História Um passo para a luz - Capítulo 67


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Narusaku, Sasuhina
Visualizações 327
Palavras 4.660
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Prontinhos meus amores?

Espero que gostem❤️

Capítulo 67 - Capítulo 67


Fanfic / Fanfiction Um passo para a luz - Capítulo 67 - Capítulo 67

Pov Sasuke

Era de noite e eu estava saindo do trabalho que infelizmente voltei há uma semana. 

Estava arrumando alguns documentos na gaveta quando ouvi leves batidas na porta.

-Sim? 

-Sasuke-san, já terminei tudo o que tinha para fazer. - Mahiro disse dando um passo para dentro da minha sala e eu assenti.

-Pode ir para casa. - Falei fechando a gaveta e olhei para ele. - E tire o dia de folga, eu amanhã não venho também.

-Posso mesmo? - Assenti novamente e ele tentou esconder a felicidade, mas foi em vão. - Muito obrigado Sasuke-san. Até mais. - Curvou-se e saiu.

Suspirei e olhei para o meu relógio constando que já eram 10h da noite, hoje prolonguei muito no trabalho.

-Não há mais nada para fazer, vou para casa. 

Peguei o que precisava e saí do trabalho sentindo a noite fria mesmo que já estivéssemos em Julho.

Cheguei ao meu clã e algo ali não me parecia bem. Não aparentava ter algo de errado mas... os meus instintos, o arrepio na pele, tudo isso me dizia que algo realmente não estava certo.

Apressei o meu passo para a minha casa e quando a vi ao longe eu corri. 

-Hinata! - Chamei ao entrar mas a sala estava totalmente vazia e intacta.

Procurei na cozinha e ela não estava lá. 

Decidi então procurar nos quartos e o dos gémeos estava completamente vazio.

Olhei para a porta do nosso quarto e me aproximei dela vendo que a minha mão tremia para abrir a mesma.

Porque estou com tanto medo?

Fechei os olhos e respirei fundo antes de ganhar coragem e abrir a porta de uma vez e o que vi... 

O que eu vi quase me fez vomitar mas tapei a boca travando a ânsia e fiquei inclinando para frente, certo de que o que eu vi não era real.

-Não é real, não é real, não é real... - Falei comigo mesmo e levantei a minha cabeça vendo a mesma imagem e rapidamente baixei ela de novo.

-Não é real, não é real, não é real... - Sussurrei com a voz embargada e agarrei fortemente o meu cabelo. - Porquê...? Isso não... 

Olhei novamente e me recusei a acreditar que aquilo era real, só podia ser um sonho certo? Não! Um sonho não! Um pesadelo.

-Hina... Hina... - Chamei me aproximando da minha mulher totalmente morta e ensanguentada por cima da cama, juntamente com os meus filhos. - Hina... acorde... 

Segurei ela nos meus braços sentindo a sua o pele totalmente fria. A única coisa quente era o seu sangue que continuava escorrendo pelo seu corpo.

-Não... é... real demais. Isso não... não pode estar acontecendo! Não outra vez... não comigo...

Olhei para os trigêmeos vendo os seus olhos abertos e totalmente sem vida e de repente Hinata abriu os seus olhos, olhando para mim diretamente. Mas os seus olhos... estavam mortos.

-Você não foi capaz de nos proteger Sasuke. - Ela disse e eu me afastei rapidamente caindo no chão.

-Não!

-Você foi fraco e perdeu a sua família, de novo.

-Eu não perdi eu... eu não estava aqui!

-Nunca vou perdoar você. Nunca.

-Não! Isso é um sonho! Só pode ser um maldito sonho!

-Sasuke! Sasuke! SASUKE!

 

Abri os meus olhos e antes de sequer entender o que se passava a minha respiração acelerou e quando vi estava sentindo falta de ar.

Meus ouvidos estavam zumbindo e eu vi a Hinata meio desfocada a minha frente e ouvia a sua voz ao longe. Ela estava me dizendo para me acalmar? 

Somente quando senti o seu toque quente e acolhedor que eu me acalmei aos poucos e a minha respiração foi estabilizando.

Quando a minha respiração voltou ao normal e o silêncio se instalou naquele quarto, eu olhei para a Hina que olhava para mim preocupada e não consegui evitar chorar. No meio do silêncio os meus soluços se fizeram presentes.

-Sasuke o que se passa? Você está chorando meu amor. - Hinata disse puxando a minha cabeça para as suas pernas e acariciou o meu cabelo.  - Foi o seu pesadelo? Você estava se debatendo na cama, quer conversar sobre isso?

Neguei não conseguindo parar de chorar e Hinata ficou ali me acalmando.

-Você... estava morta... aqui, na cama. - Falei com a voz rouca e apertei o tecido fino do seu pijama entre os meus dedos. - Os trigêmeos... todos... todos mortos... 

-Você sonhou com o massacre da sua família como o do seu clã? 

-Sim... e foi horrível! - Sussurrei sentindo as lágrimas descerem quentes pelo meu rosto. - A culpa foi minha... eu não consegui proteger e...

-Sasuke, foi só um sonho.

-Não! O massacre do meu clã também e... o Itachi... tudo culpa minha, da minha fraqueza... e... - Calei ao sentir dois dedos na minha testa.

Arregalei os olhos e ergui os mesmos olhando para a Hinata que sorriu docemente.

-Todos nós, inclusive o seu melhor amigo, já te perdoamos. Quando você vai perdoar a você mesmo?  

Fiquei sem resposta para aquilo e continuei olhando para ela que se inclinou beijando a minha testa e desceu mais um bocadinho beijando os meus lábios. Mas fomos interrompidos por um choro.

-Vem comigo. - Ela levantou da cama e puxou a minha mão para seguir a mesma.

Saímos do quarto e entramos no quarto a seguir que era iluminado pela luz da lua e tudo nele era harmonioso demais, o suficiente para acalmar o meu coração, mesmo que estivesse preenchido pelo choro de um dos trigêmeos.

Hinata se aproximou do berço do Indra, que chorava apertando as suas mãozinhas e ficando vermelho com o acto. 

Hinata pegou ele mas não o levou ao colo, levou até mim e me entregou o mesmo que ao esfregar o rosto no meu peito, logo deitou no meu ombro e calou.

-Veja. O que aconteceu?

-Ele calou. - Respondi não entendendo o que ela queria dizer com isso.

-E porque acha que ele estava chorando? Fome não era porque esse não é o horário e ele não calaria nem no seu colo. 

-Sei lá... manha?

-Ele está se sentindo protegido. - Tirei os meus olhos do Indra e olhei para a Hinata prestando atenção no que a mesma dizia. - Ele estava chorando porque acordou e se viu sozinho aqui já que ele não consegue ver os irmãos nos outros berços. Ele estava com medo, por isso chorou. E por isso também, ele calou logo que foi para os seus braços. Ele se sentiu quente e acolhido, sentiu proteção, com certeza ele deve ter pensado "esse é colo do papai, aqui eu sei que não estarei sozinho nunca, posso fechar os olhos de novo". 

Quando ela disse isso olhei para o Indra constatando que ele havia adormecido novamente em poucos segundos.

-Então não se trata do passado Sasuke. O que passou ficou para trás, por isso se chama passado. Mas o que importa é o futuro, cuidando muito bem do presente. E este... - Tocou as costas do Indra. - Este é o seu presente. Cuide dele. É só isso que peço. 

Com outra mão acariciou o meu rosto me fazendo fechar os olhos por breves segundos sentindo a sua carícia. 

-Eu não posso apagar o seu passado, não posso dizer que entendo o que sinto, nem posso tirar esse medo de você. Esses dois anos que eu vivi com você, que eu conheci você, me ensinaram que... nem todo o trauma dá para esquecer, dá para apagar. Mas a gente aprende a viver com ele. A gente aprende justamente para não permitirmos nunca que ele se repita. E eu sei Sasuke, que você nunca vai permitir que tirem a sua família de você. E eu não vou permitir que nos separem. Nem a morte. - Sorriu e eu puxei a sua cabeça e beijei a sua testa.

-Obrigado. - Sussurrei e ela assentiu olhando para o Indra e acariciando o rosto dele.

E ficámos lá apreciando os nossos bens mais preciosos dormindo, certos de que nenhum mal os atingiria, porque estavam sendo bem protegidos por nós.

***

Acordei e tateei a cama procurando pela Hinata, mas a mesma não estava mais aqui.

Vi as horas e já eram 2h da tarde, dormi mais do que deveria.

Levantei e fui tomar um banho que me caiu muito bem depois da noite passada. Vesti e saí do quarto pronto para passar esse domingo com a minha família.

Nas escadas ouvi risadas e vozes e foi rápido identificar quem eram as visitas.

-O que esse bando de abutre está fazendo na minha casa? - Perguntei ao chegar à sala, vendo a Yumi e o Ren brincando no chão com a Harumi e o Indra, e o Yuri sentado no sofá com o Itachi no colo e Aiko ao seu lado brincava com o mesmo.

-Boa tarde para você também Sasuke-san. - Yumi rebateu e nesse momento Hinata saiu da cozinha com um tabuleiro com sucos e bolinhos e olhou para mim.

-Sasuke, já acordou. - Ela constatou e pousou o tabuleiro da mesa de centro se aproximando de mim a seguir. - Descansou o suficiente? Não quis acordar você, parecia precisar de descanso.

-Estou bem. - Sorri e beijei os seus lábios.

Ouvi alguns resmungos e me afastei da Hinata vendo o Indra choramingando enquanto esticava os braços para mim.

-Com ciúmes? - Perguntei pegando ele e ouvi outro choro e olhei para baixo vendo a Harumi puxar a minha calça. - Boa tarde para você também princesa. - Falei pegando ela cuidadosamente.

Eles já estavam com oito meses, então os seus corpos já estavam pesando mais.

-Você também não vai chorar, vai? -Perguntei olhando para o Itachi que olhava para mim com os irmãos no colo e vi o seu lábio tremer e os seus olhos semicerrarem pronto para simular um choro também. - Vai, claro que vai. - Falei indo me sentar, porque um era normal, dois era exagero, mas três... três já é demais.

-Faça algo de útil e coloque o Itachi aqui do meu lado. - Falei para o Yuri que revirou os olhos e colocou o Itachi sentado ao me lado, apoiado no meu tronco. Indra estava do outro lado e Harumi estava no meio as minhas pernas apoiada na minha barriga.

-É assim quase todas as noites quando ele chega do trabalho. - Hinata explicou sentando no chão ao lado da mesa. - Sirvam-se por favor. 

-Obrigada Hinata-san. - Aiko agradeceu e entregou um copo para o Yuri e um bolinho. Observei o mesmo sorrir e beijar a bochecha dela.

Olhei para o outro casal totalmente diferente que começaram a discutir algo entre eles. 

Como eu nunca notei esse clima de romance mesmo por baixo do meu nariz?

-Então, o vosso time tem sobrevivido sem mim? - Perguntei observando todos eles, certo de que cresceram bem sob minha tutela.

-Na verdade... - Ren começou e Yumi interrompeu.

-Terminamos o nosso time. 

-Porquê? Vocês não estavam indo bem? - Hinata perguntou e quem tomou a palavra foi o Yuri.

-Estávamos, mas queremos seguir caminhos diferentes. Ren vai entrar para a divisão de inteligência de Konoha, Yumi vai treinar para ser uma das ANBU do próximo Hokage, eu vou me ater às minhas responsabilidades como o próximo líder do clã Suzuki e a Aiko quer liderar um time de gennins. 

-Caminhos bem diferentes mesmo. - Concordei. - Mas estou orgulhoso de vocês. Conseguem viver muito bem sem mim.

-Sasuke-san, você não está muito vaidoso ou algo assim? - Aiko perguntou e eu dei de ombros.

-Estou só constatando o óbvio.

-É a idade. - Hinata disse e eu olhei para ela.

-Eu só tenho 23 anos.

-Sim, mas parece mais um velho do que jovem. - Disse fazendo todos rirem e eu olhei para ela dando uma olhada sugestiva no seu corpo.

-Bem, eu lhe mostro o velho mais tarde. - Bingo! Ela corou totalmente fazendo os outros rirem mais ainda.

-Definitivamente vocês são o casal do ano. São tão lindos juntos, e esses bebés são as coisas mais fofas. - Yumi disse puxando as bochechas da Harumi. - Nunca vou cansar de ver eles.

-Melhor cansar. Eu não quero acordar todos os dias e ver as vossas caras por aqui.

-Que exagero. - Ren disse e eu neguei com a cabeça.

-Não é exagero, vocês vêm todas as semanas. Vêm pelo menos de dois em dois meses.

-Sasuke! Isso é jeito de falar com as visitas? - Hinata perguntou e eu dei de ombros.

-É uma bando de abutre, isso sim. 

-Acho que ele está ficando velho mesmo. - Yuri constatou e eu fechei os meus olhos contando até três.

-Hinata, pegue a Harumi. - Dei a Harumi para ela depois de deixar o Indra e o Itachi no sofá e no mesmo instante o Yuri se levantou puxando a Aiko com ele e correu até a porta.

-Certo, a gente já vai. Foi bom ver os meninos. Nos vemos daqui a dois meses! - Disse e saiu correndo.

Olhei para o outro casal que se despedia calmamente dos trigêmeos e da Hinata e quando passaram por mim Yumi tirou a sua língua fora para mim.

Perderam o medo, só pode!

Fechei a porta e olhei para a Hinata que sorria olhando para mim.

-Se disser que estou velho mais uma vez eu não respondo por mim. 

-Vai me castigar? - Perguntou. E eu não sei se era a intenção dela, mas aquilo saiu tão sensual que eu quase pensei que ela estava me convidando para um round de sexo.

-Eu bem que podia. Quer ser castigada? - Perguntei me aproximando dela, mas a mesma esquivou-se rindo da minha cara.

-Não. Temos um aniversário para ir, esqueceu?

-O Neji certo? - Ela assentiu e pegou a Harumi no colo.

-Traga os seus filhos para tomarem um banho e se prepararem para ir bem bonitinhos para a festa do primo mais velho.

Disse subindo as escadas enquanto fazia palhaçadas com a Harumi que soltava a sua gargalhada totalmente contagiante já que eu sorria só de ouvir ela rir.

Peguei os dois homens da casa depois de mim e subi com eles para o quarto dos mesmos.

Hinata preparou a banheira maior onde cabiam os três sentados, eles amavam tomar banho juntos.

Demos banho nos três e era sempre uma confusão porque eles brincavam, batiam na água que salpicava para todo o lado e nos molhava, enfim.

Secámos cada um e vestimos as suas roupas combinadas num tom de azul escuro com o símbolo do clã presente.

-Ótimo! Cheirosos e limpos. Agora é a vez da mamãe e do papai vestirem. E quem vai fazer companhia? Quem vai? - Hinata disse com uma voz infantil pegando no Itachi e dessa vez eu levei Harumi e Indra comigo.

Os três ficaram no chão brincando com os seus brinquedos. Desde que eles começaram a engatinhar eu e Hinata tiramos todas as coisas perigosas do alcance deles no nosso quarto já que eles ficavam bastante lá.

Trocámos de roupa e Hinata preparou a bolsa dos trigêmeos. 

Saímos de casa com os três no carrinho e fomos para o clã Hyuuga, onde seria o aniversário do Neji. 

Mal chegámos e os nossos filhos foram roubados de nós pelo avô e a tia.

-Meus netos queridos, sentiram falta do Ojiisan? - Era incrível como ele mudava totalmente com os bebés, era totalmente outra pessoa, mas Hyuuga Hiashi ele não era. 

-E da titi? Sentiram falta da titi? - Hanabi perguntou babando na Harumi.

-Onde está o Neji? - Hinata perguntou olhando ao redor.

-Tenten foi levar ele para trocar de roupa, ele sujou as dele brincando com as outras crianças do clã.

-Vamos lá ver ele. Sasuke? - Segurei a sua mão e entramos na casa vendo o Neji descer as escadas enquanto Tenten gritava algo atrás dele.

-Neji? - Hinata chamou e o menino olhou para ela e veio todo emburrado.

-A Okaasan é chata! - Reclamou cruzando os braços e eu arqueei uma sobrancelha vendo este mini ser se revoltar.

-Eu não sou chata e não estou dizendo que não pode brincar. Você pode brincar mas sem sujar filho. Porque não me escuta? 

-A Okaasan é que não me escuta. Adultos nunca escutam as crianças.

-Ei, você não pode falar assim com a sua mãe. Ela só quer que você fique bonito para receber os convidados, e tem razão. - Hinata disse calmamente.

-Mas...

-Não tem nenhum mas. Seus primos estão lá fora, porque não vai lá cumprimentar eles?

No mesmo instante Neji sorriu e saiu correndo. Hinata olhou para Tenten e abraçou ela.

-É só uma fase, vai passar.

-Esses seis anos o deixaram cheio de ideias já que está entrando na academia. Neji que me dê paciência lá de cima. - Falou saindo e olhei para a Hinata.

-Se os nossos filhos passarem por essa fase eu dou eles para a adoção e finjo que nunca existiram.  

-Sasuke!

-Beincadeira. Não seria capaz de dar eles para adoção. - Falei erguendo as mãos e sorri. - Mas podiam passar um tempo com outra pessoa. - Desviei a tempo de um soco certeiro e olhei para ela surpreso.

-Mulher, ia mesmo me bater?

-Ia, para deixar de ser lesado! - Falou passando por mim irritada e eu rapidamente puxei a mesma para mim segurando a sua cintura.

-Estava brincando, não precisa ficar emburrada. - Falei dando vários selinhos nos seus lábios. - Agora pode sorrir? Hm?

-Você me cansa Uchiha Sasuke. 

-Na cama?

-Também. - Sorriu abraçando o meu pescoço e me beijou, eu prontamente retribuí aprofundando mais o beijo e gemi ao sentir o contacto entre as nossas línguas.

-Vão para um quarto! - Revirei os olhos interrompendo o beijo e olhei para trás vendo o Naruto e a Sakura.

-Empata foda. - Sussurrei fazendo a Hinata rir baixo e se afastar para ir cumprimentar os padrinhos do Itachi.

-Olá. - Abraçou a Sakura e olhou para a barriga da mesma. - Então, como está esse menino lindo? 

-Não fica quieto a noite e de dia é um anjo. - Sakura disse acariciando a barriga de 6 meses e eu me aproximei abraçando a cintura da Hinata.

-É mesmo filho do dobe, só tenho pena de você. - Provoquei e sorri ao ver Naruto fechar o punho com força.

-Teme...

-Não vão começara discutir aqui né? Viemos cumprimentar vocês, Tenten disse que estavam aqui. 

-Sim, vamos lá para fora. - Hinata chamou e saímos da casa indo para o jardim que ocorria a festa do Neji.

Olhei ao longe vendo a Ino com a Harumi no colo e a mesma também estava grávida de quatro meses. 

Eu ainda não entendo como raios essa população engravidou basicamente ao mesmo tempo. Isso é estranho.

-Diz oi para a dinda, diz. - Ouvimos Ino dizendo enquanto brincava com a Harumi e Neji ficava olhando para elas ansioso.

-Ino, Sai não veio? - Naruto perguntou e Ino olhou para nós.

-Ele estava resolvendo algo com o Kakashi-sensei e já vem.

-Eu ainda não acredito que aquele pele de papel vai ser pai de gémeos e o Sasuke é pai de trigêmeos. Por que eu sou o único que só vai ser pai de um filho?

-Isso não é uma competição seu idiota. - Sakura disse batendo na cabeça dele.

-O que é bom, porque se fosse eu estaria ganhando. - Falei convencido e senti um belisco. - Ai. - Olhei para a Hinata que continuava sorrindo como se não tivesse acabado de me beliscar.

-Tia, já posso pegar ela? - Neji perguntou no meio daquela discussão idiota olhando para a Harumi.

-Oh, claro. Desculpe. - Ino entregou a Harumi para o Neji que meio desengonçado pegou ela.

A mesma soltou um grito de felicidade e agarrou o rosto do Neji beijando o mesmo. Bem, mais babando do que outra coisa.

-Ela gosta tanto do Neji. - Sakura disse e Hinata assentiu.

-Acredite que nada a tira do colo dele agora, só se for eu ou o Sasuke. 

-Nem a dinda? - Ino tentou pegar a Harumi mas a mesma começou a choramingar enquanto abraçava o Neji. - Nossa, me senti traída agora. 

-Não se sinta. - Hinata disse observando Neji se afastar com a Harumi dizendo algo sobre mostrar a festa para ela. - E o casamento? Quando será? - Hinata perguntou olhando para a Ino e a Sakura.

-Estamos acertando as datas ainda, mas está confirmado vamos casar no mesmo dia. - Sakura respondeu.

-Deviam fazer depois de ambas terem os bebés. Sakura estará com a barriga maior daqui a pouco. - Tenten disse parando ao nosso lado com Indra no colo.

-Sim, será no ano que vem mesmo. - Ino disse e sorriu dando pulinhos. - Meu noivo chegou. 

Olhámos para trás vendo o Sai se aproximar juntamente com o cachorro que vinha de mãos dadas com uma mulher?

-Olá princesa. - Sai disse beijando a Ino e depois cumprimentou todos.

-Ei pessoal. Quero apresentar a vocês alguém especial. - Kiba disse olhando para a morena ao lado dele. - Essa é a Rei, minha namorada. Rei esses são os meus amigos, e essa é a Hinata, minha melhor amiga.

-Oi, é um prazer conhecer vocês.

-O prazer é nosso. - Hinata disse abraçando ela. - Seja bem-vinda e se sinta à vontade.

-Obrigada. 

-Esse é o filho da Hina, meu afilhado que eu te falei. - Kiba disse recebendo o Indra do colo da Tenten que olhou para ele ofendida.

-Ei, ele é meu afilhado também!

-Isso não importa agora. Veja, não é lindo? - Kiba falou com a tal de Rei ignorando a Tenten.

-Onde está o Itachi? - Perguntei olhando em volta sabendo que o Indra estava aqui e Harumi estava com o Neji.

-Eu vi ele no carrinho ao lado da mesa da família.

-Eu vou lá buscar ele. - Falei beijando a testa da Hinata e saí.

Procurei a mesa da família e vi lá o carrinho dos trigêmeos. Chegando lá eu vi o Itachi rir... com o nada. Não tinha absolutamente ninguém naquele lado da festa.

-Do que você está rindo filho? - Perguntei pegando ele no colo, levando o seu rosto ao meu ombro. 

O mesmo riu novamente como se alguém realmente o estivesse fazendo rir e eu senti um arrepio juntamente com a brisa que passou agora.

Olhei para trás e eu quase não acreditei no que estava vendo. Era uma ilusão certo? 

-Itachi? - Perguntei realmente vendo ele na minha frente.

-Porquê a surpresa otouto? 

-Você... como... - Ele sorriu. O mesmo sorriso que ele dava para mim quando era criança, o mesmo sorriso gentil de sempre. 

-Hm... estou só de passagem. Queria ver com os meus próprios olhos a criança que em minha memória você a nomeou com o meu nome. - Se aproximou tocando o rosto do Itachi que sorriu. Só não achei que eu estava louco porque parece que o meu filho via o meu falecido irmão também. - E devo dizer... ele é lindo. - Olhou para mim e sorriu pousando a mão no meu ombro. - Estou feliz por você. Feliz que tenha formado uma família, uma que não terminará como a nossa. Eu sei que você vai guiar muito bem eles para o caminho certo, assim como eu devia ter feito com você.

-Você não fez nada de errado. Eu é que...

-Escute Sasuke. - Olhei para ele com os olhos marejados e engoli em seco assentindo. - Já passou. - Mordi o lábio inferior tentando travar o choro, mas sentindo que com essas duas palavras um grande peso fosse tirado de mim. - Tudo passou e você está livre para ser feliz. Otousan e Okaasan estão bem e eu também. Estamos todos em paz, só falta você, o grande inocente dessa história toda. 

-Eu...

-Você é meu irmão mais novo e eu falhei com você. - Deu um sorriso triste tirando a mão do meu ombro e tocou o meu rosto. - Espero que me perdoe por ter sido um irmão mais velho horrível.

-Você não foi, e eu já te perdoei a muito tempo.

-Então se perdoe. Se perdoe porque você não tem culpa de nada, nunca teve. Pode respirar em paz agora. - Não aguentei e deixei as lágrimas escaparem dos meus olhos. 

-Por favor... diga ao Otousan... que eu fiquei muito forte, estou muito mais forte que você. 

-Eu direi a ele.

-E diga a Okaasan que eu a amo muito, sempre amei ela mais do que qualquer oura coisa. 

-Acho que ela sempre soube disso. - Sorri assentindo e olhei para ele.

-E para você... acho que não tenho mais nada a dizer a não ser... - Sorri abertamente e levei os meus dedos à sua testa. - Até a próxima.

-Sim... - Fechou os olhos e eu vi as duas lágrimas finas deslizarem pelo seu rosto e o mesmo começou a brilhar. - Até a próxima... Otouto. - O mesmo desapareceu e eu fiquei lá de olhos fechados sentindo o seu toque desaparecer do meu rosto.

-Sasuke...? - Abri os olhos vendo a Hinata olhar preocupada para mim com o Indra e a Harumi no colo. - Você...? Você está chorando? O que aconteceu? 

-Nada, são só... - Olhei para o Itachi no meu colo que ainda sorria e sorri limpando as minhas lágrimas. - São só lágrimas de felicidade.

-Felicidade? 

-Sim. Felicidade por estarmos aqui, eu, você, nossos filhos. Felicidade por ter uma família. E eu sei que nada vai acontecer a vocês, não tenho mais motivos para ter medo, isso passou. Tudo passou. - Ela olhou para mim buscando alguma coisa que demonstrasse que eu estava mentido, mas não havia.

-E você chegou a essa conclusão do nada? Aqui, no meio da festa?

-Exatamente. Do nada. - Ela continuou olhando para mim mas logo suspirou sorrindo.

-Bem, isso é bom. Estou feliz por você meu amor. 

-Obrigado.

-Pa...pa... - Olhei para o Itachi que balbuciava algo. - Papa! Papa! - Arregalei os olhos e olhei para a Hinata.

-Viu isso? Ele disse papa!

-Sim, mas porquê papá? Diz mamãe meu amor. - Hinata falou para o Itachi que continuou dizendo papá. - Tão traíra.

-Papa. - Harumi também disse e eu inclinei a minha cabeça para trás rindo.

-Você também? Diga mamãe, por favor. - Hinata falou e Harumi riu batendo palmas.

-Papa! - Repetiu esticando os seus braços na minha direção e eu peguei ela.

-Parece que você perdeu. - Falei convencido e Hinata suspirou desapontada.

-Eu é que fico grávida, passo horrores com os enjoos e o parto, para quê?! Para no final a primeira palavra deles ser...

-Mama... - Olhamos para o Indra que olhava para a Hinata. - Ma... mama.

-Oh meu amor. Você disse mama.

-Mama.

-Sim, você que é o príncipe da mamãe. - Hinata distribuiu beijinhos pelo rosto do Indra e eu sorri observando ela.

Como eu nunca a percebi antes? Eu me pergunto. Estava não focado na minha vingança contra o Itachi que nunca a notei, nem quando éramos pequenos. Nunca notei que a mulher da minha vida sempre esteve bem próxima a mim.

E ali, com os meus filhos no colo, vendo a Hinata brincar com o Indra, mostrando o seu sorriso gentil, com o cabelo balançando com o vento, eu tive certeza de que não poderia ser de outra forma. Não poderia.

-Que foi? - Ela perguntou olhando para mim e observei todo o seu rosto, desde os olhos perolados, ao seu rosto corado. Linda.

-Eu amo você. - Falei totalmente hipnotizado por ela. - Eu amo você. - Repeti e ela se aproximou me dando um selinho.

-Eu também amo você Sasuke.

-Obrigado por me dar essa família, por me deixar ver a luz, estar na luz.

-Era só um passo lembra? - Assenti abraçando ela.

-Sim, um passo para a luz.

 

FIM


Notas Finais


Bem, caso não tenham entendido, os padrinhos são:

Itachi - Sakura e Naruto
Harumi - Ino e Sai
Indra - Tenten e Kiba

Sakura está grávida de 6 meses - Rapaz
Ino de 4 meses - Gêmeos
E embora eu não tenha citado, Temari também está grávida provavelmente de 5 meses ou algo assim. E a mulher do Choji também.

E não vou me despedir porque tem mais um capítulo, bora lá?😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...