História Um Novo Amor? - Marichat - Capítulo 21


Escrita por: e MelodySLynch

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Personagens Originais
Tags Marichat, Miraculous
Visualizações 354
Palavras 1.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláááááá pessoinhas! Como vão?

Eu gosto muito desse capítulo aaaaa

Não tenho muita coisa pra dizer, do estou felizona que estamos quase com 300 favoritações! Yey! (Quantas vezes eu disse isso?)

Ok, ok. Acho que é só! (?)

Boa leitura!

Capítulo 21 - Me Ajude


Fanfic / Fanfiction Um Novo Amor? - Marichat - Capítulo 21 - Me Ajude

Assim que os olhos de Adrien se encontraram com os de Marinette a fúria tomou conta de seu corpo. A luz era fraca, mas ele podia ver os olhos azuis dela, antes tão brilhantes e agora opacos e sem vida. Ela parecia fraca, mais frágil do que jamais fora, e deixou isso mais evidente quando deu um sorriso pequeno, deixando-o entender que ela aos poucos estava desistindo.

—Ora, ora. O heróizinho conseguiu encontrar a princesa em apuros? – DarkTiger olhou para o loiro, ele pode ver o deboche exalando de seu corpo e rosnou.

—Solte-a agora, copycat. – Adrien comparou o traje dele ao de Chat Noir por ambos  serem felinos, ele riu alto.

—Copycat? – Gargalhou mais um pouco – Tenho cara de akumatizado, joaninha falsificada? Vejo que foi que você quem roubou os brincos da minha querida amiga Mari, devolva-os, sim?

—Não a chame desse jeito, seu bastardo imundo. – Rosnou, avançando para ataca-lo. Ele mostrou as garras e tentou arranha-lo, mas Lordbug desviou por pouco, dando um soco no estômago dele. O tigre caiu para trás e Adrien deu um chute na mandíbula dele, que caiu para trás, parecendo inconsciente.

O Agreste estava cego de ódio, pronto para dar uma pisada direto na cabeça do homem, mas ouviu uma voz fina e baixa.

—M-me ajude... – Imediatamente voltou dos seus pensamentos sombrios e se virou para Marinette, a luz mostrando seu rosto pálido.

Sangue descia pela lateral da cabeça, tinha um corte na boca, arranhados pequenos na bochechas, sangue sujava sua roupa e os pulsos que estavam presos de cada lado do seu corpo pareciam muito apertados, pois havia um corte em uma das mãos e ele sangrava. Ela estava perdendo sangue, e aos poucos sua visão estava ficando embaçada.

Os olhos dele se encheram de lágrimas. O que aquele desgraçado tinha feito com ela?

—Não se preocupe, eu vou te tirar daqui... – Ele tentou puxar as cordas, mas elas só apertaram-a mais. Ela gemeu de dor. Adrien fechou os olhos com força. Droga, bem que os conselhos irritantes de Plagg seriam bons agora. Puxou com toda a sua força, mas de repente a corda sumiu, arregalou-os olhos olhando para Marinette que abriu a boca para falar algo, mas nada saiu.

Tarde demais, a corda se enrolou em seu pescoço e o puxou para trás, caindo de costas e sentindo se sufocar. Percebeu que aquilo não era uma corda e sim um chicote, e quem o puxava mais e mais era o tigre. Tentou se soltar, mas assim como a Dupain, só ia apertando. Estava prestes a perder o resto do ar, quando reuniu suas mãos na corda e uma luz verde fez com que o chicote cedesse.

Porém, não foi destruído. O que fez ele arquear uma sobrancelha. Mas o que...?

—Meu chicote não vai ser destruído só com isso, gato vira-latas. Acho que você precisa treinar mais isso que vocês chamam de poder do Yin. – O tom dele continuou o mais debochado possível e Adrien ficou assustado. Como o chicote dele não foi destruído pelo meu cataclism?Vaaaamos lá, senhor Agreste, eu tenho coisas pra fazer, sabia? – Ao ouvir seu nome ele arregalou os olhos e olhou para Marinette, que assim como ele estava estática.

—Marinette, corra! – Exclamou, mas ela o olhou com pesar, soluçando baixo.

—E-eu não consigo me mexer... – Tentou se levantar, mas suas pernas cederam e ela caiu. Estava fraca demais para conseguir correr.

—Que pena ter que estragar suas esperanças. Porque não tenta novamente? Te darei uma vantagem, ok? – Sorriu e abaixou sua arma, esperando que ele começasse. – Estou esperando, vá logo. – Adrien se levantou e avançou novamente, dessa vez tentando socos nele, todos foram desviados. Estava cansado de ver o sorriso debochado daquele desprezível, então fingiu dar um soco no estômago dele novamente, dessa vez ele segurou o soco – Você é tão previ... – foi interrompido quando ele se apoiou nas mãos dele e pulou contra sua nuca, passando suas pernas pelo pescoço e o puxando para o chão, fazendo-o cair de boca no chão sujo.

—Você é tão previsível, deveria treinar mais. – Adrien repetiu o que ele iria falar, sorrindo. DarkTiger levantou furioso, e era muito rápido, pegou seu chicote e tentou enrolar nos pés do Agreste, que pulou com um giro de costas, tentando chutar seu rosto no caminho.

Adrien estava acostumado a aqueles saltos, fazia isso sempre como Chat Noir e por isso caiu de pé, elegantemente. O homem estalou o chicote na parede e o jogou contra ele, que, com o ioiô, rebateu.

O tigre rosnou, ambos são habilidosos demais para deixar uma abertura. Foi quando olhou para Marinette se arrastando até a porta e sorriu, correndo rápido demais para que Lordbug visse e para que quando se desse conta o vilão estava com ela nos braços.

—Você não vai fugir, coccinelle. Porque não assiste eu matar seu amiguinho vira-latas? – Ela encarou-o com terror e Adrien ficou estático, mas logo tentou correr. – Opa, pare já ai, Agreste! Não quer que eu machuque ela, quer? – O homem a pegou pelo pescoço, não tão forte para machuca-la de verdade, mas forte o suficiente para que ela não escapasse. O herói mais uma vez ficou estático, olhando pra Marinette que tinha lágrimas descendo pelo rosto. Engoliu em seco.

—Solte-a, por favor. – Pediu, o tigre de olhos alaranjados riu.

—Gentilezas á essa altura do campeonato? Nah. – Deu de ombros. Remexendo algo na escuridão. – Bom, eu não queria ter que usar esse tipo de artificio para que você nos deixe em paz, mas você sabe né? Aquele cara já está impaciente, e disse que eu poderia usar se fosse preciso. – Sorriu de canto, puxando um revolver. Marinette chorou alto. – Shii, não chore. – Limpou uma lagrima dela com as garras, deixando um leve machucado, o sangue de Adrien ferveu. – Vai ficar tudo bem, certo? Bom, com seu amigo talvez não, mas...

—DarkTiger, por favor, você me prometeu... – Implorou.

—Eu te prometi que não machucaria sua família e amigos... Mas acho que ele não é seu amigo, é? Afinal, ele te beijou e logo depois te abandonou. Além de que te rejeitou! Que tipo de amigo faria isso, não acha? – Ele não sorriu, mas estava claro que o tigre adorava tocar naquele assunto. A voz dela falhou. – Pois é, né? Não quebrarei promessa nenhuma, então. – Adrien pegou o ioiô nas costas, DarkTiger apontou a arma ele.

—NÃO! – Ela gritou e ele atirou. Para Marinette, aquela bala parecia voar em câmera lenta, e a cada momento em que ela se aproximava dele o seu coração batia mais devagar.

Fechou os olhos quando ouviu uma explosão, o choro preso na garganta. Quando abriu os olhos viu que ele ainda estava no mesmo lugar, mas girando o ioiô, havia uma estranha cor verde na ponta. O olhos verdes brilhavam assim como sua arma, e ele ricocheteou-o todas as vezes que DarkTiger atirou, destruindo todas as balas.

A fúria transbordando dos olhos, o tigre tentou se levantar com a azulada no colo, mas Lordbug destruiu a parede ao lado por onde ele tentaria fugir. Aquele era o verdadeiro poder do azar, o Yin exasperando do corpo dele, o DarkTiger engoliu em seco.

—Me entregue ela. – Ordenou, com voz séria e assustadora.

—Venha pegar. - Provocou.

Adrien correu e jogou o ioiô contra DarkTiger, que pulou alto, saltando em suas costas com Marinette ainda em seu colo e empurrando o loiro contra a parede com o pé.

Com as mãos Adrien destruiu a parede em que foi empurrado e se virou para ele.

Bufou e correu até o tigre negro que se preparou para ataca-lo mesmo com a azulada nos braços, só que dessa vez o modelo passou por baixo das pernas dele, e amarrou o ioiô em seus pés, aproveitando que ele havia soltado Marinette na queda para joga-lo contra a parede com toda a sua força. DarkTiger quebrou a parede com o choque e não conseguiu mais se levantar, por fim desmaiando com a dor.

O Agreste correu até Marinette, e segurou seu rosto nas mãos. Ela abriu os olhos e ele suspirou em alivio.

—Vamos pra casa. – A pegou no colo e correu, destruindo todas as paredes que via pela frente até encontrar a saída e seu poder voltar ao normal.  Ele jogou o ioiô contra um prédio e sobrevou-o.

Marinette encarou o caminho todo contra o peito de Adrien, estavam no fundo de um prédio em ruinas muito longe da cidade. Se ele não tivesse a salvado talvez ninguém fosse pensar que ela estivesse ali. Ouviu os brincos apitarem e Adrien xingar baixo, ainda estavam um pouco longe da cidade, mas ainda estava claro.

Ele pousou no telhado de um prédio qualquer e se destransformou de costas para a azulada. Assim que saiu dos brincos, a kwami voou até sua verdadeira portadora, com lagrimas descendo pelos olhos.

—M-Mari! – Gritou, abraçando-a. Ela sentiu os olhos transbordarem por ver que sua kwami estava bem e suspirou entre o choro. – Eu... Eu pensei que...

—Está tudo bem, está tudo bem. Você conseguiu me resgatar. Obrigada... – Tikki soluçou, apertando-a no abraço.

Estava tão feliz de ter saído de lá que não ousou olhar para o loiro por um tempo. Ouviu com todas as letras DarkTiger dizer “senhor Agreste”, e sabia que com toda certeza aquele não era Gabriel. Não adiantava a desculpa que ele desse, ela sabia quem ele era e ele sabia dela também.

Depois de um tempo ainda enrolando no abraço de Tikki ela se acalmou e resolveu encarar seu "problema", se virando para o loiro que estava de costas pra ela ainda. – Olhe para mim.

—Desculpa, acho que não podemos mostrar nossas identidades para ninguém, não é? – Ele engrossou a voz para disfarçar, e seria engraçado se não estivessem em uma situação séria.

—Você acha mesmo que eu sou burra ou o que? Eu sei quem é você, Adrien. Olhe para mim. – Ele tremeu, e suspirou baixo, virando-se. Assim que seus olhos se encontraram novamente parecia que o mundo havia parado, e só eles estavam ali.


Notas Finais


É isto. Não me matem, ok? Só vamos ter o desenrolar deles - se é que eles vão ou não, ke - no próximo capítulo! (Daqui a 10 dias, foi maaaal)

Então, e ai? O que estão achando? Comentem!

Oh, eu sou péssima com cena de luta. Se tiver alguma coisa que você não entendeu, avisa, blz? Na minha cabeça a cena vem todinha linda e maravilhosa, mas quando é pra passar pro papel, fica muito nhé.

Obrigada pelos comentários do capítulo anterior! Ahhhhh, eu adoro ler eles! Fico esperando a noite inteira pra ler. Me dá um animo tão grande ksksks. É tipo meu comprimido de felicidade!

É isto². Até o próximo capítulo! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...