História Um ponto para tudo. ( Villian deku- bakudeku) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Eijirou Kirishima, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kurogiri, Personagens Originais, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toshinori Yagi (All Might)
Tags Bakugou Katsuki, Katsudeku, Midoriya Izuku, Villian Deku
Visualizações 36
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Aqui está o primeiro cap, lembre-se! É apenas um protótipo, ou seja, eu posso modificar muuitaaaa coisa daqui pra frente , espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Um ponto para tudo. ( Villian deku- bakudeku) - Capítulo 1 - Capítulo 1

Já basta.


Estou cansado de tudo, tudo.



" Ah, Além de órfão é sem individualidade"



"O pai dele morreu, é impossível que esteja vivo"


" Tenho pena deste garoto, ter uma infância sem pais, ainda não possuir uma individualidade".



"Sinto muito jovem, você não pode ser um herói sem ter uma individualidade."



"porque você não se mata? Talvez na sua próxima vida você tenha uma individualidade, hah!"



E você está certo Kacchan, eu não mereço viver, não tenho utilidade alguma.



Não importa o quanto eu te ame, você me menospreza.



E é por isso que eu o tomarei para mim de qualquer jeito.



- o início-


Aqui estou eu, na varanda do meu apartamento, apenas pensando numa maneira de me matar.



Hoje é o último dia de aula, com certeza o Kacchan irá tentar fazer o exame para entrar na U.A


Eu realmente não consigo tirá-lo da minha cabeça, aquelas palavras, oque me fez Acorda pra vida.



- eu não quero ir -- eu realmente não quero ir para escola hoje, aqueles caras com certeza irão vir me espancar.



Mas eu preciso terminar o ensino médio e começa a trabalhar, já que eu só sobrevivo porque o orfanato em que eu vivia me emprestou dinheiro para pagar o aluguel.



E sim... Eu dei adeus aquele sonho de ser herói, depois que all might abriu os meus olhos para a realidade.


Eu o odiei desde então, vendi todos os brinquedos que minha mãe tinha me dado Quando era pequeno, eu não aguentava ver a cara dele, eu pensei que ele me entenderia.


"- mas quem iria entender um fracassado?"


Eu odeio heróis, sempre fazem isso pra chamar atenção das câmeras ou por dinheiro.



- tsk. Eu vou de qualquer jeito -- meu cabelo havia crescido um pouco, eu não quero esquentar minha cabeça com isso. Visto o uniforme e crio coragem para colocar meus pés fora do apartamento.



- e lá vamos nós. -- saio com o maior desânimo.



ao chegar na escola já sentia olhares baterem em mim, como se quisessem me engolir por completo.




- O QUE FOI? QUEREM ME ENGOLIR POR ACASO? 



sussurro- esse garoto é louco.



Susurro - tem certeza que ele não é psicopata?



Susurro- ouvi dizer que seu pai era um vilão.



Mentiras, mentiras, E MENTIRAS.



O dia passa rápido, agradeço pelo Kacchan não ter vindo me importunar, parece até que eu consigo respirar um pouco de novo.



~por favor , Midoriya izuku comparecer a diretoria.~ 


Oque houve dessa vez?



Ao chegar na diretoria me deparo com a dona do meu antigo orfanato.



- sente-se por favor Midoriya. - escuto o diretor e me sento.



- Midoriya-san, sinto muito mas... O orfanato não poderá mais pagar seu aluguel, estamos passando por uma enorme crise, e decidimos cortar a o seu aluguel, e talvez não conseguiremos pagar a sua matrícula para uma escola boa.... 



- mas.... O eles irão me espulsar hoje se eu não tiver o dinheiro.



- realmente sinto muitíssimo, não queríamos fazer isso, você nos ajudou tanto, e não conseguimos retribui oque fez por nós, mas não temos mais condições de pagar seu aluguel.



- eu entendo....



- eu... Preciso arrumar minhas coisas então, adeus.



- sentimos muito!~ -- ela parecia chorosa, mas não passava de uma farsa.


Fecho a porta e escuto um "finalmente nos livramos deste estorvo".



Então acabou?

Tudo, eu não tenho mais rumo, não possuo uma individualidade, não tem como eu tentar conseguir algo que me mantenha de pé.



- o nerd chegou~ -- os amigos do Kacchan chegam para me atormentar.




- oque querem? Já não basta o Kacchan, agora vocês? -- olho para os lados e vejo que o Kacchan não estava por lá.



- hoje você está mais ousado nerd , porque não fechamos essa sua boca? -- um dos caras seguaravam agulha e linha.



Recuei rapidamente, esses caras pareciam falar sério, e ninguém tinha vindo os impedir, pelo contrário eles só sairam do local para não assisti a cena.



Dois deles me seguram pelos braços e pernas me pressionando contra a parede, o outro ria, ele se aproximou com a algulha do meu rosto e o fura, e por impulso eu acabo virando o rosto para o lado, fazendo um corte do lado da minha boca, os caras riam da minha cara, e rapidamente me levam em direção ao banheiro, eles me levaram direto ao vaso sanitário, estavam rindo para caramba da minha cara.





" Oque acha de dar o troco?" -- ecoou pela minha cabeça.



Eles enfiavam com força com a intenção de me afogar dentro daquele vaso, mal conseguia me mecher.





Esses caras são piores que o Kacchan.




Eu não conseguia respirar, estava prestes a apagar, até que uma descarga de adrenalina desce sobre mim e eu chuto a perna de um dos caras que estavam de segurando, assim ele acabou me soltando, e eu pulando pra cima de um deles, eu o socava pelo rosto, descarregando tudo, minha raiva, minha dor, de uma vez só nos socos.



Ele se debatia, e eu o socava mais forte, eu estava cansando de toda essa merda.



O seu rosto estava totalmente desconfigurado, os outros tinha saido correndo de lá, talvez tenham ido chamar um professor.



O cara tinha parado de se mecher,eu havia quebrado o seu tórax, ele nem respirava mais, estava morto.



Eu não parava de ofegar, meus punhos e meu rosto estava coberto pelo seu sangue, a única coisa que eu sentia era um alívio, eu poderia ter morrido afogado.



Meu corpo tremia, talvez tenha sido porque eu tinha acabado de matar alguém.



Eu não sabia como me sentia com isso, minha mente não parava de transbordar de pensamentos, como " oque eu fiz?".



Eu matei uma pessoa, não podia mais voltar atrás.



Mas... Porque eu me preucupo com isso? Foram eles que me deixaram assim, me deixaram de trás, sempre me deram as costas.



- hahahaha.... -- a única coisa que eu sabia era rir, eu havia acabado de matar alguém, e eu estava leve, como uma pluma.



- ..hahahahaha..... -- eu estava feliz, por ter acabado com um dos motivos da sociedade ser uma merda, essas pessoas que vivem me rebaixando.



-- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA - a sensação é boa, eu fiz apenas um favor para essa sociedade de merda.


Notas Finais


Então... Foi isso, espero que tenham gostado ( se bem que tá uma merda) Irei melhor nela e confirmo que o próximo cap será melhor que esse.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...