História Um Harry Potter diferente - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 112
Palavras 6.145
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Agora vai ficar interessante, espero que gostem.
Ninguém acertou o nome do treinador, que vergonha

Capítulo 22 - Confrontos


Remo estava ansioso, seu corpo inteiro tremia de excitação pela batalha que iria acontecer, mesmo antes da lua aparecer no céu, já podia sentir os efeitos da transformação. Diferente das outras vezes, em que ele imediatamente perdia a consciência e ficava raivoso, agora ele tinha noção de como as coisas ao seu redor mudavam. O pior de tudo era a dor intensa que seus músculos sofriam, ficando difícil raciocinar, mas ele pode ouvir e sentir o cheiro que vinham dos vampiros e dos lycans, soltou um uivo poderoso carregado de fúria e estava prestes a atacar, quando sentiu uma mão em seus ombros.

-Espere um pouco. Aluado, ainda não está totalmente transformando e a dor que está sentindo vai piorar, se for desse jeito, será morto rapidamente. Falou Harry, enquanto sacava uma arma e começava a atirar, protegendo o amigo.

Os portões não ficaram no lugar por muito tempo, logo os lycans conseguiram arranca-los e assim tornar a invasão mais fácil. Alguns caçadores que sabiam manejar arco e flecha, ou fossem atiradores de elite, ficavam nas janelas e no terraço, impedindo que a casa fosse invadida. Julian e alguns outros caçadores que também tinham saído para os jardins, atacavam furiosamente, usando suas habilidades.

-PROTEGO! -gritou uma voz, criando um escudo acima das feras os protegendo das balas e das flechas. Isso trazia uma grande vantagem aos lycans, que por estarem em um grupo maior, atacavam em conjunto, não dando muitas chances para os caçadores se defenderem, tornando a grama verde, vermelha de tanto sangue. Harry que atirava concentrado, foi despertado por um rosnado perto dele.

-Finalmente Aluado. Falou olhando para o bruxo já transformado, em comparação aos lycans ele era menor. - Espere eu matar aquele bruxo antes de atacar, vai ser rápido. Um rosnado de confirmação da parte dele, fez com que Harry guardasse as duas pistolas e partisse para cima do bruxo apenas com a varinha em punho. Desviando dos ataques que ocorriam, e ocasionalmente matando um lycan, Harry conseguiu chegar em frente ao comensal.

-SECTUMSEMPRA! -bradou Harry sem piedade na voz, observando o corpo do comensal ser divido em dois, enquanto o escudo era desfeito.

-Tomem cuidado para não acertarem o Lupin, deixem ele ir na frente, iremos dar suporte. Gritou Julian para os seus companheiros. Potter, não está achando estranho terem apenas esses lobos nos atacando? Onde estão aqueles sanguessugas?

-Devem estar preparando alguma armadilha. Os vampiros são os aristocratas e os lycans meros animais de estimação. Disse Harry se aproximando de Julian.

-Senhor, a casa está sendo invadida por um grupo de vampiros, não estamos dando conta de defender. Eles estão eliminando os atiradores. Informou um rapaz aparecendo carregando uma metralhadora use nas mãos.

-Potter, você acha que o Lupin consegue aguentar sozinho lutar contra eles, enquanto vamos dar apoio lá dentro?

-Sim, podemos auxilia-lo das janelas com os atiradores, mas mesmo assim é melhor deixarmos uns dois caçadores aqui de apoio. Pensou Harry olhando remo lutar ferozmente com dois lycans.

-Jimmy, Anne. -Chamou Julian. Vocês dois servem de apoio para o Lupin, o resto de vem comigo e com o Potter para dentro da casa destruir os vampiros.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vendo o bruxo ser partido ao meio por Harry, Remo partiu para cima dos lycans numa fúria há muito tempo guardada no seu interior. Nem mesmo com a poção Mata-cão, ele não tinha todo aquele controle. Quando sentiu suas garras acertaram a cabeça de um lycan, o sangue escorrer, pode ver que ele gostou disso. A sensação de matar com suas próprias mãos e dentes, algo indescritível, Remo Lupin que sempre foi considerado um pacifista, podia finalmente mostrar o seu lado sanguinário. Atacava sem piedade ou remorso, rasgava o peito dos lycans a sua frente com facilidade, aproveitando seu tamanho inferior, completava o ataque com uma poderosa mordida na jugular das criaturas e ficava segurando até eles morrerem, contava com a ajuda dos outros caçadores para se proteger dos ataques surpresas. Mesmo quando apenas dois caçadores se mantiveram no jardim com ele, não ficou preocupado, pois sabia que em pouco tempo Harry estava no telhado ajudando-o, não desperdiçando nenhuma bala, acertando sempre a cabeça ou o coração deles, mas quando não acertava um local mortal, pelo menos acertava numa parte em que Remo podia mata-los sem qualquer dificuldade. Sofria alguns golpes, mas nada considerado muito sério, até que sentiu uma energia poderosa atrás de si, antigo e muito poderoso.

-Um lobinho que acha divertido brincar com os lobos grandes. Falou uma voz grossa aparecendo nas costas de Jimmy, rasgando a garganta dele facilmente. Sangue de caçadores é tão saboroso, meio adocicado, entende? Deveria provar um pouquinho, lobinho. Comentou lambendo os dedos sujos, e rindo para Remo. Ele era negro, careca e corpo bem definido, usando apenas uma calça jeans surrada e um colete de pele.

-Seu monstro filho da puta! -gritou Anne virando sua arma e disparando contra ele sem parar. Como...? - gaguejou vendo que ele desviou de todas as balas sem qualquer dificuldade.

-Humana tola, não sou um lycan qualquer. Disse atrás dela com malicia na voz. Você não concorda que os humanos são seres frágeis lobinho? Olha como se quebram fácil. Segurando a cabeça de Anne, a virou de uma vez.

Remo respondeu com um rosnado furioso, queria despedaçar aquele maldito. Não importava que ele parecia ser mais poderoso, todo seu ser gritava para desmembrar aquele maldito.

-Irmãos não interfiram nessa luta. Disse aos lycans que os rodearam prendendo-os num círculo. -Eu mesmo irei arrancar o pescoço dele e dar de presente para o mestre. Completou se transformando num lycan negro de olhos amarelados, com quase o dobro de tamanho de Remo.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Julian e Harry, se movimentavam por dentro da casa rapidamente, alguns vampiros apareciam no seu caminho, mas logo eram transformados em cinzas. Eles tentavam destruir a propriedade, só que poderosos feitiços de Harry protegiam tudo.

-Potter vá assumir uma das posições nas janelas, aqueles três vão precisar de ajuda. Mandou Julian enquanto atirava em outro vampiro.

-Vai ficar bem Julian?

-Qualquer coisa o chamo através do rádio. Avisou tocando a orelha onde tinha um ponto eletrônico. Harry concordou subindo as escadas para um dos pontos que davam para o jardim, ao entrar no quarto, encontrou dois vampiros se alimentando de um caçador, a cena era grotesca, pois ambos estavam abaixados sobre o peito aberto do caçador devorando suas entranhas. Sacou suas duas desert Eagles, e disparou duas vezes contra a cabeça dos vampiros os transformando em poeira.

-EVANESCO! -murmurou guardando as duas pistolas, e depois com a varinha, desaparecendo com o que sobrou do corpo do caçador. Caminhou até o rifle sniper parado na janela. Droga, nunca usei uma arma dessa além dos treinamentos.

Flashback

-Vamos lá Potter, precisa aprender a se concentrar se quiser aprender a ser um franco-atirador. Falou seu treinador americano batendo na cabeça dele. Não é para ficar atirando feito um idiota e rezar para que acerte o alvo, ainda mais se for encarar seres sobrenaturais, que precisam ser acertados no coração ou na cabeça.

Balancei a cabeça concordando, mexendo os ombros para aliviar o stress que sempre me acompanhava durante os treinos, já estava deitado naquela posição com uma sniper a quase duas horas. Nunca pensou que encontraria um treinador pior que Matt, que tinha pelo menos um pouco de humor, mas no caso dele era praticamente impossível existir algum traço de humor nele.

-Pare de pensar besteiras e volte a praticar seu inútil! -gritou exasperado chutando a lateral do corpo dele, fazendo com que ele virasse sem fôlego. Estou começando a perder as esperanças em você moleque, não entendo como o Matt pode ter te mandando para cá.

-Quando morrer pergunta para ele no inferno seu desgraçado. -respondeu Harry rispidamente massageando o local chutado.

-Parabéns Potter, vai ganhar mais um castigo por não me respeitar. Falou pegando Harry pela gola da camiseta, o puxando para fora do quarto. Corra por seis horas em volta da propriedade e se não fizer isso irei atirar nos seus joelhos, e você sabe que sou capaz de fazer isso. Terminou o jogando numa poça de lama, que tinha sido formada por causa da chuva da noite anterior.

Limpando o sangue que escorria do canto da boca, Harry nem pensou em discutir com seu treinador no dia em que ele o salvou do vampiro tinha quebrado sua mão para aprender a não ser imprudente, sorte que sabia preparar poções de cura que tinham efeito quase imediato, mas a dor era demais. Alguns fãs matariam para ter o mestre de Aikido, Steven Seagal, mas se arrependeriam imediatamente após o conhecer direito longe das câmeras. Ele poderia parecer um cara bonzinho, e tal, só que a verdade é que o maldito era um sádico desgraçado que adorava ver seus alunos sentirem dor. Por isso tinha concordado em se tornar um treinador da CIA, onde poderia fazer o que quisesse com os recrutas, poucos sobreviviam ao seu treinamento e Harry esperava ser um deles.

-Admito o garoto tem fibra, gosto disso. Falou Steven vendo Harry correndo em volta da casa, estava fazendo isso a quase umas duas horas, mesmo tendo treinado com Matt, nunca tinha feito isso usando pesos nos braços e nas pernas. Mas ele não vai aguentar esse ritmo muito tempo, aposto que na próxima volta ele vai desmaiar e cair de cara numa poça de lama. -Riu sozinho bebendo um copo de uísque. Dito e feito na próxima volta Harry veio cambaleando, sentindo sua vista ficar enevoada, quando passou em frente à casa, não conseguiu levantar direito sua perna, tropeçando numa pedra e caindo de cara na lama, completamente desmaiado.

-Agora talvez ele tome jeito e comece a levar o treinamento mais a sério. Resmungou pegando Harry no colo e o levando para dentro o deixando dormir.

Fim do flashback

-Droga pensar naquele sádico faz meu corpo todo doer. Reclamou Harry com um sorriso no rosto, disparando contra um lycan que se aproximava de Anne, o atingindo na cabeça. Quando essa loucura acabar talvez eu faça uma visita e faça ele pagar por causa daqueles treinamentos malditos. Rindo divertido, Harry atirava em qualquer lycan que os dois caçadores ou Remo não conseguissem matar, e as vezes apenas facilitava para que o lobisomem pudesse atacar sem correr riscos de ser morto. Poucos sabiam que Harry tinha um certo prazer em matar, nas poucas vezes em que sairá em missão com a Ordem escondeu fortemente esse desejo, mas agora não se preocupava, matando sem qualquer tipo de remorso. Ficou mais sério apenas quando viu um lycan com poder parecido com o de Willian aparecer, antes que pudesse agir, o quarto foi invadido por três vampiros, duas mulheres e um homem.

-Não pensem que será fácil me matar. Falou apontando o rifle para o homem, não tendo chance de atirar, pois o vampiro conseguiu se mover mais rápido segurando o rifle e jogando Harry contra a parede. Parece que são durões, mas não resistirão ao meu feitiço. AQUILA FLAME! -uma águia de fogo saiu da sua varinha, atacando os três que não tentavam escapar, mas foram mortos em pouco tempo.

-Potter, preciso de ajuda na sala de treinamento, Marcus e Willian resolveram aparecer, é praticamente impossível para mim lutar contra os dois. Falou Julian pelo rádio.

-Estou indo. Falou Harry simplesmente, correndo para a sala de treinamento. Chegando perto começou a ouvir uma conversa inflamada entre Julian e o que parecia ser mais duas vozes. Julian!

-Harry Potter, o humano que o meu filho tolo salvou da morte. Falou um homem muito parecido com Matt, mas com um ar mais aristocrático. Ao seu lado, tinha outro parecido com ele, mas com um ar extremamente selvagem. Você andou causando muitos problemas matou meus melhores guarda-costas.

-E irei adorar matar você também. Falou Harry se posicionando para lutar, com a katana na mão direita e a desert eagle na esquerda.

-Antes vai ter que lidar conosco Potter.

De trás de Marcus, apareceram Pietro e Krist, que partiram em direção a Harry sedentos por sangue. Quando Harry se preparou para se contra-atacar, os dois se transformaram em cinzas.

-Desculpe Harry, não temos tempo para lidar com peixes pequenos tendo esses dois na nossa frente. - Desculpou-se Julian com abaixando as duas pistolas.

-Tudo bem Julian, mas vai ter que me recompensar por ter matado aqueles dois malditos. Resmungou Harry. - Consegue lidar com o Marcus sozinho?

-Talvez, não custa nada tentar. Confessou Julian partindo para cima de Marcus, enquanto Harry virava-se para Willian.

-Irmão parece que você vai lidar com o bruxo, não esqueça que Voldemort quer a cabeça dele, não o desfigure muito entendido? -falou Marcus, enquanto desviava dos tiros de Julian.

-Não precisa se preocupar. Disse Willian começando a se transformar, num imenso lycan com uma aura negra ao seu redor.

Um poderoso rugido dele veio carregado de magia que lançou Harry para trás, que não teve tempo de se recuperar direito, sendo obrigado a bloquear uma patada poderosa que deixou seu braço esquerdo levemente dormente.

-Que força monstruosa. Reclamou Harry escapando de mais um ataque. Quero ver se pode escapar das minhas balas. Guardando sua katana, e sacando sua outra arma, começou a disparar freneticamente. Willian desviava de todas sem problemas, e mesmo que fosse atingindo não causavam danos severos, deixando-o continuar a avançar contra Harry.Com as costas da pata Willian acertou um golpe poderoso no queixo de Harry o jogando contra a parede, perdendo as duas armas, e com um pequeno trauma na cabeça que sangrava.

-Potter, acorda logo seu maldito, se não vai morrer. Gritou Julian, continuando a disparar contra Marcus que apenas desviava, sem ligar para as balas. Droga fique parado seu desgraçado.

-Você que deveria ficar mais rápido Julian, ainda mais usando balas psíquicas. Ironizou Marcus, mexendo o braço lançando o caçador contra a mesma parede ao lado de Harry.

-Droga! Nunca pensei que seria tão complicado assim vencer esses malditos. Falou Harry tonto da pancada, olhando enquanto Willian e Marcus não se mexiam, apenas observavam.

-Acho que seremos obrigados a nos juntar para lidar com eles Potter. Algum plano mirabolante?

-Alguns, mas não tenho certeza de nenhum deles. Reclamou Harry. Magia não vai surtir muito efeito neles, mas meus jutsus podem causar um grande dano.

-Certo e...?

-Vou atacar o Marcus, enquanto isso aproveite para acertar Willian, suas balas devem ter mais efeito que as minhas.

-Onde devo acertar?

-Acerte em partes que o imobilizem tempo suficiente para que eu consiga mata-lo. Ele é rápido demais para os meus golpes. Avisou Harry se levantando, começando a concentrar-se para atacar com seus jutsus. - Preparado?

-O que planejam fazer? Vocês não são capazes de nos vencer seus humanos fracos. -Gabou-se Marcus, enquanto Julian concordava e Harry começava a fazer selos de mão. É impossível você conhecer os segredos shinobis!

-Katon:Shōnetsu Jigoku! (Elemento Fogo:Inferno Ardente) -exclamou Harry expelindo pela boca intensas chamas alaranjadas que atingiram Marcus diretamente, e assustou Willian. Aproveitando-se desse momento, Julian disparou quatro vezes contra o lycan, atingindo nas axilas e nas pernas, impedindo que ele pudesse se movimentar ou se defender.

-Agora Potter!

-Fuuton:Kami no Kazewokiru! (Estilo Vento: Cortes de Vento Divino) -falou Harry rapidamente parando de expelir chamas e sacando sua katana, desferindo diversos cortes com ela, que se transformaram em poderosas lâminas esbranquiçadas que atingiram Willian, o fatiando.

-Willian! -gritou Marcus saindo das chamas, parcialmente queimado, mas ainda sim vivo. Seu maldito como ousa matar o meu irmão irei sugar seu sangue até deixar você completamente seco. Disse ameaçadoramente começando a se transformar num ser parecido com um morcego.

-Quer dizer que era verdade a capacidade dele se tornar um hibrido entre morcego, igual o seu irmão Willian. -Resmungou Julian observando aquela monstruosidade alada. Agora será ainda mais difícil derrotar esse maldito!

-Se ele quer usar transformações vamos ver como ele consegue lutar contra minha forma animaga. Fala Harry saltando para Marcus, enquanto virava um tigre se enroscando com ele no ar. Com suas garras rasgava as membranas finas das asas de Marcus, enquanto mordia qualquer parte que suas presas alcançavam até que foi lançado contra o chão por Marcus que tentava se recuperar dos golpes sofridos.

-Potter você está bem? -perguntou Julian se aproximando enquanto Harry voltava ao normal, limpando o sangue que tinha pelo seu corpo.

-Apesar de provar o gosto nojento do sangue dele, estou bem sim. Falou Harry cuspindo no chão. - PROTEGO! -criou um escudo, para proteger os dois de um ataque de Marcus. Droga esse maldito vai nos pegar desse jeito.

-Precisamos tirar ele do ar, não vamos ter chance desse jeito. Falou Julian saindo do escudo e atirando contra o vampiro. Enquanto eu o distraio arranque as asas dele!

-Pode deixar. Concordou Harry sumindo com um shushin no jutsu, e surgindo nas costas de Marcus. Hora de arrancar as asas do morceguinho! -rosnou ficando com aparência de um tigre, agarrando ambas as asas e apoiando o pé direito nas costas puxando com toda sua força, arrancando-as enquanto o corpo de Marcus era lançado contra o escudo e Julian.

-Avise antes de jogar lixos em cima de mim Potter! -reclamou Julian tendo que pular antes que o vampiro o acertasse. Uma pena que essas asas viram poeira, elas ficariam perfeitas no meu escritório.

-Querem brincar com magia, vou mostrar a vocês o verdadeiro poder da magia negra! -murmurou Marcus aumentando sua intenção assassina junto com aura que o rodeava, tornando o ar da sala pesado.

-Merda! -murmurou Julian começando a arfar e cair de joelhos. Isso é pressão demais para mim, meu corpo não foi feito para suportar magia.

-É melhor sair daqui Julian, as coisas tendem a piorar apenas! -falou Harry seriamente desprendendo magia intensamente pelo seu corpo, obrigando a Julian correr para fora da sala. Não vai ser mais preciso se conter Marcus, se quer uma briga com magia teremos algo assim!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

A briga entre Remo e o lycan negro, poderia ser classificada como intensa. Trocavam golpes sem recuar de maneira alguma, sangue jorrava dos ferimentos, sendo. Remo o mais prejudicado, com um corte feio no seu olho direito. Ficaram parados se analisando tentando achar o ponto fraco um do outro para poder terminar com aquilo, até que o lycan fez o primeiro movimento, mirando o estomago do lobisomem para aproveitar sua falta de ar e arrancar sua cabeça, só que Remo conseguiu evitar o golpe e saltar para trás do lycan e morder sua jugular até que foi pego e lançando longe meio grogue. Aproveitando-se disso o lycan partiu para cima dele, pronto para o matar, quando um rugido veio de dentro da casa, deixando todos os lycans congelados, sabendo que aquilo significava a morte do mestre deles. Remo vendo uma chance pula no pescoço do lycan segurando a boca dele e puxando com tudo para cima, quebrando o seu maxilar e arrancando a parte de cima deixando o seu cérebro a mostra junto com o sangue. Os outros lycans olharam temerosos para Remo, tinham acabado de ter perdido os mais fortes da sua raça, sendo que um deles derrotado de forma tão brutal na frente deles por simples lobisomem afetado pela Lua. Sem escolhas fugiram imediatamente dali, não tinham como completar a missão sem uma liderança. Remo olhou para eles fugindo e ficou pensando se deveria os seguir, mas resolveu entrar na casa e ajudar os outros caçadores contra os vampiros, mas antes de poder entrar Julian saiu cambaleante de lá junto com um grupo de caçadores, alguns machucados outros com apenas pequenas escoriações.

-É melhor não se aproximar Lupin, mesmo sendo um bruxo a pressão que aqueles dois estão liberando pode te matar. Os vampiros foram pulverizados por causa dessa energia, só não aconteceu o mesmo conosco porquê de alguma maneira o Potter pode nos proteger por um tempo. Falou Julian espantando com a força de Harry. Podemos apenas esperar que ele saia vivo do confronto.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

A aura de Harry mudava de cor constantemente, entre as cores dos fundadores de Hogwarts, mostrando que sua força aumentou bastante desde o encontro com eles. Marcus murmurava um cântico criando através de sua aura um monstro na forma de um morcego.

-Um avatar é realmente uma magia poderosa, mas você não é o único capaz de fazer isso. Falou Harry fazendo selos de mão. Ninpou Kami:Gekido Ryu! (Arte Ninja Divina: Fúria do Dragão) -sua aura se tornou um grande dragão chinês dourado. Os dois avatares começaram a se enfrentar acima dos dois, enquanto Harry partia para um confronto corpo-a-corpo com Marcus. Os dois começaram a trocar socos poderosos, que criavam rachaduras nas paredes, enquanto o dragão se enrolava no morcego, mas mesmo assim o combate se mantinha equilibrado parecia que cada vez que trocavam mais golpes, suas forças aumentavam.

-A muitos séculos eu não tinha um combate desse nível Potter. Falou Marcus com um sorriso no rosto de morcego. Vai ser uma pena mata-lo, poderia ser um ótimo escravo, o que acha hein rapaz? Deseja a imortalidade?

-Passo Marcus, ainda mais que você não vai sobreviver a esse confronto! -urrou Harry desviando de um soco, com um tapa da sua mão esquerda, enquanto preparava um potente soco com a direita. Doragonpanchi! (Soco do Dragão). O punho de Harry tomou a forma translucida do dragão dourado acima de sua cabeça, o golpe acertou o coração de Marcus, ao mesmo tempo em que o seu avatar engolia o morcego. O poderoso golpe abriu um buraco no peito de Marcus, que olhava chocado aquilo enquanto se transformava em poeira. A colisão do ataque dele junto com a investida do seu avatar, causou uma poderosa explosão de magia que se expandiu pela cidade do Kansas inteira, aniquilando todas as criaturas malignas que rodavam aquele lugar, menos um pequeno rato que desde o começo observava o desenrolar dos fatos.

-Caramba nunca pensei que gastaria tanta energia assim nesse combate. Resmungou Harry sentando no chão, puxando um pequeno frasco do seu bolso. Ainda bem que trouxe uma poção revigorante.

-Harry tudo bem? -perguntou Remo correndo para o rapaz, ele já estava de volta ao normal vestindo apenas uma calça com alguns ferimentos abertos, inclusive o do seu olho.

-Remo um hipogrifo passou por cima de você? -perguntou Harry olhando o estado deplorável que o tio se encontrava. Espera se você já voltou a forma humana quer dizer que amanheceu?

-Ficou tempo de mais brincando com aquele vampiro. E isso aqui é culpa de um lycan, mas saiba que ele está num estado pior que o meu. Falou Remo abrindo um sorriso no rosto machucado.

-É melhor eu curar esse olho antes que você fique cego. Falou Harry pegando sua varinha, enquanto murmurava palavras em grego antigo.

-Incrível Harry não sinto mais dor nenhuma. Falou Remo surpreso notando que tinha ficado apenas com a cicatriz no olho, mas ele podia enxergar perfeitamente bem. -Que feitiço é esse?

-Cura de Apolo. Um dos feitiços divinos presentes num livro em particular que o Potter sempre negou estar em pose. Falou Julian entrando meio carrancudo.

-Discutimos isso diversas vezes Julian, por favor agora não. Estamos todos acabados, sem contar que ainda preciso saber o que aconteceu nos outros ataques. Disse Harry seriamente.

-Tudo bem, vocês dois podem voltar para casa. Eu e os outros caçadores arrumamos a bagunça. Falou Julian suspirando. E Potter, bom trabalho rapaz.

-Obrigado. Disse Harry segurando Remo e aparatando para a Mansão Potter.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ao aparecerem na mansão, notaram que algo estava muito errado. Todos pareciam agitados demais para falar, mas o que mais deixou Harry preocupado foi o fato da sua ruiva estar ali com cara de poucos amigos para ele.

-SILÊNCIO! -gritou Harry quando todos começaram a se aproximar dele e falar ao mesmo tempo. Que droga é sempre assim toda reunião, vocês matracando que nem loucos. Já não disse que devem falar um de cada vez se não ninguém entende nada? -continuou irritado indo para a sala de reuniões, onde Dumbledore esperava com uma expressão séria no rosto, tamborilando na mesa uma música que parecia das Esquisitonas. Parece que o assunto é sério para você estar tão inquieto desse jeito velhote.

-Parece que também teve uma batalha difícil Harry, sente-se. Pediu Dumbledore fechando a porta da sala de reuniões, ficando apenas os dois. É melhor uma conversa individual, a reunião terminou a pouco tempo, não esperamos você e Remo.

-Claro, pois o assunto dos caçadores nunca interessou os bruxos, por que agora seria diferente? -falou ironicamente Harry. Perdemos algum espaço para Voldemort?

-Felizmente conseguimos impedir o ataque aos governos, inclusive ataques no Beco Diagonal e ao Ministério, que você previu. E deixamos um comensal de cada invasão escapar como tínhamos planejado para encobrir o espião. Falou Dumbledore oferecendo uma xícara de chá para Harry.

-Mas...? -incentivou Harry.

-Perdemos alguns membros da Ordem, a batalha não foi tão fácil. Suspirou Dumbledore. -Quem?

 

-Na Bulgária não tivemos problemas, todos os comensais foram mortos e seu espião conseguiu voltar com um ferimento leve feito por seu pai para que ninguém desconfiasse dele. Na França, Olívio Wood sofreu uma maldição Cruciatus, mas não corre risco de vida. Na Itália, Cedrico foi morto junto com Dedálo e os agentes da Onbu, Percy só conseguiu escapar porque o ministro contava com a proteção da máfia também. Na Alemanha, Justino foi atacado por dois feitiços negros e se encontra no St. Mungus em estado grave, enquanto Severo torceu o pé. Na Irlanda só não fomos massacrados por causa dos agentes da Onbu, mas os membros da Ordem estão hospitalizados. Os mais fáceis foram na Romênia e na Polônia, onde nossas forças se mostraram completamente eficientes contra os comensais.

-Calculamos mal então quem deveria ir em cada missão. Suspirou Harry triste com as perdas. E os ataques no Ministério e no Beco?

-Os traidores que estavam no Ministério se revelaram de uma vez, causando algumas mortes e confusão, mas a rebelião foi contida a tempo pelos aurores. O ataque ao Beco foi feito apenas por dementadores, não foi problema algum. Completou Dumbledore notando o quanto Harry parecia culpado pelos acontecimentos. E com os caçadores ocorreu tudo bem?

-Sim, Marcus e Willian estão mortos. E boa parte de seus lacaios também. Falou Harry simplesmente. Duvido que os vampiros ainda aceitem auxiliar Voldemort, mas o lycans são influenciáveis então ainda os enfrentaremos.

-Já como vamos atrair Voldemort?

-Meu espião sabe exatamente o que fazer, não precisamos nos preocupar quanto a isso. Falou Harry bebendo sua xícara de chá, sem muita vontade. Por que Gina está aqui? Ela não deveria estar em Hogwarts?

-Hora Harry deveria conhecer melhor a Srta. Weasley, e ter mandando para o castelo alguém menos influenciável que a Srta. Granger. Gracejou Dumbledore com alegria. Bastou as duas se encontrarem para que a Srta. Weasley parecesse um foguete atrás de informações sobre o que estava acontecendo.

-Droga. Resmungou Harry. Será que dá tempo deu voltar para os Estados Unidos e ajudar com a limpeza?

-Tarde demais Harry Tiago Potter! -falou Gina vermelha de raiva adentrando a sala de reuniões, parecia que seu corpo todo estava expelindo fumaça de tão brava que a menina se encontrava.

-Bem eu já estava de saída mesmo. Falou Dumbledore levantando-se apressadamente, dando um aceno pra Harry, ao fechar as portas suspirou rindo. -Jovens, como é bom estar nessa fase. Aparatou de volta para Hogwarts, assobiando uma canção mais feliz.

-Velhote filho da puta, vai embora justo agora. Falou Harry baixinho sem encarara a ruiva nervosa a sua frente.

-Estou esperando uma explicação Potter. Falou Gina furiosa batendo o pé nervosa.

-Sobre o que meu amor? -fala Harry cinicamente, sabendo que aquilo não daria muito certo, mas era sua melhor chance.

-Olhe aqui seu idiota com maldito complexo de heroísmo e superproteção! -berrou Gina se aproximando de Harry com o dedo na cara dele. Você de novo me deixou fora da ação, pensa que eu sou o que, hein?!

-Gina, calma meu amor por favor...

-Calma o cacete! -falou Gina descontrolada acertando um tapa no rosto de Harry. Desde o resgate do Snape você está assim comigo. Por acaso acha que sou uma bonequinha de porcelana que vai quebrar se for lutar? Pretende me deixar trancada o resto da minha vida enquanto todas as pessoas que eu conheço arriscam as suas vidas?!

-Pare de falar besteiras Gina, enlouqueceu?!-falou Harry levantando e chacoalhando a ruiva. Sei muito bem da sua capacidade, mas estamos em guerra, é preciso tomar cuidado com as ações que vamos tomar. Ainda é uma estudante de Hogwarts, não pode sumir de repente do castelo sem levantar suspeitas dos filhotes de comensais que estudam lá também. Terminou abraçando sua ruiva, sentindo as lagrimas molharem sua camiseta.

-Desculpe Harry, eu me descontrolei, não sei fiquei muito sensível depois daquela maldição. E quando soube do ataque que você estaria em risco novamente, sem contar que eu iria ficar trancada naquele castelo mexeu com minhas emoções. Falou Gina fungando. Sem contar que conforme as notícias chegavam sobre as pessoas feridas, e tudo mais...

-Não precisa mais falar ruiva, sabia que isso poderia acontecer. Falou Harry beijando a cabeça dela. Agora que você está mais calma, posso descansar? Pode não parecer, mas eu estava numa batalha dura contra os vampiros e lycans. Completou cansado.

-Que pena, eu iria oferecer uma massagem, mas como está exausto. Fala Gina fazendo charme saindo de perto de Harry.

-Se for uma massagem da minha ruivinha acho que posso resistir à exaustão. Fala Harry abraçando ela pela cintura, desaparatando para seu quarto ao som de risadas.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

-Rabicho, o que aconteceu? -perguntou Voldemort ao ver seu mais fiel comensal voltar com o rosto pálido.

-Estão mortos, milorde. Todos eles, Potter massacrou os dois com uma magia que eu nunca tinha visto antes. - falou. Rabicho temendo a ira de seu mestre.

-Mostre-me isso seu lixo! -rosnou Voldemort mirando a varinha na cabeça de Rabicho e analisando os acontecimentos sem acreditar naquilo. Como esse pirralho pode ter tanto poder assim para destruir eles?!- uma onda de magia desprendeu do corpo dele, destruindo uma parte da sala em que estava.

-Milorde tenho más notícias. Falou um comensal entrando sem bater, logo se arrependendo.

-Diga logo seu verme.

-Os ataques falharam, éramos esperados pelos Ministros. Uma armadilha bem preparada. Falou o comensal de cabeça baixa.

-AVADA KEDAVRA! -proferiu Voldemort com raiva matando o comensal. -Rabicho descubra mais informações, e se houver sobreviventes traga os aqui, o traidor deve ser um deles. Ordenou para o comensal que saiu imediatamente dali. -Nagini jantar. Silvou em língua de cobra, enquanto sua companheira comia o comensal.

-Milorde, encontrei sete membros dos ataques que conseguiram escapar, todos apresentam ferimentos verdadeiros. Falou Rabicho trazendo os comensais acorrentados. Confisquei as varinhas deles para evitar qualquer fuga.

-Ótimo Rabicho, veremos se algum deles é idiota o bastante para ter me traído. Falou Voldemort olhando todos nos olhos, ali presentes estavam dois comensais que ele tinha orgulho, eram um dos melhores recrutados nos últimos anos.

-Milorde eu seria incapaz de trair o senhor, tenho nojo daqueles adoradores de trouxas acredite na minha fidelidade. Falou Vitor Krum, o melhor apanhador búlgaro de todos os tempos, um de seus comensais que agiam pelas sombras, ninguém sabia disso.

-Krum...Não sei se posso confiar em algum de vocês, poderiam me trair, o que é uma grande idiotice sendo que eu sou muito mais poderoso que aquele moleque e os bruxos ridículos que o seguem.

-Mentiroso! -gritou um comensal ao lado de Krum com os olhos vidrados, seu nome era Miguel Corner, um corvinal que para provar seu valor matou sua família inteira. Você tem medo de enfrentar o Harry de frente, se fosse poderoso mesmo iria atacar Hogwarts sem hesitar!

-Cala a boca seu fedelho idiota! -esbravejou Rabicho dando um tapa no rosto dele com sua mão prateada. - Nunca ouse falar do milorde desse jeito, se ele quisesse poderia ter destruído tudo num segundo.

-Quer destruição Rabicho? -falou Miguel carregado de ironia na voz, dando um tranco com o corpo se livrando das algemas e mirando a varinha contra os outros comensais que permaneciam próximo a porta. - REDUCTO! BOMBARDA!

Miguel lançou o primeiro feitiço contra a porta, a deixando em pedaços, para depois lançar o feitiço de explosão contra os comensais restantes, fazendo com que sangue e alguns membros fossem espalhados pelo lugar, enquanto ele corria fugindo desesperadamente.

-Rabicho seu idiota pensei que tinha retirado a varinha deles. Gritou Voldemort desfazendo o escudo que tinha criado para não ser afetado pelos pedaços de corpos e a explosão.

-Mil perdões Milorde, ele deve ter escondido aquela varinha em algum lugar. Choramingou Rabicho. - Devemos ir atrás dele?

-Esqueça precisamos logo sair daqui aquele traidorzinho maldito deve ter informado onde nos escondemos. - falou Voldemort irritado se abaixando pegando Nagini. Você e os outros inúteis tem cinco minutos para irem até a Mansão Malfoy, é de lá que iremos lançar nosso ataque a Hogwarts. -Terminou desaparatando.

-Tudo fica sempre para o Rabicho resolver. Saiu resmungando avisando a todos sobre a evacuação.

-Missão cumprida Harry. Falou uma voz saindo das sombras sorrindo segurando uma pequena moeda. Falta apenas destruir esse lugar. Com a varinha em mãos desenhou diversas runas no chão. - Ffrwydro! As runas começaram a brilhar num tom vermelho sangue, durante alguns segundos suficientes para o homem desaparatar dali, antes de uma incrível explosão ocorresse, varrendo aquela mansão do mapa, junto com alguns comensais que não conseguiram escapar. Mais à frente, a figura de um homem com uma capa negra morto no chão chocou as autoridades trouxas, por causa de sua morte ter sido causado pelos seus próprios sucos gástricos que deteriorou seu corpo de dentro para fora.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Harry estava deitado abraçado a Gina, cobertos apenas por um lençol que protegia seus corpos nus. Depois de ter tomado um banho para poder se livrar do cheiro de morte que impregnava seu corpo, os dois passaram a noite juntos se amando, querendo esquecer um pouco as dores causadas pela guerra. Mesmo tendo passado uma noite maravilhosa com Gina, Harry não tinha conseguido dormir direito. Ele podia sentir do fundo de seu ser que a batalha final estava perto de acontecer, mesmo após ter recebido a condição de herdeiro de Hogwarts, ele sentia um certo medo de não ser capaz de derrotar Voldemort. A estranha ligação que os dois tinham, faziam com que ele soubesse exatamente que o nível de poder de Voldemort não era mais de um bruxo, poderia ser considerado até mesmo algo parecido com a força demoníaca que Marcus liberou durante a luta deles.

-O que foi querido? -perguntou Gina virando o rosto para Harry o surpreendendo.

-Acordei você?

-Não, eu apenas senti que tinha alguma coisa de errado com meu moreno super preocupado. Disse rindo dando selinhos em Harry.

-É apenas sobre Voldemort, não tenho certeza se irei derrota-lo, sei lá de repente bateu uma insegurança. Entende?

-Amor para com isso, você não pode perder as esperanças em si mesmo. Se for lutar desse jeito vai acabar morto. Reclamou Gina de modo sério. Não importa o poder de Voldemort, ele quer ganhar por motivos egoístas e você está lutando para trazer paz, ter a possibilidade de viver uma vida sem se preocupar com a possibilidade de ser morto por alguém.

-Tem razão meu amor, acho que é apenas uma inquietação sem sentido. Disse Harry sorrindo. O que acha de dormirmos agora, hein ruiva? Você ainda tem que voltar para a escola se não se esqueceu.

-Droga, para que foi me lembrar disso seu chato. -Reclamou Gina encostando no peito de Harry emburrada.

Após sua conversa com Gina, Harry se sentiu mais leve, caindo no sono rapidamente, mas mesmo assim não teve sonhos felizes. Sonhava com sua luta contra Marcus, todo o mal que o vampiro cometeu durantes os séculos em que andou pela terra, depois mudando para um confronto entre duas sombras que duelavam numa grama manchada de sangue, ele sabia que luta era aquela, ele e Voldemort decidindo de uma vez por todas a profecia.

-Acorda logo Harry! -gritou Gina mexendo no namorado que não queria acordar. Terei que tomar medidas drásticas então. Maldosamente estalou os dedos jogando um balde água gelada nele. Gina simplesmente correu depois de jogar a água em Harry, deixando o mesmo bufando deitado na cama completamente encharcado, planejando uma vingança contra aquela ruiva diabólica.

-Você foi pego de jeito em Harry? -falou Osíris empoleirado na janela gracejando do garoto.

-Quer ser assado em um forno Osíris? -ameaçou Harry se levantando e indo até o banheiro fazendo sua higiene matinal.

-Tenho uma mensagem do seu espião. Falou mostrando a carta. Harry saiu do banheiro apresado quase despenando o falcão. Cuidado com minhas penas!

Ignorando o animal e lendo a carta com rapidez, Harry correu para tomar uma ducha rápida. Não demorou muito tempo e desceu para a mesa de café ofegante, encontrando seus pais e Gina, rindo.

-Precisamos convocar a Ordem, a última batalha está próxima! -falou mudando a expressão de todos na mesa para algo mais sério.


Notas Finais


Gostaram da surpresa, Steve Seagal é o cara.
Nos vemos em breve


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...