seu olhar tomado pela raiva. Estremeci novamente.

- Não consigo ficar olhando outra pessoa apanhar e não fazer nada.

- Obrigado. - Ele disse me olhando de uma forma carinhosa e eu sorri de lado para ele.

- Você precisa colocar esse gelo no seu rosto. Eu não achei nenhum pano… - Comecei a me explicar mas fiquei sem palavras quando vi Nathaniel tirar a camisa.

Meu coração acelerou e o ar faltou em meus pulmões quando vi seu abdômen definido. Ele era bem musculoso. Fiquei pensando como ele adquiriu esse tanquinho já que não fazia educação física. Que pecado esconder um corpo desses. Ele pegou o gelo de minhas mãos rindo quando viu que fiquei sem reação. Desviei o olhar envergonhada, minhas bochechas começando a ficar quente conforme eu corava. Ele enrolou o gelo em sua camisa e colocou sobre seu olho roxo.

- Posso saber o motivo disso tudo ? - Eu perguntei curiosa trocando o guardanapo do nariz que já estava todo sujo de sangue por um limpo.

- Uma garota. - Nathaniel disse desinteressado e eu revirei os olhos. Porque era sempre esse motivo ?

- O que aconteceu ?

- Acho melhor perguntar isso a Castiel, era a garota dele.

Senti uma pontada de ciúmes, que ignorei rapidamente, não me permitindo sentir isso por aquele garoto.

- Se eu pudesse te dar um conselho seria para ficar longe do Castiel, ele não é o cara certo para você. - Nathaniel disse sério me encarando e eu fiquei sem saber o que responder. Ele até poderia estar certo mas ficar longe de Castiel não era o que eu queria fazer, sendo certo ou errado.  - Eu preciso ir. - Nathaniel levantou rápido de mais e ficou tonto, cambaleando cegamente, o segurei pelos ombros para que o mesmo não tropeçasse e caísse.

Nossos olhares se encontraram, nossos rostos estavam muito próximos. Eu podia sentir sua respiração que acelerava aos poucos batendo contra meu rosto. Engoli em seco quando senti as pontas de seus dedos tocarem minha bochecha, ele afastou uma mecha do meu cabelo e a colocou atrás da minha orelha, eu um gesto delicado.

- Obrigada por hoje, nunca irei esquecer o que fez por mim. - Nathaniel me agradeceu mais uma vez dando um sorriso doce para mim.

Amoleci em seus braços, minhas mãos estavam em seu ombro e as suas mãos em minha cintura. Nathaniel aproximou seu rosto do meu, seus olhos estavam fixos em minha boca, fechei os olhos mas em minha mente enxerguei uma imagem de Castiel, ele encostado em seu carro hoje mais cedo na porta da minha casa.

- Mas o que está acontecendo aqui ?! - Ambre puxou o braço de Nathaniel o afastando de mim. Ela me fuzilava com o olhar enquanto esperava uma resposta.

- Fica fora disso, Ambre. - Nathaniel disse se enfurecendo com sua irmã.

- Vamos embora daqui, AGORA ! - Ambre disse o puxando para longe de mim.

Eu suspirei aliviada enquanto via os dois se afastarem, pois se algo tivesse acontecido entre mim e Nathaniel, eu jamais poderia ter qualquer outra coisa com Castiel e esse pensamento de alguma forma me incomodava.

(...)

Assim que cheguei na escola na segunda-feira fui abordada por um Alexy para lá de animado. Ele estava acompanhado de um garoto que era a cara dele, então julguei que fosse seu irmão Armin. Eles tinham a fisionomia muito parecida, só mudava o cabelo, Armin tinha o cabelo preto escondido em uma touca. Usava uma calça jeans, all star e uma camisa com o emblema de algum jogo. A personalidade dos dois eram também dois pólos opostos.

Mesmo sendo segunda foi um dos dias mais animados que tive na escola, no intervalo, sentamos todos juntos no refeitório, eu, Alexy, Armin, Iris, até mesmo Violette se juntou a nós. Eu stava comendo uma salada de frutas enquanto Alexy contava piadas.

- Qual a diferença entre o vaso sanitário e a bicicleta ? - Alexy perguntou animado e Armin balançou a cabeça revirando os olhos.

- Não faço ideia.  - Iris disse pensativa.

- No vaso você corre para sentar e na bicicleta você senta para correr.

Eu ri de verdade, mas não pela piada em si, mas pela expressão de Alexy. Ele mesmo estava se acabando de rir da própria piada que contou.

- Imagina morar com essa pessoa e ouvir isso todo santo dia. - Armin disse sem paciência e Alexy o deu um tapa no ombro de brincadeira.

- Essa é boa, caiu um sino na churrasqueira. Qual o nome do filme ?

- Assassino. - Uma voz seca ecoou atrás de mim e Alexy olhou para a pessoa fazendo uma careta.

- Acertou. - Alexy disse cabisbaixo ele preferia quando as pessoas não sabiam a reposta.

Me virei e encontrei Castiel parado atrás de mim, com um semblante sério.

- Posso falar com você em particular ? - Ele me perguntou com uma voz rouca. Olhei para Alexy que me encorajou a ir com um aceno de cabeça.

Não respondi, apenas levantei e o acompanhei até uma sala de aula vazia. Castiel estava com as mãos dentro dos bolsos da calça e balançava seu corpo para frente e para trás, mostrando seu nervosismo.

- Desculpa. - Ele falou tão rápido que quase não ouvi. Pareceu aliviado depois de ter falado a palavra que parecia guardar por tanto tempo.

- Você não costuma dizer isso com muita frequência, não é mesmo ?

- Na verdade, não lembro a última vez que disse. - Ele confessou olhando para qualquer coisa ao nosso redor menos diretamente para mim.

- Você não tem que me pedir desculpas e sim ao Nathaniel.

Foi só dizer aquilo que ele me encarou furioso.

- Bom, isso não vai acontecer. - Ele disse entredentes.

- Olha, isso não é da minha conta mas …

- Não é mesmo da sua conta ! - Ele me interrompeu de forma abrupta. - Se você não tivesse se intrometido naquela noite eu nem estaria aqui tendo que te pedir desculpas. Então, só fica fora disso, ok ?

- Porque você tem que agir como um completo idiota ?! - Explodi não aguentando mais guardar aquilo dentro de mim. - Você não percebe que está sendo grosso comigo ?

- Ahhh, para de agir igual uma bonequinha indefesa. - Ele riu da minha cara fazendo meu sangue ferver nas veias.

- Não é questão de ser boneca, é uma questão de educação !

- Se você não gosta do meu jeito, mantenha-se afastada então. - Ele olhou fundo em meus olhos e disse isso em um tom sombrio.

- Eu não consigo ! Não consigo ficar longe de você. Eu não sei porque só …

Fui interrompida pelo corpo do Castiel que prensou o meu na parede. Percebi o que tinha falado aos berros, eu tinha confessado em voz alta o que eu já temia,eu não conseguia mais ficar longe de Castiel. Mesmo que toda vez que estávamos juntos acabávamos discutindo um com o outro. Era inevitável contestar contra o fato de que eu estava completamente atraída pelo ruivo mal educado.

Seu corpo estava tão grudado no meu corpo que nossas respirações ofegantes se misturavam, conforme respirávamos nossos peitos se chocavam um contra o outro. Seu cheiro invadiu minhas narinas me deixando levemente entorpecida. Nós olhávamos fixamente, nossos olhos pareciam preso por uma linha imaginária. Seu olhar desceu para minha boca e uma de suas mãos agarrou minha cintura firmemente, deixei um suspiro de prazer escapar quando senti sua pegada firme em minha cintura, sua mão levantou um pouco o meu vestido, expondo minha coxa. Sua outra mão se entrelaçou em meu cabelo, ele puxou levemente minha cabeça inclinando meu rosto e o dirigindo até o seu. Nossas bocas tão próximas uma da outra, fechei os olhos esperando o momento em que finalmente elas se tocariam e percebi o quanto eu queria desesperadamente beija-lo. O quanto cada célula de meu corpo ansiava por aquele beijo.

- Mas que porra é essa ?! - A porta foi aberta em um baque revelando uma Ambre possuída pelo ódio. - Você está atirando para todos os lados né garota ?! Primeiro beija meu irmão e agora o Castiel ?

- Você beijou o Nathaniel ?! - Castiel se afastou de mim de forma abrupta, agora quem estava possuído pelo ódio era ele.

- Eu não … - Tentei me explicar, mas as palavras fugiram. Eu sabia que não tinha beijado Nathaniel mas o olhar de decepção e raiva no rosto de Castiel me deixaram sem reação.

- Não acredito nisso. - Ele saiu da sala furioso, chutando uma cadeira que estava em seu caminho. Olhei para Ambre que estava com um sorriso satisfeito naquela cara de vagabunda dela. Já era a segunda vez que essa garota me interrompia em um momento como esse.

- Castiel. - O chamei tentando correr atrás dele mas Ambre me segurou pelo braço. Olhei para ela furiosa. - ME SOLTA AGORA SUA VAGABUNDA ! - Gritei furiosa e ela me soltou a contra gosto.

Corri igual uma maluca pelo corredor a procura de Castiel que já tinha sumido de vista. Aquela Ambre mencionou o Nathaniel de propósito. Grunhi de raiva.

- Hey, o que aconteceu ? - Olhei para pessoa que estava na minha frente. Meus olhos estavam embaçados com as lágrimas de raiva que teimava em querer descer. Só enxerguei um borrão azul. Me joguei nos braços do meu amigo, deixando finalmente as lágrimas descerem enquanto chorava em seu ombro.

- Eu odeio aquela barata asquerosa. - Disse contra seu ombro enquanto Alexy acariciava meus cabelos de forma delicada tentando me acalmar.

Alexy me arrastou para o pátio onde não tinha tantos olhares curiosos sobre a gente. Ele me esperava pacientemente eu me acalmar para poder explicar para ele o que aconteceu.

- Ela disse para o Castiel que eu beijei o Nathaniel. - Disse entre soluços.

- Você beijou o Nathaniel ? - Alexy perguntou confuso e neguei com a cabeça.

- Não, ela disse aquilo de propósito quando me viu com Castiel. A gente estava quase se beijando e agora eu duvido muito que ele olhe na minha cara de novo.

- Mas foi só um mal entendido, meu anjo. - Alexy disse de forma tranquilizadora me embalando em seus braços de forma protetora.

 Fiquei ali por um tempo com Alexy tomando conta de mim. Quando parei de chorar e a raiva se dissipou de meu corpo fomos juntos para a próxima aula.


Notas Finais


E aí ? O que acharam ?
Vejo vocês em breve. Beijinhos ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...