1. Spirit Fanfics >
  2. Um Conto de Fadas Para Chamar de Meu (HYUNJIN - STRAY KIDS) >
  3. Prólogo.

História Um Conto de Fadas Para Chamar de Meu (HYUNJIN - STRAY KIDS) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, genteeee, não deixem de comentar, me mandar sinal de fumaça, ir na tag e o que puderem para me dizer se gostam da fanfic ou não! Eu não tenho porquê dar continuidade em fanfics que vocês não gostam, sabe? Posso escrever outras coisas para vocês, então vamos nos ajudar, rs.

Capítulo 2 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction Um Conto de Fadas Para Chamar de Meu (HYUNJIN - STRAY KIDS) - Capítulo 2 - Prólogo.

“I knew I loved you then but you'd never know ‘Cause I played it cool when I was scared of letting go. I knew I needed you but I never showed, but I wanna stay with you” (Eu sabia que te amava naquela época mas você nunca soube. Porque, eu fingi estar tranquilo quando eu estava com medo de deixar isso para lá. Eu sabia que eu precisava de você, mas eu nunca mostrei. Mas, eu quero ficar com você). 

Say You Won’t Let Go — James Arthur

 

A respiração dele pesou enquanto eu sentia seu perfume de perto, deitada em seu peito. As estrelas estavam sobre nós. Deitados no meio do nada, em um campo aberto, fugindo do mundo inteiro. A grama não me incomodava, mas estava frio e Hyunjin puxou a manta que nos cobria para me esquentar melhor. Eu puxei sua mão para mim, entrelaçando nossos dedos. Os anéis dele estavam ali e eu observei cada um deles.

Então, Hyunjin se levantou para me encarar e eu deitei no chão, enquanto ele se apoiava no braço para ficar por cima de mim. Ele usava um moletom preto enorme, um capuz grande demais por cima da sua cabeça. A franja extremamente lisa pendia comprida e os olhos puxadinhos se estreitaram ainda mais, porque ele sorria para mim. Eu sorri de volta. Afinal, eu, que sempre fui uma garota materialista, nunca imaginei que bastava apenas o sorriso de outra pessoa para ser feliz. Se ele estivesse bem, eu estaria bem também. Eu segurei seu rosto com as duas mãos e ele beijou uma delas de leve, me encarando de perto, em silêncio. Ele sempre fazia isso. Fitava-me por minutos a fio sem dizer uma palavra, como se eu fosse algum ser muito especial. Eu sempre quis ser especial. Com Hyunjin, eu era.

— Você acredita em amor? — Eu perguntei, de repente. Ele deu uma risada, e aproximou seu rosto mais do meu para falar.

— Eu acredito em você e eu. — Ele respondeu num sussurro e eu sorri. Eu sabia o que ele queria dizer.

 

Você acredita em príncipes encantados?

É tão difícil acreditar nisso quando se está no ensino médio. 

Mas, eu sabia que tinha encontrado o meu. Seu sorriso estava impresso no fundo da minha mente junto com a sensação que ele me passava ao segurar minha mão.

Seus dedos entrelaçados aos meus e sua risada contagiante.

Eu já sabia quem ele era por anos, mas a escola é mesmo frustrante. Ela te separa em grupos e te impede de conhecer, de verdade, pessoas maravilhosas.

Foi assim que nós dois fomos separados por um sistema de popularidade no ensino médio. Eu estava entre os melhores. As melhores notas, a melhor aparência, os melhores amigos, as melhores festas. Eu sorria toda vez que cantava ao animar a torcida ao lado da minha melhor amiga Yanna.

Hyunjin estava na platéia, apenas observando tudo de longe, com um caderninho em que ele gostava de rabiscar. Ele era irmão gêmeo da minha melhor amiga.

E então, numa noite, eu estava com insônia na casa dela e tudo mudou. Hyunjin e eu jogamos video game e rimos como se fôssemos melhores amigos. Então, sua mão se estendeu para a minha e meu estômago se encheu de borboletas. 

Amor no ensino médio era para idiotas, mas mesmo assim ali estava eu querendo gravar cada detalhe do rosto dele. O sorriso inocente, os olhos grandes que se estreitavam no final. Os brincos em ambas as orelhas. A franja castanha que caía bem perto dos seus olhos. Uma pequena pintinha abaixo do olho esquerdo. Eu ansiava por ele. Ansiava pelo cuidado que ele tinha comigo quando estávamos seguros, longe de tudo.

Mas, ele não era como eu. No colégio, nós éramos dois estranhos. As pessoas tiravam sarro dele e eu ficava calada. Ele era invisível e eu era o centro do universo. 

Sua irmã nunca apoiaria aquela história e ainda tinha Christopher Bang, o garoto mais popular do colégio que finalmente me convidava para o baile.

Em segredo, eu amava Hyunjin a cada dia que passava. Eu corria para me esconder com ele, para sentir seu cheiro, seu abraço e seu beijo. Em uma noite estrelada, ele tirou minha virgindade. 

Mas, como já disse, o amor no ensino médio era para idiotas.

Nos perdemos em uma bagunça que nós mesmos fizemos, entrando em um túnel em que a única saída era aquela ali. Naquele baile.

E ali estava eu tendo que encarar tudo. Hyunjin estava maravilhoso em um smoking e levava outra garota para dançar. Outra garota ouvia sua risada, sentia seu cheiro e entrelaçava seus dedos nos dele. Agora Hyunjin era popular e não foi graças a mim.

Eu estava em um canto enquanto Christopher estava ocupado demais se gabando para os outros garotos do time de basquete.

Fechei os olhos e voltei no tempo. Revivi cada momento dentro daquele baile. Cada detalhe que me fez me apaixonar por Hyunjin. E desejei. Só desejei com todas as minhas forças poder voltar no tempo.  

Eu tinha feito por merecer e agora meu príncipe tinha achado outra princesa.

 


Notas Finais


twitter: @chaniegf
tag do twitter: #HyunjinContodeFadas
https://curiouscat.me/hyun-in


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...