1. Spirit Fanfics >
  2. Um dia, eu entenderei. >
  3. O Verdadeiro Eu. - Parte 2

História Um dia, eu entenderei. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é a continuação direta do capitulo anterior. Seja como for, espero que gostem!

Capítulo 2 - O Verdadeiro Eu. - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Um dia, eu entenderei. - Capítulo 2 - O Verdadeiro Eu. - Parte 2

Johnny não queria sair dali, não queria perder aquele momento, aquela sensação, aquela vontade de não ter mais nada.. O celular de Natah vibra - Recebendo chamada: Mãe - Ela desliga e desfaz o abraço.

Natah: Eu acho melhor irmos.. já notaram a minha bela ausência

Johnny se afasta e fica em silêncio. É notável que ele estava insatisfeito. Ela pega em suas mãos e ele diz:

Johnny: Você tem razão, é melhor irmos.. - sorri.

Natah: Não será a primeira vez que teremos esses momentos, foi legal vai! - diz enquanto o empurra - vamos fazer isso amanhã?

Com seu olhar de empolgação, enquanto brilhava ele gagueja:
Johnny: Mas.. é claro! - sorri enquanto corre com ela.

Já ficava tarde demais, depois de muito tempo no mesmo lugar..

Os dois seguiam, juntos, para a casa de Natah.
Johnny: Obrigado pela noite, foi tudo muito.. muito novo.

Natah: Me prometa algo..? 

Johnny: Claro, pode dizer. - diz ansioso

Natah: Não me agradeça, nem se desculpe.. pois sou como você. - diz se afastando até sua casa - te vejo amanhã..

Johnny: Eu estarei aqui, até mais - se afasta indo para casa - que dia foi esse? (pensa)

Johnny chega em casa, a primeira coisa que vê é uma notificação em seu telefone. Ele não custumava usar muito o telefone, nem as redes sociais. A mensagem dizia: " - Daqui jás sua guia! não se esqueça de nossa missão de amanhã. - Lotus "

Ele se deita, e com um sorriso.. se repousa para mais um dia. Ele estava tão perdido e ao mesmo tempo tinha certeza de tudo, uma sensação que tinha encontrado um pedaço da sua chave, de seu quebra cabeça, aquele que sempre procurou quando pediu respostas. Algumas coisas começaram a ficar claras, algumas coisas só começaram a simplesmente ser abertas em sua mente. - É isso - ele diz fechando os seus olhos.

Amanhece, ele se arruma.. e vai para escola. Não toma café da manhã, sua ansiedade era forte demais pra isso. Chegando lá a avista, não sozinha.. e sim com um grupo de amigos.. ele se recua, sente algo forte novamente mas não a mesma sensação de antes. Era algo que apertava, doía.. ele se afasta, e segue para sua sala de aula.

Natah entra e senta ao seu lado..

Natah: Eai, eu não te vi lá fora, aconteceu algo? - diz preucupada

Johnny: Não é nada.. eu acabei nem te encontrando e decidi vir diretamente pra sala - desvia o olhar enquanto rói as unhas.

Ela não diz nada, apenas o observa.

Johnny: Não vai falar nada..? - fecha a cara.

Natah: Quer que eu diga algo? - mexe nas unhas enquanto faz uma cara engraçada

Johnny: ..talvez?? Mas não sei bem o quê - diz com clareza

Natah: Eu tô aqui, ouviu? não vai se livrar de mim tão fácil.

Ele ri e pensa - Como ela consegue tão fácil? Essa sensação que me contagia, que bom que ela está aqui.

"O dia termina, como a semana também termina. Os minutos passam, como as horas condizem com os minutos. E quando menos se espera, você cria algo, tem algo.. uns chamam de convivência.. rotina? O que isso traria, o que isso trás? Até quando..? se o até não existe então.. quando? quando começará, o novo passo e.. quando se estenderá. E o fim? Tem um fim? O fim sempre chega..e o fim, realmente existe...?" - Pensamentos que o rodiavam, a todo instante e minuto, ele nunca tinha passado por isso.. dias se passavam e era isso todos os dias enquanto estava longe dela. Porém ele não se importava; ele tinha alguém, que ambos se precisavam. Ele tinha e tem motivos.. mas será que é dessa forma que funciona?

Apenas um jovem, descobrindo o que o universo pode proporcionar. Será que ele aguentaria todo o peso?
Sendo jovem ou não, o universo não deixa de ser justo para todos.. afinal, não é assim que funciona a justiça?
Ele tinha em mente que o medo o contagiava, ele não queria a perder, de nenhuma forma - isso vem dela, ainda não sei bem o porquê - diz com o coração apertado

Mas será que isso realmente vem dela? Será que todo esse aperto e dor é por ela ou pra ela? Ou será que tudo isso é ele que cria em sua própria mente? Ele não entende.. mas é capaz de morrer tentando entender.

Os sentimentos são falhos, ainda mais aqueles nunca descobertos em sua própria pele. Não minto, eles evoluem.. a adaptação é uma escolha, a dificuldade é optar por isso.

Chega uma mensagem dela dizendo: "Não se preocupe, se o trem desalinhou de seu percurso.. ele querendo ou não, não sai de seu rumo. O que for pra acontecer, vai acontecer. - Lotus"







 


Notas Finais


De pouco em pouco a gente evolui junto! Obrigado pelo tempo. Aos poucos continuarei a caminhar para o nosso desfecho.. juntos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...