História Um pouco sobre nós - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jhope, Taehyung
Visualizações 77
Palavras 2.243
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá:)

Capítulo 11 - Capítulo 11


A janta finalmente chegou, Taehyung ouviu a campainha tocar e se dirigiu à porta para pegar o pedido.

- Eu juro que queria cozinhar para você, mas não tenho muitos dons culinários - Ana riu do comentário dele, pegou o hambúrguer que ele lhe entregou e deu uma mordida, fazendo cara de contente. Taehyung pareceu satisfeito com a reação da menina.

- Eu estava pensando nisso, se eu fizesse algo para você, poderia ser a melhor comida brasileira do mundo, mas se você não gostar de comida brasileira não vai adiantar nada - Ela riu.

- Mas eu prometo que experimento, já comi algumas coisas brasileiras quando estive no Brasil, não é de todo ruim - ele disse brincando.

- ha ha - Ana respondeu irônica, mordendo seu hambúrguer novamente.

-É brincadeira, aposto que vou gostar, e agora que falou nisso, fiquei com vontade... - Ana sorriu, ele fez uma pausa enquanto mastigava o hambúrguer - Jin hyung disse que vai me ensinar algumas coisinhas, da próxima vez você vai se surpreender.

- Vai ser difícil você superar esse hambúrguer - Ela disse, fazendo ele rir.

Ambos estavam sentados no chão apoiados no sofá da sala, ficaram conversando enquanto comiam. Ana se empolgava com a conversa e acabava sem conseguir terminar de comer, Taehyung foi bem mais rápido, ficou encarando a comida dela quando terminou seu hambúrguer, o dela ainda estava praticamente na metade.

- Quer um pedaço? - ela disse pegando-o de surpresa.

- Ah não, é que você come devagar - ele disse.

- Você que come rápido, não dá pra comer e falar ao mesmo tempo - ela encarou o hambúrguer - e está esfriando, culpa sua - falou brincando.

- É que eu estou animado para a sobremesa. - Ele disse, revelando seu famoso sorriso, Ana fez cara de interrogação

- Termine seu Hambúrguer enquanto eu pego a sobremesa - Taehyung falou quase tão rápido quanto se levantou do chão em direção a cozinha.

Ana respondeu um “ok” baixo, enquanto aproveitava para terminar sua comida.

Taehyung voltou alguns segundos depois, equilibrando um pote grande em uma mão com duas vasilhas em cima e outro pote na outra, com duas colheres sobre ele. Ana o encarou surpresa, já terminando seu hambúrguer e enrolando os guardanapos dentro do saquinho.

- Eu te ajudo – Ela disse, estendendo a mão para pegar as vasilhas e as colheres que ele levava. Tae agradeceu enquanto sentavam-se novamente, seu sorriso largo e animado.

- Comprei morangos e sorvete de chocolate pra gente – Ele disse orgulhoso, enquanto abria os potes e mostrava a sobremesa.

Ana sorriu, mais por conta dele do que da sobremesa, é claro que adorava sorvete e morangos, obviamente, mas o sorriso dele era infalível, deixava tudo melhor.

                Ela distribuiu as duas vasilhas e foi pegar seu sorvete, enquanto Taehyung destampava os potes, sem conseguir tirar os olhos dela. Ela pôs a primeira colherada na boca, estava com um gosto ótimo, ambos ainda sentados no tapete da sala, um tapete bem fofinho, era confortável, separados apenas pelos potinhos de sobremesa. Taehyung ainda não conseguia tirar os olhos dela, assim que ela tirou a colher da boca e engoliu o sorvete, ainda com um pouco nos lábios, ele se inclinou em sua direção e preencheu o espaço entre os dois.

            Ana não sabia se esperava ou não por aquele beijo, na verdade, era tudo o que queria desde que pusera os pés naquele lugar, mas ele sempre a surpreendia quando ela menos esperava.

            Ana sorriu quando ele finalmente separou seus lábios dos dela, ele ainda de olhos fechados. Foi um beijo como o primeiro, firme e sincero, um primeiro beijo desesperado, ela correspondeu imediatamente, passou as mãos pelos cabelos dele, segurando seu rosto e retomando o contato com a boca dele. Taehyung estava quase inclinado sobre ela, tirou rapidamente os potinhos e vasilhas do caminho, colocando-os de lado, mas sem se separar dos lábios dela, com uma das mãos ele segurou o quadril dela e a outra usou para dar apoio no chão.

            O beijo se aprofundou, Ana deixava ele explorar toda a sua boca, assim como ela fazia com ele, mordeu o lábio inferior dele de leve, o que rendeu um sorriso surpreso dele. Tae a encarou, com o nariz pressionado contra a bochecha dela, a boca há poucos centímetros da dela, fechou os olhos de novo e a segurou ainda mais forte enquanto juntava seus lábios novamente. Taehyung juntou-se ainda mais a ela, inclinando-se quase completamente por sobre ela, evitando qualquer espaço que pudesse ficar entre eles, Ana correspondia aos movimentos dele, até que, quando se deram conta, Ana estava deitada no tapete da sala com Tae por cima dela, seu peito encostado sobre o dela e as pernas entre as delas, apoiando-se com os joelhos para não deixar todo seu peso sobre a menina.

            Ambos riam sem saber se ficavam com vergonha ou não, mas era uma posição tão confortável, ela pensou. Após o beijo intenso, Tae deu pequenos selinhos nos lábios dela, então saiu de cima de Ana e deitou-se ao seu lado. Ela se aproximou dele, encaixando a cabeça no pescoço dele, dando leves beijinhos, ganhando pequenos risos e arrepios dele. Tae entrelaçou as mãos na dela.

            Ouviram alguns passos descendo a escada e se aproximando, sem tempo deles se levantarem, na verdade nem um dos dois fez menção de sair daquela posição. Logo uma cabeça apareceu por trás do sofá, ambos o encararam ainda deitados de costa no chão, lado a lado. Namjoon os olhava confuso e apreensivo, apoiando os cotovelos no encosto do sofá.

            - Vocês sabem que estão fazendo isso errado né – Ele disse – Não tem janela nem claraboia, quer dizer, vocês estão literalmente encarando o teto.

            Ana e Tae riram como resposta.

            - Vocês dois são tão estranhos.

            Ana se levantou vagarosamente enquanto Namjoon contornava o sofá em direção a cozinha, que ficava logo depois da sala. Tae continuou deitado e franziu a testa frente a atitude dela, sem soltar sua mão.

            - Obrigada – Ela respondeu ao comentário de Namjoon – Quer sorvete?

            - Ah, acho que não – Namjoon respondeu encarando o potinho a distância – Isso está mais pra uma sopa no momento, então eu acho que passo.

            Ana rapidamente se virou para o pote de sorvete do lado de Tae, já com a primeira camada praticamente toda derretida.

            - Acho melhor eu guardar isso, Tae – Ela avisou, enquanto esticava a mão livre em direção ao pote.

            - Mas eu nem comi ainda. – Ele reclamou, ela apenas arqueou a sobrancelha como resposta, tampou o pote com algum esforço, já que uma de suas mãos ainda estava presa a de Tae, ele a observava ainda deitado.

            Antes que ela se levantasse para guardar o sorvete, Tae a puxou contra si novamente, Ana apoiou os braços no tórax dele. Ele a beijou novamente antes de soltá-la para que guardasse o sorvete na geladeira.

            Namjoon subiu de volta para seu quarto, Ana sentou-se novamente ao lado de Tae, que comia alguns morangos, sem sorvete.

            - Seu celular – Ele disse assim que ela se aconchegou ao lado dele – Apitou.

            Ana puxou o celular de cima do sofá atrás dela, havia recebido algumas mensagens de sua mãe, fazia algum tempo que não se viam, desde que Ana começara no novo emprego e a mãe saiu para trabalhar temporariamente no Japão. Ana contou a ele sobre ela, o fato de sua mãe ser uma maquiadora e artista famosa, o que a ajudou a seguir a mesma carreira. Taehyung ouvia atento, um braço apoiado em volta dos ombros dela, ela lhe contou um pouco mais sobre a própria família, o pai que estava no Brasil, com a madrasta de Ana e sua irmã mais nova, além do irmão mais velho, que ia se casar no Brasil em alguns dias. Tae contou-lhe sobre os irmãos e os pais também, alegremente.

            - Quero ir vê-los em breve – Tae falava dos pais.

            - Eu também – Ana respondeu.

            - Você... está pensando em voltar para o Brasil? – Taehyung perguntou relutante. Ana respirou fundo antes de responder.

            - Eu não sei, Tae. Você sabe que eu deixei a faculdade lá... Mas eu não, eu não quero voltar. – Ela respondeu finalmente.

            - Falando em voltar – Ana retornou a si, se dando conta que o tempo passara muito mais rápido do que ela provavelmente pensava – Eu preciso ir, Tae, já está ficando tarde.

            - Você pode ficar aqui, pode passar a noite se quiser – Ele respondeu avidamente, com um olhar de cachorrinho pidão. Ana contraiu os lábios. – Eu durmo no sofá, você pode ficar no meu quarto.

            - Eu realmente preciso ir. Tenho muita coisa pra fazer amanhã. – Ela respondeu, já se levantando e desvencilhando-se dele.

            - Jin hyung pode te levar para casa, ele já deve estar voltando com os outros, posso ligar pra ele...

            - Não precisa, eu pego um táxi, não tem problema, Tae – Ela disse, alinhando-se a ele, puxou seu queixo para baixo e deu um selinho em seus lábios – Obrigada.

            Tae retribuiu o selinho com um abraço, envolvendo-a por cima dos ombros e apoiando seu queixo por cima dela. Acompanhou-a até a porta, enquanto Ana esperava o táxi. Despediram-se com o que era para ser apenas outro selinho, mas que foi aprofundado por Tae, Ana teve que separar o beijo após alguns segundos, para que não perdesse o táxi, então saiu.

***

            Apesar do cansaço, Ana não conseguiu dormir imediatamente, trocou mensagens com a irmã mais nova assim que chegou em casa, pelo visto a irmã havia se esquecido do fuso horário. Ana perguntou novidades do Brasil e ficou sabendo da vontade da irmã de ir à Coréia no ano seguinte, pretendia morar com Ana durante alguns meses, antes de decidir qual faculdade faria ao voltar para o Brasil. Ana apoiou a ideia contente, sentia saudades dela.

            Quando olhou para o relógio já eram quase 4 horas da manhã, despediu-se da irmã e dormiu. Acordou no domingo às 14 horas, surpresa com o quanto havia dormido. Apesar de tudo, sentia-se um pouco pesada, e com uma leve dor de cabeça só de pensar no apartamento que precisava arrumar.

            Ana terminou a limpeza do apartamento e foi ao mercado, quando terminou de colocar tudo em ordem, recebeu um telefonema da mãe, conversaram por horas. Ao fim do dia, Ana foi dormir cedo, exausta pela faxina. Releu as mensagens que havia recebido de Tae no dia anterior, agradecendo a visita dela seguido de uma foto de uma vasilha cheia de sorvete de chocolate, Ana deixou escapar um sorriso, ela havia respondido assim que chegou em casa, antes de dormir.

 Queria ligar para ele, mas estava sem crédito no celular, as mensagens que trocara com a irmã e depois a ligação da mãe consumiram todo o seu saldo, no dia seguinte Ana pretendia conversar com Hye para descobrir quais despesas a empresa realmente cobria quando se tratava do celular e do chip que havia recebido quando aceitou o emprego. Já era domingo à noite, e não havia muito o que ela pudesse fazer, deixou o celular no canto e deitou-se impaciente.

 

***     

No dia anterior...

- Caio… - Ela disse suave, mas decidida - Eu acho que você precisa saber que eu gosto de outra pessoa agora.

Ele apenas bufou desanimado, depois sorriu amarelo para ela:

-Ah sim, claro… Eu entendo, você deve estar indo encontrar com ele, bom…. divirta-se, se precisar de mim, estou aqui.

Caio apoiou o corpo contra o balcão do caixa, observando Ana desaparecer em direção à estação de metrô, estava de cabeça baixa, sem conseguir notar o olhar de Minji a sua frente, visivelmente contrariada. Logo olhou para frente, colocando-se firme novamente, suspirou e encarou Minji amistoso, ela juntava sua coragem para finalmente perguntar:

- Então... você gosta dela? – Perguntou com um sussurro desesperado.

- Eu acho que sim – Ele respondeu sincero, então sorriu como sempre fazia, descontraído como uma criança, deveria seguir para o trabalho e esquecer de tudo aquilo, ainda pensava muito em Ana, mas sabia que era melhor para ele superá-la. Ajeitou o uniforme no corpo e seguiu para os fundos da loja, deixando Minji sozinha no caixa, se sentindo levemente atordoada.

Ao chegar no depósito, ainda pensava em Ana, ficou encarando o vazio por alguns segundos até se dar conta de que não lembrava o que viera fazer ali. Riu de sua própria situação, não se sentia tão mal quanto pensara quando imaginou como seria se Ana o rejeitasse, caminhou devagar pelos fundos da loja até alcançar a sala dos funcionários, onde deveria pegar seu celular, guardado no escaninho, e conferir qual eram as demandas do dia na agenda.

Abriu a porta da sala dos funcionários lentamente, não esperava ver ninguém ali àquela hora, mas se surpreendeu ao avistar Minji apoiada contra um dos escaninhos no canto oposto à porta, ela estava de costas. Caio ignorou o fato inicialmente, ela poderia ter ido ali para trocar o uniforme ou pegar alguma coisa, com uma única exceção: aquele não era o escaninho dela, Minji estava debruçada sobre as coisas de Caio, a porta do escaninho aberta já que não possuía tranca. Ele aproximou-se dela lentamente, até conseguir ver, por cima dos ombros da garota que ela trazia um celular as mãos, mas não qualquer celular, o celular dele, e digitava alguma coisa na tela de mensagens. Mas o que mais chamou a atenção dele não parava por aí, era para quem ela digitava, o endereço das mensagens: o número de Ana. 


Notas Finais


Então, o que acharam?
Digitem nessa linda caixinha de comentários! Bjos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...