História Um porto seguro - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 18
Palavras 710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Um porto seguro - Capítulo 3 - Capítulo 2

Subi correndo para meu quarto, entrei debaixo do chuveiro, ainda com meus pensamentos no que aconteceu a tarde com o Chasse. Saindo do banho decido vestir um vestido florido, que marca bem a cintura. Resolvi deixar minhas longas mechas vermelhas solta, embora mamão não goste muito pois ela ainda insiste em cortar. Passo um batom claro. Estou pronta.

2 horas mais tarde...

-Nossa Ana, como você está esplendida minha filha 

-Parabéns Ana. Então vamos? Preciso descansar, hoje meu dia foi bem cansativo. -Mãe estava irritada, ela não estava receptiva hoje.

Não entendi o porque da ignorância dela, já que todos os dias eram cansativos, mas hoje parecia diferente. Será que foi pela conversa que teve com Chasse? Até ele estava diferente. Entrando no carro me encontro com Chasse, ele estava pensativo como sempre.

-Oi Chasse. Digo a ele dando meu melhor sorriso.

-Oi Ana. -Ele responde me retribuindo o sorriso.

O restante do caminho fizemos em silêncio, o que era bastante incomum. Todos pareciam tensos. Como estava muito entusiasmada não dei muita importância. Meu primeiro erro...

Ao chegarmos ao restaurante, escolhemos uma mesa próxima a saída, fizemos nossos pedidos. Meu pai aproveitou e pediu duas doses de tequila. Percebi que minha mãe ficou inquieta na sua cadeira, lançando a ele um olhar reprovador. Ele por sua vez não deu a minima importância. Quando nossos pedidos chegaram comemos em silêncio, o clima estava tenso demais, e meu pai estava bebendo muito.

O celular de minha mãe tocou, ela pediu licença se retirando logo a seguir da mesa. Pode ser do hospital.Assim que ela retorna, diz que precisa retornar ao hospital, pois surgiu uma emergência.

-Corre Louise, estão precisando de você lá. Sua familia não é importante.

-Você deveria se lembrar que salvo vidas.. Deveria parar de beber Joseph, está bêbado. Ana me desculpe, feliz aniversário.

Ela me dá um abraço apertado e me entrega um envelope, e diz pra mim abrir apenas quando estiver sozinha. Concordo com a cabeça, e o coloco dentro da bolsa.

-Vou levar o carro, Por favor chame um táxi pra levar vocês em casa. 

-Claro, você que manda Louise.

Depois que terminamos de jantar, meu pai coloca sua mão em minha perna e diz que tem uma surpresa inesquecivel pra mim esta noite. Acho a atitude dele estranha. Ele pede mais duas doses e a conta ao garçom. Assim que efetua o pagamento, pede que o garçom chame um táxi pra para nós.

Não imaginava que naquele dia começaria o meu drama. Assim que chegamos em casa, Joseph briga com Chasse sem motivo algum, puxa ele escada acima até o seu quarto e aos berros diz:

-Não saia daí seu muleque

Eu fiquei horrorizada com a cena, já que nunca o vi tratar Chasse assim. Fico petrificada ao pé da escada ouvindo os berros dele, me sentindo impotente, queria ajudar o Chasse. De repente escuto seus passos, ele vem até mim com um olhar tão diabolico...Sinto medo.

-Agora é você mocinha. Venha.

-Mas pai o que eu fiz??

-Você não é minha filha.. Cansei desse jogo, de fingimento, Louise te adotou sem meu consentimento e eu vivi todos esses anos engolindo em seco e tendo que te aturar. -Joseph esbraveja

Essa revelação caiu como uma bomba na minha cabeça, não entendi bem no início, o que era essa revelação.. e porque ele esta me falando disso agora? Sem conseguir dizer nada apenas o encaro.

Ele me puxa escada acima, apertando o meu braço, chegando diante do meu quarto ele me empurra pra dentro e tranca a porta logo atrás dele. O que aconteceu a seguir, não há palavras que possam descrever, fico imóvel, machucada, lágrimas não param de escorrer em meu rosto. Ele arrancou tudo de mim, naquele dia, tirou minha pureza.. Droga.. eu era apenas uma menina.

-Se falar disso pra alguém, eu te mato.

Não me movi, não falei nada, fiquei apenas olhando o vazio. Minha vida perdeu o sentido. Sinto tanta dor no meu corpo, mas não posso falar nada. Ele disse que ia me matar. O que eu fiz pra ele me machucar assim? Sempre fui uma boa filha. Porque ele fez isso? Tenho medo de fechar os olhos e ele voltar, Não consigo parar de tremer. O que vou fazer agora?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...