1. Spirit Fanfics >
  2. Um filho. >
  3. Capítulo 11

História Um filho. - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


O capítulo vai ser pequeno,mas vou está trazendo outro para recompensar.
Bjs!

Capítulo 12 - Capítulo 11


Dez dias depois de jantar e passar a noite na companhia de Álvaro,Itziar se forçou a jogar o livro de regras pela janela.Mensagens de texto, e-mails e telefonemas diários de Álvaro até fizeram Hada acreditar que ele poderia ser um bom namorado em potencial.E agora a data circulada de vermelho no calendário dela dizia que era hora de começar a segunda rodada para fazer um bebê.

Dessa vez,Itziar insistiu para ele ir à casa dela mais uma vez.Adorara sua companhia e os parâmetros “só negócios” do contrato deles tinham sido quebrados,então não havia razão para se encontrarem em um hotel.Depois de correr para casa para tomar um banho,ele foi para a casa dela.

Ela atendeu a porta de calcinha e roupão.

– Desculpa,eu acabei de sair do banho.

– É,eu acabei de fazer o mesmo._respondeu ele,ao segui-la pela casa.

Ela sorriu para ele sobre o ombro.

– Você deveria ter tomado banho aqui,e nós poderíamos ter matado dois coelhos com uma cajadada só.

Álvaro riu.

– Acho que você tem razão.

– Você está com fome?

– Um pouco.

– Posso pedir comida.

Álvaro fingiu estar horrorizado.

– Quer dizer que eu não vou cozinhar para você esta noite?

Itziar riu.

– Desculpa,querido,não esta noite.

– Tudo bem,o trabalho está me matando.

– A nova promoção?

Ele assentiu.

– Mesmo que o dinheiro seja fabuloso,estou começando a querer ter recusado.

Depois de procurar em uma gaveta,ela tirou um cardápio e o entregou a Álvaro.

– O que você quer comer?

Em vez de olhar as opções de pratos,Álvaro estava estava confuso sobre o que estava diferente em Itziar.

Então ele percebeu o que era.

– Calcinha cintura alta?Quando você começou a usar?

Ela se apoiou na pia da cozinha.

– Bem,eu fiz uma pequena pesquisa e descobri que a calcinha cintura alta combate a flacidez da barriga além de sustentar a barriga sem apertá-la.E eu já quero estar prevenida e adaptada quanto esses dois fatores quando estiver grávida e após o parto 

– Entendo_respondeu ele,lutando para uma confusão que subia por seu rosto.Mulheres são sempre preocupadas com a estética.

– Eu também andei fazendo minhas pesquisas,e cueca boxer são as melhores para as bolas e a contagem de esperma.

– É sério?

– É,o artigo também diz que parece ajudar os meninos nadarem com mobilidade,e nós queremos o Ouro Olímpico desta vez.

O rosto de Itziar se rubera,as batidas do seu coração se aceleraram e prendeu a respiração.

– Então você está usando uma cueca boxer por debaixo dessa roupa,Álvaro António?Pra me ajudar a engravidar?

– Estou._lambe os lábios._Eu quero guardar melhor meus espermas para torná-los mais potente._Ele foi até ela,enquanto a mesma se levantava._Eu me privei de qualquer atividade sexual que pudesse resultar em desperdiçar nadadores.

– Oh_murmurou ela.

– Isso a surpreende?

Ela assentiu.

– Eu pensei que você estivesse saindo com outra pessoa ou...

– Transando com alguém?_Como Itziar não respondeu,Álvaro tirou o cabelo que estava no rosto dela e acariciou o seu rosto._Não há mais ninguém além de você,nem a minha mão desde que eu vi você pela última vez.

Ela arregalou os olhos quando entendeu o que ele disse.

– Acho que foi há muito tempo,hein?

A expressão dele foi de dor.

– Francamente,estou a ponto de explodir.

Ela riu.

– Estou realmente impressionada com o quanto você está levando isso a sério.

– Nós dois.Mas,sempre que eu tento fazer algo, pretendo fazer bem e dar tudo de mim.E isso inclui contribuir com você.

Ela deu um tapinha de brincadeira no braço dele.

– Você é um conquistador.

Itziar riu.

– Vamos ver se eu não consigo conquistar a sua cueca agora mesmo.

– E a comida?_perguntou ele.

– Vamos abrir o apetite primeiro_respondeu ela.

O cardápio voou da mão dele e caiu no chão.

– Parece uma boa ideia.

Olhando um nos olhos do outro,a eletricidade na cozinha mudou.De repente,parecia que Itziar não conseguia tirar a roupa dele rápido o suficiente.Ela agarrou no zíper da calça dele e o abrindo,empurrando-o para baixo.Ela estava feliz pelo homem ter decidido mudar de cueca quando os olhos dela passaram com apreciação por cima da cueca boxer que ele estava usando. Mas ela não olhou por muito tempo.Em vez disso,ela deixou o roupão cair e se sentou na bancada de mármore o chamando.Álvaro ficou hipnotizado e fascinado com a imagem à sua frente:o conjunto de pares de seios nu e uma calcinha cintura alta verde era tudo que ele mais contemplava.As mãos dele deslizavam pelos mamilos de Itziar,acariciando-os como ele sabia que ela gostava.Ela recompensou os esforços dele com um gemido.As mãos de Álvaro deixaram os seios dela para agarrar o cós de sua calcinha.Ele a tirou,deixando-a abaixada nas coxas dela.

Então ele abriu as pernas dela,enganchando os joelhos de Itziar sobre os ombros dele.Quando a língua dele passou pelo calor que estava dentro dela,Itziar jogou a cabeça para trás.

– Hummm,oh,Deus,isso!

– Diz o meu nome,querida_murmurou Álvaro,olhando para ela.

Com ele continuando as carícias no clitóris dela, ela rapidamente o recompensou:

– Isso,Álvaro!Oh,isso,oh isso,Álvaro!_Itziar abriu ainda mais as pernas trêmulas para permitir mais acesso ao homem.E foi recompensada quando ele deslizou os dedos para dentro e para fora dela,enquanto a sua língua acariciava sua pele morena.Ela agarrou a extremidade da bancada ao gozar forte.

Quando o pênis de Álvaro,em vez de seus dedos,cutucou sua vagina,os olhos dela se arregalaram e ela se afastou.

– Não,assim não!Não está certo.

Álvaro ergueu as sobrancelhas.

– Não me diga que você tem aversão a fazer sexo em bancadas de cozinha?Ela não está limpa?

Itziar sentiu o rosto corar.

– Não é isso.

Ele passou os dedos pelos cabelos já suados.

– Itz,você acha que poderia continuar?Quer dizer,estou parado aqui com o pênis duro agora, e tudo o que eu quero é enfiá-lo bem fundo em você.

– Eu só não quero olhar para trás e perceber que o meu bebê foi concebido em uma pia de cozinha,tudo bem?

Álvaro a encarou por um instante antes de rir.

– Se a minha memória não estiver falhando,eu transei com você na minha mesa de trabalho depois de você ficar em cima de mim na minha cadeira.

– Você não queria ir para o sofá!_argumentou ela.

– Mas você não acha que os bebês têm sido concebidos em lugares piores,todos os dias?

Itziar cruzou os braços sobre os seios nus em um acesso de raiva.

– Não estamos falando sobre os bebês de outras pessoas.Estamos falando do meu.

Ele revirou os olhos e sorriu.

– Itziar Martínez,você gosta de me matar de uma forma._Quando ele a puxou para mais perto de si,ela começou a protestar, mas ele balançou a cabeça._Segura a onda,princesa. Vou levar você para seu quarto,ok?

Ela sorriu.

– Vou fazer valer a pena para você,prometo.

Quando ele a levantou da pia,ela prendeu as pernas com força em volta da cintura dele enquanto ele a segurava.

– Humm,o que você está sugerindo?

Ela inclinou a cabeça para a direita,parecendo estar perdida em pensamentos.

– E se depois da primeira rodada,eu desse muita atenção oral ao seu pertence mais valioso?

Álvaro riu.

– Vale cada passo para segurar a sua bunda sensual e levá-la para sua cama.

Itziar deu uma risada.

– Imagino o quanto.

– Você é tão mandona e exigente,Itz.Não acredito que eu faço o que você quer.

– É porque você quer fazer tudo para mim. Admita.Eu o suavizei com relação ao sexo.

Ele estreitou os olhos.

– Você está tentando dizer que nossos papéis se inventeram.E eu  sou uma menininha no quarto agora?

– Claro que não,seu bobo.Eu só quis dizer que eu afetei o modo como você pensa e age sobre o sexo,como você mudou.Você é sensível,doce e cuidadoso em vez de só querer o seu próprio prazer.As futuras mulheres vão me agradecer.

Álvaro não respondeu.Em vez disso,ele se lançou sem cerimônia sobre ela na cama.Ela ofegou chocada com a brutalidade dele.

– Por que,Sr António?Que grosseria_reclamou ela.

Ele balançou a cabeça.

– Seu pequeno episódio na cozinha me fez esperar muito tempo para enfiar,Srta.Martínez. Você pode se considerar avisada de que não haverá mais o Sr.Bom Rapaz!

Ela estaria mentindo se as palavras dele não combinassem com o desejo que queimava em seus olhos.Ele empurrou os joelhos dela com as mãos para se separarem,afastando suas pernas.Com força,a penetrou.Embalada por ele, ela estremeceu com a força.Ele sorriu maliciosamente.

– Parece que o seu corpo está traindo aquela sua atitude afetada.Acho que também exerço algum efeito sobre você.

– Não sou eu que estou dizendo isso.É você_introduziu ela.

Ele continuou empurrando,com as batidas dos corpos deles ecoando pelo quarto junto com os gemidos do Álvaro.Ela sabia que ele estava fazendo assim para provar o ponto de vista dele,e ela não queria mais nada para provar que ele tinha mudado.

Então ela levou as mãos ao rosto dele,atraindo os lábios dele para os dela.Ele se acalmou por um instante,enfiando a língua na boca de Itziar, e lambendo-a suavemente.Ela passou a mão pelos cabelos e pela base do pescoço dele.Ele gemeu baixinho.

Itziar passou as mãos pelas costas do Álvaro Em vez de arranhar a pele com as unhas,ela acariciou deliciosamente e em círculos lentos a bunda dele.Agora era a vez dele de estremecer. Ela apertou a bunda dele,puxando-o para mais perto dela,elevando os quadris.

– Lento e suave agora,por favor?,_ela pediu.

Ele abriu os olhos e seus lábios se curvaram em um sorriso.

– Quando você pede assim,como eu posso dizer não?

***

Itziar acordou no aconchego do braço de Álvaro. Apertando a orelha contra o tórax dele,ela escutou as leves batidas de seu coração.Ela quase voltou a dormir quando a voz de Álvaro a despertou.

– Você está acordada?

– Humm-uhmm._murmurou ela.

– Tem uma coisa que eu preciso contar para você,e eu preciso mesmo que você esteja completamente acordada,Itz.

As palavras dele tiveram para ela o mesmo efeito de uma xícara de café.Ela se levantou para observar a expressão preocupada dele.

– Por que você parece estar a ponto de despejar uma grande bomba em mim?

Álvaro respirou fundo.

– Por causa da minha nova promoção,eu tenho que ir para a Índia ajudar na implantação de uma nova filial do escritório lá.

Intimamente,ela ficou aliviada.Um milhão de cenários devastadores tinham passado por sua mente.A maioria deles envolvia o fato de ele não querer mais vê-la nem fazer parte do projeto de gerarem um bebê.

– Você ficará fora por quanto tempo?

– Essa é a parte de que você não vai gostar... de duas semanas a um mês.

Itziar engasgou.

– Mas isso significa que você pode não estar aqui da próxima vez que..._Ela abaixou a cabeça._Bem,você sabe.

Álvaro passou o dedo pelo rosto dela.

– Mas pode ser que eu esteja.Eu só não sei quanto tempo vai levar.

Ela assentiu.

– Tudo bem.Eu entendo.

– Entende?

– Não é que você esteja escolhendo sair de férias ou algo assim.É trabalho,você tem que fazer isso.Eu sei que você tem uma vida além de mim e meu plano de ter um bebê._Ela sorriu._Além disso,não é como se eu pudesse manter você acorrentado na cama para minhas próprias necessidades.

O tórax dele virou com uma risada.

– Oh,Itz,você podia um pouco menos tão pervertida._Apoiando-se nos cotovelos,ele sorriu para ela._Sempre que você quiser me algemar na cama,é só me dizer.Eu a obedecerei feliz.

Itziar se levantou e riu para ele.

– Eu acho que estamos bem exatamente como fazemos.

As pontas dos dedos dele passavam pelas coxas dela.

– Agora por que a sua resposta não me surpreende?Se você acha a bancada da cozinha ofensiva para engravidar,tenho certeza de que qualquer noção de escravidão está fora.

– Você me disse antes que não gostava de nada disso.

– Isso é verdade.Mas para você,vou abrir uma exceção.

Revirando os olhos,Itziar se inclinou,lambendo o pescoço dele até o rosto.Quando chegou perto da boca dele,ela se afastou.

– Você acha que consegue me obrigar a fazer outra rodada?

Ele sorriu.

– É claro.

Naquele instante,a felina pulou sobre a cama com a cueca de Álvaro entre os dentes.

– Charlotte!Não,me dá isso!_gritou ele, segurando a boca dela.Ao tirar a cueca da gata a língua molhada de Charlotte passou nas coxas de Álvaro,tentando empurrá-lo de perto de Itziar.

– Charlotte,sua empata foda!Desce!_gritou Itziar.

Álvaro caiu na cama rindo.Entre o comentário de Itziar e as artimanhas de Charlotte,ele mal conseguia respirar.A gata começou a lamber o rosto dele e ele precisou empurrá-la.

– Não,linda,para_disse ele.

– Desce!_gritou Itziar,tentando pegar Charlotte pelo rabo.

Quando Charlotte finalmente desceu da cama, Álvaro olhou para Itziar.

– Charlotte ama você,como Brutus me ama...A propósito o que vai acontecer com ele enquanto você estiver fora?

Álvaro deu de ombros.

– Mesmo que ele odeie passar a noite lá,acho que vou deixá-lo no Doggy Daycare.

Itziar olhou sobre o lado da cama e imaginou como se Charlotte fosse Brutus pela expressão de animal mais triste do mundo.

– Awn,pobrezinho._Ela olhou para Álvaro e sorriu._Eu podia ficar com ele para você.

Álvaro grunhiu.

– Que diabo a possuiu para você querer fazer isso?

– Porque eu o adoro e odeio pensar que ele ficará infeliz por duas ou quatro semanas.

– Você está falando sério,não está?

Ela assentiu.

– Você não confia em mim com o seu cachorro?

Ele riu.

– Claro que sim.Mas e a Charlotte?Gatos e cães não se dão muito bem.

– Pois então,trataremos de acabar com essa inimizade.

– Não viaja Itziar,é natural deles.Mas,se você realmente quer cuidar do fedorento por duas ou quatro semanas,ele é todo seu.

Ela olhou outra vez por cima do outro lado da cama.

– Você escutou isso,garotinha?Você vai ter um amiguinho ou melhor um meio irmão.Enquanto o seu papai vai para a Índia.

A felina faz uma cara de poucos amigos,enquanto Álvaro ria em silêncio.

Serão duas e agitadas semanas nesta casa.

– Não posso acreditar que você me chamou de papai da Charlotte e do Brutus.

Ela deu um sorriso inocente para ele quando passou os dedos pelas coxas dele e pegou no pênis amolecido com a mão.

– Você preferia que eu chamasse você de Paizão?

Ele lambeu os lábios com ansiedade.

– Ah,sim,isso é bom.

– Que parte.Eu o acariciando assim ou o chamando de Paizão?_brincou ela.

– Humm,os dois_respondeu ele.

Quando o deixou com o pênis duro,ela o guiou para o clitóris molhado dela.Itziar sorriu para o Álvaro.

– Tudo bem,então,Paizão,vamos tentar mais uma vez fazer um bebê.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...