1. Spirit Fanfics >
  2. Um eu para todos vocês >
  3. Briga

História Um eu para todos vocês - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Demorei mas vim!
Eu não digo é nada
Boa leitura!

Capítulo 7 - Briga


    Horas antes, no meu dia, o meu pequeno mundo girava, de forma agradável e então de repente, tudo desmoronou. Ao ver que, aqueles sentimentos estavam destruindo aos poucos nossa relação de time, cheguei à conclusão de que teria que acabar com aquilo de uma vez. 

 

   A tensão era tão palpável entre Sugawara senpai e Kageyama que todos ao redor sentiam, questionavam e se afastavam. Parecia um eterno mal humor que nem xícaras quentes de café e filmes da sessão da tarde conseguiria melhorar. Eu os ouvi, toda a discussão e mesmo assim fui covarde de não apartar ali mesmo.

 

    Agora, me lamentar parecia inútil porque mesmo que no fundo tivesse a resposta, eu me negava a pensar, a falar. Sempre fui destemido para muitas coisas, o que eu queria alcançar buscava até conquistar o topo. No entanto, lidar com sentimentos nunca foi meu forte, agora muito menos sei o que fazer.

 

   No intervalo de descanso, somente Noya-san e Tanaka-sanconversavam animadamente, provavelmente alheios da tensão que estava acontecendo. Me secava com a toalha de rosto encarando meus pés, tão absorto dos pensamentos que quando senti algo gelado em minha bochecha me assustei. 

 

     Sugawara senpai encostou a garrafinha de água gelada em minha bochecha, seu sorriso era doce. Sorri envergonhado pegando a garrafa e agradecendo. Ao que fiz, Kageyama se levantou pegando a garrafa de minha mãe e jogando no chão chamando atenção de todos, logo um clima tenso se instalou na quadra inteira.

 

— O que está fazendo Kageyama? — Ukai brigou. Ambos se encaravam sem dar a minima para o treinador.

 

— Gente... Vamos se acalmar. — Daichi se levantou tentando apaziguar. 

 

— Kageyama... — o chamei, só então tendo sua atenção. Seu rosto estava sombrio, era como se estivesse agoniado.

 

— Hinata, fique fora disso. — Suga falou com sua voz doce mas estava tão sério que me dava arrepios.

 

Eu nunca os vi desse jeito.

 

— Ei, Suga-san... — Tobio falou. — Até quando vai continuar com isso? Eu já entendi, vou tomar uma atitude mas não se aproxime mais dele.

 

— Você! — Suga exclamou irritado. — Eu não estou fazendo nada por você, da mesma forma que você vai ter atitude, eu também irei ter. 

 

  Engoli seco, balbuciando palavras para acalmar os nervos.

 

— An? E você acha que terá chances? — Suga fechou a mão em punho, como se estivesse pronto para socá-lo. Kageyama arqueou a sobrancelha maldoso.

 

— Eu não sei o que raios está acontecendo mas é bom parar. — Daichi se intrometeu afastando os dois. — O que tiver pra resolver, faça depois-

 

— E você? Acha que ele gosta de você?! — Suga ignorou, dando um passo para frente. Era primeira vez que vi alguém que era tão tranquilo se irritar de tal forma.

 

Eu tinha que tomar uma atitude.

 

— Suga senpai, Kageyama... — me levantei. — V-Vamos conversar lá fora...

 

— Esquece. 

 

   Kageyama saiu em passos duros, ignorando os chamados do treinador Ukai. Suga suspirou, dando a costa e saindo também, me fazendo pensar se ele foi atrás do mesmo. Meu coração se afundou de culpa, sabendo que eu era o motivo de tanto desintedimento, chegando até atrapalhar o treino.  Tento ir atrás deles mas Daichi me segura.

 

— Hinata, você sabe o porquê deles estarem brigando? Suga sempre foi calmo, estou realmente surpreso, nunca o vi tão afetado dessa forma. — Daichi, pede, me fazendo engolir seco.

 

— E-eu sei Daichi-san... Mas eu não sei se posso expor eles dessa forma. — e também não gostaria de contar algo que também me envolve. Ele me olha por instantes, então suspira.

 

— Bem... Não dá para treinar com o time dessa forma. Voltem para casa e fazem aqueles dois se resolverem. — Ukai falou por fim, passando a mão no rosto de forma estressada.

 

   Senti a culpa afundar meu peito, não sabia o que fazer e nem como encarar meu time. Estava me sentindo como se tivesse perdido uma partida de voleibol.  Os meninos resmugaram algumas coisas antes de cada um ir arrumar a quadra e, com pesar fui fazer o mesmo. Quando cheguei em casa, meus olhos arderam de tal forma que não conseguia segurar algumas lágrimas que escorriam sem minha permissão. 

 

     Eu definitivamente me sentia um bobo por chorar por isso, em vez de estar pensando em uma solução que não precisasse enfrentar de frente. Parecia impossível, eu não sou o tipo de cara que sempre recebe uma declaração de alguém atrás da escola, esse tipo de cara como Oikawa. 

 

Arregalei os olhos ao ter a luz do fim do túnel.

 

— Vamos... Atende... — murmurava inquieto depois de clicar no contato do Oikawa e começar uma chamada.

 

— Alô? Quem é? — prendi a respiração insconsciente quando ouvi a voz do mesmo meio robotizada.

 

— Grand- Quer dizer, Oikawa-san... É o Hinata-kun. — queria nesse momento ver sua cara e saber que tipo de expressão ele estaria fazendo. 

 

— Eh? Chibi-chan me ligando no meio do dia? O mundo está acabando? — sua voz era de pura surpresa mas me irritava como tudo o que ele falava.

 

— Oikawa-San... Você tem um tempo livre? — perguntei ignorando as falas idiotas.

 

— Depende. Se for para pedir dinheiro não, se for pedir técnica muito menos, se for-

 

— Eu quero um conselho, só isso. — o cortei, sabendo que ele começaria a falar sem parar.

 

— Que tipo de conselhos, Chibi-chan?

 

— Amorosos... — estava morrendo de vergonha por dentro. — Tem duas pessoas interessadas em mim... E recentemente brigaram por causa disso. Eu gosto das duas como amigo mas não sei se mais do que isso. O que você faria no meu lugar?

 

— Uau, Chibi-chan está bem concorrido! No seu lugar, apenas diria que não gosto da mesma forma, quem seria louco de deixar de ser meu amigo? Enfim, seja sincero, diz que não quer nada. Se elas são seus amigos mesmo, vai dar um tempo mas vai continuar a amizade.

 

— Oikawa-san... E se os dois for do meu time de voleibol? — um silêncio se instalou. — E um deles ter me beijado?

 

— ... Uau... Por essa eu não esperava. — ele comentou depois de um tempo. — Vamos fazer assim, me encontre amanhã naquela praça lá de sábado depois do treino. Vamos conversar sobre isso pessoalmente.

 

— Sério? Obrigado mesmo Oikawa-san! — senti uma esperança em poder ouvir alguém com experiência amorosas. Talvez eu consiga uma solução!

 

— Mas tem um porém, Chibi-chan. — meu sorriso murchou na hora. O que ele queria?

 

— O que, Oikawa-san? — perguntei engolindo seco.

 

— A partir de agora, você tem que me chamar de Oikawa senpai. — franzi o cenho. Só isso?

 

— Isso é fácil, Oikawa senpai. Então amanhã certo? 

 

— Até amanhã, meu Chibi-chan.

 

 


Notas Finais


Eu adoro um dramalhão!
Eai? Acham que vai dar bom ou ruim?
Se gostaram, não esqueçam de comentar e favoritar que me incentiva a continuar trazendo capítulos aqui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...