1. Spirit Fanfics >
  2. Um novo começo - Romance gay >
  3. Pawn's point of view

História Um novo começo - Romance gay - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Hoje o capítulo é do ponto de vista do nosso peão.
Boa leitura ❤️

Capítulo 15 - Pawn's point of view


Augusto

Eu sempre fui uma pessoa sozinha na vida, a única companhia que tenho é Deus, e com fé nele, vou tocando a minha vida nesse mundão a fora.

Meus pais me abandonaram em um orfanato, quando eu era bebê, um serzinho inocente, que nem tinha noção de nada ainda.

Sempre me questionei o motivo pra eles terem feito isso, será que fui um incoveniente?

Uma pessoa tão desprezível, que eles não me quiseram, talvez acharam que eu estragaria a vida deles, mas mesmo assim, acho que eu não merecia isso, acho que eles poderiam ter pelo menos, procurado uma família que me quisesse, que poderia me amar e me dar uma vida feliz, mas não, eles nem se preocuparam com isso, me deixaram num orfanato, que era negligente com os órfãos, me lembro até hoje, de quantas vezes eu apanhei do diretor, ou não nos serviam com alimentos adequados.

Dei graças a Deus quando trocaram de diretor, imagina ter que aguentar ele até sair do orfanato, coisa que eu só saí quando completei maior idade, já que nunca fui adotado, nenhuma família me quis.

Esse foi outro fator que contribuiu pra eu me sentir um lixo, além de ser abandonado pelos meus pais, nunca agradei nenhuma família, nunca foi querido por alguém.

Mas a vida não é só de reclamações, tenho que me alegrar pelas pessoas, que o meu Deus colocou em minha vida.

Dona Lúcia e Seu Mauro, há dez anos atrás, o destino me levou até eles, esses dois não me deram só um emprego e uma casa, eles me deram amor, a sensação de ter uma família, acolhimento, segurança, é bom saber que eu tenho alguém com quem contar e também vou sempre fazer, o que tiver no meu alcance pra ajudar os dois.

A sensação de abandono causa dificuldades na pessoa pra se relacionar, eu sempre tive bloqueios pra fazer amizades, o único amigo que sempre considerei é Rodolfo que trabalha comigo, mas também só nos aproximamos, por ele ter forçado muito, no que dependesse de mim, nunca passaríamos de um bom dia ou boa tarde.

Em questão de vida amorosa, nunca tinha me apaixonado por ninguém, sempre tive meus rolos com algumas mulheres aqui da cidade, mas nunca houve sentimentos, eu até pensei que poderia me apaixonar pela Clarisse, que é uma mulher fantástica, trabalhadeira, de um coração enorme e ainda ama os bichos, igualmente eu.

Mas não pintou o sentimento, então hoje nos tornamos bons amigos.

Coração é um troço doido mesmo, achei que era imune ao amor, que nunca sentiria esse sentimento maluco, até ele chegar na minha vida, Nicolas, aquele rapaz com aparência de anjo, tão sereno e lindo, uma energia tão boa, contagia todos ao seu redor com as positividades dele.

Quando nos conhecemos, se mostrou um pouco arisco, até pensei que ele era desses riquinhos que se acha melhor que todo mundo, mas eu tava enganado, começamos uma amizade tão sincera e genuína, em poucos dias eu já considerava aquele rapaz pra caramba.

Com o passar dos dias, a amizade minha por ele, pegou um rumo diferente, eu que nunca pensei que fosse me apaixonar, tô caído por ele, que ironia, me apaixonei por um macho igual a mim, se me falassem isso um dia, eu ia rir da cara da pessoa, mas num é que as voltas que esse mundão dá nos surpreende?

Eu que sempre me vi como hétero, tô gostando de um homem, pra mim, foi muito difícil aceitar isso pra mim mesmo, até agora a ficha parece que não caiu.

Agora imagina assumir isso pra todo mundo?

Eu sei que o Nicolas merece alguém, que não tenha vergonha de assumir ele pra todo mundo, ele já é uma pessoa assumida, não tem que se submeter a um relacionamento escondido com eu, mas ainda tenho receio de assumir, não acho que eu seja gay, já que não sinto atração por outros cabras, o meu negócio é o Nicolas mesmo, acho que ele é a minha sina.

Já tem três meses que ele está no Rio, gravando a série dele, só sei notícias dele através de Dona Lúcia, não quis falar com ele, pra não influenciar na decisão que vamos fazer.

Nesse tempo, já tentei ficar com outras mulheres, mas todas as vezes, penso no Nicolas e broxo, é Nico, parece que tu entrou no meu coração, pra nunca mais sair.

— Tá com a cabeça aonde meu filho?

Perguntou Dona Lúcia, que me chamou pra almoçar com ela.

— Tava pensando em umas coisas aí.

— Coisas ou uma pessoa que se chama Nicolas?

— O que?

— Meu filho, não me subestime, você acha que eu não sei que tu gosta dele?

— Ele te disse algo?

— E precisa?

Você sempre demonstrou isso, tinha até ciúmes do Enzo com o meu neto.

— Nossa, eu não sei disfarçar nada mesmo sô.

O seu Mauro não sabe disso não né?

— Claro que sabe, ele até apoia vocês dois.

— Jura?

— Sim querido, só tá faltando você assumir essa relação, nossa aprovação tu já tem.

Um homem direito, trabalhador, o melhor porte pro meu menino.

— Fico feliz em saber que tenho a aprovação de vocês.

Só falta eu ter coragem pra assumir ele, espero que quando ele voltar, ainda queira algo comigo.

— Tenho certeza que se você mostrar interesse, que quer algo sério com ele, que não tem vergonha, ele vai te querer.

— Eu sei, mas é difícil.

— Augusto, você está me decepcionando, nunca pensei que você poderia ser um rato covarde.

— Que isso Dona Lúcia?

Eu não sou um rato, sou um homem.

— É?

Então prove assumindo o meu neto, seja feliz e não ligue pra opinião dos outros, se você ligar, vai ser sempre infeliz.

— A Senhora tem razão.

— Sempre tenho e ai de quem discordar.

Sempre com o senso de humor dela.

— Sabe Augusto, eu acho que o seu problema, não é a questão de se assumir, engatar uma relação com um homem.

O seu problema, é que você se acha insuficiente, que não é capaz de ser amado pelo meu neto, tem medo de ser abandonado de novo, medo da rejeição, que você já sofreu tantas vezes.

Estou certa não estou?

Nessa hora, deixei uma lágrima cair, dona Lúcia está certa, nunca fui um homem covarde, nunca tive medo de fazer algo, mas amar alguém e depois ser traído ou rejeitado, me assusta.

— A Senhora tá certa, não quero me envolver com o Nico e depois ele me abandonar, Imagina, eu um cara da roça, sem estudo, ignorante, ele um cara da cidade, estudado, de família rica, ator famoso, pode ter qualquer um melhor que eu.

— Você está certo, ele pode ter quem ele quiser, um galã de televisão talvez, um cantor da moda, mas ele quer você, ele te escolheu, agora mesmo, ele deve estar contando os dias, pra te ver de novo, pra saber a resposta que você tem pra ele, cabe a você, fazer a escolha certa.

Você pode decepcionar o meu neto e se arrepender pra sempre ou pode escolher ser feliz junto com ele.

A escolha é sua, a felicidade de vocês, está nas suas mãos.

E aí querido?

O que você vai fazer?

Que escolha vai tomar?

— Obrigado pelos conselhos Dona Lúcia, eu já tomei uma decisão.

Só espero não me arrepender no futuro.

Continua...


Notas Finais


Beijos e até semana que vem❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...