História Um Infinito de Verão - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Drama, Novela, Romance, Traição
Visualizações 6
Palavras 3.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 27 - "Nós nem se quer discutimos mais..."



Skylar

-... e quando eu cheguei lá, foi recebida por Margot Payne, a ex-namorada de Alex Evans, e ela está lá, com Dylan... ____ fiz uma pausa, olhando para seus rostos de surpresa e uma leve indignação. ____- E ele... ele passou todos os três dias me procurando, pedindo desculpas, enquanto estava com ela. Dá para acreditar? ____ dou um sorriso forçado para aliviar a tensão. Meus pais se olham, respiram fundo e voltam a me olhar.

- Eu sinto tanto, querida. ____ meu pai alcança minha mão e aperta. ____- Sinto mesmo.

Dou de ombros para mostrar que aquilo não me afeta tanto quanto parace.

- Ah, meu amor... eu... não sei nem o que dizer... ouvindo agora da sua boca... é tão insano! ____ minha mãe leva o copo de água até a boca e toma dois grandes goles. Ela está nervosa.

Meus pais já sabiam do meu rompimento com Dylan. Sabiam porquê Jennifer ligou para mamãe com certa urgência no sábado de manhã, perguntando se minha ela já sabia dos "últimos acontecimentos com nossos filhos", segundo minha mãe. Óbvio que ela ainda não sabia, eu ainda não tinha informado, porque fiquei deprimida demais para sair da minha casa o final de semana inteiro. Mamãe disse que ela parecia chorar ao telefone, e quase caiu dura para trás quando Jennifer a contou que Dylan estava com a ex do próprio irmão. Ela estava alterada demais e minha mãe não entendeu muita coisa, mas disse que falaria comigo. Me ligou oito vezes logo em seguida, até eu atender e dizer que "estava ocupada demais para estar com o celular por perto", ela gritava ao telefone e disse que estava prestes a ter um troço... Queria saber se o que a Sra. Evans tinha dito era verdade e porquê não foi informada "pela própria filha". Pensei em mil desculpas e acabei dizendo que teria que passar o final de semana presa com as crianças Kellan's, em casa, já que os pais teriam uma viagem de última hora para fazer. Outra bela mentira é claro. Logo tive que prometer ter uma conversa séria com eles, então perguntei se teriam tempo para passar em casa antes de eu ter que voltar para o trabalho.

Então aqui estamos, às 8h42 da manhã de segunda-feira, na minha sala, conversando sobre meu casamento fracassado.

- Eu sei... ____ suspiro. ____- Mas... bom...

- Esse Dylan... achei que fosse diferente, sabe? Ele sempre me pareceu um bom rapaz, respeitador, e agora vejam só? Traindo minha filha! Quem diria que com aquela carinha de santo! ____ mamãe abre os braços e se joga no sofá.

Meu pai me olha com desculpas nos olhos.

- Ah, querida. Como pai, daria tudo para evitar isso... Nenhum pai quer ver sua filha sendo tratada desse jeito. É o pior pesadelo... Sabe, se eu soubesse que ele faria uma coisa dessa... ____ ele fala com carinho.

- Tudo bem, papai... Não dava para saber. Ninguém tem culpa, as pessoas são o que são, sabe? Às vezes nem elas mesmo sabem que são de um jeito até se mostrarem assim. É a vida, não é? Então tudo bem. ____ dou de ombros novamente.

- Minha pobre Skylar, não precisa ser forte o tempo todo. Nós sabemos o quanto isso dói. ____ minha mãe passa o braço por mim.

- Como você sabe? Papai já traiu você?

Rimos juntos.

- Nem pense em uma coisa dessas!

- Não, não querida. Assim espero, mas sabe? Você é nossa filha, e acima de tudo é humana, uma traição, dependendo de quer for, nunca é bem-vinda. Sabemos que não deve ser fácil. Ainda mais quando se trata de um coraçãozinho tão jovem. ____ Há tanta ternura em suas palavras.

Reflito por algum tempo, meus pais entrelaçam os dedos e procuram mais palavras de consolo para diminuir minha dor.

- Desculpem... ____ sussurro. Eles se entreolham com espanto. ____- Sei que isso era importante pra vocês. O meu casamento, minha vida estabilizada... Sei o quanto vocês tinham orgulho por eu ser casada com alguém e legal e... que não era mais pobre que a gente. Mas parece... desculpem mas parece que eu não tenho muita sorte quando se trata de amor... ____ sorrio. Os olhos verdes da minha mãe estão brilhando... brilhando de uma forma triste.

- Querida... ____ meu pai tenta intervir.

- Não, pai... Olha, eu... eu sempre quis dar orgulho pra vocês, mas sabe, não é tão fácil quanto parece... Eu não fui pra faculdade, meti um psicopata em nossas vidas, saí de casa aos dezenove anos, casei, fui traída... engravidei... ____ engulo o seco. ____- Sei que vocês queriam tanto que minha vida fosse diferente, próspera... mas quando não namoro com um cara que tenta me matar, acabo casando com um que me traí. ____ dou uma gargalhada seca, para não dar tanto peso à minhas palavras, mas nem minha mãe, nem meu pai se divertem, na verdade me olham com pesar, com preocupação.

- Ah, Sky, não fale assim. Não fale assim nunca mais. Nunca mais, está me entendendo? ____ minha mãe caí no choro e tenta conter as lágrimas com as mãos.

- Desculpe... ____ sussurro.

- Nunca, nunca se desculpa por essas coisas. Nunca se desculpe por tentar fazer dar certo. Podemos imaginar o quanto você deve ter tantado, não foi sua culpa se não deu certo. A vida é assim mesmo. A culpa não é sua!

- Seu pai tem razão. Pare de ser assim, de ficar se desculpando por efeitos colaterais da vida, Skylar. Você nunca... ____ ela chora de novo. ____- nunca me decepcionou, a culpa não é sua se Tyler era louco e também não é sua culpa se Dylan é humano. Ok, não é certo trair as pessoas, mas no fim sempre e qualquer pessoa está a mercê de cometer erros!

- Amamos você, querida. Não importa quanto tempo passe, você sempre será nosso pequeno bebê, nossa caçula. Se pudéssemos te protegeríamos de todas e qualquer coisa! Pare de querer se destruir, você é a pessoa mais cheia de vida que conheço. Lutou sozinha por quatro dias para sobreviver... Toda machucada, sofrendo um aborto e praticamente semi morta, você lutou bravamente para continuar com esse coração lindo batendo...

Nesse momento, minha mãe me abraça com força e chora forte no meu ombro. Meu pai aperta minha mão.

- Você... temos tanto orgulho de você Skylar! Teve coragem de sair de casa aos dezenove anos! Jovens muito mais velhos que você ainda continuam de baixo das assas dos pais mesmo depois da faculdade! Tem seu próprio carro, um bom emprego. Você é uma guerreira, meu amor. ____ ela passa o dedo por minha fina e esbranquiçada cicatriz no pescoço. ____- Suportou tanta coisa sozinha... Não interessa se você não foi pra faculdade ou se relacionou com aquele... aquele cretino! Você não tinha como saber! Não tinha! Ninguém se revela um monstro para conquistar alguém! Você é tão forte. Tão forte e eu te subestimei tantas vezes... mas olha só? Você é uma mulher agora, suportou tanta coisa, passou por tanta coisa e continua de pé, batalhando e batalhando... Você é meu orgulho, sempre será...

- Obrigada, mamãe...

- Você e seus irmãos são planos de Deus, e Ele não poderia ter nos presenteado da melhor maneira nos dando vocês...

- Mas eu... eu nem fui planejada... era para parar em Josh.

- Era um plano para Deus, querida. ____ meu pai dá um sorriso orgulhoso.

- Preste atenção Skylar: você não é um relacionamentos fracassado. Você é mais que isso, que um estado civil. Você é jovem demais e só está começando a vida, e se... se não for ao lado de Dylan Evans, vai ser ao lado de alguém melhor...

- Não sei se quero mais alguém... ____ falo baixo.

- Então será independente. E não há problema nenhum nisso. Sozinha ou com alguém do lado, você vai encontrar a felicidade, e vai lutar e vai persistir como tem feito desde que virou uma mulher. ____ ela passa a mão no meu rosto.

Ela está tão linda, está a mulher mais linda do mundo, e de repente, toda tensão ou tristeza se foi daquela pequena sala. Não havia mais sentimento ruim, apenas coragem e uma dose de orgulho.
Nos abraçamos os três, de um jeito desajeitado e divertido. Havia todo amor do mundo ali no meio. E me senti bem e aquecida, como não me sentia à semanas.

                                    *

Apesar do sol está brilhando e emitindo raios claros de luz, o dia estava frio naquela tarde. Alayne já havia ido embora, e eu pretendia colocar as crianças para ver algo na TV e me ocupar até dar 18h00 e me trancafiar no meu pequeno mundinho solitário, mas tanto Rennie, quanto Ryan fizeram birra para irem ao parquinho andar de bicicleta. Para poupar tempo, acabei cedendo e levando eles e suas bicicletas até o parquinho no outro lado da rua.

Incríveis dez minutos depois de eu ordenar que eles pedalassem apenas ao redor do pequeno lago, avistei cachinhos loiros e bagunçados do outro lado da pista. De suéter preto e calça bege, Dylan estava parado em frente ao prédio dos Kellan me observando. Ele estava à uns trinta metros e pensei em agir rápido, fazer alguma coisa para sair dali antes que ele começasse a andar na minha direção. - Porque teria certeza que ele faria.

E fez.

As crianças estava longe demais para eu chamar e sair dali rápido, então fiquei de costas, do outro lado do banco e fingi não tê-lo visto.

"Por favor que ele não venha, por favor que ele não venha, por favor que ele não venha..."

Depois de pouquíssimos minutos, ouvi passos na grama se aproximando.

Merda.

- Posso me sentar? ____ ele se aproxima, mas não tanto. Fica na lateral, fora do meu campo de visão. Eu não o olho.

- Adianta se eu disser que não?

- Talvez.

- Então não.

Ele espera alguns segundos calado, até se sentar ao meu lado, mas não muito próximo.

- Você tinha razão, não ia adiantar. Desculpe. Você sempre tem razã...

- O que você quer, Dylan? ____ me viro para ele, que me olha um tanto magoado. Ele segura dois sorvetes nas mãos. Um branco e um rosa.

- Queria ter comprado chocolate quente, mas só vendiam sorvetes... ____ ele estende o rosa na minha direção.

- Está frio para sorvetes. E eu não quero nada que venha de você.

Seus ombros se curvam e ele lambe o sorvete branco.

- É apenas um sorvete...

Imediatamente pego o sorvete rosa da mão dele e jogo na lada de lixo próximo ao banco que estamos sentados. Sem me levantar, é claro.

- É apenas um sorvete. ____ digo pra ele.

Dylan abaixa os olhos, fracassado.

- Tudo bem, eu mereci. Eu sei que você odeia que eu diga isso, mas será que podemos conversar? Por cinco minutos...

- Olha, Dylan, eu só vou dizer uma vez, então preste atenção: Não me procure no meu trabalho. Pode parecer besteira pra você, mas para mim, isso é importante. Caso você não saiba, é daqui que eu sobrevivo. Então não venha me procurar aqui, aliás, em lugar algum. Acho que você não entendeu a parte do "Acabou, Dylan".

Ele me olha assustado, acena, por um momento penso que vai embora, mas então abre a boca e fala:

- Você tem todo o direito de estar brava, magoada... mas, céus, eu me odeio por te deixar assim...

- Não, querido. Você nem é tão importe assim, para me tirar o sono, se é o que está pensando. ____ minto.

- Eu sei... mas tem algumas coisa que eu gostaria que você soubesse. Você não me deu oportunidade de dizer na sexta-feira, então...

- Talvez você estivesse ocupado demais para ouvir...

Ele suspira.

- Todos esse dias, todo esse tempo em que estamos longe um do outro... Não tem sido legal. Não mesmo. Os dias são ruins, são péssimos na verdade sem você. Sinto falta mais do quê deveria... De cada detalhe seu... tudo me lembra você... e... eu me sinto horrível, me sinto horrível por...

- Eu disse uma vez, e vou dizer outra: você fez suas escolhas, Dylan. Você e somente você. Aprenda a conviver com elas.

- Eu sei. Estou tentando me habituar com isso. ____ ele dá um sorriso ácido. ____- A vida não tem sido generosa com a gente, não é?

Eu fico calada, mas sinto seu olhar sobre mim. À alguns metros, Rennie me dá um tchauzinho em cima de sua pequena bicicleta rosa e amarela. Ryan tenta fazer manobras bobas e quase cai.

- Por que é tão difícil te fazer reconsiderar? Às vezes você é tão impossível, Skylar...

- Me fazer reconsiderar? Dylan, você queria que eu fizesse o quê? Que tivéssemos uma conversa, você pedisse desculpas e eu te perdoasse, e então você voltaria para casa e fingiríamos que nada aconteceu? Ah, já sei, mas você disse que ama Margot, não foi? Então sua idéia é basicamente perdoar você e te deixar ficar com nós duas até você finalmente se cansar e decidir com qual de nós vai ficar!

- Para! Você sabe que não é assim.

- Eu não sei. Eu não conheço mais você. Acho que nunca conheci de verdade. Mas isso não se trata mais de Margot, Dylan. Se trata do que éramos. Do quê fomos um dia.

- Não fale de nós no passado. Não fale como se tudo tivesse acabado...

- Estamos no passado. Aliás, ficamos lá. Você ainda não entendeu que acabou?

- Não, não acabou. Eu não vou desistir...

- E é assim que se começa os relacionamentos abusivos. Dessa mesma maneira.

Ele me olha com incredulidade e se arrepende imediatamente.

- Não vou desistir...

- Você ainda não entendeu que eu não quero mais? Eu não quero mais! Eu não quero e pelo amor de Deus, eu não quero que você persista, por favor! Você está agindo igual a Tyler...

- Não me compare com aquele cara!

- Pois é assim que você está parecendo! Começou assim e sabe aonde eu fui parar? Sabe o que houve depois? Fui parar em um hospital e praticamente vegetei por quatro meses por atitudes que começaram assim! Eu não quero mais, Dylan! Eu não quero mais!

E de novo lágrimas invadem meus olhos e inundam meu rosto.

- Por favor eu não quero mais...

- Desculpe, eu não quis te fazer chorar...

- Então entenda, por favor. Você não consegue entender que eu cansei, Dylan? De lutar por você? De chorar por você? Estou exausta e não quero mais... Eu cansei de brigar, de perder a cabeça e de me afundar em preocupações e decepções. Você fez suas escolhas, foi você quem decidiu que ela era importante o suficiente para nós afetar.

- Eu... eu queria que não tivesse sido assim. Não queria que nosso fim fosse assim, Skylar. Desse jeito! Se eu pudesse voltar no tempo...

- Mas não pode, Dylan! E por mais que eu te ame, eu não gosto mais de você... Eu só quero viver em paz... ter sossego...

- Não diga isso, por favor, não diga. ____ ele aperta minha mão e segura.

- Eu só preciso de paz. Só preciso acordar cedo, trabalhar, voltar para casa, jantar enquanto assisto um filme... e quando chegar o final de semana ir visitar minha família. É só disse que preciso, mas isso tudo aqui... tudo isso tem custado meu sono e minha paz, então não acho que valha a pena. Acabou para nós dois, temos que respeitar nossas decisões e principalmente nossos sentimentos. Será que você poderia entender?

- Eu poderia... mas não quero. Não quero e não posso porquê não quero ficar sem você. Você é minha vida, Skye... Você é tudo o que eu tenho e me pede para... para esquecer tudo? Como acha que posso viver sem acordar com você ou... viver sem te ver... c-c-como me pede essas coisas se...

- Não quero ouvir essas coisas. Elas não me afetam, sabe o por quê? Ah, quer saber? Esquece. Não tenho mais cabeça para te fazer entender algo. Eu só quero que me deixe em paz... Já falei com Sophie, ela vai me ajudar com o divórcio e em pouco meses vamos estar legalmente separados...

- Para, Skylar...

- Nem vamos precisar nos ver...

- Para...

- Não! Não vou Para! Você não manda em mim! Você não manda!

Ele aperta os olhos como se, ao fazer isso, tudo fosse mudar.
Meu coração pesa. Ele está me ao meu lado, mas já sinto sua falta.

- É tarde demais para desculpas...

- Mas eu amo você, você não pode me proibir de sentir isso. Por mais que não acredite. Talvez você tenha razão, talvez não possamos ficar juntos, mas isso não me impede de te amar...

- Se dei espaço para seu coração amar outra passoa, é porque de fato, ele nunca foi meu.

- Tínhamos tantos planos... quando foi que isso acabou? ____ ele me olha a espera de um resposta. Desvio o olhar. ____- Acabou mesmo?

Aceno com a cabeça, com o rosto virado para ele não perceber que meu coração está partido e escorrendo pelos olhos.

- Podemos nos despedir? Um último beijo? ____ fico em silêncio. ____- Um abraço?

- Apenas vá.

Vá antes que meu coração não aguente e implore para que você fique.

- Por favor... nossa história merece um último beijo...

- Vá embora, Dylan... eu te amo, mas imploro que vá embora...

- Tudo bem... ____ ele sussurra.

Eu juro que queria podê-lo olhar em seus lindos olhos e pelo menos lhe dizer adeus, mas sei que ao fazer isso seria mil vezes mais doloroso, sei que a imagem de seu rosto atormentaria meus sonhos e me partiria em pedaços a cada lembrança. Sei que fui dura com Dylan, mas era preciso. Eu o amava, mas também me amava.
Eu não queria ter que vê-lo pela última vez, eu queria ser apenas a garota que estaria com ele todas as noites, o esperando em casa depois de um longo dia, a que sempre teria beijos quentes e palavras de consolo em um momento difícil. Talvez até a mãe de seus filhos... Nós tínhamos tantos sonhos... mas ele não pertencia mais à mim. E se fosse para ver seu rosto triste pela última vez, eu preferia guardar nossas lindas lembranças como recordação, e buscá-las cada vez que a saudade ficasse difícil demais para suportar.

Então não olhei para trás nenhuma vez, apenas apertei os olhos e ouvi seus passos até se distanciarem.

Não olhe para trás, não olhe para trás... Seja forte, garota, apenas não olhe para trás...

- Eu... desistir de você está me matando por dentro, Skylar... Não queria que tivesse sido assim. Por Deus, eu não queria! Mas... não pense que estou deixando de amá-la, acho que nunca seria capaz disso. Quero que saiba que amei você mais que tudo... sempre vou amar. Sinto tanto por tê-la magoado... ____ ele faz uma pausa, esperando que eu diga algo. ____- Eu te amo, Skylar Sanderson. Seja feliz e tenha uma boa vida...

Dylan fica parado mais alguns segundos até seus pés finalmente se moverem para longe lentamente. Meu olhos continuam fechados, porque tudo o que quero é acordar desse pesadelo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...