1. Spirit Fanfics >
  2. Um Grande Amor >
  3. Farsa!

História Um Grande Amor - Capítulo 20


Escrita por:


Capítulo 20 - Farsa!


Fanfic / Fanfiction Um Grande Amor - Capítulo 20 - Farsa!


-Pai, a Ana está aqui. Pai? -Disse baixinho o filho do Berto ao chamar o pai- ei? meu rei, acorda.

-O que houve? A bolsa estourou? -questionou num tom sonolento.

-Não pai, está tudo bem com a mãe... O senhor precisa vir comigo -puxou o devagar.

-Ah, ok! -levantou se.

Ambos saíram do quarto e sem entender muito o pai parou no corredor: -o que está acontecendo?

-A Ana pai, ela esta aqui embaixo aguardando pelo senhor.

-Oi? Como assim? O que ela faz aqui? Eu...

-Ela disse que precisava te ver e a...mãe dela trouxe, pois pensou que não tem nada demais.

-Bom, ainda bem que a Vivianne não se importa muito.

-Sorte tua.

-Bom, vai descendo na frente. Eu vou ir ao banheiro.

-Tudo bem!

O Humberto, o pai não o filho, voltou ao quarto para falar com a esposa sobre a tal visita. Mas, ela estava num sono tão profundo que não deu muito certo. Logo desceu, meio nervoso, ele cumprimentou a menina.

-Oi minha linda! -Abraçou a- Como você está?

-Oi pai! -Respondeu feliz- Estou bem, graças a deus! O senhor faz tanta falta na minha vida.

-Ah, que bom! Também sinto sua falta, porém, as coisas mudaram de rumo.

-Percebi! Sua casa é bem grande hein.

-Você sabe que eu gosto dessas coisas.

-Sim! Você não mudou nada -disse olhando as coisas ao redor- mais o que te fez mudar do Rio para cá?

-A minha famîlia!

-Eu achava que eu e a mamãe éramos sua família.

-Linda, apesar de não estar com a sua mãe, como namorado, eu ainda te considero a minha familia mas com a sua mãe por perto eu não posso ir te ver, te procurar. E além do mais, você sabe como as coisas funcionam.

-Poxa pai, eu pensei que...

-Olha, eu não quero que você pense o pior de mim mas eu levo uma vida totalmente diferente hoje em dia. Como você pode perceber estou morando aqui em Sampa, estou casado com a Vivianne, a qual espera um filho meu. E eu tenho tudo agora, ganhei mais dois filhos e assim a vai acontecendo. Eu sei que sua mãe cria paranóias referente a isso, porém, vocês tem que entender que a vida muda.

-Eu fico feliz por vê-lo feliz assim. Minha mãe ainda tem esperanças de que ainda seremos uma família de verdade.

-Oh meu deus, ainda?

-Sim! Eu sei que você ainda sente algo por ela também. Esse seu casamento é só uma farsa.

-Oi? Ana, eu não quero ouvir isso...ainda mais vindo de você- disse decepciomado- poxa, eu te recebo de braços aberto aqui na minha casa e tenho que ser obrigado a ouvir isso? Por favor, não acredite nas coisas que sua mãe fala.

-Mais pai é verdade! Até o momento eu não vi nenhum anuncio dizendo que você está casado, entre outras coisas. E outra, minha mãe não disse nada...

-Acontece que a senhorita está se esquecendo que eu sou bastante reservado na minha vida particular.

-Tudo bem, desculpa pela forma que eu falei...

-Tudo bem!

Ao ter essa conversa com a menina, Humberto sentiu que ela estava sendo contaminada pela mãe e que ele deveria tomar muitas atitudes para que a Ana pudesse acreditar nele e não na mãe dela.

Era mais ou menos, umas três e meia, quando a Vivianne descia.

-Boa tarde! -Disse ao notar que havia mais uma visita- Quem é essa menina linda, meu amor? -Se aproximou.

-É a Ana! -Respondeu num tom desagradavel.

-Olá Ana, ele me fala muito sobre você. Eu sou a Vivianne, prazer.

-Ah, oi. O prazer é todo meu em conhecê-la- abraçou a- você é muito linda.

-Obrigada, você também -sorriu- amor, onde está os demais?

-A Lara saiu com o Miguel para casa dele, a mãe dele esteve aqui e eu deixei, espero que não fique zangada comigo. Já os meninos estão na casa da sua mãe- contou- a sogrinha chamou eles para passar o fim de tarde por lá.

-Ah sim, acho que dormi demais.

-Devo concordar. É, eu vou preparar algo para comermos ok?

-Super aceito!

Vivianne ficou na sala com a menina, enquanto seu marido preparava as coisas para comer.

-Tia, o que você viu no meu pai?-Foi direta na pergunta. 

-Ah, eu vi e ainda vejo muitas coisas -respondeu- ele é um grande homem. 

-Sabe, minha mãe ainda sonha com ele...assim como eu ainda sonho com a minha família. 

-Bom, você sabe que ele sente um carinho enorme por ti né? Embora ele esteja comigo, ele sente sua falta. 

-Então deixa ele viver com a minha mãe. 

-Ei, as coisas não acontecem assim. Eu demorei anos para estar com ele e nós nos amamos muito.

-Tia, esse seu casamento é uma farsa! 

-Bom, você quer água...suco? -Disse ao se levantar.

-Estou bem, obrigada! 

-Eu vou beber uma água, fique a vontade aí. 

-Obrigada! 

Na cozinha, o marido percebeu que a sua esposa não estava nada bem e imediatamente pegou em sua mão: -O que ela disse dessa vez? -Perguntou a. 

-Você quer saber mesmo? -Seus olhos estava cheio de lágrimas- ela falou que o nosso casamento é uma farsa. Humberto, eu não queria fazer isso, mas leve ela embora...sei lá, tire ela daqui. 

-Ai meu deus, essa menina passa dos limites -revirou os olhos e respirou fundo- eu vou dar lanche a ela e depois levo embora, ok? 

-Ok! Eu vou para a casa da minha mãe e quando você voltar me avisa, me desculpa eu não serei obrigada a falar com ela...embora eu seja sua mulher e ela sua filha -mexeu os dedos fazendo as aspas- eu não vou aguentar ouvir essas coisas. 

-Eu vou acabar com isso, ok? 

-Beijos! -Se despediu ao sair pela porta da cozinha. 

§Humberto: Quando acabei de fazer os lanches, chamei a Ana e assim comemos nós dois ali na cozinha. Percebi algo estranho nela mas eu fiquei na minha, para ver até onde tudo aquilo iria ir. Não demorou muito a Lara chegou em casa e nos encontrou por ali §

-Oi tio! -Chegou toda feliz- Olá menina que não conheço. 

-Oi Lara, essa menina é a Ana...filha da Márcia -comentou- ela veio passar uma tarde comigo.

-Ah, oi! -Respondeu a menina - Sou filha dele.

-Oi Ana! -Cumprimentou- Fique a vontade, viu? Tio...cadê a minha mãe? 

-Está na sua avó. 

-Estou indo lá, até já. Ana, foi um prazer te conhecer. 

-Igualmente. 

A Lara quando saiu dali sentiu algo estranho, logo observou pela janela e notou o que era. Correndo ela chegou na casa da avó e chamou os irmãos para um conversa, a mesma contava que a Ana estava com um microfone e um ponto, como os apresentadores. 

A solução que tiveram foi: esperar um certo momento para a ação. Mas os três agiriam sozinhos, sem a mãe saber.

-Oi pai...oi Ana! -Disse Humberto ao entrar na casa- Ana, você cresceu hein -pegou a no colo- você era tão pequena que dava dó. 

-Ei, me ponha no chão. Não gosto disso. 

-Hahaha desculpa! 

Naquele mesmo instante, um aparelho bem pequeno caia no chão, todos ao redor ficaram sem reação ao notar que tinha algo estranho. 

-Ana, o que significa isso? Porque você está usando isso? -Perguntou o pai bravo- eu não acredito que você também é capaz de fazer essas coisas.

-Calma gente, não é nada...isso é apenas um negócio de música. 

-Não engane, isso é um microfone. 

-Ah é, hum...nem sabia! 

-Por favor, explique porque isso?

-Minha mãe! -Se sentou -eu...bom, eu não queria estar fazendo isso, em nenhum momento eu concordei com isso. Ela me obrigou a falar tudo o que eu disse. 

-Tá, mais a troco de que? -Questionou Lara- Menina, se você gostasse tanto dele…

-Minha mãe não gosta de mãe de vocês, ela nunca gostou, essa é a verdade -disse olhando para eles- bom, quando ela soube que os dois havia se casado ela surtou e agora que a Vivi tá grávida ela pirou mais ainda. E desde então ela não para de seguir vocês, nós voltamos a morar aqui em Sampa por isso. 

-Não acredito! Não acredito! Que mulher...desculpa Ana, eu não devia mas para o bem de todos nós terei que tomar algumas atitudes drásticas.

-Olha, desde que você me tire dela eu super apoio qualquer coisa. Nem meus avós estão por dentro dessas coisas. 

-Se é assim, assim será. Já que...bem que você podia se desculpar com a minha esposa né? Ela está grávida e não pode ter sentimentos ruins. 

-Tudo bem! Onde está ela? 

-Eu chamarei ela, tio! 

-Ok! 

Sendo assim, Vivianne voltou para casa ciente que encontraria a menina. Ambas quando se encontraram, se abraçaram e a pequena contou tudo o que sabia e um pouco mais sobre sua verdadeira mãe. É claro, a "madrasta" perdoou aquelas palavras ditas mais cedo. 



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...