História Um novo amor? - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Aninha, Carmem, Cascão, Cascuda, Cebola, Denise, Do Contra, Dorinha, Franjinha (Franja), Irene, Isadora "Isa", Magali, Maria Mello, Marina, Mônica, Nimbus, Quim, Titi, Xaveco
Tags Amizade, Amor, Avril Lavigne, Cascao, Cebola, Colegial, Esperança, Magali, Monica, Mudança, Pensamentos, Problemas Familiares, Sk8ter Boi, Skate, Turma Da Mônica Jovem
Visualizações 138
Palavras 1.047
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey galera! Tudo bom com vocês??
Calma que eu sei que demorei um pouco mais pra postar essa capitulo, mas aqui estou :p
Espero que gostem!! Nos vemos nas notas finais.

Capítulo 32 - Passado e futuro


Fanfic / Fanfiction Um novo amor? - Capítulo 32 - Passado e futuro

Capitulo 32: Passado e futuro

 

P.O.V.S Cascão

Depois de sair da casa da Maga não sabia para onde ir, voltei para a pista de skate para pegar minha mala e cogitei a ideia de dormir ali mesmo, mas se meu pai descobrisse acabaria com uma visita sem volta para o hospital. Então peguei minha a bagagem e voltei para “casa” já tinha escurecido e o tempo estava se recuperando da chuva, que de fato não durou muito, pelo menos eu acho, o tempo passou rápido demais para o meu gosto. Queria que aquele dia durasse para sempre. Depois de chegar tentei subir sorrateiramente pela janela, as tentativas só falhavam então decidi entrar pela porta que estava aberta – o que não me surpreende – as luzes estavam acesas e havia vários carros parados em volta – não sei como percebi antes – meu primeiro pensamento me levou a acreditar que teriam chamado a policia por pensarem que eu havia sumido, mas ao entrar senti a realidade me sacudir para fora. Olhei os rostos daqueles homens sentados a uma mesa cheia de cartas e de cervejas com Rosemarie a sua volta como uma garçonete dos anos 80. Foi ai que me lembrei de que meu pai nunca se importou comigo e nunca vai. Entrei sem cumprimentos e fui direto para meu quarto postiço com quadros e objetos postiços. Aparentemente minha entrada sem saída não surpreendeu meu pai, menos mal. Talvez devesse ter ficado na pista. Tranquei a porta e me deitei, milhões de pensamentos me invadiram novamente, se meu pai não se importava comigo por que perderia meu tempo gastando meus pensamentos com ele? Prefiro me concentrar no que realmente importa. Não só a Maga, tudo. Quer dizer, que vida eu estou levando? Não tenho planos, não tenho nada. Preciso de metas e preciso urgentemente. Quero ser alguém diferente do meu pai. Quero ser alguém importante. Quero estudar e entrar em uma boa faculdade e ter uma família. Quero sair desse buraco e ser alguém. E é exatamente isso que eu vou fazer! Cansei de gastar meu tempo me lamentando por que sei que vou me tornar meu pai. Eu não vou. Eu não quero. Eu consigo. Consigo ser alguém melhor.

 

P.O.V.S Magali

Flashback on

Perto de 1 ano atrás:

 

Maria M: Ai, ainda não acredito que você vai mudar escola! – exclamou com indignação

Magali: Nem me fale. Pelo visto meus pais estão passando por algumas dificuldades financeiras, já to de saco cheio. Acabou dando merda no trabalho do meu pai.

Maria M: Mas tinha que mudar justo para aquele fim de mundo? – disse dando risada

Magali: Não é tão ruim – me defendi de leve, já que estávamos conversando e não discutindo – Cresci lá, tenho amigas. Mas mesmo assim é um saco.

Maria M: Amigas? – perguntou sarcasticamente – Você só tem uma amiga e olhe lá.

Magali: O que quer dizer com isso? – pergunto começando a ficar irritada

Maria M: Ah, por favor! A única amiga que você tem naquele buraco de favelados é aquela dentuça.

Magali: Suas demonstrações de amor por mim estão ficando cada vez melhores – disse sendo sarcástica

Maria M: Engraçadinha. Só estou dizendo que depois de um tempo lá, vai acabar ficando igual a eles.

Magali: Eu hein. Quanta encanação por gente que não interfere em nada na sua vida.

Maria M: Mas vão interferir na sua.

Magali: E o que você tem a ver com isso?

Maria M: Achei que fossemos amigas.

Magali: E somos, mas mesmo assim ainda faltam algumas semanas e depois vamos continuar se falando

Maria M: Olha amore, se a gente vai continuar sendo amigas depois é outros quinhentos. Não me leve a mal linda.

Magali: Acho que agora é a minha vez de dizer que achava que fossemos amigas. Mas pelo visto isso só vale enquanto eu tenho dinheiro e status – ela ficou me encarando enquanto me conformava com a situação – Você é mesmo inacreditável – depois daquilo sai com milhões de pensamentos vagando, aquela não era eu, nunca foi.

 

Flashback off

 

Magali: E foi isso. Cheguei em casa e me toquei que as coisas com meus pais estavam mais ruins do que eu pensava. Então comecei a procurar o que realmente me fazia bem, nessa época o Cumulus já tinha parado de falar comigo sem motivo nenhum e percebi que tinha sido melhor desse jeito.

Denise: Ai miga me abana que esse babado é quente. Quer dizer que antes de ser esse mar de margaridas simplória você era rica? – disse e eu e Mônica demos risada – Me amarrota que estou passada! Claro que mais diva do que eu você não é – disse mostrando a língua e continuando – mas além disso também era toda trabalhada na frescura? Eu hein. Quem é você?

Mônica: Você quis dizer quem ela era. Acho que fizemos um bom trabalho Denise – disse sorrindo para mim e depois para ela

Magali: Com certeza! – disse com um sorriso sincero a Mô ficou pensativa por alguns segundos.

Mônica: Maga, tem uma coisa que preciso te contar.

Magali: Fala – disse e Denise parou de olhar para minha mobília

Mônica: O Cumulus parou de falar com você por minha culpa. Depois que fiquei sabendo do que você estava passando com ele tive que interferir. Não me arrependo. Mas mesmo assim queria pedir desculpa, devia ter te contado – analisei a situação e disse:

Magali: Obrigada! – exclamei e dei um abraço na mesma, logo depois Denise se juntou a nós.

 

P.O.V.S Cascão

 

Acordei com o som do caminhão de lixo já que minha janela ficava voltada para a rua, levantei e peguei meu celular, já eram mais de dez horas. Troquei de roupa e liguei para minha mãe.

Ligação on:

Lurdes: Alô? – perguntou sonolenta

Cascão: Sou eu.

Lurdes: O que foi?

Cascão: Que horas vem me buscar?

Lurdes: Depois do almoço. Tudo... – a interrompi

Cascão: Posso fazer faculdade? – meu coração parou na boca

Lurdes: Ã? Repete

Cascão: Faculdade

Lurdes: O que tem? Desculpe ainda estou acordando

Cascão: Quero fazer faculdade!

Lurdes: Ah, nossa essa é nova – pude sentir um sorriso em sua voz – conversamos sobre isso quando for te buscar, ok?

Cascão: Ok, tchau mãe.

Lurdes: Tchau – disse, mas antes de eu desligar ela completou – Ei moleque

Cascão: Oi

Lurdes: Fico feliz em saber que esteja indo atrás de alguma coisa.

Cascão: Eu também

Ligação off

 

 


Notas Finais


O que acharam??
Esses dois estão ficando cada vez mais maduros, muito orgulhosa e vocês?
Bjão e até o próximo capitulo
Ah e não esqueçam de comentar, por que isso me ajuda muito a saber que estão gostando! bjubju♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...