História Um Passo Para o Desespero - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruto, Sasuhina
Visualizações 111
Palavras 5.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eioooo!

Como disse, será o mesmo capítulo de UPPL

Sejam bem-vindos à segunda temporada🥳❤️

Capítulo 1 - Prólogo: Um Passo Para o Desespero


Era uma bela manhã de domingo normal como todas as outras para muitos habitantes da vila de Konoha. Bem, nem tão normal assim, pelo menos não na casa da família Uchiha.

Sasuke e Hinata dormiam completamente aconchegados um ao outro, depois de uma noite... quente, podemos assim dizer. 

Mas três seres, muito astutos por sinal, entraram silenciosamente no quarto. Andando em bicos de pé para não produzir o mínimo de barulho, tentando pôr em prática o treinamento de ocultação de chakra para não serem descobertos, e se aproximaram lentamente do casal, mais especificamente do lado do Sasuke.

Com sinais de mão e linguagem labial, se preparam para o ataque. O mais velho entre eles levantou o punho cerrado chamando atenção dos outros dois e, erguendo um dedo de cada vez, ele contou até três e...

-Sabia que estavam aqui antes mesmo de abrirem a porta. - Se surpreenderam ao ouvir a voz do pai e logo vieram as reclamações.

-Ah, não vale! - Itachi disse cruzando os braços inconformado.

-Parabéns pai, estragou tudo! Como sempre, estou comovida. - Harumi, sendo a rainha do sarcasmo, não deixou passar essa sem bater palmas.

-Bem, é o costume. Parabéns pai. - Indra, o mais sensato, disse e logo o Sasuke virou-se para olhar para os seus 3 filhos, que chateados ou não, esperavam receber um dos raros sorrisos do pai, e conseguiram.

-Venham cá. - Com um sorriso e permissão, Sasuke chamou o seu trio e não evitou rir enquanto recebia abraços apertados dos seus filhos, com direito a muitos beijos no rosto de Harumi.

-Parabéns pai. - Desejaram e logo ouviram uma pequena gargalhada doce, que todos já sabiam a quem pertencia.

-Eu disse a você para fingir que não ouviu eles pelo menos esse ano Sasuke. - Hinata disse se sentando.

-Bom dia mãe. - Os trigêmeos cumprimentaram a mãe com beijos e abraços e acabaram por se dividir entre os colos dos pais. Harumi sentava no colo do pai abraçando o pescoço do mesmo, Indra sentava no colo da mãe e Itachi deitava a cabeça nas pernas da mãe e estendia as pernas por cima das pernas do pai, eram uma família bem unida e isso era notável só naquele pequeno gesto.

-O quê que eu posso fazer? Nunca sou pego desprevenido. Se quiserem me surpreender, terão que treinar e muito para isso. 

-Um dia nós vamos te pegar bem distraído. Pode escrever. - Itachi disse convicto e logo ouviram um pequeno choro.

-Ah, falta mais alguém para completar essa manhã em família. - Harumi comentou e Hinata levantou.

-Deixa que eu vou buscar. 

-Eu vou com você mãe. - Indra disse seguindo a sua mãe para fora do quarto e logo ambos voltaram com um bebê no colo da Hinata.

-Olha quem está aqui. Acordou cedo para desejar parabéns ao papai. - Hinata disse com uma voz infantil arrancando sorrisos do bebé em seus braços.

-Mãe posso pegar ele? - Harumi pediu e Hinata abanou a cabeça negando.

-Deixa seu pai pegar ele primeiro, afinal, ele é o aniversariante. - Hinata disse e passou o bebé de um ano para os braços de Sasuke e a criança automaticamente se aconchegou nos seus braços, demonstrando que amava estar naqueles braços protetores.

-Bom dia Daisuke. - Sasuke disse carinhosamente sentindo as mãos do seu filho explorarem o seu rosto. Daisuke, o filho mais novo do casal Uchiha, era que nem o próprio pai. Embora fosse um bebé, era calmo e chorava pouco, só se fosse para demonstrar que precisava de algo, e naquele momento precisava do colo dos pais.

-Papai! Papai! - Balbuciou feliz arrancando risos dos irmãos que não evitavam babar no irmão sempre que possível.

-Daisuke gosta muito do papai. - Harumi disse e Sasuke no mesmo instante olhou para a Hinata convencido.

-Eu tenho dois e você? - Provocou e ela cruzou os braços pronta para aceitar o desafio.

-Eu também tenho dois, isso é um empate. 

-Itachi disse que prefere os dois de igual modo. - Sasuke rebateu e Hinata olhou para o mais velho que já tentava escapar daquela disputa ridícula.

-Você precisa escolher um preferido Itachi.

-Eu também não tenho um preferido. - Indra e Harumi disseram ao mesmo tempo.

-Calado/Calada. - Sasuke e Hinata rebateram ao mesmo tempo e os gémeos levantaram as mãos em sinal de rendição.

-Itachi, não vai escolher a sua mãe? E sobre aquele segredinho nosso que o seu pai não sabe?

-Que segredo? - Sasuke perguntou confuso e rapidamente Itachi pulou para o colo da mãe dele.

-Eu escolho a mãe. Pronto, está decidido, é um empate. Podemos ir festejar o aniversário do papai agora? 

-Bem me parecia. - Hinata disse beijando a testa do Itachi e do Indra e logo puxou a Harumi para beijar a testa da mesma. - Eu vou preparar o pequeno-almoço, o que acham de panquecas? - Hinata levantou e recebeu o Daisuke dos braços do Sasuke.

-Oba! - Itachi e Harumi festejaram seguindo a mãe e Indra, e igualmente o seu pai, ficaram olhando com expectativa para a Hinata.

-Não olhem assim para mim, tem bolinhos de arroz ou podem comer as panquecas com iogurte sem açúcar. 

-Eu quero bolinhos. - Sasuke escolheu.

-Eu quero com iogurte. - Indra disse levantando e seguiu a sua família para fora do quarto, mas o mesmo voltou vendo que o seu pai continuava sentado olhando para a porta. - Pai, você não vem? É seu aniversário. 

Sasuke não respondeu de imediato, olhando para o seu filho que era totalmente a sua cara na infância, embora tivesse os olhos de Hinata. Pensava no quanto a vida dele mudou nesses 8 anos. Finalmente tinha uma família e todos os dias acordava com medo de que fosse tudo um sonho e poderia acordar a qualquer momento, numa vila qualquer longe de Konoha, sozinho.

Ali, olhando para o Indra, ele via que a sua felicidade tinha nome, e era o nome dos seus quatro filhos e Hinata.

-Pai?

-Hm? Desculpe, estava pensando em algumas coisas.

-É algum problema? Parecia melancólico. - Indra disse se aproximando do pai e sentando a sua frente na cama e segurou o rosto do pai entre as suas pequenas mãozinhas. - Não se preocupe pai, todos os problemas têm uma solução. Eu acho que a solução para você agora é um abraço muito forte de alguém que você ama.

-Então está a espera de quê para me abraçar? - Sasuke disse agarrando o Indra e levantando com ele no colo. 

Indra abraçou fortemente o pescoço do seu pai enquanto ele levava os dois para o andar de baixo.

-Tia Ino disse que é normal você ficar melancólico nessa idade. 

-Está me chamando de velho garoto? - Indra riu da incredulidade do seu pai e o abraçou mais forte.

-Eu te amo pai. 

-Eu também te amo. - Sasuke respondeu e chegaram finalmente a cozinha.

Pousou o Indra no chão que não demorou a se juntar aos irmãos para arrumar a mesa de pequeno almoço.

Desarrumou o cabelo do Daisuke que estava sentado na sua cadeira de refeição, ansioso para o seu pequeno-almoço e se aproximou de Hinata, abraçando a azulada por trás e beijando o seu pescoço.

-Já disse que você é extremamente gostosa quando está cozinhando? Me excita. - Sussurrou no ouvido dela, sorrindo ao ver a mesma se arrepiar.

-Os meninos estão aqui, se comporte?

-Não fiz nada de errado.

-Claro que não! - Hinata disse entre dentes dando uma cotovelada forte no moreno que com um grunhido de dor se afastou. 

-Você está muito agressiva ultimamente, de certeza que não está grávida? - Perguntou massageando a área golpeada. - Eu não me importaria de ter mais um filho com você.

-Claro que não estou grávida. Estou me cuidando para que isso não aconteça. 

-Podíamos fazer mais um filho. - Falei agarrando a sua cintura quando a mesma desligou o fogão e se virou para mim.

-Sasuke está pensando que aqui é só querer?! Sai seu doido.

-Eu quero mais um irmão! - Harumi disse levantando a mão.

-Eu também! - Os rapazes concordaram.

-Viu?

-Meninos, isso aqui não é uma fábrica de fazer filhos. O vosso irmão ainda só tem 1 ano, pelo amor de Kami. Quatro não é o suficiente?

Pai e filhos trocaram olhares antes de olharem todos para a azulada e negar.

-Não.

-Ah, vocês são todos farinhas do mesmo saco! Puxaram tudo o vosso pai! - Reclamou se virando e distribuindo as panquecas pelos pratos, derramou mel nas suas, do Itachi e Harumi, espalhou iogurte sem açúcar nas panquecas do Indra que, como o seu pai, não é um grande fã de coisas doces. Serviu os bolinhos de arroz do seu marido, sem esquecer a papinha do caçula do clã Uchiha.

Levou os pratos a mesa e todo mundo ocupou o seu lugar, tomando o seu pequeno-almoço, que antes calmo e silencioso, era agora sempre animado e agitado porque os trigêmeos adoravam conversar sobre tudo com os seus pais, principalmente à hora da refeição em que estavam sempre juntos.

Logo terminaram o pequeno-almoço e todos subiram para se preparar para passar a tarde com os seus tios e amigos no almoço para festejar o aniversário do pai deles.

Hinata arrumou toda a cozinha e logo subiu também para se preparar. 

Passou pelo quarto do Daisuke e parou vendo o Sasuke interagir com os quatro que riam de alguma coisa que Daisuke balbuciava.

Sorriu antes de ir para o quarto a fim de tomar um banho e se preparar para a tarde produtiva que teria.

Vestiu um vestido azul claro longo de alças e amarrou o cabelo num rabo de cavalo e saiu do quarto.

-Vamos? - Chamou a sua família da porta do quarto e todos se levantaram.

Sasuke levou a cesta com comidas e Hinata levou o Daisuke no carrinho para bebés.

Em família se dirigiram para a área florestal da aldeia, onde Ino fez questão de arrumar uma longa mesa para todos os convidados e uma mesa onde estaria toda a comida.

Estendeu também alguns lençóis pelo jardim para quem quisesse sentar ou deitar no chão. 

Estava um ambiente agradável.

-Dinda! - Itachi gritou correndo até a Sakura que quando o viu abriu os braços para receber o seu afilhado.

-Olá meu príncipe! - Disse apertando ele. 

-Onde está o Kai? 

-Está ajudando o seu padrinho a montar as sombrinhas. Ali. - Apontou para onde Kai e Naruto montavam as sombrinhas ao lado da mesa para que almoçassem na sombra.

-Eu vou lá. - Sakura assentiu vendo o seu afilhado sair correndo até o Kai.

-Pronta para essa tarde super ativa? - Hinata perguntou se aproximando e Sakura assentiu sorrindo e pegou Daisuke no colo.

-Eles sempre ficam entusiasmados quando estão juntos. Olá bebezinho. - Sakura falou com a voz infantil arrancando gargalhadas do mais novo.

-Eu gosto da amizade que formaram entre eles.

-Olá tia. - Hinata olhou para frente vendo o seu pequeno príncipe que parecia ter crescido mais a cada vez que o via.

-Quando vai parar de crescer meu amor? - Hinata perguntou acariciando o rosto do Neji que estava muito parecido com o Neji na época do exame chunnin. Tinha alguns traços da Tenten como os olhos e o Nariz, e o seu cabelo estava sempre preso numa trança que se estendia até o final das suas costas. Estava lindo.

-Você me viu dois dias atrás e disse a mesma coisa. As pessoas não crescem tanto em dois dias, sabia? - Neji explicou suspirando, era sempre a mesma coisa agora. 

-Mas você era tão pequeno e agora... - Hinata travou ao notar algo de diferente. - Isso é uma bandana? Se formou quando na academia?

-Hoje mesmo. Sou um gennin agora. - Neji disse sorrindo entusiasmado.

-Oh meu amor, está de parabéns. - Hinata puxou o pequeno moreno para os seus braços e o mesmo retribuiu o abraço.

-Isso me faz lembrar o tempo que nos formamos na academia também. Bons tempos. Ficou um gato com essa bandana Neji.

-Obrigado tia Sakura. - O mais novo agradeceu corando levemente e se ouviu um grito.

-Neji! - Harumi veio correndo e Neji abriu os braços para a receber e assim o fez quando a mesma rodeou o seu tronco com os seus braços finos. - Que bom que você veio!

-É claro que eu vim, é o aniversário do tio Sasuke. - Neji sorriu se afastando levemente para ver o rosto de Harumi que olhava para ele como se estivesse admirando uma peça de arte.

-Tia Tenten disse que se formou hoje. Parabéns. - Disse corando e Neji riu beijando a testa dela.

-Obrigado. 

Sakura cutucou a Hinata para que olhasse para a interação entre os dois. Era notável que Harumi tinha uma queda pelo Neji. 

No mesmo instante o moreno sentiu um arrepio frio na pele e instantaneamente se afastou quatro passos da Harumi.

Hinata olhou para o Sasuke sabendo que devia estar com um olhar assassino para cima do Neji, e o menino deve ter sentindo a intenção assassina e se afastou.

A azulada riu porque o seu marido não aguentava os ciúmes que sentia da princesa da família, nem mesmo com o Neji, que era o seu parceiro desde que ele tinha 5 anos.

-Já cumprimentou o seu tio e os seus primos? - Hinata perguntou para o moreno que negou. - Eles estão lá, vai lá ter com eles. 

-Está bem. - Com um sorriso inocente correu até o Sasuke que não conseguiu ficar sério por muito tempo e retribuiu ao abraço do Neji.

Já Harumi ficou lá parada encarando o primo mais velho. Desde pequena sempre foi muito apegada a ele e sempre disse que quando crescesse se casaria com ele. E embora ela não entendesse os seus sentimentos ainda, ela sabia que tinha um grande carinho pelo Neji, um carinho diferente do que o que sentia pelos irmãos.

-Harumi! - A Uchiha olhou para a sua melhor amiga, Akane.

-Akane! - Abraçaram uma a outra como se nunca mais tivessem se visto, mas se vêem todos os dias na academia.

-Já estava cansada de estar no meio daqueles rapazes chatos, ainda bem que chegou. 

-Hikari não está aqui? 

-Não. Ela dormiu na casa da Momo e o tio Chouji vai trazer elas. Mas todos os rapazes estão aqui, até o chato do meu irmão.

-Ei, não fale assim do seu irmão. - Sakura advertiu e Akane olhou para a rosada contrariada.

-Mas ele é chato mãe! Ficou o tempo todo dizendo para eu ir procurar o que fazer porque não tenho que ficar no meio dos rapazes. 

-Ele é mais velho filha.

-O Kai se acha por ser o mais velho. 

-Ouvi o meu nome, o que fiz dessa vez? - O loiro de olhos verdes, ao ouvir o seu nome se aproximou com as mãos atrás da cabeça, postura idêntica à do seu pai.

-Não é da sua conta! - A pequena rosada de olhos tão azuis quanto os do pai respondeu cruzando os braços.

-Akane! - Sakura ralhou.

-Eu não fiz nada mãe!

Hinata riu ao ver a interação entre a família Uzumaki e decidiu se afastar para ir cumprimentar os outros.

-Boa tarde. - Saudou se sentando ao lado de Sasuke que já estava bem a vontade bebendo saquê juntamente com os outros homens presentes à mesa.

-Oi Hina, estávamos aqui pensando, devíamos fazer uma viagem com os meninos. - Ino disse sentada no colo de Sai.

-Uma viagem com os meninos? E iríamos para onde?

-Não sei, talvez alguma fonte termal ou algo assim. Mas apenas nós, mães, e os nossos filhos.

-Ei, porque está nos excluindo? - Naruto perguntou e Tenten deu de ombros respondendo a seguir.

-Porque não queremos homens na nossa viagem, queremos fazer uma sessão de mães e filhos. 

E passaram então a discutir sobre o porquê dos homens não poderem ir na viagem.

Enquanto os adultos discutiam na mesa, as crianças estavam todas ocupadas em importunar o mais velho entre eles, o Neji.

-Auch! - Hikaru reclamou ao ser derrubado facilmente. - Hyuugas e seu taijutsu perfeito. - O loiro reclamou massageando o braço.

-Não é só por ser Hyuuga. Eu já sou um gennin. Vocês não são páreos para mim. - Neji disse estalando os dedos das mãos e perguntou. - Quem vai a seguir?

-Eu! - Harumi levantou a mão e se aproximou do meio onde o mais novo ninja estava. 

-Tem certeza? Não vou pegar leve.

-E quem disse que eu quero que pegue leve? - Harumi rebateu e Neji sorriu já conhecendo a boca esperta que a prima tinha. Havia sempre uma resposta para tudo.

-Ok. - Tomou a posição inicial no estilo hyuuga e chamou a prima com a mão. - Venha. 

Harumi sorriu e sem medo algum correu até o primo. Tentou dar uma rasteira nele, mas o mesmo pulou e tentou atingir um chute nela, mas rapidamente ela desviou.

-Boa percepção. - Neji elogiou enquanto os dois andavam cautelosamente às voltas.

-Meu pai é um excelente professor. - A morena deu de ombros e Neji sorriu assentindo.

-Concordo! - E partiu para cima dela.

Harumi com um pulo apoiou as mãos nos ombros do Neji erguendo as pernas para o alto e deixando o rosto de ambos bem próximos, a ponto dos narizes se tocarem.

Isso foi o suficiente para desestabilizar o Neji que se distraiu pela proximidade dos rostos e Harumi rapidamente caiu atrás dele, deu uma segunda rasteira fazendo o Neji cair dessa vez e subiu nele puxando a kunai do bolso dele e apontando para o pescoço.

-Consegui! - Sorriu feliz. - Eu consegui derrotar você! - Festejou e olhou para o primo vendo ele totalmente corado. O ver assim a fazia lembrar a sua mãe. - Porque está corado? - Perguntou inocente e Neji rapidamente tirou a prima do colo e se levantou sacudindo as roupas.

-Porque aproximou os nossos rostos daquela forma?

-Minha madrinha me contou que é uma ótima tática para distrair inimigos que sejam homens. Ela disse que eles caem fácil nessa. E pelos vistos ela tinha razão, ponto para dinda. - Festejou batendo palmas.

-Não acredito que Neji perdeu. - Itachi riu e o Hyuuga mais velho olhou para ele ameaçador.

-Não sei porque está rindo se quem fez isso foi a sua irmã e com facilidade pelos vistos, algo que nem você chegou perto. 

-Ei!

-Concordo. - Indra disse observando eles sentado ao lado de Teruo. Os dois mais calmos do grupo.

-Cansei de brincar de luta, vamos brincar outra coisa. - Kai disse esticando os braços.

-Escondidas. - Akane deu a ideia e todo mundo pareceu concordar.

-Sim. Momo e Hikari acabaram de chegar. - Harumi constatou e todos olharam para trás vendo as duas meninas correndo na direção deles.

-Olá! - Cumprimentaram quando chegaram e Hikari trocou um toque de mãos com o Hikaru. Os gémeos pálidos eram bem próximos um do outro.

-Chegaram na hora certa. Vamos brincar às escondidas.

-Boa, eu quero! - Momo concordou.

-Quem vai procurar os outros? 

-Eu procuro. Têm 5 minutos para se esconderem e eu procuro vocês. - Neji se voluntariou e todos concordaram saindo correndo pela floresta adentro.

Indra e Harumi foram juntos e se preocuparam em encontrar um bom sítio para estarem.

-Harumi... vamos... parar um pouco. - Indra disse tentando estabilizar a respiração.

-Acho que ainda não estamos longe o suficiente, vamos correr mais um...

-Vamos parar! - Indra exclamou e Harumi pareceu se dar conta do estado do irmão.

Suado, corado e respiração ofegante. Ela sempre teve noção da condição dos pulmões dele, e às vezes eles não aguentavam o esforço, e no momento estavam sem as bombas, então o melhor seria parar.

-Está bem. Vamos descansar um pouco. - Disse sorrindo para o irmão mais novo e se aproximou dele começando a abanar o seu rosto. - Está se sentindo mal?

-Não. Só preciso apanhar um pouco de- CUIDADO! - Indra gritou e Harumi foi golpeada rolando pelo chão da floresta. - HARUMI! - Gritou e quase respirou aliviado ao ouvir a irmã tossir. Quase.

Mas o mesmo foi pego pelo pescoço por aquele homem musculoso e grande e foi atirado contra a árvore.

Logo que bateu com as costas na madeira, o mesmo sentiu como se todo o ar esvaísse dos seus pulmões.

O mesmo caiu no chão com a respiração entrecortada e sentiu algo pressionar o seu peito com força.

-Eu... a...juda... - Falou sentindo falta de sr, tentando empurrar o pé pesado daquele homem para longe do seu peito. 

Mas ele estava fraco, ele era fraco, comparando com aquele homem gigante.

-SOLTE O MEU IRMÃO! - O homem foi golpeado no rosto por um chute de Harumi, mas o mesmo agarrou o pé dela a deixando de cabeça para baixo e apertou com força quase partindo os ossos dela.

Indra não querendo ver como isso terminaria, procurou alguma maneira de ajudar a irmã e a única coisa que achou foi uma pedra que ele pegou e com toda a sua força atirou certeiramente no olho do inimigo.

-Argh! - O homem soltou a Harumi a fazendo cair no chão com o pé provavelmente torcido, mas a mesma rapidamente abraçou o irmão e tentou de toda forma acalmar ele.

-Olhe para mim! Olhe para mim Indra! - Ordenou ao menino que quase entrava em desespero ao sentir falta de ar. 

O menino continuava buscando por ar e Harumi já chorava ao ver o irmão quase roxo e fez o que um dia a mãe dela fez quando Indra teve o ataque e não tinham nenhuma bomba de ar. 

Fechou o nariz do irmão e colou a sua boca na dele. Com toda a sua força ela soprou para dentro do irmão e fez isso mais de uma vez.

Se afastou ao ver Indra sem ar ainda, mas já não era tão grave e parecia estar se acalmando.

-Isso, respire com calma. Comigo... inspire... expire... insp-

A mesma foi interrompida ao ser pega pelo cabelo e ela gritou de dor e de ódio ao ver aquele homem novamente.

-Vocês me irritaram muito garota! Estou realmente tentado a matar vocês em vez de...

O homem foi interrompido por um chute forte nas costas. E antes que ele entendesse o que estava acontecendo um vulto passou por ele e chutou duas vezes o seu peito o lançando para trás e caiu.

Olhou para frente vendo o mais velho dos irmãos na frente deles com os braços abertos em sinal de proteção dos irmãos.

Mas isso não era a surpresa. A surpresa era os olhos dele. Estavam totalmente diferentes dos dos irmãos, eram diferentes de qualquer doujutsu que ele tenha visto nessa longa vida.

-Aí está! - Disse com um sorriso maléfico. - O doujutsu especial que o mestre quer. - Continuou observando o Itachi respirando fundo irritado, com as sobrancelhas franzidas e os olhos vermelhos, vivo como o sangue, com dois tomoes presentes. Ele ativara o sharingan. Mas as veias ferozmente sobressaídas ao redor dos olhos o dizia que ele também ativou o byakugan. Ele ativou os dois doujutsus num só.

-Isso significada que a profecia é real. - O homem disse se levantando e sem medo algum foi se aproximando dos Uchihas trigêmeos. 

-Não se aproxime dos meus irmãos! Ou eu mato você! - O homem travou ao sentir o peso das palavras dele. 

Ele está falando sério.

-Aie? Então venha me matar! - O homem provocou e Itachi sem medo algum partiu para cima.

Ele não entendia o que estava acontecendo, ele conseguia ver todos os pontos de chakra do inimigo e estranhamente conseguia antecipar alguns movimentos dele.

Ele já ouviu falar dos pontos de chakra, a sua mãe o ensinou muito bem sobre isso. E seu avô fez questão de ensinar o taijutsu do clã Hyuuga para os três netos. Então ele sabia onde atingir e como atingir.

-AHHH! - Gritou e passou a golpear o homem, mas ele se defendia de todos os golpes com facilidade.

Chutou a barriga do homem e se preparou para chutar o rosto dele também, mas com um soco no rosto ele foi lançado para trás.

-ITACHI! - Harumi gritou abraçando o irmão mais novo, que por tanta falta de ar ficou tonto e acabou desmaiando. 

Itachi sentiu uma dor forte na mandíbula e cuspiu sangue. Se levantou totalmente zonzo, nunca foi atingido com tanta força na vida.

E pensar que os golpes do seu pai doíam. Aquilo era um porcento da força do pai com certeza.

-Sabe... meu pai me ensinou uma coisa durante os nossos treinos. - Comentou limpando o sangue da boca. - Nunca devemos dar as costas ao inimigo, especialmente quando estamos protegendo alguém. - Olhou para o homem frio e sério, fazendo o homem sentir um arrepio na espinha ao sentir aquele olhar gélido sobre ele, quase o olhar de um assassino. - Você não encostará mais um dedo nos meus irmãos.

E partiu pra cima novamente, mesmo sendo mais fraco, mais pequeno e sem experiência, Itachi foi com tudo para cima daquele homem.

Mas era a primeira vez que ele usava aquele doujutsu totalmente novo, e juntando isso à sua fraqueza, ele ficou tonto e foi golpeado fortemente e rolou até cair ao lado dos irmãos.

-Itachi... - Harumi chamou o irmão preocupada ao ver o mesmo tossir sangue e se contorcer de dor. O rosto dele estava machucado, e só Kami sabe o ódio que ela sentiu ao ver os irmãos nessa situação.

A mesma fechou os olhos sentindo as lágrimas descerem quentes e os abriu olhando irritada para o inimigo que assobiou rindo logo em seguida.

-Não negam ser Uchihas. Temos um sharingan totalmente despertado aqui. - O homem disse observando os olhos vermelhos da Harumi olharem para ele cheios de ódio.

-Você vai se arrepender! Meu pai vai saber disso e vai te caçar até a morte. - Ela ameaçou sem medo e o homem ficou sério no mesmo instante.

-Antes dele sequer chegar a me arranhar, ele vai chorar de dor quando souber que os filhos dele foram mortos por mim! Feche os olhos e reze ratinha. 

Avisou sorrindo e ao ver que ela não fechou os olhos se irritou profundamente e correu com ódio na direção daqueles pivetes que olhavam para ele com aqueles olhos da cor de sangue sem medo algum.

-AHHHH! - Gritou puxando uma espada e esticou o braço pronto para cortar aqueles uchihas de merda.

Mas ele apenas sentiu uma dor imensa no braço e ao pegar para ver o que tinha acontecido ele viu sangue, muito sangue. Ele perdeu metade do antebraço.

-O MEU BRAÇO! O MEU BRAÇO! - Gritou de dor.

-Arranquei seu braço? Desculpe, foi a minha intenção. - Sentiu um arrepio na pele ao ouvir essa voz.

Olhou para frente vendo um homem de roupa totalmente preta, cabelo preto e um mangekyou sharingan totalmente ativo no olho direito. Era Uchiha Sasuke.

-Você... - Disse com raiva mas sentiu o corpo tremer perante aquela figura que em comparação ao seu corpo gigante era pequeno, mas a sua intenção assassina era bem grande.

-Você fez meu caçula desmaiar por falta de ar, fez meu primogénito sangrar e pior... - O homem não se apercebeu quando o Sasuke se aproximou totalmente dele, com a espada contra o seu pescoço e o rosto tão próximo o obrigando a ver de perto aquele olho de sangue e aquele rinnegan. - Fez minha princesa chorar. Agora vai morrer. 

Sasuke não ameaçou, ele constatou o óbvio. E naquele momento, ele soube que morreria. Ele soube que a sua vida chegaria ao fim em poucos segundos. 

Ele sempre teve a curiosidade de saber se a morte tinha um rosto, ou um nome. E ela tinha, oh se ela tinha! Tinha nome e sobrenome: Uchiha Sasuke.

E num corte rápido Sasuke rasgou o pescoço dele o fazendo cair sentindo o sangue se esvair do seu pescoço.

Ele olhou para Uchiha Sasuke, que olhava para ele morrendo no próprio desespero e ao ver aqueles olhos, principalmente o vermelho, gélidos e frios sobre ele, ele se lembrou do olhar daquele pirralho com doujutsu especial.

"Você não encostará um dedo nos meus irmãos." Se lembrou das palavras dele e realmente não encostou.

E se deu conta naquele exato momento, nos seus últimos segundos de vida, que se Uchiha Sasuke era a morte em pessoa, os filhos dele com certeza eram os avisos de morte.

"Encoste e morrerá". Era o aviso.

-Droga... droga... - Disse quase sem ar. - Maldi..ta.. hora... que me me...ti com... os Uchihas. - Disse no seu último suspiro e os olhos dele ficaram totalmente opacos, sem vida. Ele morreu.

Só então Sasuke se virou e correu até os filhos os abraçando a todos.

"Ino, eu achei eles. Podem voltar." Avisou mentalmente. Todos se aperceberem que algo não estava bem e saíram procurando pelas crianças, e quando só faltava os trigêmeos Sasuke procurou possesso por eles.

Olhou para o Itachi que lutava para se manter acordado, mas o que realmente o chamava atenção eram os seus olhos e o que havia ao redor deles.

-Isso... - Começou mas travou ao ver o Itachi tossir e o sharingan desaparecer juntamente com as veias. - Não importa.

-Pai... - Olhou para Harumi que o abraçou fortemente e sentiu mais raiva ainda ao sentir a sua pequena tremer nos seus braços. - Que bom... que bom que o senhor chegou a tempo. 

-Está tudo bem agora princesa. Está tudo bem. - Ela assentiu e Sasuke olhou o Indra desmaiado. - Preciso levar os seus irmãos, consegue andar?

-Dói, mas consigo. - Disse levantando com dificuldade.

Sasuke pegou Indra no colo e colocou o Itachi nas costas.

-Se agarre e aguente mais um pouco filho. Se apoie em mim para andar Harumi. - Falou com os dois lúcidos e começou a caminhar em direção ao local que estavam antes.

-HARUMI! - Ouvi Neji gritar e viu o mesmo correr até eles. - Você está bem? O Indra desmaiou e o... - Travou ao ver o estado do Itachi. - Tio... - Olhou para o Sasuke e ele abanou a cabeça negando. 

-Agora não. Pegue a Harumi. Ela não consegue andar sozinha.

-Sim. Suba. - Neji disse oferecendo as costas para a prima e ela subiu.

Os dois saíram da floresta e chegaram ao local onde todos estavam preocupados e Hinata correu até ele chorando.

-Sasuke o que... oh meu Deus, meus filhos! - Ela tapou a boca ao ver o Indra desmaiado e o Itachi machucado. - Meus bebés. - Choramingou pegando o Itachi, que mesmo mais pesado, ela pegou ele no colo. - Quem foi o desgraçado?! - Perguntou irritada e andaram até os seus amigos.

-Está morto. O corpo dele está ao norte da floresta. Pelo menos deixei a cabeça dele intacta. - Sasuke disse olhando para o Sai que assentiu e prontamente saiu juntamente com o Kiba para procurar pelo corpo do culpado.

-Sasuke, isso é... - Sakura disse apontando para a Harumi e a mesma olhava para eles com o sharingan ainda activo. 

-Sharingan? - Naruto terminou e eu assenti suspirando.

-E não é só. Tem mais, muito mais.


Notas Finais


Prontos para mais um livro?😍

Até o próximo capítulo🙋🏽‍♀️💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...