História Um Namoradinho para YeonJun - Capítulo 1


Escrita por: e Pitombando


Notas do Autor


Olá, nenis!! Como estão? Bebendo bastante água? Já views nos bbs hoje? Eu tinha que pôr logo meu anime em dia '3'

Bem, tenham uma boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Um Namoradinho para YeonJun - Capítulo 1 - Capítulo Único

Os dezoito chegaram, ou seja, literalmente completam-se 18 anos que eu nunca beijei, namorei ou fiquei com alguém. Dezoito anos de puro BV, "inocência" e muito anime.

Quanto à inocência, eu realmente sou um pouco inocente às vezes e meus amigos fazem questão de me zoar por isso. Mas não posso fazer nada se minha vida se resume a figuras 2D que não me atraem.

Enquanto isso, todos que eu conheço se envolvem, ou já se envolveram com alguém. Pergunto se tenho algum problema ou se há algo de errado comigo. E talvez haja.

Me lembro da primeira e única vez que pediram para ficar comigo. Foi extremamente desconfortável. Meus amigos até fizeram um coralzinho de "Beija! Beija! Beija!", que não foi o problema de fato. Eu só conhecia muito bem a pessoa com quem talvez ficasse.

Diziam que ele tinha "pegada" e eu via o modo como agarrava gente entre o beijo. Gostava de passar a mão, apertar. Eu não me imaginava curtindo algo daquele tipo. E tive que me acostumar com meus amigos me chamando de "virjão" por um bom tempo. De vez em quando, eles ainda me chamam assim, mas com bem menos frequência.

Mas confesso que eu queria mesmo namorar. ‘Pra gente maratonar animes e séries, fazer brigadeiro, ir em viagens juntos ― fazer essas coisas todas de casal, sabe? Meu sonho, e eu, inclusive, sei que soa extremamente clichê e que deve ser por isso que estou solteiro e BV até agora, no entanto, minha meta de relacionamento é esta e ninguém me faz mudar de ideia.

― Yeonjun hyung! Yeonjun hyung! HYUNG?! ― Sobressalto-me com o grito de Hueningkai no meu no ouvido, virando-me para o garoto. ― Viajando na maionese de novo?

― Pensando no Todoroki. Você sabe, ele é tudo.

― Seu otaku fedorento.

Torço o nariz, encarando Kai com os olhos semicerrados. Ele também assiste Boku no Hero Academia, ué! Já me deu vários spoilers, aliás. Cria chechelenta mesmo ele.

― Enfim, o Soobin hyung me pediu ‘pra te entregar isso. ― Ele me entrega um bilhete amassado.

― Soobin? Aquele seu amigo da outra turma que nunca trocou uma palavra sequer comigo?

― Uma vez ele te deu parabéns.

― Porque você fez questão de espalhar pra todo mundo que eu ‘tava de aniversário. Gente que eu nem conhecia me deu parabéns.

Kai dá de ombros, se afastando e voltando a sentar com Taehyun e Beomgyu. Na verdade, eu que estava afastado deles. Começou a me dar dor de cabeça no meio da aula e eles falavam demais. Mas agora faltava muito pouco para poder voltar para casa e me jogar na cama ― tudo que eu necessitava no momento.

No entanto, mesmo atordoado, eu leio o bilhete, mais por curiosidade do que por qualquer outra coisa. Soobin estava me pedindo para encontrá-lo no auditório depois que o último sinal batesse.

E novamente, só de intrigado, para saber o que ele queria comigo, ignorei meu estado e fui atrás do garoto quando o sinal soou. 

Mal conseguia subir as escadas sem tropeçar e tive que me agarrar no corrimão. Minha cabeça latejava muito. Mas segui até me sentar numa das cadeiras espalhadas pelo auditório.

De repente, ouvi a voz dele me chamar.

― Yeonjun?

Virei então a cabeça na sua direção, que se aproximava de mim em passos apressados.

― Você está bem?

― Com um pouco de dor de cabeça, para falar a verdade.

Sinto sua mão fria encostar em minha testa e encolho os ombros.

― Você está queimando em febre!

― Hum?

― Consegue levantar?

Assinto, tentando me manter em pé, mas tenho que me apoiar nele.

― Vou te levar na enfermaria.

Ele põe as mãos em minha cintura para não me deixar cair e eu seguro em seus ombros. Descemos degrau por degrau.

Pela primeira vez noto que Soobin tem um cheiro muito, muito bom. Queria questionar qual o perfume dele, mas não consigo formular frase alguma no meu estado. Somente o sigo para a enfermaria do colégio.

Ele fica lá comigo e ainda insiste em me acompanhar até em casa. Sua presença é aconchegante.

Conversamos durante o caminho e ele deixa escapar que começou a assistir anime há algum tempo e está empolgado pela nova temporada de Haikyuu!!

Fico tão entretido que nem percebo quando passamos pelo apartamento que resido.

Ficamos na praça por um tempo, nos balanços. Me esqueço completamente do bilhete dele de mais cedo.

Ao anoitecer, ele me deixa no apartamento. Antes mesmo de cogitar me despedir dele, Soobin me abraça calorosamente.

No dia seguinte, chego no portão da escola e o vejo lá, sentado num canto do pátio. Não hesito em lhe fazer companhia. E ele não demora em querer saber se me sinto melhor e a puxar assunto. Gosto disso. 

Se fosse por mim, ficaria constrangido com o silêncio, mas deixaria. Não sou bom em socializar. Só em ver anime e reclamar no Twitter.

Mas ele passa a aceitar esse meu lado meio quieto e constrangido sem motivo. Me acompanha para casa, pois moramos para o mesmo lado, e eu o convido para almoçar de vez em quando. Quando pode, ele fica no quarto comigo. Dividimos livros e mangás, assistimos anime, ouvimos música. 

No fim do ano, vamos para uma espécie de festival otaku juntos e com fantasias combinando. Como ele trabalha e tem dinheiro, não se importa em comprar algumas coisas para mim, também porque a minha mãe só me dá o suficiente para comprar algo para comer.

É para não nos perdemos naquele festival, em meio a uma multidão de gente, que damos as mãos pela primeira vez. Quase explodi por dentro com aquilo. Sempre quis saber como é andar de mãos dadas.

A segunda vez foi em um dia que estava trovejando muito e caiu a luz no colégio e em grande parte da cidade. Juntaram algumas turmas e ele sentou do meu lado, que estava de cabeça baixa.

Soobin simplesmente pegou na minha mão e apertou e eu já me senti muito melhor. Achei que fosse só o gosto em comum por animes, mas estava enganado. O Choi era muito mais para mim.

Não teve uma declaração ou um pedido de namoro fofo, nada disso. Não precisamos de palavras para ter certeza que o que tínhamos era especial.

Comemoramos nosso aniversário de namoro no dia em que ele me levou a enfermaria pela data marcada no bilhete dele. Soobin queria se confessar para mim e acabou perdendo a coragem depois do que aconteceu. Se sentiu idiota por estar apaixonado por alguém que ele não costumava conversar. Tão fofo.

Não sei dizer se bati minha meta de relacionamento. Ele não gosta de brigadeiro e ainda não tivemos a oportunidade de viajarmos juntos. Não tenho pressa mesmo, algo me diz que ainda teremos muito tempo para viagens. E para animes novos. E para nós.


Notas Finais


Obrigado por lerem até aqui ♡ Espero que tenham gostado. Agradecimentos especiais pela betagem a @inrealspace e design por @yellowoo E muito amor ao TXTHouse e os nossos nenês!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...