1. Spirit Fanfics >
  2. Um novo final. >
  3. "... o lar."

História Um novo final. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Então povo, essa imagem ilustrativa mostra bem como vai ser o cap. ;-;
espero que goxtem >:3

Capítulo 3 - "... o lar."


Fanfic / Fanfiction Um novo final. - Capítulo 3 - "... o lar."

 (P.O.V. Cebola)

 

  Eu estava com um pouco de vergonha quando percebi o que tinha acabado de fazer, mas aos poucos foi passando.

  Apenas me direcionei para a cozinha enquanto falava.

  Bem, vamos ver o que temos aqui, se é que tem alguma coisa. – Conclui enquanto entrava no pequeno espaço que tinha ao lado da sala, havia uma bancada espaçosa e a entrada era como se fosse apensa um buraco na parede, já que não havia porta, o fogão, a pia e as estantes eram na parede ao lado da geladeira, o espaço era apertado, apesar de maior parte da casa ser enorme e os cômodos serem bem espaçosos ali só cabiam 2 pessoas no máximo.

  Bem apertadinha ne? Já que eu moro sozinho decidi diminuir ela para deixar a sala maior. – Falou o DC enquanto se apoiava na bancada do lado de fora da cozinha.

  Eu abri a geladeira e percebi uma bela mancha de sujeira, me deu nojo e eu imediatamente peguei o máximo de coisas que consegui.

  Bem, acho que dá para fazer alguma coisa boa com isso... – Eu coloquei as mãos na minha cintura e olhei a cebola meio seca, uma cenoura, meia linguiça, uma lata de milho, meio tomate e uma caixa aberta e pouco usada de creme de leite. – Por um acaso tem macarrão? – Falei enquanto me virava para o homem atrás da bancada, ele estava sentado em um banco com os cotovelos apoiados na bancada e suas mãos segurando seu rosto, ele estava acordado, mas seu rosto estava tão cansado quanto eu.

  Sim, está nesse móvel aí embaixo se não me engano... – Ele falou enquanto me olhava.

  Eu abri o armário e vi um pacote de macarrão velho ainda fechado e ao seu lado tinham mais enlatados, nos quais eu com certeza iria usar.

  Tá, talvez isso demore. – Falei enquanto preparava tudo.

 

  (Quebra de tempo, uma hora e vinte minutos depois)

 

  Acabei, vamos comer logo antes que... – Me virei e vi DC com a cabeça abaixo dos braços sobre a bancada, “ dormindo igual uma anta. ” Pensei, logo depois ele soltou um ronco hilário que parecia mesmo o barulho de uma anta e eu não me aguentei, não conseguia parar de rir.

 

  (P.O.V. DC)

 

  Eu estava dormindo quando acordo com as risadas escandalosas do Cebolinha.

  Ele estava apoiado na pia, quase caindo e com uma de suas mãos inutilmente sobre sua boca, ele estava vermelho e eu não entendi nada.

  Em determinado ponto ele já estava no chão e eu ainda estava encarando o pobre jovem com claros problemas mentais a minha frente, “ Pobre criatura... ” Pensei e logo em seguida soltei uma leve risada enquanto me levantava.  

  Ok, ok já entendi, algo engraçado aconteceu, mas dá pra gente comer? – Perguntei ao menor, já meio impaciente, pois comecei a desconfiar que ele estava rindo de mim.

  S-Sim Hahaha ai ai... – Ele falou enquanto secava uma lagrima e se levantava.

  O que você fez aqui? – Perguntei olhando a pia limpa. – Ar quente? Nem parece que você cozinhou. – Falei enquanto sorria para provocar o moreno.

  Ah, diferente de outras pessoas eu faço minha bagunça e depois a arrumo. – Ele falou ruindo enquanto pegava um garfo na gaveta.

  Ta então dona de casa. – Falei.

  Okay, senhor anta... pfff Hahahahaha- Ele falou e logo em seguida começou a rir novamente, ele tentou segura no início e fez uma cara fofa, mas logo depois se transformou em uma arara de novo.

  Vamos comer logo! – Falei impaciente.

 

  (Quebra de tempo, depois da janta)

 

  A macarronada estava realmente muito boa, quase melhor que as comidas que eu costumo pedir por delivery.

  O Cebola estava sentado no sofá mexendo no telefone, conversando com alguém, provavelmente a Mônica.

  “ Será que ele sabe que a Mô ia fugir? ” Posso não ter um bom relacionamento com todos da ‘turma’, mas eu e a Mô somos muito amigos e como sempre contamos os nossos segredos um para o outro ela me contou sobre a sua fuga, mas não o motivo exato.

 

  (P.O.V. Cebolinha)

 

  Enquanto DC afinava sua Guitarra do outro lado da sala eu falava com a Mô pelo celular.

  Mensagens on:

 

Mônica – As coisas estão bem aqui sim Cê, dormi metade do voo :)

Cebolinha – Ah, que bom...

Mônica – Bem, como vão as coisas aí?

Cebolinha – Ah, bem. Por enquanto ninguém percebeu que você fugiu...

Mônica – Ai que bom migo s2 Melhor assim, sua irmã me contou da sua aventura no quarto dela hoje XD que azar.

Cebolinha – Haha, muito engraçada.

Mônica – Mas onde você vai dormir?  

Cebolinha – Na casa do DC... Eu acho ksksksk ;P

Mônica – Ah, que bom...

Mônica – Mas eu achei que você não gostasse muito dele...

Cebolinha – Sim.

Cebolinha – Quer dizer, não é que eu não goste dele...

Cebolinha – Ele apensa me irrita, só isso.

Mônica – Parece que você me entende hein? Hahahah XD

Cebolinha – É... Mas eu nem podia estar aqui...

Mônica – Por causa daquela sua MÁ drasta preconceituosa?

Cebolinha – Sim...

Cebolinha – Sei lá, meu pai vai muito na onda dela.

Cebolinha – Você lembra o que aconteceu com o Floquinho né?

Mônica – Calma, você é filho dele, com certeza ele vai pensar duas vezes se ela quiser te expulsar de casa (Que nem é a casa dela migo :P)

Cebolinha – É, talvez você tenha razão...

Mônica – Sim fica calmo...

Cebolinha – Calmai que minha maninha mandou mensagem.

Maria maninha-

Maria – Maninho fudeu!

Cebolinha – Oque?

Maria – O papai voltou pra casa junto com a Má e estão lá embaixo...

Maria – Meu namorado está catando as coisas dele pra se esconder debaixo da cama E AGORA!?

Cebolinha – Meu deus E AGORA MESMO!

Cebolinha – ELES NÃO IAM VOLTAR SÓ AMANHÃ DEPOIS DAS 10 OU ALGO ASSIM???

Maria – NÉ!? ONDE VOCÊ ESTÁ?

telefone onff:

  De repente minha irmã não estava mais online, eu fiquei apavorado com a hipótese da minha madrasta descobrir que estou aqui, passando a noite na casa de outro menino e ainda por cima sozinho.

  Eu olhei as horas e percebi que já ia dar meia noite.

  Estava tarde e escuro, “ se eu chegasse agora em casa poderia ser pior que eu chegar na manhã seguinte e tentar convence-los de que eu estava na casa da Mô e acabei por dormir lá... ” Era um plano infalível ótimo.

  Procurei me acalmar, pois não queria que o DC percebesse que eu estava preocupado.

  Todos gostavam da minha madrasta, por isso não sabia como fazer para que acreditassem no que eu queria contar.

  Queria contar que ela era uma pessoa toxica.

  Queria contar que ela levou embora o Floquinho.

  Queria contar que ela era preconceituosa.

  Queria contar que apesar de ela jurar para todos que amava a mim e a Maria, nós sabíamos que era mentira.

  Queria ter o poder de trazer o meu antigo pai de volta, mas ele estava sego, ela o segou, ela sega a todos os que a rodeiam, exceto aqueles que ela odeia.

  Ta tudo bem careca? – Perguntou o maior vindo na minha direção.

  Ah está sim, eu só tô chateado que não consigo passar de fase em um jogo que eu paguei e o pacote ta acabando... – Falei enquanto desligava o telefone.

  Hmm, olha eu vou dormir. – Ele falou enquanto começava a se distanciar.

  Okay, boa noite então... – Falei sem olhar para trás e pegando meu telefone novamente.  

Seu quarto é do lado do meu... – Escutei sua voz se afastando, peguei meu telefone novamente.

telefone on:

Cebolinha – É, talvez você tenha razão...

Mônica – Sim fica calmo...

Cebolinha – Calmai que minha maninha mandou mensagem.

Mônica – Ok...

Cebolinha – Voltei.

Mônica – Ah, oi ksksksk

Cebolinha – Oq?

Mônica – Acho que descobri o motivo da sua preocupação ;3

Cebolinha – Oq?

Mônica – É meu velho, se você fosse hetero não se preocuparia tanto ;D

Mônica – Sua irmã te pregou uma peça trocha.

Mônica – Enquanto eu falava com vc ela perguntou onde tu tava, daí eu falei que você estava aí na casa do DC e nós fizemos muitas piadas.

Cebolinha – QUE!? Menina vocês me assustaram, afinal quem sabe sobre essa sua fugida?

Cebolinha – Agora eu quero matar a Maria, que piadas?

Mônica – Amigo, piada que você não vai entender, tem muitos limões :3

Cebolinha – Limão?

Mônica – kksksksk esquece Cê...

Mônica – Só quem sabe sobre a minha fugida por completo é você e a Magá.

Mônica – Mas o DC, a Maria e o Cascão sabem que eu fugi.

Cebolinha – haha, ai ai...

Mônica – Qual a graça?

Cebolinha – Não é engraçado, é só que as vezes eu queria ter essa coragem de fugir de casa, sabe?

Cebolinha – Fazer algo completamente maluco e não me importar com aquela vaca... Ou quem sabe roubar uma loja? ;D

Mônica – Olha aí o meliante, vai ser preso hein?

Mônica – Lembre-se de que na prisão não pode deixar o sabonete cair no chão ;3 kskksksks

Cebolinha – ksksksksk serio isso? Eu aqui vivendo minha vida de meliante e você falando em coisas pequenas?

Cebolinha – Vai boba, vou roubar a tua casa.

Mônica – Tah, ksksksk tô sabendo...

Cebolinha – É, quer saber? Minha vida de maloqueiro começa agora! Vou roubar a casa do DC e vender tudo no mercado livre >:3 sou perigoso agora ÙwÚ

telefone onff:

  Vai roubar a minha casa? Pera aí que eu vou pender esse bandidão das quebradas! – DC aparece do nada atrás de mim e se joga com tudo sobre mim que estava desatento.

  Me assustei de início, mas como se fossemos crianças novamente entrei na brincadeira.

  Nãããooo seu polícia. – Falei auto enquanto tentava me desvencilhar do maior que tentava me segurar.

  Eu vou ligar para o meu contato que vai te matar! – Falei enquanto saia de debaixo do DC.

  Comecei a correr e o mesmo vem atrás de mim fazendo uma arminha com as mãos.

  Piu, Piu! Parado aí! – Ele gritava enquanto eu corria pela sala.

  Você não me pega! Desiste logo garai! – Gritei enquanto corria em direção ao centro da sala.

  O maior se retira do cômodo do nada e eu fico parado no meio da sala sem entender nada.

  Mas depois de um minuto ele volta com um punhado de chaves nas mãos e me desafia.

  Seguinte, se você conseguir pegar a chave do meu quarto eu te dou alguma coisa. – Ele sorriu e eu concordei, seria mamão com açúcar, já estava prestes a comemorar quando percebo ele jogando tudo dentro da cozinha, que por sua vez tinha apenas uma entrada e a bancada não dava para ser pulada. – Se você perder vai ter que fazer janta pra mim por uma semana! – Ele concluiu vitorioso e logo em seguida gritou ‘pega ladrão!’ O que eu conclui que daria início ao jogo.

  Eu estava fugindo do maior que corria velozmente atrás de mim, “ Se eu entrar na cozinha ele me pega, mas se eu não entrar uma hora ele me pega.

  Enquanto corria pela casa eu tive uma ideia muito boa, “ Vou jogar o violão dele para o sofá, ele vai tentar pegar e enquanto estiver distraído com o mesmo eu entro na cozinha e pego as chaves.

  Eu estava executando meu plano, com o violão em mãos eu passava pela porta da cozinha várias vezes e tentava mirar o melhor possível no sofá para que não quebrasse o instrumento, “ Se eu quebra-lo nessa de pegar as chaves eu fico com o violão para mim, não posso cozinhar para ele por uma semana... ”

  Em um determinado ponto eu decidi jogar o instrumento no qual eu segurava enquanto corria loucamente pela casa.

  Ele se assustou e como previ ele foi em direção ao instrumento.

  Fui o mais rápido que pude pegar as chaves na cozinha, mas quando me agachei percebi meu erro, o nome da criatura já diz, Do Contra, ao invés de tentar proteger seu violão de cair como todos fariam ele iria saber que eu estava mirando no sofá e que o instrumento não ia quebra e logo entraria na cozinha.

  Foi como uma pedra.

  Mais pesado que um boi e mais leve que uma anta.

  Ele caiu sobre mim e me segurou novamente abaixo do mesmo.

  Por um instante nós nos olhamos e tudo parou, o silêncio foi quebrado apenas pelo som do violão batendo sobre o chão.

  Eu me assustei, mas o menino sobre mim mal se mexeu.

  Agora você vai ter que cozinhar pra mim E me dar um violão novo... – Ele falou rindo, eu fiquei nervoso e envergonhado devido a distância que estávamos.

  Até palece! – Falei virando o rosto – Me solta pro favor Do Contla! – Eu nem percebi o quão errado e embolado estava falando.

 

  (P.O.V. DC)

 

  Ele estava fofo e eu tive que segurar a risada, “ Como ele sempre erra palavras tão simples? ” Pensei enquanto observava o menor que eu segurava firmemente.

  Ele virou seu rosto novamente em minha dirção.

  Por favor DC, me sol- Ele estava tão próximo que não me segurei e por impulso roubei um beijo do moreno que se assustou.

  Quando me afastei um pouco percebi que ele estava com rubor em suas bochechas e percebi que fiz uma caquinha.

  Eu o soltei e quando ele se viu liberto me deu um soco e saiu correndo.

  ESPERA CÊ! – Gritei enquanto me levantava.

  Ele correu direto para a garagem e como não sabia abri-la por inteiro saiu pela pequena porta que tinha ali e correu pela rua escura.

 

  (P.O.V. Cebolinha)

 

  Eu não sabia o que estava acontecendo e quando estava no meio da rua correndo sentia o calor subir e me aquecer naquela noite fresca.

  “ O QUE TA ACONTECENDO? ” Eu estava correndo sem rumo pela rua, queria me afastar daquela casa o máximo possível.

  Quando vi que estava perto da praça decidi sentar em um dos balanços.

  Era a pracinha na qual eu sempre vinha aqui para brincar quando criança.

  “ É estranho demais e me sentir mais confortável na casa daquele idiota? Se minha madrasta descobre ela faz a cabeça do meu pai para me tirar de casa... ”


Notas Finais


ui ui >:3 já tenho tudo planejado pro próximo, só falta escrever ksksksksksk
see you in the next chapter. s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...