História Um Presente Indesejado - Vkook/Taekook - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Híbrido, Hybrid, Jihope, Jungkook Híbrido, Kooktae, Kookv, Namjin, Taekook, Vkook
Visualizações 3.710
Palavras 4.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HELLOOOOOOOOOOO BEBÊS!
MEU DEUS DO CÉU...
52 FODENDO COMENTARIOS NO CAPITULO PASSADO, O QUE FOI ISSO BRASEEEL? OBRIGADA POR TODOS ELES, IREI RESPONDE-LOS DEPOIS :)
Gente do céu, foi um sacrifício fazer esse capítulo...
Eu ficava insatisfeita com tudo que eu escrevia! Tive que reescrever tudo umas duas vezes! Ele não ficou muito bom, mas esse é o máximo que eu posso fazer ;-; Por algum motivo desconhecido eu consegui fazer mais de quatro mil palavras aeeee!

Pra galerinha que gosta de ouvir uns moans enquanto lê o capítulo, eu irei deixar os links dos meus favoritos lá nas notas finais!

Boa leitura e me perdoem os erros, eu ainda não revisei. 💖

Capítulo 24 - Ajudando o Jungkook


— Y-Yoongi, que história é essa de cio? — Me apoio no batente da porta para não desmaiar ali mesmo. Isso não podia estar acontecendo comigo.

— Cio ué, vai me dizer que não sabe o que é? — Ele estava falando tudo muito calmamente enquanto eu estava morrendo de desespero.

— Eu sei, mas por que ele teria isso?

— Porque ele também é a porra de um coelho, Taehyung. Você já deveria ter entendido que ele não é como um humano completo e que tem hábitos diferentes do nosso!

— Tá, mas o que eu devo fazer agora? Existe algum remédio para essa dor?

— Ter até tem né, mas a farmácia que vende esse tipo de medicamento fica à mais de duas horas daqui.

— Eu vou ir lá buscar. Me passa o endereço?

— Ficou maluco? O Jungkook não iria aguentar até você voltar, a dor é muito forte e você demoraria mais de quatro horas pra ir e voltar.

— Como você sabe de tantas coisas assim?!

— Esqueceu que eu também estou ficando com um híbrido? Ele já passou por algo assim quando eu fui visitá-lo, então eu fui lá e o ajudei.

— E como você ajudou? Levou ele pro hospital? Comprou remédio?

— Nenhuma das duas alternativas.

— Então o que você fez?!

— Coisa simples, sexo.

— C-C-Como é que é?! — Yoongi estava me deixando cada vez mais nervoso e eu não estava gostando do rumo daquela conversa.

— É sério que eu preciso explicar como que se fode alguém? Você pega o seu pau e enf-

— Não Yoongi, não precisa. Mas por que tem que ser isso?

Porque o cio é uma época do mês em que o híbrido fica louco pra dar então o sexo é um método eficaz, sem hospital e sem remédio. Apenas você e o seu pau. — Eu até poderia rir do jeito que ele falou se eu não estivesse morrendo de nervoso.

— E-Eu vou ter que fazer isso? Sério mesmo?

— Lógico que sim, ou você vai deixar o Jungkook sentindo dor?!

— Mas a dor é tão forte assim? Ele não poderia esperar eu ir até a farmácia?

— Imagine alguém rasgando todas as suas entranhas junto com teu baixo v—entre queimando de dor e tua rola dura igual uma pedra. Agora imagine sentir isso piorando cada vez mais por quatro horas. Ainda acha que essa dor é a mesma coisa de bater o dedinho na quina do sofá? — Só dele ter dito aquelas palavras eu tive calafrios de imaginar essa dor.

— Então realmente não tem outra alternativa? — Eu tentava de todas as formas encontrar uma maneira de reverter essa situação.

— Não, Taehyung. No momento não. Ou você fode ele, ou você fode ele. — Ele dá as costas e vai até o armário pegando várias camisinhas e jogando tudo em cima de mim.

— P-Pra quê tudo isso? É só hoje, cara…

— Só hoje? — Ele ri soprado. — Só se for nos seus sonhos porque você vai ter que transar pra caralho por sete dias.

— MAS O QUE?! U-U-UMA SEMANA?! — Nesse momento minhas pernas não suportaram meu peso e eu caí de joelhos no chão. — Não, não, não, não pode ser! Eu não posso fazer isso de jeito nenhum! — Eu estava entrando em desespero cada vez mais, e o Yoongi só estava me deixando mais nervoso ainda.

— Deixa de drama, claro que você pode, até parece que eu não sei que você fica tarando ele. Você só ignora esse fator porque acha ele inocente demais pra essas coisas. Mas eu tenho certeza absoluta que você sente vontade de transar com ele, não adianta mentir. Eu já passei por isso com o Woozi também.

— Tenho vontade sim, mas nunca avancei no sinal. E sinceramente eu não quero avançar agora, não desse jeito tão… tão… tão… inesperado!

— TAEHYUNG! — Ouço um grito esganiçado do Jungkook no quarto da frente junto com alguns outros resmungos que não consegui compreender.

— Tá vendo, Taehyung? Ele não está suportando mais a dor, se não quer fazer isso por você, pelo menos faça por ele.

Eu não podia deixá-lo sofrer assim, mas eu estava tendo uma batalha interna entre escutar os conselhos do meu irmão ou tentar encontrar outra solução. Essa dúvida só iria me fazer perder tempo e deixar o Jungkook sofrendo mais, mesmo com o desespero apossando todo o meu ser eu escolho o que é certo, eu irei fazer isso.

— Tá, já que eu não tenho escolha eu faço. — Suspiro pesadamente com essa decisão, é bem provável que eu irei me arrepender dessa escolha depois que tudo isso acabar, mas se é para um bem maior eu vou ter que fazer isso querendo ou não.

— Boa escolha, garoto. — Ele começa a arrumar uma mochila com algumas peças de roupa.

— Onde você vai?!

— Vou ficar na casa do Woozi, ou você acha que eu vou ficar aqui ouvindo os gemidos de vocês dois?!

— Ah, certo…

— E tem mais uma coisa, os híbridos quando estão no cio são praticamente insaciáveis, você vai ter que ter muita disposição porque dizem que coelhos são animais muito transantes. Agora eu vou dar o fora daqui, você já demorou muito e eu já dei conselhos mais que suficientes. Boa sorte, maninho.

— Mas Yoo-

— Não se preocupe tanto assim, não é como se você nunca tivesse transado antes. Apenas relaxa e aproveita, ok? — Ele toca em meu ombro e vai embora sem deixar eu dizer nada.

— T-TAEHYUNG! CADÊ VOCÊ?! — Jungkook solta outro grito e eu congelo ali mesmo.

Eu sabia muito bem o que tinha que fazer mas o meu corpo não se movia um centímetro, eu mal tinha forças para sair do chão e ir até o meu quarto.

— TAETAE?! V-VOCÊ ME ABANDONOU? NÃO ME DEIXE SOZINHO, POR FAVOR! ESTÁ DOENDO M-MUITO! — Sua voz estava chorosa e ele falava entre resmungos de dor e soluços.

Mesmo estando fora do quarto onde ele estava, o cheiro inebriante do Jungkook já havia se espalhado por todo o segundo andar da casa. Era um cheiro maravilhoso, como se morangos estivessem sendo mergulhados no chocolate. Só de imaginar que aquele cheiro estava por todo o corpinho bonito de Jungkook eu pude sentir o meu membro despertar dentro da calça. Como que um cheiro pode me deixar tão extasiado e excitado assim?

Não sei de onde tirei forças pra isso, mas consegui me levantar do chão e ir à passos lentos e pesados até o meu quarto. Meus olhos se arregalaram quando eu fiquei de frente pra cama e vi o estado dele.

Ele estava sentado com as costas na cabeceira da cama apenas de cueca boxer e de pernas abertas, seu rosto estava cheio de suor e a franja estava molhada também, as bochechas estavam avermelhadas e ele respirava descompassadamente com os lábios rosados entreabertos. Senti que poderia gozar só de olhar.

— Puta que me pariu… — Fecho os olhos e viro o meu corpo, dando as costas pra ele. Tentei respirar fundo para me acalmar mas não adiantou nada já que a única coisa que eu sentia era aquele cheiro fodidamente gostoso entrar em minhas narinas.

— T-Taehyung! Me ajuda…

Eu ainda permanecia de olhos fechados e sem dizer nada, estava imerso em meus próprios pensamentos tentando raciocinar o que eu deveria fazer agora. A única coisa que se repetia na minha cabeça era "Vai lá e fode ele". Eu sabia que era exatamente isso que eu tinha que fazer, mas eu não tinha coragem suficiente pra isso.

Sou tirado dos meus pensamentos quando sinto algo pular em mim, ou melhor, alguém. Eu não estava esperando por esse ataque e acabei me desequilibrando caindo sentado na cama com Jungkook em meu colo.

Tive vontade de sair correndo e fugir como um ladrão foge da polícia, mas eu não poderia fugir pra sempre. Eu teria que enfrentar isso de uma vez por todas e tirar o sofrimento dele — e o meu também.

— Taehyungie… D-Dói… — Ele começa a rebolar em meu colo me deixando congelado de novo. Eu não sabia o que fazer, na verdade eu sabia sim, só não sabia como eu iria fazer isso. — Ahn, o-oppa… — Sua fala saiu mais como um gemido manhoso, e sem pensar eu acabei segurando firmemente em sua cintura o puxando pra baixo. — O-Oppa… Ajuda o Jungkookie… — Ele nunca havia me chamado de oppa antes e também nunca havia falado em terceira pessoa, ouvir ele dizer aquilo dessa forma tão manhosa e cheia de provocação me fez soltar um suspiro em excitação.

Nossos membros se roçavam de forma deliciosa e nossas respirações ofegantes se mesclavam.

Eu estava igual a um imbecil parado apenas olhando para as expressões de dor e prazer que ele sentia se remexendo em cima de mim. Minha vontade naquele momento era de beijar aqueles lábios macios e deixar seu pescoço e seu corpo cheio de marcas. Mas eu não conseguia me mover, era como se eu estivesse petrificado.

Antes que eu pudesse falar ou fazer algo, sinto Jungkook colar seus lábios nos meus e me beijar de forma necessitada. Aquele beijo foi me descongelando aos poucos e eu finalmente comecei a reagir, o beijo estava sendo um pouco desengonçado pelo fato de Jungkook gemer e resmungar entre o ósculo, mas isso não o fez ficar menos gostoso, pelo contrário. Nunca me cansaria de beijar aquela boca gostosa.

O calor se apossava do meu corpo a cada segundo e as roupas estavam começando a me deixar incomodado, por essa razão eu tive que tirar ele do meu colo e ter espaço para tirar as minhas roupas, permaneci apenas de cueca boxer e voltei para a cama, não demorou muito para que Jungkook voltasse para o meu colo novamente e começasse a rebolar. Ele jogava sua pélvis pra frente e aquilo estava me deixando mais excitado.

Não estava aguentando mais, tanto eu quanto ele estávamos cheios de tesão. Não tinha como ter sanidade naquele momento.

Ah, que se dane o autocontrole! Deus que me perdoe, mas eu iria foder o meu Jungkookie com todas as forças.

— Taehyungie-ah, ajuda o Kookie… — Pediu manhoso.

— Eu vou ajudar, amor… — Dessa vez eu que tomo a iniciativa de beijá-lo, atacando seus lábios com vontade. Algumas vezes nossas línguas se enrolavam fora da boca e depois voltavam, fazendo o barulho do beijo ser ouvido. Nunca tínhamos nos beijado tão intensamente assim.

Tiro ele do meu colo e o deito na cama, desço meus beijos até o seu pescoço dando chupões e mordidas.

— Tae- AAAH… — Ele não consegue terminar a frase quando eu comecei a lamber e a mordiscar o seu mamilo esquerdo e a passar meu polegar no direito. Fiz isso em seus dois botões rosados, alternando entre um e o outro. Me dei por satisfeito quando eles ficaram roxos o suficiente e continuei descendo a trilha de beijos por todo o seu abdômen arrancando gemidos sôfregos dele.

— O que você quer que eu faça, hm? — Me afaso minimamente dele, mas o suficiente para que ele colocasse um muxoxo no rosto.

— F-Faz carinho aqui… — Ele pega em uma das minhas mãos e a coloca por cima do seu membro coberto pela cueca. — Ahnn, T-Taehyungie… — Ele geme arrastado quando eu faço uma masturbação lenta por cima do tecido. — T-Tira isso de mim… — Ele tentou tirar a peça de roupa mas ele estava sem forças para puxar.

— Deixa que eu tiro. — Seguro na barra da cueca a puxando para baixo, ela já estava completamente encharcada de lubrificação, esta que escorria em abundância pelas pernas do Jungkook.

— Hm… Continua, o-oppa… — Ele coloca minha mão sobre o seu pênis novamente.

Volto toda a minha atenção para o seu membro rijo e o envolvo com a minha mão, o masturbando lentamente.

— Ahnn, m-mais rápido… — Atendo seu pedido, aumentando a velocidade. Quando percebo que ele estava prestes à gozar eu paro com os movimentos, arrancando um rostinho emburrado por parte dele.

— P-Por que parou? — Ele fez um bico.

— Você foi um bom menino esses dias então eu vou te recompensar com um pirulito, quer chupar o pirulito do TaeTae? — Eu estava cheio de tesão e meu pênis também precisava de atenção.

— Q-Quero… — Ele engatinha até mim e eu tiro minha cueca, suspirando aliviado.

— Chupe como você faz com o pirulito só não pode morder, tudo bem?

— Ok! — Sem dizer mais nada ele pega em meu membro o envolvendo com a mão e me masturba algumas vezes antes de o abocanhar, o chupando com vontade. Gemi mais alto do que imaginava quando senti minha glande tocar em sua garganta.

— Kookie-ah, sua boca é maravilhosa…

Acabei não aguentando e segurei em seus cabelos com firmeza ditando a velocidade dos movimentos fodendo aquela boquinha que abrigava meu pênis de um jeito maravilhoso. Quando suas unhas curtas arranharam as minhas coxas senti que não poderia aguentar por muito tempo e cheguei em meu ápice, gozando em sua boca. Ele engoliu tudo sem reclamar e no final passou concentradamente a língua por toda a minha glande, limpando os resquícios de gozo. Tão lindo…

— TaeTae, seu leitinho é muito bom… — Ele sorri sapeca e passa a língua nos lábios, os limpando.

Apesar de eu ter gozado eu ainda estava duro. Jungkook ainda não tinha gozado, mas eu iria resolver essa "injustiça" agora.

— Empina o bumbum pra mim, amor... — Peço e ele obedece prontamente. A visão dele de quatro, seu pompom balançando frenticamente e sua entrada rosada tão à mostra fez meu membro pulsar de imediato.

— Taehyungie, o que você vai fa- AAAH! — Introduzo minha língua em sua entrada o penetrando, aquele cheiro gostoso não vinha apenas da pele dele, mas também de todo aquele lubrificante natural que saía de dentro de si. — Ma-Mais… — Ele soltava gemidos manhosos e rebolava contra minha língua. Tirei minha língua de lá quando me senti satisfeito.

— Fica deitadinho, bebê... — Seguro em sua cintura e deixo ele deitado de barriga pra cima e com as pernas abertas. Enfio dois dedos em sua entrada fazendo movimentos de tesoura, eles deslizavam facilmente por conta do lubrificante.

— TaeTae, ahnn… M-Mais fundo… — Continuo movendo meus dedos até achar que ele está preparado o suficiente e retiro eles depois de um tempo. Era engraçado de ver seu rostinho bravo quando eu interrompia os estímulos.

— Oppa… Eu quero mais…

— Você vai ter mais, amor… — Pego um dos pacotes de camisinha que o Yoongi havia me dado e envolvo uma delas em meu pênis. — Se doer você me avisa, ok? — Recebo apenas um aceno positivo em resposta e coloco suas pernas em volta de minha cintura, posicionando minha glande em sua entrada e o penetrando devagar.

— H-Hyung, está doendo… — Ele solta um resmungo de dor.

— Vai passar… — Enfio todo o meu pênis e espero ele se acostumar com o volume dentro de si. Vou até seus lábios e dou um beijo um pouco desajeitado para que ele se esquecesse da dor.

— Taehyungieee… — Ele geme rebolando contra meu pênis e começo a me movimentar devagar dando estocadas leves.

— Ah, merda! Como você é apertado… — Gemi completamente embriagado de prazer.

— AHNN, M-MAIS RÁPIDO! — Ele solta um gemido alto e agudo e eu aumento a velocidade, indo mais fundo. Seu interior pulsava apertando ainda mais meu pau dentro de si.

Inesperadamente meu celular que estava em cima do criado-mudo começa a tocar, me surpreendi de ter conseguido ouvi-lo em meio à tantos gemidos.

Estico meu braço alcançando o aparelho e leio o visor, vendo que era minha mãe que estava me ligando. Não poderia recusar a ligação e nem ignorá-la porque ela iria ligar trezentas vezes até que eu atendesse, então o jeito seria falar com ela.

Respiro fundo e aceito a chamada, levando o celular até a orelha.

— Alô, mãe? — Tento normalizar a minha respiração enquanto continuava estocando Jungkook.

— Oi, meu bebê! Como estão as coisas por aí? Você e os meninos estão bem?

— E-Está tudo bem sim, estamos todos ótimos. — Não consegui evitar e dou uma vacilada na voz.

— O que você está fazendo? Sua voz está estranha… — Fodeu, e agora?

— A-A-Ah, não é nada de importante. Estou correndo de esteira na academia do prédio.

— E esse barulho de coisas batendo? Tem alguém com você? — Nesse momento eu apenas pedia à Deus para que ele me ajudasse a sair dessa.

— É… É apenas o Jungkook, ele está aqui comigo e tá batendo palmas.

— Que estranho, parece que ele está gemendo… — Ela diz e eu me engasgo com a saliva.

— G-Gemendo? Que história é essa? Haha, claro que não. Ele tá brincando com o cachorrinho e está imitando um gato pra ele, só isso…

— Por falar em cachorro você nem me enviou uma foto dele, eu e seu pai estamos morrendo de curiosidade para saber como ele é!

— Desculpa, eu irei enviar mais tarde…

— TAETAE, VAI MAIS RÁPIDO!

— E-Eu tô tentando, Jungkook. Eu tô tentando…

— Ele quer que você vá rápido no quê, Taehyung? — Droga! Conhecia bem esse tom desconfiado dela.

— Não é nada não, mãe. O Kookie só está duvidando que eu consiga correr rápido na esteir- AH, CARALHO! — Sinto que meu ápice estava próximo e não consegui ficar calado.

— Meu filho! O que aconteceu com você?!

— N-Nada mãe, acho que torci o tornozelo. Vou ter que desligar, ok? Não se preocupe, eu estou bem. Beijos, te amo. — Não espero ela responder e finalizo a chamada, jogando o celular na cama sem me preocupar se ele quebraria ou não.

— AAAHN H-HYUNG, VAI ALI DE NOVO! — Acerto sua próstata e tento estocar nesse mesmo lugar várias vezes.

Jungkook não iria aguentar por muito tempo, seus olhos estavam revirados e ele mantinha a boca aberta com a língua de fora e resmungava coisas desconexas.

Alcanço seu membro o masturbando algumas vezes e ele solta um grito alto, chegando em seu ápice e sujando minha mão. Dou mais algumas estocadas e eu gozo logo em seguida.

Me retiro de dentro dele e tiro a camisinha dando um nó nela e a jogando no baldinho ao lado da escrivaninha. Me deito ao lado dele, completamente ofegante.

— TaeTae, isso foi bom... — Ele diz em um fio de voz se aconchegando em mim.

— Foi mesmo... — Sem perceber, minhas pálpebras se fecham pelo cansaço e eu acabo dormindo.

(…)

Sinto algo peludo roçando em meu nariz e sou obrigado a abrir os olhos por conta da coceira irritante, vi que eram as orelhas de Jungkook pois ele dormia em meu peito. Ouço meu estômago roncar e tiro Jungkook delicadamente de cima de mim, o deixando em uma posição mais confortável.

Pego meu celular e saio da cama lentamente para não fazer movimentos bruscos e vou caminhando na ponta dos pés para não fazer barulho, visto minha cueca e desço as escadas indo até a cozinha vendo o Snow olhando fixamente para o pote de ração que estava em cima do armário.

— Você quer comer? — Chacoalho o pote e ele solta um latido enquanto balançava o rabo. Acredito que isso seja um sim. Despejo um pouco de comida em seu pratinho e sem esperar muito ele já atacava a ração.

Desbloqueio meu celular e tiro uma foto dele, enviando para a minha mãe em seguida. Tenho certeza que ela e meu pai irão morrer de amores quando verem a foto. Mal sabem eles que esse filhote é um demônio…

Abro a geladeira à procura de alguma coisa gostosa e encontro um x-burguer que havia comprado mas esqueci de comer. Removo a embalagem e coloco para descongelar no microondas. Tiro ele quando ficou pronto e coloco o alimento em um pratinho.

Me sento na mesa e dou uma mordida generosa no lanche aproveitando o sabor, não tinha comido mais nada depois que almocei.

Sinto alguém me observando e vejo o Snow me olhando como se quisesse um pedaço.

— Nada disso, mocinho. Você acabou de comer e esse lanche é meu! — Dou outra mordida na comida. — Vai brincar na varanda e me deixe comer em paz, ok? — Ele apenas permaneceu parado enquanto latia várias vezes. — Tudo bem, vou te dar apenas um pedaço. — Arranco um pequeno pedaço do hambúrguer e jogo no chão.

Esperava que ele morderia aquilo rapidamente, mas ele só cheirou um pouco e depois começou a latir da mesma forma pra mim.

— Você está latindo pra quem, afinal? Pra mim, ou pro lanche? — Dei de ombros e dei uma outra mordida no lanche, ou melhor, tentei. Senti algo tocando em mim e acabei me assustando, mordendo apenas o vento. Olho para o lado esquerdo e vejo que o pulguento continuava latindo no mesmo lugar, olho para o direito e também não vejo absolutamente nada.

— Snow, você convidou algum fantasma ou o Satanás pra te fazer uma visita e não me avisou? — Sinto novamente algo tocando em minhas coxas, puta merda, e se for uma barata? — Me afasto minimamente para conseguir olhar e vejo a tal coisa que me cutucava ali de baixo da mesa. Jeon Jungkook.

— O que você está fazendo aí, ein? — Cruzo os braços vendo sua mão boba em cima da minha cueca. — Não me diga que… — Deixo a frase morrer no meio do caminho.

— TaeTae, eu quero você dentro de mim de novo… — Ele coloca a mão dentro da cueca, me masturbando.

— Jeon Jung- Ah, inferno! — Sinto o calor aparecer novamente e aquela onda de excitação voltar. Quando me dei por si eu já estava pelado de novo com ele me chupando. — Jungkook-ah… — Alcanço seus cabelos por baixo da mesa, os puxando e empurrando sua garganta contra o meu pênis. — Porra, você é tão bom nisso… — Desconto o prazer fincando as unhas na minha coxa. Não queria me desfazer tão rápido assim então puxo seus cabelos tirando a boca dele do meu membro. — Sai de baixo da mesa, amor… — Me levanto da cadeira dando espaço para ele sair.

— Taehyungieeee! — Ele estica seus bracinhos querendo colo.

— Você é um bebê muito manhosinho, sabia? — Pego ele no colo o colocando sentado na mesa. — Se continuar assim eu vou te morder. — Fico entre suas pernas e ele as enlaça em minha cintura.

— Pode morder, oppa…

— Olha que eu mordo mesmo… — Dou um sorriso safado e me aproximo dando uma mordida em seu lábio inferior. — Mordo, beijo, chupo, aperto, faço de tudo… — Dou um tapa estalado em seu bumbum descoberto.

— Hyung… Faz aquilo de novo, faz?

— Fazer o quê? Te foder?

— Se foder for aquilo que você fez comigo aquela hora, sim… Você vai me foder de novo, TaeTae? — Ele pedia aquilo de um jeito tão fofo que era como se estivesse pedindo uma balinha.

— Vou sim, amor… Mas antes eu preciso buscar a cam-

— É esse balãozinho estranho aqui? Eu vi você colocar isso e trouxe comigo!

— Mas que bebê inteligente você é! Isso mesmo, lindo. — Pego o preservativo de suas mãos e coloco em meu pênis. — Ei, você! — Percebo que ainda havia um entruso entre nós, o cachorro ainda permanecia no mesmo lugar. — Isso não é coisa de criança, vai brincar lá fora! — Aponto para a varanda e ele parece entender que iria estar sobrando e vai embora. Me surpreendi por ele ter me obedecido pela primeira vez na vida.

— TaeTae! Vai logo!

Tiro o lanche de cima da mesa e o coloco na bancada, ele iria ter que ficar pra depois porque eu tenho que comer outra coisa agora…

— Como você é afobado, nossa! Se reclamar de novo eu demoro ainda mais. — Inicio um beijo lento e provocante deixando ele menos apressado. — Deita na mesa e abre as perninhas pro TaeTae… — Ele obedece sem pestanejar, apoio as pernas dele uma em cada braço meu e vou entrando devagar.

— Ahnn, que gostoso… Vai mais rápido, Taehyungie!

— Claro, amor… — Aumento a velocidade das estocadas indo cada vez mais fundo.

— Hmm, faz bem forte pro Jungkookie, faz… — Sinto o suor pingando da minha franja. A mesa balançava a cada estocada forte que eu fazia.

Inesperadamente, Jungkook solta um grito esganiçado chegando ao seu ápice. Sua entrada se contrai apertando ainda mais o meu pau e eu acabo gozando em seguida.

Saio de dentro de dentro dele apoiando minhas mãos na mesa, tentando recuperar o fôlego.

— Agora nós precisamos de um belo banho! — Normalizo minha respiração.

— Um belo banho… — Jungkook estava todo amolecido em cima da mesa e apenas repetiu a minha frase um pouco denorteado.

— Vem, eu te levo… — Pego ele no colo e subo as escadas até o banheiro, teria que usar o banheiro principal pois o do meu quarto não tem banheira e eu não iria conseguir suspender Jungkook embaixo do chuveiro em pé e ainda conseguir me lavar também.

Ligo a banheira na água quente e deixo ela encher até a metade, não poderia encher até o topo porque quando eu e ele entrássemos nela a água iria transbordar. Entro dentro dela ficando atrás do corpo molinho de cansaço do Jungkook.

— Consegue se lavar sozinho? — Ele me responde apenas balançando a cabeça em negativo.

Pego uma esponja com sabão e começo à lavar delicadamente seu corpinho, ele ainda estava muito sensível e por esse motivo resmungava baixinho quando eu passava a esponja nele.

— TaeTae-ah… Eu quero mais uma vez… — Quando ele diz isso eu tomo um susto, esse menino não cansa não?

— T-T-Tem certeza…? — Pergunto apenas para confirmar que não tinha ouvido errado.

— Absoluta! — Bem que o Yoongi havia me avisado que híbridos são insaciáveis…

Eu já estava todo fodido — não tanto quanto Jungkook — e mesmo assim ele ainda quer transar de novo? Pelo jeito eu não vou ter descanso algum durante essa semana. Eu não tinha escolha porque como dono o meu dever é ajudá-lo nos momentos difíceis, então eu iria transar quantas vezes fossem necessárias.

Esses vão ser os sete dias mais cansativos e gostosos da minha vida…








Notas Finais


Links: https://youtu.be/qfXpnbHiC7c
https://youtu.be/HDkbRjOxk5o
https://youtu.be/g49-sDIxtQw
Lemon na mesa: https://youtu.be/5KggNm67-bU




Me perdoa pelo lemon bosta e não desiste de mim!
Obrigada por ler e até o próximo capítulo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...