História Um jogo de interesses - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Brawl Stars
Personagens Bibi, BO, Brock, Bull, Carl, Colt, Crow, Darryl, Dynamike, El primo, Eugênio, Frank, Jessie, Leon, Mortis, Nita, Pam, Penny, Personagens Originais, Piper, Poco, Rico, Rosa, Shelly, Spike, Tara, Tick
Visualizações 18
Palavras 2.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eaeee cambada!!! Eu me esforcei bastante pro cap ficar topzin

Boa leitura (ou não)

Capítulo 1 - O início de tudo



Apenas uma noite comum, isso era o que todos esperavam, mas as coisas iriam mudar rápido.

Piper uma linda jovem-adulta de 23 anos, que adorava curtir a vida como ninguém, é essa noite não seria diferente. Sua roupa era um tanto vulgar; um vestido preto com um grande decote é suas pernas a mostra, seu longo cabelo solto é também podia sentir de longe o delicioso perfume francês que a loira carregava em seu cangote. Qualquer um que a observasse com olhos minuciosos pensaria que se tratava de uma mulher solteira, mas não, a loira era casada, mesmo sendo um casamento forçado é se tudo desse errado ela perderia suas coisas, mas a garota nunca se prendeu por isso, principalmente pelo "o que" era seu parceiro romântico, um robô; ela simplesmente odiava o tal que era muito arrogante é grosseiro, a madame de forma alguma iria se entregar a ele por isso a "saidinha" da loira, Piper iria se encontrar com seu amante: Colt, o xerife da cidade, mesmo sendo mulherengo ele teve que se entregar ao charme é beleza da jovem que era estonteante.

A Cinderela chega na porta da boate azul onde se encontrava todas as semanas com o xerife, como forma de afeto que ambos tinham seu comprimento foi um curto mais apaixonado beijo francês. Como aquela hora era pouco frequentado o local os dois pensaram que o beijo não tinha sido visto por ninguém, mas o casal estava errado. Um par de olhos atentos os observavam sem descanso.

Os dois jovens se sentam no balcão, o garoto chama o barmen que era Barley dourado. “Barley uma tequila para mim é a dama” o ruivo olha para a garota com um olhar ousado que faz a garota criar um sorriso malicioso é uma lambida em seus lábios. Depois de um bom tempo os dois já estavam tontos, Piper é Colt vão para um quarto de motel que ficava ali mesmo no estabelecimento que  tinha já a intenção de ser feito para o proveito de casais interessados em um pouco de diversão é sexo. Os dois caem na cama Colt por cima da garota, Piper parecia triste, pois não queria ser uma pessoa infiel, seus pensamentos logo se vão após um chupada de pescoço que recebeu de seu amante, a garota acaba soltando um pequeno gemido de prazer. O garoto começa a tirar a roupa da loira enquanto a beijava.

Após o ruivo tirar toda a roupa da madame, que se ajoelha é abre o zíper da calça do xerife que já estava com seu membro pulsando de tesão, a mulher passa a língua na “cabeçsss”, logo a garota começou a colocar o membro cada vez mais fundo em sua boca fazendo Colt soltar pequenos gemidos enquanto sentia a língua de Piper massagear seu membro, o Junker não aguentou mais é acabou ejaculando em sua boca. O membro do garoto continua enrijecido, a garota se pós de costas na cama, Coltinho encaixou seu pênis dentro da vagina da garota que estava um pouco molhada pelo cheiro do membro do moleque piranha. O ruivo começou de vagar, sem se equivocar começou a se mexer dentro da atiradora, o pistoleiro foi aumentando sua velocidade fazendo a loira gemer cada vez mais alto levando Colt a loucura cada gemido fazia o ruivo estabelecer mais força é energia para penetrar na garota que parecia adorar.

Ali próximo avia uma sombra que se escondia vendo a cena enquanto carregava algumas armas. Coltinho novamente ejaculou só que dessa vez dentro da parte intima da atiradora, os dois já exaustos resolveram relaxar é dormir um pouco.

Colt sempre teve dificuldade para dormir então não pegou no sono tão rápido quanto a loira, o xerife não estava se sentindo seguro, sentia a sensação de estar sendo observado. O xerife se levanta com receio indo em direção a porta para trancá-la, mas o garoto sente algo passando Atrás dele o mesmo se vira: não avia nada, o Junker tranca a porta, quando iria voltar para a cama se depara com uma cena traumática, sua amante estava com seus olhos perfurados com lâminas que obviamente era de Crow, em seu peitoral tinha ainda mais adagas é estrelas ninjas utilizadas por Leon, também avia marcas de corte que era idênticos a pá de Mortis. No local tinha um pouco de terra ao junto as embalagens de bala é penas, deixando os três primeiros suspeitos óbvios; Mortis, Crow é Leon.

O dia após o crime renascia em Retropolis, onde Corvo era acordado por Bibi pulando em cima da sua cama a mesma que sempre pagava de durona parecia assustada. O pássaro ainda tonto tenta assimilar a situação. “aff, o que você quer piralha” questiona confuso o pássaro, “vem ver o que está passando na televisão” a garota puxava Crow para fora da cama “Não, para que eu vou me preocupar com isso” Bibi exausta de chamar o motoqueiro pega ele pelo colo é o leva a o local onde fica a televisão. No noticiário está a notícia da morte de Piper de La Prim. “é eu com isso” o corvo tinha uma feição sem remorso, “foram confirmados três suspeitos oficialmente que são conhecidos como; Mortis, Leon é Crow”. Nesse momento o mutante leva um susto ficando paralisado na frente da televisão “o quê!? Eles não podem ficar tirando conclusões desse jeito” exclama o pássaro com raiva pelas acusações feitas pelo jornal. “na cena do crime avia terra, penas é embalagens de pirulito, além das lesões do corpo afirmarem que os danos foram feitos com uma pá junto a adagas de veneno é estrelas ninjas” explica a jornalista fazendo uma total sincronia com as perguntas do acusado. Bibi coloca a mão no ombro do amigo que da um tapa na mão da japonesa é sai correndo do galpão, Bianca iria atrás mas resolveu dar um tempo para o amigo. “filhos da puta, armaram para mim, ahh, mas eu não vou deixar barato” o motoqueiro falava sozinho enquanto pilotava sua moto, ele andava pela rua até avistar Leon que acenava com a mão “posso subir” foram as primeiras palavras do camaleão para o dialogo a seguir o outro apenas move a cabeça mostrando a parte de trás da moto o garoto logo sobe no veiculo “você já ficou sabendo” o pássaro diz com um tom triste, deixando Leon preocupado com o quanto aquela situação afetou seu sensei “sim, sabe eu não acho que foi você, mas eu não faria tal coisa a Piper” o calango tenta parecer confiante, mas não tinha certeza se o pássaro não faria isso, “obrigado, então só pode ter sido aquele rato sarnento do capeta” Crow fala espumando do coveiro “vamos resolver isso”.

Lá estava Crow é Leon adentrando no cemitério os animais observam o local cheio de túmulos é covas, aquele lugar estava escuro como se fosse noite, ao chegar lá corvo bate na porta sendo recebido por Emz “Crow, Leon vocês por aqui” responde a blogueira assustada “seu tio está” questiona o de capuz “claro, vou chama-lo” responde a roxa entrando na casa “tio o pássaro é o calango estão te chamando” comunica a zumbi que volta para seu quarto “Frank fica de olho nós dois, qualquer coisa é só paralisar os invasores” Mortis já sabia o que era, também sabia que não importa o quanto iria negar os dois não iriam acreditar é provavelmente iriam fazer justiça com as próprias mãos.

O coveiro abre a porta é vai falar com os dois animais “oi, pelo jeito já ficaram sabendo do acontecido” o vampiro responde com um jeito sereno “claro, se não, não iríamos ter vindo aqui” responde o pássaro de um jeito grosso demonstrando sua raiva é tentando causar medo ao coveiro que tinha um leve sorriso confiante, “foi você, não é mesmo seu filho da puta você só quer fuder para nosso lado, colocar nossas armas é detalhes” Leon teve um ataque de raiva repentino o pássaro segura o calango pela cintura para ele não avançar no vampiro “primeiro, se fosse para incriminar só vocês não teria terra no local é golpes com a minha pá, segundo, minha arma foi roubada é sugiro que aconteceu o mesmo com as suas, terceiro, mesmo que fosse eu, minha pessoa iria incriminar alguém que não soubesse falar para se defender” o coveiro explica fazendo os outros dois assassinos ficarem com a cara no chão talvez eles se precipitaram de mais, “digamos que não foi nenhum de nós, então vamos nós unir para descobrir quem foi” a proposta de corvo pareceu agradar ambos, “então vamos nós unir para acabar com esse filho da puta” o camaleão parecia animado, fazia tempo que não vivia uma boa aventura, “provavelmente vão nós levar para depor, já que somos as únicas probabilidades no momento, então vamos deixá-los confusos, eu vou acusar o Leon que vai acusar o Crow que vai me acusar é também tentem inventar as piores desculpas possíveis para seu motivo” a explicação de Mortis foi um tanto confusa, mas até que dava para entender “por que iríamos confiar em você?” Questiona o camaleão “eu confio nele” o pássaro faz seu famoso joinha para o coveiro, o de cabelo roxo pisca um de seus olhos para Crow como se estivessem combinado algo obrigando o xamã a entrar naquela com medo de sobrar para ele “é se tudo der errado?” Pergunta o mais novo com receio “vamos fugir” Crow explica para o garoto que fica nervoso, iria mesmo fugir com aqueles insanos se tudo desse errado? Mas também não poderia ficar se não ele seria a única alternativa de vingança para a morte da loira. “bem... foi bom fazer parceria com vocês, agora vou planejar rotas de fuga se tudo der errado fugimos, tchau” o coveiro se despede do pássaro é do camaleão que subiam na moto”.

Algumas horas já tinham se passado dês da conversa entre os três acusados. Leon é Corvo se encontravam no topo da torre de Retropolis observado o por do sol. “canário, eu quero saber, confiar no Mortis? Isso vai dar merda é sério” o garoto falava nervoso sabia que o pássaro é o homem tinham até que uma boa relação, mas mesmo assim não confiava no vampiro. “eu sinceramente não sei, acho que ele pode ser nossa opção se tudo for pelos ares, mesmo sendo insano ele também é inteligente é além do mais ele já me tirou de muita roubada” o pássaro mantinha um sorriso calmo é satisfatório enquanto tinha uma ótima sensação de nostalgia. Leon é Crow ficaram sem dizer uma única palavra, apenas observavam o sol que ia embora lentamente atrás de todos os prédios da grande Retropolis “melhor irmos para a casa, sabe como Retropolis anoite é perigosa” o mais novo se levanta é tira a poeira de sua roupa “tá, tudo bem, mesmo eu sendo do crime, bora” os dois animais vão até a moto do canário. Logo após a carona corvo resolve ir para casa onde é recebido por Bibi é Bull que pareciam preocupados com o sumiço do motoqueiro “ei cara, onde você estava” questiona Bibi que fazia uma expressão de alivio pela volta do canário, toda preocupação era pouco já que gangues de motoqueiros eram caçadas por seus crimes é por conta da alta quantia nas recompensas. “foi mal, eu estive junto a Leon a tarde inteira” o pássaro sai andando em direção a sua parte do galpão abandonado que os motoqueiros viviam.

Já tinha se dado início a noite, Tara andava pela rua, iria fazer uma visita a Mortis que não seria nada agradável. A múmia tinha varias cartas de truco de baixo de sua capa, não deixaria barato a morte de sua amiga Piper, a vidente de araque toma um susto de Poco que sai de um beco escuro “eaaae, Tara taradona” zomba o anti otaku “oi esqueleto” comprimenta a médium sem muita empolgação " onde você ta indo?..." o esqueleto seguia Tara com um andar parecendo a Spinel antes da Pink Diamante a abandonar, "a lugar nenhum" a médium andava com passos mais longo é rapidos tentando despistar o mexicano "serio? Eu também" a vidente revira os olhos é continua andando com a companhia do músico que cantarolava "drift away" a melodia fez a mulher respirar é ficar um pouco mais paciente com Poco que as vezes exagerava na carência. Os dois chegaram ao cemitério enquanto cantavam um bom certanejo sofrencia. "Eeeei! Mortis" o mariachi grita na janela deixando a múmia envergonhada com o esqueleto possívelmente bêbado "eae seus cornos" grita o vampiro que também parecia bêbado. "Vamos para o bar do Barley!" O esqueleto sugere jogando seu chapéu ao alto. 

Meia hora depois, lá estava os três bêbados no bar dançando junto a várias outras pessoas, o coveiro estica a mão para a mascarada que aceita a dança, os dois dançavam como um casal apaixonado era simplesmente inesperado os dois místicos juntos. A noite continua com os dois agindo como um casal. Logo os dois saiem do bar indo até a calçada a noite tinha cido maravilhosa, fazendo Tara esquecer completamente do motivo sério é delicado que iria tratar com o coveiro. Deixando isso para outro dia.






























Continua.....


Notas Finais


Mortis-Natalino bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...