1. Spirit Fanfics >
  2. Um Loiro Bipolar(imagine Bakugou ) >
  3. Temporário

História Um Loiro Bipolar(imagine Bakugou ) - Capítulo 47



Notas do Autor


Aqui está, e vou acalmar os corações aflitos que acham que a Akemi não ama o Kachan, relaxem ela ama um cabeça-quente.
Enfim aqui está o cap, deixem suas opiniões.
Boa leitura 📚 Romancistas de plantão.♡

Capítulo 47 - Temporário


 em meio ao ataque dos vilões...

Akemi on

Eu estou dentro de casa com o Bakugou,  que está  tão  exausto quanto eu.

Flashback  on

Estamos correndo em meio ao caos, tem carros quebrados nas ruas e os vilões  incendiaram pilhas de pneus que iluminava a cidade de uma forma tenebrosa, uma visão  perfeita do mais terrível  cenário  apocalíptico.

O Bakugou  é  muito seguro e não  está  nem  um pouco amendontrado, mas ele me segura pela cintura, e me passa essa segurança, ele não  sabe mas se tem alguém  que se vira na rua, esse alguém  sou eu, não  preciso dessa proteção.

De alguma forma a cidade vazia, tudo em chamas, e os vilões  e heróis  travando batalhas em cada esquina, não  me era incomum, era como se ali no meio do caos e da destruição  constante algo me dizia que era o meu lugar, onde eu devia estar.

Mas eu não  fui, Aizawa me pediu pra proteger o Bakugou, e eu decepcionei muita gente já  não  vou desobedece-lo.

Flashback off

Eu mostro a casa reformada pro Katsuki que não  está  nem um pouco  surpreso.

Katsuki: Eu sabia, que você  faria um ótimo  trabalho decorando.

Akemi: Você  vai dormir no quarto do Aizawa.

Katsuki: O Aizawa mora aqui?*diz surpreso*

Eu acabei esquecendo  de contar pra ele, pois ainda estava digerindo “o suicídio da minha tia”.

Akemi: Acho melhor sentar pra eu explicar.

Ele se senta no sofá  e bate a mão  no espaço  do móvel  ao lado dele como me dizendo pra se sentar ao seu lado, eu me sento.

Akemi: Aizawa é  meu pai*digo num sussurro *

Katsuki: O que?

Akemi: Aizawa é  meu pai*disse um pouco mais alto*

Katsuki:Como assim?

Akemi: E-L-E-É-M-E-U-P-A-I, quer que eu desenhe?*digo com deboche*

Katsuki: Você  continua  a florzinha da delicadeza.

Akemi:E você continua o pacificador  da pátria.

Ele dá  uma risada e resmunga algo inaudível.

Ele joga seu  braço  em volta do sofá.

Katsuki: Já  aceitou?

Akemi: O que?*digo sorrindo*

Katsuki: Que nós  damos certo e temos que ficar juntos.

Akemi: Não, E você    aceitou?

Katsuki: O que?

Akemi: Que você ficou com a Momo na minha frente e depois pediu desculpas  como se não  houvesse acontecido nada?

Katsuki: Eu já  pedi desculpas, supera isso.

Akemi: E você    superou?

Katsuki: O que?

Akemi: Que eu disse que não  combinamos.

Ele revira os olhos e bufa irritado.

Katsuki: Mas eu fui a única  pessoa a te ver parecendo um poodle molhado*diz se esticando seus braços  para me fazer cócegas*

Katsuki: Que tal refazer a cena cachoeira?*diz arqueado uma sobrancelha  brincalhão *

Akemi: Você  é  um galanteador de fato, mas onde você  vai arranjar uma cachoeira?

Katsuki: E que tal o Apagão?

Akemi: Vai fazer o que? Explodir o fusível  de energia?

Katsuki  E que tal criar um novo momento ?

Akemi: Que tal um acordo?*digo sorrindo de lado,tinha tido uma ideia*

Katsuki: Como o que? Uma amizade colorida?

Akemi: Não,  eu acho isso meio idiota, pensa só, uma amizade  colorida geraria conflitos toda vez que eu estivesse com outra pessoa.

Katsuki: Então o que tem em mente?

Akemi: Você  terá  duas semanas ao meu lado, e depois eu estarei livre pra tomar minha decisão, o que acha?

Katsuki: Um namoro temporário?, tipo uma farsa? Isso aqui é  um filme de clichê  adolescente?

Akemi: Não,  mas é  a única  coisa  lógica que me veio a mente, ou eu posso passar a minha vida te dizendo que somos “Só  amigos”.(referência a Miraculous, acho que sim neh)

Katsuki: Não  sei...*diz hesitante*

Akemi: Você  que sabe, pode levar como um desafio.

Katsuki:  Fechado, um acordo de duas semanas, será  suficiente  para alguém...

Eu o interrompo

Akemi: Incrível como eu*digo o imitando com uma voz fina*

Katsuki: Você  não  está  sendo uma boa namorada.*diz sorrindo sem mostrar os dentes*

Akemi:Já  começou?

Katsuki:Já, ué

Akemi: Enfim, não  ache que eu vou virar a Barbie só  por que estou com você?*digo rindo ironicamente *

Katsuki: Acho?*diz arqueando  a sobrancelha *

Akemi: Desculpe, mas nesse momento, eu sou a heroína que está  te protegendo de um ataque vilanesco, por que você  arrumou briga com os vilões a um tempo atrás.

Katsuki: Ae? E qual é  seu nome de heroína, ô minha grande salvadora!*diz irônico*

Akemi: copy-canceller , meu jovem!*digo levando as duas mãos à  cintura, como o All Might, e o imitando*

Katsuki: Copy-Canceller, interessante, muito a sua cara, mas acho que prefiro lethal touch.*diz opinando*

Akemi: Seria bom, se eu não  tivesse duas individualidades.

Katsuki: Eu sou filha do Aizawa, eu também  anulo individualidades.

Akemi: E “toque letal" não  é  bem a impressão  que eu quero passar ao cidadãos.

Eu e ele damos risada, e eu direcionou meu olhar pra ele,que ao perceber o contato fica um pouco sem jeito.

Akemi: O que foi?*digo rindo*

Katsuki: Você  e seus malditos olhos verdes hipnotizantes!*Exclama*

Akemi: Entendo, você  não é  tão  ruim assim.

Digo indo mais pra perto do loiro e deitando minha cabeça  em seu colo.

Akemi: Pronto, agora pode ver com clareza meus malditos olhos*digo sorrindo *

Katsuki: Você  é  ridícula as vezes.*diz rindo e acariciando meus cabelos longos jogados  pelo sofá .

Akemi: Você adora isso em mim.*digo convencida*

Katsuki: é, eu adoro isso em você.

Enquanto eu me distraia pouco a pouco da nossa conversa, ele me rouba um beijo, esse loiro tem sérios  problemas ksksk.

Quando nos separamos, eu disse.

Akemi: Você  é  louco!*falei rindo *

Katsuki: Falou a garota que propôs  um namoro de 2 semanas.

Akemi: É  verdade*digo suspirando *

Katsuki: O que foi?*diz preocupado*

Akemi: Estou cansada!

Katsuki: Quer dormir?

Akemi: Não  assim, eu estou cansada de viver.

Katsuki:Morre que passa*diz com sarcasmo*

Akemi: Não,  você   não  vive sem mim.*digo com o mesmo tom sarcástico*

Katsuki: As vezes esqueço  que você  tem uma língua  afiada*diz dando uma risada  nasal.*

Katsuki: Agora, falando sério,  você  pode me dizer o que está  acontecendo?

Akemi: Muita coisa, Tem a morte dos meus avós  que foram pessoas péssimas e eu só  fui descobrir isso na minha viajem, tem a morte da minha tia, a morte da minha avó  e agora o vilão  que surpreendentemente  parecia me conhecer.

Katsuki : Seus Avós morreram, eu sinto muito.

Katsuki: Pera, você  disse que um vilão  te reconheceu?

Akemi: Sim, aquele tal de Tomura!

Katsuki: Isso não  é  bom, melhor comunicar os heróis!*se estica pra pegar o celular*

Akemi: Não! *digo segurando seu braço *

Katsuki: Por que?

Akemi: Não  faz isso, só   ficaram quieto aqui, comigo!

Katsuki: Ok, *diz se aconchegando*

Akemi: Ei,espera aqui!, assiste alguma coisa.

Eu me distanciei  e vi ele colocar um anime , acho que era Attack on titan.

Eu pego sorvete, algumas bebidas, salgadinhos  e doces que eu trouxe  da cafeteria.

Muitos clientes já me pagaram doces, gente desprezível  um monte de homens de meia idade, que  chegam e dizem: “paga um doce pra mocinha bonita aqui”, odeio esse tipo de gente, que não  tem nem senso nem respeito.

Outros bolos, cupcakes  e outras besteiras que a Ukita comprou pra mim, por que ela se sente culpada quando chega atrasada no trabalho, ela é  uma menina de ouro mas me lembra um pouco a Elizabeth de Nanatsu no Taizai.

Apesar de eu não  pedir nada, ganho muitas coisas mas da Ukita principalmente  e do Shinsou, que adora compra sorvete de menta e chocolate pra mim, ele é  um verdadeiro irmão.

Aizawa me ligou e disse que a cidade já  estava controlada mas que era melhor manter o Katsuki aqui pra ele não  ficar em perigo maior,esse daí  se mete em confusão    de pisar na rua .

Eu levo todas as comida silenciosamente  pro meu quarto, o barulho do anime cobriu o som dos meus passos, e eu coloquei meu tapete grande e felpudo na varanda que estava fria por conta do vento, por via das dúvidas  fiz uma garrafa  térmica  de chocolate quente pro caso de ser muito frio a noite.

Afastei as poltronas e as plantas ao máximo  pra ter espaço  e vista pra cidade iluminada.

Eu decidi e chamei o Bakugou que estava deitado no sofá,  ele é  muito bonito até  quando está  distraído.

Katsuki: O que esta fazendo?

Akemi: Levando a gente pro meu quarto!

Katsuki:Pro seu quarto? Espero que não seja nenhuma  brincadeira Akemi.

Akemi: Relaxa vai ser uma noite longa  e muito calma se quer saber, vou te mostrar meu novo quarto.

Katsuki: Quantos quartos tem aqui?

Akemi: No total 4.

Katsuki: Entendi.

Eu abri a porta de vidro da varanda e mostrei a ele o cenário  que se abria diante de nós.

Katsuki:Uau, você  as vezes me surpreende, isso é  sorvete de menta?*diz empolgado se abaixando pra pegar o pote*

Akemi: É  e é  meu, então  senta logo aí!

Katsuki: Quis dizer nosso né? *diz pegando duas colheres*

Akemi: é,  nosso.*digo rindo e revirando os olhos*

DDepois que comemos, conversamos , rimos, brincamos de tocar as almofadas das cadeiras um no outro.

Teve uma hora que eu acertei o rosto dele com uma almofada,  e ele de raiva quase joga uma almofada pra fora da varanda mas aí  eu abracei ele, deixando ele sem reação.

Eles estava sentado apoiado em uma pilha de almofadas  no tapete branco e peludo, eu esta deitada com a cabeça  no seu colo, brincando com os dedos enquanto  conversávamos.

Akemi: Parecemos dois melhores amigos!*digo rindo da cara que ele fez em reação  ao comentário*

Katsuki: Somos um casal.

Akemi: Temporário  somos um casal temporário.

Katsuki: Você  é  muito estraga prazeres.

Akemi: O que posso fazer, se sou perfeita.

Katsuki: Pra mim né,  perfeita pra mim!*diz rindo *

Akemi:E pra mim *digo também  rindo *

Akemi: É  lindo né?

Katsuki: O céu e a cidade?

Akemi: Sim

Katsuki: Eu vejo apenas ruas vazias.

Akemi: Já  eu vejo um horizonte  completo, uma abertura estelar do universo bem diante de nós, vejo a brisa forte lutando contra as paradas da gravidade, ruas vazias que escondem aventuras e perigos, mas também  alegria e emoção, vejo pessoas carregadas de sonhos procurando viver vidas das quais seus filhos e netos terão  orgulho de se lembrar,  vejo uma Lua brilhante iluminando o céu,  como se estivesse sendo erguida ali como um holofote para o amor e paixão  que paira no ar, eu vejo a noite escura e misteriosa, que abriga uma infinidade de planetas como uma águia  protegendo seus filhotes, eu vejo estrelas que fazem sonhar todos os ociosos mas são  a alegria e a fé,  dos que não  tem esperança, vejo postes iluminando a as estradas que aguardam o dia pra apagar suas lamparina e dar lugar a luz forte e impossível de olhar diretamente  do Sol, as pessoas se preparando para um novo dia, torcendo para voltarem protegidas para seus lares e serem guiadas em segurança  a seus trabalhos.

Katsuki: Por isso eu te amo.

Akemi: Não  me ama, apenas acha que me ama.

Katsuki: Pois prefiro arriscar a teoria de que amo essa garota sonhadora e realista  ao mesmo tempo do que perder minha vida não  amando ninguém  de verdade, se eu não  tivesse boas escolhas não  teria investido meu dinheiro alugando  uma cafeteria inteira só  pra te ver novamente  depois do que pareceu ser uma eternidade.

Eu dou um selinho nele, apesar de saber que não  irá  durar, quem sabe né, eu acho que ele é  alguém  bom demais pra ser verdade, mas quem não  pula o muro não  aprende a se arriscar.

Ficamos lá  observando a noite, e acabamos adormeceu  ali, abraçados , seguros pela proteção  da escuridão perpétua  que tomava o céu.


Notas Finais


Gostaram?
(Cap não revisado)
Falem pra mim o que acham que vai acontecer! Adoro suas ideias são muito boas, vcs são verdadeiros escritores romancistas.
Saudades do Toy e do Tio Shi? O que aconteceu com eles?nunca saberemos... mentira um dia vão saber.
Enfim, até logo♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...