1. Spirit Fanfics >
  2. Um Novo Recomeço >
  3. Um Novo Recomeço

História Um Novo Recomeço - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


**OBS: Essa história é originalmente publicada no meu próprio Wattpad
caso queiram ler essa e outras histórias, @insanedecker

Capítulo 1 - Um Novo Recomeço



"Pensei que você poderia precisar de uma amiga."


"Acho que você veio a Los Angeles procurando algo, mas também acho que parou de procurar. Talvez você tenha encontrado."


"Finalmente descobri o que nos deixa vulnerável. É o amor de Chloe."


"Eu te amo, por favor, não vá."


Todas essas frases estavam rodando a cabeça de Lúcifer, enquanto estava sentado em seu trono para não ser interrompido. Ele não conseguia ficar livres desses pensamentos. Não conseguia parar de pensar em todo o tempo que passou na Terra, ainda mais ao lado de sua detetive. Tudo que viveu, todos os momentos, as novas sensações, a receosa e excitante vulnerabilidade, e a tão difícil história de amor. Ele não deveria simplesmente deixá-la. 


Mas o que iria fazer? Sair o inferno e deixar os demônios à solta, podendo fazer o que quiserem e, quem sabe, ameaçar a vida dos humanos, de Charlie e, principalmente, de Chloe? Qual seria a melhor escolha para se fazer? Seria apenas uma questão de tempo para tudo se acalmar e ele poder voltar à sua vida normal? E se ocorresse outra rebelião, talvez ainda pior que a última? Qual seria a opinião da detetive? E como será que ela está lidando com tudo isso? 


**************


"Meu primeiro amor nunca foi Eva. Foi você, Chloe. Sempre foi."


Ela não conseguia se distanciar desse devaneio. Não ainda. Mesmo já passado algum tempo e tentando se re-adaptar ao trabalho, sua mente não saia de Lúcifer. Para tentar cobrir sua raiva, nas noites que Trixie estava com o pai, Chloe ia para a LUX, afogava suas mágoas nas bebidas, Maze a fazia companhia já que ambas estavam sofrendo com a partida de seus pares. E quando não tinha sua companheira de bar, ela simplesmente subia para a cobertura. Apesar de ter sido ali seus últimos olhares e trazer uma pesada sensação para Chloe, também tinha sido naquele lugar, as melhores horas que passaram juntos. E todos aqueles momentos que a detetive relembrava, a trazia um certo conforto. 


Ela já perdera a conta das noites que passara ali sozinha. Chegava, abria uma garrafa de whisky, e se afogava nas próprias lágrimas. Quando conseguia se erguer novamente, trocava suas roupas sem graça de detetive, jogando-as no chão sem se importar aonde estariam, pelas enormes camisas brancas, que ainda tinham cheiro de um certo perfume que ela amava, guardadas no closet ao lado do quarto. Ela se sentia mais segura, e era como se ele estivesse mais presente. Logo, acabava caindo no sono enquanto mais lágrimas desciam pelo seu rosto.


Sempre sonhava com a sua volta, ela correndo para abraçá-lo e deixando as lágrimas de alívio e raiva escaparem, contava como ele a deixou em péssimo estado e que não podia fazer isso  novamente. Mas também tinha pesadelos, fazendo-a relembrar de vê-lo saindo com suas asas, largando ela sozinha em sua varanda. Não estava sendo fácil lidar com tudo, ainda mais com todos perguntando onde Lúcifer estava. Ella, e até mesmo Dan, faziam questão de questionar a sua ausência todo dia que ia para o departamento. Pensavam que era apenas outra ida para Vegas, ou simplesmente estava cansado de trabalho, não reparando muito com o que Chloe pensava ou sentia, já que não era a primeira vez que ele se foi. A detetive apenas escondia seu rosto quando tocavam nesse assunto, lágrimas brotavam em seus olhos e ela lutava para não deixá-las caírem. Sempre mudava de assunto rapidamente e focava no trabalho.


Seu horário terminava e ela corria para seu apartamento, para ninguém mais a incomodar. Trixie sabia o que tinha acontecido, a loira tinha contado que ele saiu para uma viagem e provavelmente não iria voltar. A criança não parecia surpresa, pensava que era assim, todos que entravam em sua vida, saia de alguma forma, primeiramente seu pai e agora, Lúcifer. Mas também não tocava muito no assunto pois percebia que sua mãe estava machucada com a situação. 


Quando finalmente acaba seu dia, Chloe deita em sua cama, cansada, e mais uma vez pensamentos tomavam conta de sua cabeça. "Será que ele volta? E se ele simplesmente foi, por ter medo de seus sentimentos? Se meu amor não é correspondido? Se tudo que vivemos não passou de uma grande brincadeira? Não. Não posso pensar nisso. Lúcifer disse que eu era seu amor, seu primeiro amor, ele não mente." Esse assunto a incomodava dia e noite e cada vez mais pensava em outras teorias que podem ter feito ele ir. "Se bem que ele não me respondeu com um eu te amo."  Falou essa frase em um tom baixo e preocupado enquanto uma lágrima se desprendeu de seus olhos.


A detetive lutava contra seus pensamentos, tudo que viveu passava como um flash em sua cabeça. Ela não tinha mais controle de seu choro e simplesmente deixava as emoções a controlar. "MAS QUE DROGA, LÚCIFER." Ela gritou em sua mente se recaindo ainda mais. "VOCÊ ME DEIXOU PARA ME PROTEGER, MAS ESTA É ME MACHUCANDO, E MUITO." Mais lágrimas caíram e seu choro aumentou, fazendo-a emitir som para buscar o ar com mais intensidade e rapidez. Trixie, a essa altura, poderia a ouvir, mas com certeza não iria até lá. Ela compreendia o que sua mãe passava.


"Lúcifer, você me fez apaixonar pelo diabo, e agora não pode simplesmente sair. Ainda mais quando conseguimos nos declarar um pelo outro." Chloe não tirava seus pensamentos de Lúcifer. Como ela perdeu tempo ficando com Pierce? E ele com Eva e Candy? Por que ela simplesmente o deixou para pensar como mandá-lo para o inferno, e agora, mais do que nunca, quer o tirar de lá? A loira deixou sua última lágrima cair, e sendo levada pelo cansaço, dormiu abraçada em seus travesseiros e com os lençóis a cobrindo até a cintura.


***************


Lúcifer não sabia como lidar, todo esse lance de amor era algo novo pra ele. Ele não queria perdê-la. Mas não podia a colocar em perigo. Não se passou tanto tempo que beijara Chloe pela última vez, apesar de ser bem mais lento no inferno, mas sua saudade já era extrema."Será que ela está sofrendo o mesmo?"  Perguntas como essa já tomavam a sua mente a esse ponto. Ele realmente a amava, e se arrependia ao pensar em todo o tempo perdido que passou, tentando convencer a si mesmo que aquilo não era real, que ele não a merecia, ou mesmo que não era ela seu verdadeiro amor. 


"Chega!" Lúcifer gritou para si mesmo para fugir de seus pensamentos. Já não estava aguentando sofrer enquanto fingia observar aquele buraco quente que já chamou de casa. Ele precisava fazer alguma coisa. Precisava ver sua detetive novamente. Precisava lhe dizer 3 palavrinhas, que por mais que sejam poucos vocábulos, significam muito, e não as dissera quando seus olhos a viram pela última vez. O diabo não sabia por onde começar . Passou várias ideias em sua cabeça, achou uma ou outra que poderia fazê-lo voltar para seu lar, mas nenhuma funcionaria. Não permanentemente como queria. E após muitas tentativas de pensar em algo que o enviasse de volta à LA, teve de correr para seu último e mais temido pensamento.


Percebeu que seria sua única chance e então seguiu em frente sem pensar muito. Colocou suas mãos coladas uma nas outras em sinal de oração, deu um longo suspiro, fechou seus olhos e logo o chamou sussurrando."Pai," Ele parou por um segundo para pensar se ele realmente o ouvia e se concordaria com seu pedido. "Eu preciso de outro favor." Por outro momento ele travou enquanto limpava sua garganta e continuou com um tom pouco mais alto. "Me leve de volta à minha casa, me leve de volta à minha vida, não pertenço mais a esse lugar."  Ele esperou pela resposta já com a respiração acelerada com medo do resultado que poderia ter. Sua expressão se fechava vagarosamente à medida em que aguardava, não conseguindo esconder sua tristeza e raiva. 


"Samael" Finalmente uma voz o chamou, ecoando em seus ouvidos, fazendo-o prender sua respiração, e Lúcifer não podia dizer se estava apenas em sua cabeça ou se todo o inferno ouvia. "Você fez o certo voltando e deixando todos protegidos."  Lúcifer abriu os olhos e desaproximou suas mãos lentamente quando ouviu aquela frase. Não era mais capaz de fingir sua calma.
"Não pai, não fiz. Eu preciso voltar, esses demônios podem muito bem se cuidar sozinhos ou então o senhor nomeie outro rei." Seus olhos brilhavam em vermelho enquanto sua voz saia em um tom trêmulo. "Eu preciso de Chloe em meus braços novamente." Ele não se conteve e uma lágrima caiu.


"Você precisa mantê-la a salvo." Quando escutou essas palavras, um arrepio subiu domando seu corpo. Não cederia, ele iria conseguir o que queria nem que começasse uma guerra entre os celestiais. "Mas não faz tudo parte de seu plano? Criar Chloe para mim e fazer o diabo se apaixonar? " Agora, falando sem pensar duas vezes, soltou tudo o que tinha para ter o que desejava. "Eu posso cuidar de todos na Terra e protegê-la estando ao seu lado. Eu preciso dela, pai. Qualquer coisa por isso." Não hesitou em falar, não havia outra coisa que fosse mais importante para ele do que sua detetive. Ele não ia deixar qualquer coisa acontecer com ela. Todos os inúmeros momentos que a protegeu e as vezes que morreu para salvá-la não iriam ser em vão. Ele a teria de volta a todo custo.


"Filho, você voltará para onde quer estar e terá sua humana de volta. Não se preocupe com esse lugar, o inferno não será mais sua casa." A reação de Lúcifer foi se abrindo, tudo o que ele queria iria se tornar realidade novamente e não pode conter um pequeno sorriso no canto de sua boca, já conseguindo imaginar seu reencontro com seu primeiro amor. Ele pensava se isso tudo seria um sonho que estava tendo e que quando acordasse sofreria mais ainda pela esperança que ousou ter. Mas logo a mesma voz o tirou de seus pensamentos fazendo-o sentir seu corpo congelar por dentro, oque era difícil pelo lugar que ele se encontra, e então ele teve a certeza que estava acordado. "Mas você se esquecerá de seu milagre, não se lembrará que o diabo realmente amou."


Lúcifer ficara confuso com suas palavras, não sabia exatamente o que elas queriam dizer e seu corpo gelava cada vez mais. "O que? Pai, o que isso significa?" Ainda sem ter resposta, continuou chamando-O, ficando mais impaciente e acabara gritando sem mesmo pensar que os demônios poderiam ouvi-lo. "PAI? QUE MILAGRE? PAI? SEI QUE ESTÁ ME ESCUTANDO, ME DIGA!" Sem sorte, Lúcifer se acomodou novamente em seu trono com a cabeça em suas mãos sem saber o que iria fazer e, mesmo o que estava prestes a acontecer. Algumas lágrimas corriam em seu rosto quando se levantou novamente. Sentiu uma fraqueza o dominando. Apavorado, sua respiração se apressou e passou a tremer. Seus olhos demoravam cada vez mais a abrir quando piscava. Não demorou muito para perder suas energias restantes e adormecer, sem sentir mais nenhuma sensação em seu corpo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...