História Um fantasma em minha casa - Capítulo 31


Escrita por: #

Postado
Categorias Naruto
Tags Bereu, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 373
Palavras 2.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, só relembrando: a fic já está seguindo para o final. De 40 provavelmente não passa. Bom, nas notas finais terão explicações e 3 links para 3 ones minhas.

A primeira é uma comédia com o Zeca Pagodinho. Ele fica sentado, bebendo e conversando com o Suga do BTS, enquanto isso vai passando algumas pessoas conhecidas (YouTubers, por exemplo) e aí vai ocorrendo as piadinhas. :V

A segunda é inspiradas em dois políticos. Apenas uma comédia leve. XD

A terceira é uma fic do Kusanagi com Iori. Não tem cena de sexo, nada muito muito romântico. É mais algo leve. XD Bom, é só isso. Espero que gostem. :)

Capítulo 31 - A descoberta


 

Eu estou cansada daquele idiota. Mas uma vez ele chegou tarde da noite sem se preocupar comigo e com a criança que eu estou esperando. Fico me perguntando se realmente fiz certo em voltar para ele. Sei que ele está me traindo, que está saindo com outras desde que descobriu minha gravidez. Nunca pensei que o Itachi pudesse ser tão covarde comigo. Parece que, o que o irmão dele sempre disse para mim realmente é verdade... Eu tenho um péssimo gosto para escolher homens.

O meu primeiro namorado me traiu com minha melhor amiga. Isso foi um dos maiores choques que aconteceu na minha vida. A pessoa que eu mais confiava depois dos meus pais, ficava de agarradinho com o cara que eu amava.

Ao pegá-los se beijando na praia, brigamos, e terminamos em seguida. Já essa “amiga”, eu nunca mais falei. Anos de amizade e anos de namoro perdido no mesmo dia. Depois de um tempo comecei a sair com outro cara, e ele? Bem... Também me meteu chifres. E depois sair com mais outro, e mais outro que também me enganou. Fiquei quase um ano sem sair com ninguém, depois encontrei ele, sim, o Yahiko, que não só me traiu, como também me bateu.

Eu fiquei arrasada com o que ele fez. Eu tinha medo de arrumar outro namorado e voltar a ser traída, e o pior... Eu tinha medo de voltar a apanhar de homem. Eu nunca tinha apanhado do meu pai, nem mesmo da minha mãe, e aquele maldito ousou bater na minha cara e dar vários chutes em mim. Fiquei toda roxa e com o rosto inchado. Não só isso... Eu me sentir um lixo, humilhada e enganada.

Quando meu pai me viu ferida e soube que ele me bateu, o procurou e quase o matou. A briga deles foi muito grave, tanto que acabou na delegacia. Por sorte meu pai não foi preso, eu sentiria muito culpada de vê-lo atrás das grades por bater naquele pilantra. Por causa de todo esse ocorrido, queria manter distância de homens.  Não queria ter mais nenhum relacionamento. E foi assim por um bom tempo até eu conhecê-lo... Sim, o Itachi. Ele veio de macinho e foi me conquistando aos poucos. Foi me fazendo perder o medo de me machucar... Foi me fazendo voltar a ser feliz. Mas agora... Mas agora vejo que eu realmente sou uma idiota. Sou tão estupida que voltei para ele mesmo sabendo que ele só correu atrás de mim com medo de perder sua boa vida que tem desde criança.

Como eu realmente sou tola...

***

Eu acordei bastante sonolenta, já que fui dormir muito tarde por causa da enorme vergonha que eu estava por tudo aquilo que eu li. Não sei como será minha reação ao encontrar novamente o Sasuke, já que por eu participar também do grupo, ele sabe que eu li aquela coisa sobre o seu... O seu pênis e sua ficante.

Bocejei alto e fui direto para o banheiro tomar banho. Me olhei no espelho antes de entrar debaixo do chuveiro e apalpei um pouco meus seios. Eles eram tão pequenos na minha adolescência, que todos me chamavam de tábua de passar roupa, e outros apelidinhos ridículos que dão para mulheres sem peito.

Soltei um leve sorriso. Não está grande do jeito que sempre quis, mas pelo menos não tem mais como me chamarem de reta, muito menos de tábua de passa roupa.

Após limpa, me enxuguei e coloquei apenas uma calcinha e um vestido branco. Irei ficar em casa o dia todo, então pra que me importar de colocar sutiã?

Já vestida fui até a cozinha tomar café junto com minha mãe, e claro, preparar o almoço como sempre fazemos. Porém, dessa vez ela me mandou fazer sozinha. Ela disse que iria comprar alguns lençóis e toalhas para a mesa da cozinha, e em seguida iria ao mercado comprar os ingredientes para fazer uma bela lasanha para nós duas.

Estou babando só de pensar nela. Se eu não tivesse que fazer o almoço, iria junto com ela.

***

Hoje o Sasuke vai visitar a Mikoto para reclamar sobre tudo que foi dito no grupo ontem à noite. Provavelmente ele vai passar em casa para saber como minha filha está. Então para deixá-los sozinhos eu decidi antecipar umas comprinhas. Eu vou demorar bastante para voltar, quem sabe assim eu não ganhe logo um netinho.

***

— Hum... Quem será? — Eu perguntei para mim mesma, em pensamentos ao ouvir a campainha tocar. Pensei de imediato que pudesse ser a mamãe que se esqueceu de algo, mas se fosse ela, era só abrir a porta com sua chave, e não tocar a campainha. — Já vai! — Falei alto para que pudessem me ouvir, e lavei as mãos que estava cheirando as verduras que eu tinha acabado de cortar para fazer uma salada. Depois de enxugar as mãos fui até a porta e abrir, me deparando com uma pessoa que me deixou incrivelmente rubra.  — Bom-bom dia! — Gaguejei. Eu não sabia que o Sasuke iria aparecer tão cedo, depois daquilo que aconteceu no WhatsApp. Eu tinha visto que ele iria passar na casa da mãe, mas pensei que por causa da vergonha ele iria esperar uns dias para falar comigo pessoalmente.

— Bom-bom dia — Ouvi seu gaguejo. Eu estava de cabeça baixa para esconder o coro das minhas bochechas, então a levantei me deparando com seu rosto um pouco vermelho. Talvez esteja tão sem jeito quanto eu por tudo que aconteceu ontem à noite. — Posso entrar? — Assenti com a cabeça.

— Vamos até a cozinha, é que a mamãe saiu e me deixou cuidando de preparar o almoço — Fui forçando o sorriso, tendo ele me seguindo até a cozinha. E antes de chegar nela, me toquei em algo que eu não tinha percebido de imediato.

EU ESTOU SOZINHA COM ELE!

Fiquei extremamente ruborizada. E se ele do nada começar a me beijar e quiser me levar para o quarto? O que eu faço? Vou?

— Me desculpe pelo o que aconteceu ontem... — Ele começou com uma voz séria e calma, me fazendo ficar mais rubra ao me lembrar de todas aquelas coisas que falaram no grupo. Já estávamos na cozinha. Enquanto ele falava fui em direção da pia para cortar a carne que estava sobre ela em uma vasilha com água. — Minha família e aqueles idiotas são mesmo irritantes.

— Não se preocupe sobre isso — Comecei, tentando me manter calma o máximo possível para não gaguejar. — Eu não liguei muito sobre o que falaram, nem sobre sua ex-ficante, muito menos sobre os vinte... — Parei quase me engasgando com minha saliva ao perceber a estupidez que eu iria dizer. Minhas bochechas estavam queimando de tanta vergonha que eu estava. Ao ver que ele estava calado, decidi continuar pra ver se acabava com esse clima sem graça que eu criei. Provavelmente ele está totalmente sem graça. — Mudando de assunto. É... Aquela sua ficante...

— A Ino? — Assenti com a cabeça sem me importar por ele ter me cortado. — O que tem ela?

— Vocês ainda se falam? — Eu estava com medo dele achar que eu estava sendo inconveniente com essa pergunta.

— Não. Faz muito tempo que a gente não se vê. Nem nos falamos pelas redes sociais — Sorri aliviada. Tentei não demostrar que eu estava feliz ao saber disso. — Se está pensando que nós ainda saímos não se preocupe. É como aqueles malditos falaram, faz tempo que eu não saio com ninguém — Pude notar um pouco de desconforto ao falar isso. Provavelmente está com vergonha de admitir que está sem transar a mais de um ano.

— Por que...? — Comecei um pouco hesitando. Eu estava de costas para ele, ainda cortando a carne na pia. — Por que você não saiu mais com outra mulher? — Ao perguntar, virei um pouco minha cabeça para trás, para poder fitá-lo. — Você amava muito a tal Ino para não conseguir mais sair com outras mulheres? — Eu estava com um pouco de medo da resposta.

— Eu não a amava. Erámos apenas amigos que resolviam transar de vez em quando para se divertir. Nunca tivemos sentimentos assim um pelo outro, tanto que quando ela arrumou um namorado nunca mais quis saber de transar comigo, me deu um pé na bunda quando a procurei — Comentou, e assim que eu iria dizer algo ele continuou. — E não sair mais com outras mulheres por alguns motivos pessoais. Mas agora não importa, está tudo resolvido.

— Que bom saber que ela arrumou alguém que goste — Comentei já iniciando a cortar o último pedaço de carne. Eu ia perguntar que motivos pessoais foram esses, mas não quero ser mais inconveniente do que já estou sendo.

— O que foi? — Soltei um pequeno grito ao me assustar com seus braços laçando o meu corpo. Meu coração acelerou muito ao ouvir sua voz começar a sussurrar em meu ouvido. — Você está com ciúmes?

— N-não-não! — Gaguejei quase tremendo. — Eu-eu só... AH! — Dei um enorme grito me jogando para o lado ao sentir sua boca chupando levemente o meu pescoço.

— O que deu em você? — Ele se abaixou um pouco, estendendo a mão para a idiota que estava caída no chão.

Sim, como uma grande estupida fiquei tão constrangida que pulei para o lado, caindo no chão. Até a faca voou, ainda bem que caiu na pia.

— Não precisa, minha mão tá suja... — Falei envergonhada.

— É só eu lavar depois, oras! — Pegou na minha mão que estava fedendo a carne e me puxou, me ajudando a me levantar.

— Me desculpe pelo o que acabei de fazer — Eu estava de cabeça baixa. Provavelmente ele está achando que sou alguma retardada.

— Você não gostou do que eu fiz? — Sua voz estava séria, principalmente o seu olhar. Ele estava agora lavando suas mãos com o detergente que tem na pia. — Eu não sabia que você iria achar isso um incômodo.

— Não é isso! — Levantei um pouco o meu tom de voz. Queria explicar direito a ele, mas eu estava com muita vergonha. — É que... — Fitei bem seus olhos para poder continuar. — Jura que você não vai rir?

Sim, eu estou com muita vergonha de dizê-lo.

— Eu juro, pode falar. Não sou o idiota do Naruto.

Respirei fundo para poder prosseguir. Eu estava tentando criar coragem para poder dizer isso.

— Um... Um homem nunca me tocou desse jeito — Eu estava sentindo minhas bochechas voltarem a queimar. — Por isso eu fiquei muito envergonhada, foi apenas isso.

— O... O que você quer dizer? — Eu deveria saber que sua reação seria essa. É muito difícil acreditar que uma mulher da minha idade está confessando que ainda e virgem. Por isso essa expressão de espanto em sua cara.

— Eu já recuperei uma boa parte das minhas memórias e... — Baixei a cabeça para poder esconder um pouco meu rosto. Esse assunto me envergonha muito. — Até onde me lembro, eu apenas namorei um garoto a qual tive que terminar o namoro após... — Fiquei com receio de continuar. Isso me abala muito.

— Após ele te trair? — Olhei para os seus olhos e notei que ele estava muito curioso com o que eu estava falando. Balancei a cabeça negativamente, e após baixá-la, eu continuei.

— Eu terminei com ele após... — Voltei a hesitar. Meus olhos começaram a lacrimejar.

— Se esse assunto lhe faz mal, então não precisa continuar — Soltei um leve sorriso ao notar preocupação em seus olhos. Fico feliz em saber que ele se importa com o meu bem estar.

— Não se preocupe... — Fui enxugando minhas lágrimas com meu antebraço, já que minhas mãos estavam sujas. — Eu estou bem — Respirei fundo para finalmente poder prosseguir. — Eu terminei com ele, pois ao dizer meus pais que eu estava namorando, meu pai começou a me chamar de vagabunda e me espancou até eu perder minha consciência. — Eu estava muito insegura de continuar. Me lembrar dessa vida maldita me faz sentir muito triste. Recordar de todo aquele medo, de todos aqueles anos que sofri com a mamãe nas mãos dele, me deixa extremamente amedrontada. — Eu ainda não me lembro o que me fez ficar em coma, mas por tudo que ele nos fez passar, por ele não estar mais por perto, por minha mãe sempre não querer entrar em detalhe quando eu pergunto sobre ele, creio que, quem me deixou em coma foi o meu... O meu pai...

 


Notas Finais


Bom, a Sakura é mais nova que o Sasuke. O Sasuke tem 22, e na história ela tem 21. Ela entrou em coma com uns 18. A Sakura namorou só um garoto na sua adolescência (14/15) depois não namorou mais pela enorme surra que levou do pai. Por medo dele, pois ele era muito violento ela não quis mais saber de sair com outro cara. Depois entrarei mais nesse assunto.

O próximo capítulo sairá mais rápido, pois uma parte dele será a parte final desse capítulo sendo narrado pela visão do Sasuke + algo sobre o assunto dela com o pai e já no final entrará algo relacionado ao Sasuke. Depois do próximo capítulo, provavelmente será narrado totalmente pelo o Itachi, e depois dele provavelmente será o do pedido de casamento a Hinata. Bom, é só isso XD

As fics que falei.

Seu Zeca: https://www.spiritfanfiction.com/historia/seu-zeca-13783782
Fala, companheira: https://www.spiritfanfiction.com/historia/fala-companheira-13861428
Meu namorado sádico: https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-namorado-sadico-13876310


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...