1. Spirit Fanfics >
  2. Um péssimo noivo de aluguel >
  3. Despedida de solteira- Part2

História Um péssimo noivo de aluguel - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei, mas cheguei. Esteja preparado para fortes emoções.

Capítulo 24 - Despedida de solteira- Part2


Fanfic / Fanfiction Um péssimo noivo de aluguel - Capítulo 24 - Despedida de solteira- Part2

Olhei para trás e vi Kendall com uma mão na cintura e um sorriso no rosto cheio de deboche.

   — Pensei que Chris não ia vir.  — ela tomou um gole da sua bebida.

  Olhei para Taylor que obsevava tudo silenciosamente, então me voltei novamente para a chata da Kendall.

   — Mas ele não veio, garota.  — falei o óbvio.
Ela se curvou um pouco em minha direção e chegou perto do meu ouvido.

—  Então eu estou vendo uma linda miragem ali na pista.  — Ela cantarolou.

  Olhei rapidamente para a pista de dança e vi um Chris cercado de várias vacas.

  Aí, mais que filho da puta!

UMA HORA ATRÁS…
Chris

É tão legal ficar sozinho sem porra nenhuma para fazer, e apenas olhar para teto. ( que por sinal está bem sujo). Eu devia ter ido com a Selena, mas ainda não consigo olhar direito para sua cara.

  Ô meu Deus, se arrependimento matasse…

   — Posso saber o porquê desse rostinho está aflito?  — A vovó apareceu no quarto com uma garrafa de whisky debaixo do braço.

  Me acomedei melhor na cama, enquanto ela se aproximava para sentar na ponta. Ela estava com uma cara de quem já tinha bebido várias. Sua boca estava meio torta, e parece que a velha está lutando para deixar os olhos abertos. Ri da sua cara, mas ela nem ligou.

   — Não é nada, vovó. — menti. Mas o que eu queria falar era:

É que as vezes nós fazemos certas coisas por impulso, e acabamos magoando alguém especial. Tipo a sua neta. Ela ainda não sabe, mas já consigo imaginar a sua cara de decepção.

  Vovó me olhou desconfiada e ergueu a garrafa para mim.

  — Toma um gole, isso aqui ajuda muita gente.  — ela riu, mas nem tinha graça. Eu tomei por educação, claro.
 
   — Eu consigo ver que você gosta realmente dela.

    — É impossível não gostar dessa capetinha. — sorri pensando nela. —  Eu gosto da sua neta há muito tempo, vovó. Mas ela não sabe disso.  — tomei outro gole do whisky.

  Ela me olhou sem entender, mas está tão bêbada que nem fez perguntas. Bebemos mais um pouco calados, então ela resolveu falar novamente:

   — Se gosta dela de verdade devia ir atrás dela e parar com essa palhaçada.  — Ela falou me olhando séria.

   Fiquei até com medo do seu olhar. Me afastei um pouco para não levar um tapa na cara e expliquei de uma forma bem resumida.

   — A situação é complicada, minha senhora.  — sorri amarelo para ela.

  Ela revirou os olhos com tédio e deu um tapa em minha perna.

   — Acredita que ela falou a mesma coisa hoje mais cedo? O problema é que vocês complicam demais.  — ela me deu a garrafa novamente e eu tomei outro gole.  — Vocês só precisam conversar e falar tudo o que se passa, isso não é complicado.

  Porra, essa velha tá certa. Eu não posso fugir da Selena para sempre, mas não sei se é a hora certa para contar tudo. Ela não vai reagir bem, eu surtaria.

  Meu celular começou a vibrar em cima da cabeceira, peguei e vi que o número era desconhecido. Estranhei, mas mesmo assim atendi.

   — Quem me oportuna?  — falei e a vovó riu.

  A coitada já estava pra lá de bêbada, e eu meio zonzo. Ela se deitou do meu lado. Ajeitei o travesseiro para ela se sentir mais confortável.

   — Oi,Chris. Sou eu, Hailey.  — sua voz estava rouca, como se tivesse gritado horrores.

   — O que você quer? Já falei que não vou a lugar nenhum.  — falei ríspido.

  Eu estava com tanta raiva dessa mulher, que até sua voz me causava náuseas.

  — Mas você precisa vir.  — ela gritou por causa da música.  — A selena está passando muito mal, eu estou ficando preocupada.

  Meu coração gelou quando ela falou da Selena, o que aconteceu com a capetinha, meu pai? Levantei da cama e fui pegar uma roupa, enquato Hailey mandava a localização para mim.

  Olhei mais uma vez para a vovó que estava dormindo na cama e fechei a porta atrás de mim.

….

  Fiquei olhando para Chris que estava procurando por alguém, pois não parava de olhar para os lados. Será que ele está procurando por mim? Senti um friozinho na barriga.

    — Se eu fosse você ia até aquele homem, antes que Hailey beije ele.  — ela apontou com um copo de vodka para Hailey, que estava praticamente se esfregando no Chris.

   Qual é a dela, sério. Por que todo homem que eu gosto a Hailey tem que se jogar para cima, ou ficar noiva? Ela é pior que cobra.

   Mas eu não vou até lá e fazer barraco, não por homem. E também não quero ser ignorada por ele, cansei.

  — Eu não vou até lá. Eu não ligo, eu e ele não temos absolutamente nada.  — falei tomando o copo de vodka da sua mão e virando de uma vez.  — E eu nem gosto dele tanto assim. — Enxuguei uma lágrima.

   — Ah, eu estou vendo que você não gosta dele.  — ela falou com sarcasmo.  — Bom, eu preciso voltar para o balcão.  — ela deixou a garrafa de bebida na mesinha e saiu.

  Peguei a garrafa e tomei no gargalo mesmo. Me esgasgando um pouco. Voltei a observar onde Chris estava e ele parecia estar brigando com a Hailey, a mesma não parava de rir.

  Será que ele gosta dela? O que ela tem que eu não tenho? Por que todos me trocam por ela? Por que eu não nasci loira também?
 
— Por que uma moça tão bonita está sozinha e chorando?  — Escutei uma voz rouca sussurrar em meu ouvido.

  Olhei para trás em busca da voz e encontrei um cara alto e negro, com um sorriso encantador. Eu devo estar horrível, com a maquiagem toda borrada.  E ele me chama de bonita? Corajoso.

   — Não tenho dinheiro para você dançar para mim. Eu só tenho…  — abri minha bolsa e tirei dois reais de dentro.  — Eu só tenho isso aqui.

  Ele riu e estendeu sua mão para mim. Nem pensei quando peguei sua mão, ele me levou para o centro da pista e fez eu sentar em uma cadeira.

   — Não se preocupe. Vai ser por conta da casa.  — ele deu uma piscadinha e sorriu de lado.

  E que sorriso meus amigos, que sorriso…

  Olhei ao redor e as pessoas deram espaço para a gente, e todos esperavam o que ia acontecer. Mas o que ia acontecer? O cara que me puxou até aqui, estava falando com o Dj, ele se virou para mim e veio calmamente em minha direção.
 
   Então Feeling good começou a tocar no local, o gostosão vinha em minha direção de uma forma sexy. Chegou bem perto de mim e sussurrou em meu ouvido:

   — Vou colocar um sorriso nesse rosto.  — sua voz estava tão sexy.

Ele se afastou e lentamente foi dançando, tirando a gravata e com ela amarrou as minhas mãos para trás. Ele dançava se esfregando em mim, mordia minha orelha. Quando percebi ele já estava apenas de cueca. Ele resolveu ser mais ousado e se aproximou para beijar a minha boca, nossas respirações estavam quentes.  E eu estava para ter um ataque. Mas então o cara foi puxado para trás, caindo no chão.

  Chris estava com o rosto vermelho de raiva e deu um soco no gostosão, digo... o rapaz. Chris também levou. Me levantei rápido com as mãos amarradas e fui apartar a briga, já que ninguém moveu um dedo para afasta-los.

   — Para, Chris! Sai de cima dele. Ele não fez nada demais.  — Gritei chutando o Chris, já que minhas mãos estavam amarradas.

  Os seguranças finalmente apareceram e tiraram Chris de cima do gostosão. Eu não sabia quem estava pior Chris ou ele.

  — Eu só não queria que ele beijasse você.  — ele gritou com raiva.

  Um segurança puxou ele e outro pegou o meu braço fazendo o mesmo.

  — O que eu fiz?!  — Gritei

   — Foi a culpada de toda essa confusão.



Notas Finais


Ha-Ha, Quer dizer que o bonitão pode beijar, mas ela não?
Aguardem mais tretas para o próximo capítulo!

Diz o que você acha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...