1. Spirit Fanfics >
  2. Um Dono Diferente - JunHwan (REPOSTANDO). >
  3. Capítulo quatro.

História Um Dono Diferente - JunHwan (REPOSTANDO). - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo quatro.


E mais uma vez, Junhoe conseguiu deixar Jinhwan confuso - este que permaneceu estático durante alguns segundos, relembrando e relembrando do que acabou de ocorrer, sendo desperto por Sook que deu um grito o chamando de novo.

- Por que a demora? Vi Junhoe descer e você não.

- É que... -

Será que deveria contar?

- Nada. - preferiu ocultar, mentindo. - Fiquei um pouco distraído.

- Está bem, mas, agora coma que mais tarde terá visita.

- Hmm... E de quem seria? - Junhoe perguntou, temendo que pudesse receber um olhar de reprovação vindo de Sook por querer saber demais.

- Dois amigos de Junhoe virão aqui para almoçar, junto de mais um garoto.

- O almoço não é daqui a pouco? - com um pouco de dificuldade - por causa de sua altura -, sentou-se em uma das cadeiras perto da bancada.

- Sim. E você terá que comer também.

- Mas, Sook, não estarei com fome. - fez um biquinho, balançando as perninhas que nem tocam o chão.

- Mas vai comer, Jin, você está muito magro. E nem tente me contrariar a respeito disso.

- Hmm... Posso ir no jardim?

- Peça autorização à Junhoe.

- E ele está aonde?

- Em seu escritório. - abriu a geladeira e retirou de lá alguns legumes para a refeição.

Jinhwan mordeu o lábio inferior. O mesmo não sabe aonde fica o escritório de Junhoe. - Sook?

- Sim?

- Eu não sei onde é o escritório do senhor Koo.

- Junhoe, Jinhwan, o chame de Junhoe.

- Como... A senhora sabe?

- Junhoe pediu para que toda vez que você o chamasse desse jeito o repreendesse.

- Ah... Por que o senhor Koo faz tanta questão que eu o chame pelo nome?

- E por que você faz tanta questão de chamá-lo de senhor Koo sendo que o mesmo disse que poderia chamá-lo pelo nome? - Sook rebateu, vendo Jinhwan abrir a boca para argumentar, mas, nada saiu, então bufando derrotado. - Venha quer irei lhe mostrar onde é o escritório.

[...]

- Com licença. - Jinhwan entrou no cômodo com a cabeca baixa, fitando os pés enquanto suas mãozinhas estão segurando a barra de seu moletom.

Junhoe sorriu. - Diga.

- Eu poderia ir ao jardim, Junhoe? - por mais que não esteja acostumado, irá começar a chamar o Junhoe pelo nome, como fora pedido.

- Já tomou o café da manhã?

- Uhum. - balançou a cabeça positivamente.

- Então pode ir.

- Obrigado. - virou-se para sair.

- Ah, Jinhwan, antes venha aqui, por favor!

- C-Claro. - só de pensar estar perto de Junhoe, o menor estremece, já que ainda se sente receoso e desconfortável ao estar perto do mesmo. Mas, fez o que foi pedido ficando de frente para o Junhoe, que antes estava sentado e agora está de pé.

- Olhe para mim, por favor.

Jinhwan engoliu em seco, porém, levantou o rosto e o encarou - um trabalho um pouco difícil para si, porém, não ousará desobedecer.

Junhoe pôs a mão sobre a bochecha do outro, acariciando lábio do mesmo com o polegar. O desejo subiu e então teve vontade de ter os lábios de Jinhwan sobre o seu, estes que são tão pequenos, rosados e - principalmente - convidativos.

- Posso? - por mais que a sua vontade seja grande, não quer força-lo a nada. Jinhwan estranhou o ato, porém não transpareceu, deixando visível apenas o quanto está envergonhado.

- S-Sim. - curiosidade, é somente curiosidade. Não é que nunca tenha beijado alguém - já beijou, sim -, porém, Junhoe parece beijar tão bem.

Junhoe pôs fim a distância e colou seus lábios com o do outro, que fechou os olhos e correspondeu. É só um selar, mas, que deixou Junhoe satisfeito - por enquanto. Faz tempo que quer ter esses lábios juntos dos seus.

- Agora pode ir.

[...]

- Acalme-se, Donghyuck! - Yunhyeong pediu, achando engraçado a ansiedade e a agitação do marido.

- Eu estou calmo, amor, é só que... - abriu um largo sorriso. - É só que vou ver o Jin de novo, mais perto de mim e isso é como um sonho realizado, sabe?

- Eu sei, amor. - o puxou pela cintura, depositando um beijo singelo na testa do mesmo. - Eu sei o quanto desejou por isso.

- E o quanto eu sofri também. - acrescentou.

- É, mas, isso já passou e ele está em segurança agora.

- Ele quem? - Chanwoo perguntou curioso entrando no quarto.

- Mais tarde você descobrirá. - Yunhyeong deu uma piscada para o mais novo.

- Ah, não!~

- Nada de manha, senhor Chanwoo, está muito grandinho para isso. - Donghyuck o repreendeu.

- Ninguém mandou me mimar. - empinou o nariz e saiu do cômodo.

- Que garoto abusado! - olhando estreito para o lugar onde Chanwoo estava há segundos depois, comentou. - Isso tudo é culpa sua, Yun! - agora com olhos no marido, o acusou.

- Minha? Mas é você que o mima! E olha que nem faz um mês que ele está aqui.

- Eu? Ah, então fui eu que comprei um vídeo game, caríssimo, assim que ele chegou, né? Não foi você, porque você é um santo! - começou em um tom de deboche e terminou em um tom de ironia.

- É para jogar na cara? Está bem.

E assim se iniciou um debate que só teve fim quando Chanwoo voltou dizendo que está com fome.

[...]

Jinhwan, fascinado, observa as flores que enfeitam o lindo jardim, agachando-se perto de um canteiro de girassóis e tocando-as cuidadosamente, sorrindo de um jeito infantil.

Quando seus pais ainda eram vivos, nos finais de semana o levava para passear, andar de bicicleta, até mesmo faziam piqueniques. E de algum forma, quando o menor estava perto das flores conseguia senti-los, como se estivessem... Ali.

- Gosta de flores? - Junhoe perguntou, assustando Jinhwan que pôs a mão sobre o peito. - Desculpe.

- Não tem problema. Mas, sim, gosto de flores, principalmente de girassóis.

"Bom saber" Junhoe pensou. - O almoço está pronto.

- Hmm... - fez um som de frustração - este que não passou despercebido pelo o outro.

- O que houve? Não quer almoçar?

- É que eu queria ficar mais um pouco aqui.

- Mais tarde você volta.

-Posso?

- Vou repetir de novo: não precisa pedir. É só fazer. É claro que antes tem que me avisar.

- Uhum.

- Agora vamos?

- Claro.

Jinhwan levantou-se e caminhou junto a Junhoe para dentro da mansão.

- Eles chegaram, Sook?

- Sim, Junhoe, estão na sala de estar.

- Obrigado. - olhou para o menor. - Me siga, Jinhwan.

Junhoe seguiu até a sala de estar com Jinhwan ao seu lado, este que está muito nervoso, no entanto, também curioso para saber quem será os amigos do outro.

De primeira viu um homem de cabelos castanhos claros, de segunda viu um de cabelos escuros em um tom preto e de terceiro viu quem menos esperaou ver novamente.

- Chanwoo?

- Jin! - Chanwoo correu até o amigo e o abraçou, tendo o gesto retribuído. - Nunca pensei que o veria de novo!

- Eu também não, Chanwoo. - a essa altura já está chorando de felicidade, abraçando o outro fortemente.

- Eu senti muito a sua falta.

- Também.

Ficaram assim por um tempo até ouvirem alguém tossir - propositalmente - e então se soltarem.

- Jinhwan, esse é Lee Donghyuck - apontou para o segundo homem - e Song Yunhyeong. - e depois para o primeiro.

- Prazer em conhecê-los. - Jinhwan se curvou, voltando a ficar reto em seguida, vendo os outros imitarem o seu ato.

Donghyuck não está acreditando que está o vendo de perto de novo, o seu pequeno e o único que ainda restou...-- O prazer é nosso, Jinhwan. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...