1. Spirit Fanfics >
  2. Um Dia >
  3. Diecinueve

História Um Dia - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei.

Ansiosa pro jogo amanhã. #¡Vamosporla14!

Boa leitura.

Capítulo 19 - Diecinueve


Fanfic / Fanfiction Um Dia - Capítulo 19 - Diecinueve

Acordei com o som do despertador, olhei ao lado e encontrei José. Ele é um bom amigo, sempre está comigo.

Eu queria que tudo tivesse sido um sonho ruim, essa situação é desesperadora.

Me arrumo com rapidez e saio a procura de uma clínica pra realizar o exame.

- Bom dia, eu gostaria de fazer um exame de sangue.- disse a mocinha que estava na recepção.

 - Está em jejum?.

 - Sim.- Confirmei.

- Preencha essa ficha e depois é só aguardar.- Peguei a mesma e me sentei pra preencher.

E Sérgio?, a reação dele não foi das melhores. Ele deve estar tão assustado quanto eu.

Termino oque estava fazendo e entrego a ficha pra ela.

 - Você já pode entrar na sala, é a primeira a esquerda.- Me indicou e eu segui até a mesma.

 Foi tudo muito rápido, o médico me disse que a tarde me mandaria o resultado por e-mail.

Sai de lá e fui direito pra clínica, não trabalhei ontem então preciso estar hoje.

 - Fez?.- José me perguntou assim que  me viu.

- Até as cinco eles me mandam por e-mail. Ai José, por que isso esta acontecendo logo agora? Que tudo parecia bem?.- Me sentei.

- Calma, pode não ser nada.- Me abraçou.

 - Tomara.- Fiquei um tempo ali em seu abraço, José é meu conforto nas horas de desespero.

O dia seguiu, José não permitiu que eu atendesse ninguém. Fiquei apenas na parte burocrática.

Os emails chegavam e nenhum deles da clínica isso estava me consumindo por dentro.

 Olhei outra vez e finalmente, o e-mail estava ali, mais eu ainda não sabia se queria abrir. 

Cliquei sem pensar eo exame se abriu.

   Reagente beta HCG - Inferior a 5 mIU/mg - NEGATIVO.

Nunca  me senti tão aliviada em toda a minha vida. Não que eu não queira ser mãe, eu só não queria ser mãe nessas circunstâncias.

Rapidamente copio o e-mail pro escritório do Enrico. Ele deveria estar tão ansioso como eu.

Imprimi o exame peguei minha bolsa. Eu precisava falar com Sergio.

 - Negativo José.- Disse assim que cheguei a recepção.

 - Eu disse pra não se preocupar.

 - Eu vou falar com Sergio, essa hora ele deve está chegando em casa.- Me despedi do meu amigo e segui pro condomínio.

Quando cheguei na casa dele logo entrei. Nós não precisávamos de formalidades mais.

  - Sérgio?!.- Chamei por ele.

Caminhei mais um pouco e encontrei um menino loiro com os olhos extremamente azuis. Lindo.

- Oi, como se chama?.- Abaixei pra ficar do seu tamanho.

- Marco.- Me respondeu tímido.

- Você está sozinho?.- Estranhei uma criança sozinha pela casa, que me parecia estar vazia.

- Não, a tia que cuida de mim está na cozinha.

- Vamos procurar ela então.- Estendi minha mão e ele logo pegou.

Caminhamos até a cozinha e lá estavam mais três meninos. Me lembrei que ontem era o dia de Sérgio ficar com eles.

- Olá, em que posso ajudar.- A moça que estava com os outros se dirigiu a mim.

 - Oi, eu sou, bem a namorada de Sérgio, ele ainda não chegou?.- Ela franzil o cenho talvez por não saber de namorada nenhuma.

 - Ainda não.- sorriu sincera.

- E vocês meninos, como se chamam.- Me aproximo deles.

- Eu sou o Júnior.- O maior me responde.

- Esse é o Ale, e o Máximo Adriano.- Apenas Júnior tinha os olhos escuros como os do pai, os outros tinham os olhos dela.

- Vocês são muito bonitos.- Sorri pra eles.

- A tia também, parece uma boneca.- Junior disse com um sorriso sapeca.

- Meu garoto já sabe como elogiar uma mulher desde cedo.- Sérgio entrou na cozinha.

 - Ele é um charme.- Brinquei.

 Sergio veio até mim me deu um selinho rápido e depois comprimentou os filhos.

- Eu ia na sua casa depois de entregar eles pra Pilar. - Se sentou na bancada próximo a mim com o mais novo no colo.

- Quis me adiantar.- Sorri sem mostrar os dentes.

- Eu sei que não fui o melhor pra você ontem, eu estava assustado com a possibilidade de ser do almofadinha. Mais quero que saiba que eu vou estar com você, independente do resultado.- Disse com calma.

 Eu apenas entreguei o papel pra ele.

 Ele abriu e logo sua feição era de alívio.

- Eu estou feliz, não por que não está grávida. Mais sim por que não é dele.

- Eu estou mais aliviada doque você, acredite.

- Eu quero ter filhos com você, muitos.- Ele ria.

- Você já tem quatro, quer um time de futebol capitão?.

- Esse é o objetivo, já tenho os quatro primeiros titulares.

- Seus filhos são lindos, Junior me conquistou. Acho que vou esperar ele crescer. - Disse brincando com o mais novo em seu colo.

 - Assim que te viu já te elogiou, não tem nem como competir com ele.

Os meninos são muito bem educados, nunca vi crianças tão calmas na minha vida.

 Eu brinquei com eles o resto da tarde.

- A mamãe chegou, Vamos pegando as bolsas e se despedindo da tia Mari.- Sergio chamou os meninos que a princípio não gostaram da ideia de ir embira.

- Você quer que eu saia?.- Perguntei por que não queria causar um desconforto.

- De forma alguma, não estamos fazendo nada de errado.- Disse e foi abrir a porta.

Ela tinha um sorriso no rosto rosto que sumiu ao me ver sentada no sofá.

- Eles ja estão alimentados e de banho tomado.- Ele falava como se não estivesse acontecendo nada aqui, o olhar dela pra mim era de arrepiar.

 - Digam tchau, tchau pro papai.- Ela sorria para os filhos.

 Ela foi embora e Sergio voltou a se sentar ao meu lado.

 - Que dia hien?.- Disse passando o braço pelos meus ombros.

- Nem me fale.- Apoiei minha cabeça em seu peito.

- Vamo faze um filho?.- Disse rindo.

- Por Deus Sérgio, acabei de passar por um susto. - Bati em seu peito.

- Eu quero que você me de um filho.- Ele parecia falar serio.

- Para de ser doido.- Eu não estava levando a sério.

- Sou doido por você.- Sergio encaixou sua mão em meu pescoço e tomou minha boca.

Foi um susto grande, mais confesso que não seria ruim ter um pedaço dele pra mim.

- Que namorar comigo?, casar comigo?, viver comigo?.- Sergio disse encerrando o beijo.

 - Você ta me pedindo em namoro ou em casamento.- Eu ria de nervoso.

 - Eu to pedindo pra você ser só minha.- Ele olhava em meus olhos tão profundamente.

- Eu ja sou sua, desde aquele dia no Brasil. Resta saber se você é meu.- Devolvi o pedido.

- Por inteiro cariño.- Sorriu e nos beijamos novamente.


Notas Finais


Nossa que susto né?. Mais não se acalmem ainda tem coisa vindo ai.

Beijos até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...