História Um Colírio Para Os Olhos - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Evil Queen, Lana Parrilla, Ouat, Outlaw Queen, Outlawqueen, Regina Mills, Sean Maguire
Visualizações 69
Palavras 1.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Se quiserem eu faço uma one do motivo que a Mia não goste mais da Regina. Mas se quiserem.

Capítulo 2 - "Ela mudou muito."


Fanfic / Fanfiction Um Colírio Para Os Olhos - Capítulo 2 - "Ela mudou muito."

Já haviam se passado anos, e sinceramente, perdi a Judy, a Mia... Bem, a Mia também. Mas ela me odeia. Mas agora, eu era o colírio para os olhos, eu mudei muito nos últimos dez anos. E aquela marca de corvo na minha nuca, ninguém a conhece fora eu. Estava me maquiando, arrumando o cabelo, até que ouço as portas se abrindo.

-Mãe. -digo, apenas fiquei a olhando pelo espelho, estava com Rachel, a mãe do Sr. Colírio. -O que faz aqui? -pergunto olhando pra Rachel, estava mais velha do que da última vez, ela me olhava como se dissesse: "Parece que o potro virou um garanhão.", apenas sorri em resposta.

-Bem, à alguns anos, eu e a Rachel fizemos um acordo. Você vai se casar com o filho dela. -ela disse, fiquei de boca aberta e paralisada. -Então, quer que seja no seu reino ou no reino deles?

-Eu quero que seja brincadeira! -digo, mas Cora riu e Rachel deu um risinho baixo, encarei as duas rindo, quase atirei as duas para longe da varanda. -Estou falando sério! Não vou me casar com o Sr. Colírio. -digo, mas Cora se aproximou e me deu uma carta. -De quem é isso?

-Do Robin? Ele escreveu ora você. -ela diz, peguei a carta e me sentei na penteadeira. Ao abrir, a primeira coisa que vejo é um corvo de tinta. A carta dizia:

"Então, Corvo, faz um tempo que não te vejo, e quando minha mãe disse que tenho que me casar com você... Uau! Eu sempre me lembro da Judy, da Mia, e de você, Corvo. Mal poso esperar pra ver como você ficou. E sobre a Judy, ela agora está trabalhando no palácio de empregada, desde que terminei com ela Judy passou a trabalhar aqui, espero que se dê bem com ela. Assinado, do seu Colírio."

Dobrei a carta de novo, coloquei na estante, coloquei o dedo indicador nela e a fiz virar pó, Rachel acabou se assustando com o ato. Me levantei e me aproximei da minha mãe.

-Escuta, eu não quero saber desse Robin. -digo me afastando e assombrando o pouco de pó na mesa.

-A Judy esta lá. -Rachel diz, rapidamente me virei e a encarei, fazia anos que não via Judy, provavelmente estaria diferente, mas eu sentia falta dela. -E... Ela sente sua falta.

-Eu sei. Ele disse na carta. -digo, elas se viraram para ir embora, mas, eu pretendo escrever uma carta pra ele. -espera. Quero escrever uma resposta bem satisfatória pra ele. -digo, elas ficaram paradas e esperaram.

Terminei de escrever a carta, a embrulhei e pus um carimbo real, deixei minha assinatura de um jeito clássico.

-Pronto, entregue a ele. -dou a carta na mão de Rachel e ela segura, logo elas saem, fui voltar a penteadeira, mas, minha mãe puxa meu braço.

-Você vem conosco.

-Mas eu já mandei a carta. -digo, mas ela da um sorriso sacana, olha pra Rachel e depois pra mim de novo. -O que está tramando?

-Ele vai ler a carta, mas, você não vai encontra-lo até ele ler. -ela diz, fiz uma cara de: "Sério?", ela tinha um sorriso desconfiado. E eu sempre desconfio dela.

-Tá bem, vou preparar a carruagem.

Estávamos na carruagem, um silêncio se instalou no lugar, eu estava me segurando pra não começar a rir, tenho esse problema desde criança, eu mordia os lábios e tapava meu rosto com a mão. Quando vi a entrada da casa dele, dei uma aliviada por chegarmos, quando a carruagem parou, deixei Rachel e Cora saírem da carruagem primeiro, ouvi as pessoas cumprimentar em minha mãe, e logo eu saí.

-O que vocês estão olhando? -pergunto ao ver todos olhando pra mim, passei a mão na cintura e logo comecei a caminhar até o estábulos. Peguei na cabeça de um cavalo, comecei a acariciar. Logo ouvi uma voz masculina com uma feminina, parecia ser o Robin, ou alguém qualquer. Me escondi de novo dentro da doca.

-Então, Robin, e a carta? É da Regina? -essa voz, não tinha mudado nada, Judy, dei um sorrisinho maléfico e pensei em me levantar, pensei...

-Sim. Vou ler agora. -admito que agora o Robin tem uma voz mais sexy, comecei a morder os lábios pra não começar a rir. -Quer que eu leia em voz alta? -"por favor, diz que sim", eu pensava, e foi assim.

-Claro. Leia.

-Ela escreveu: "Primeiramente, quero dizer que sinto orgulho que me chame de Corvo. Só quero te dizer que, se você fez algum mal pra Judy, posso fazer você pagar caro. E sobre esse casamento, vou fazer da sua vida um inferno. Assinado, seu Corvo.". -um silêncio se instalou, e logo eles saíram.

Eu já tinha voltado pra dentro, estava conversando com a minha mãe, como sempre, implicando com ela. Ela já me perguntava sobre o vestido, o local, nem estávamos noivos!

-Vá falar com o Robin. Ele já tem os anéis. -ela diz, fiquei bem calada, eu achava que ele não fosse de compromisso. -Está no salão da mansão. -ela diz, comecei a andar totalmente te emburrada com aquilo.

Fui andando pelos corredores, o salão estava vazio, então comecei a andar até o quarto dele, ainda era o mesmo luga. Abri a porta em silêncio, ele estava ainda com a minha carta na mão, então, fechei a porta com força fazendo um barulho e acabei o assustando. Me apoiei na parede com a mão direita na parede ele me olhou.

-Você está muito diferente. -digo, me aproximando um pouco, ele me olhava de forma estranha, cruzei os braço esperei ele dizer o meu nome. Eu sentia a tentação dele, sempre queria mulheres na cama desde os vinte anos. -Mas continua a mesma coisa por dentro.

-Regina? -ele pergunta me analisando de cima a baixo. Me olhei, nunca me achei assim tão... Ótima. Virei de costas pra ir até a estante, tinha uma pequena rosa na mesa, a peguei na mão e fui pra frente dele. -Você mudou muito...

-A criança cresceu... -digo, fazendo um sinal com as mãos como se estivesse me exibindo pelo meu corpo. -Sabe, desde de que você me rejeitou, não comecei gostar de ninguém. Eu te esqueci, e muita gente perdeu uma noite comigo, principalmente você. -digo logo rindo. -Te vejo hoje a noite.

Me virei pra ir embora, notei que ele não tirava os olhos de mim, com certeza nesse casamento ele tentaria se envolver comigo, mas dessa vez, como eu sou o Colírio, ele vai aprender a colher o que plantou. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...