1. Spirit Fanfics >
  2. Um Presente Peculiar >
  3. Feliz Dia Dos Namorados.

História Um Presente Peculiar - Capítulo 1


Escrita por: Bruna_Winchester

Notas do Autor


Oie ♥️
Minha intenção era fazer um one bem gute gute, com excesso de doçura e muito romantismo para o dia dos namorados... enfim era a minha intenção né 👉👈 mas não escrevi isso não 😂😂😂 ao invés disso fui inundada em pensamentos nada puros quando lembrei dessa cena ( a foto do capítulo) e aqui estou eu com esse one/lemon um tanto diferente 🤗😁
Espero que gostem♥️
Eu estou morrendo de vergonha 😐😐
Enfim kkkk
Boa leitura 💓

Capítulo 1 - Feliz Dia Dos Namorados.


Fanfic / Fanfiction Um Presente Peculiar - Capítulo 1 - Feliz Dia Dos Namorados.

Dean entrou no carro e bateu a porta com força, logo em seguida se desculpou com a baby, ela não tem culpa da sua raiva, o único culpado é o Sam e o seu ciúmes idiota!

A dias os irmãos não estão se falando, tudo isso porque Dean sorriu para a garçonete assim que a moça lhe trouxe um pedaço de torta..

Mas que droga foi só um sorriso de agradecimento, e o Sam pra variar entendeu tudo errado, dizendo que na verdade aquilo foi um flerte disfarçado.

Flerte?? Como se ele fosse flertar assim na cara dura, na frente do Sam.. Pois é, dizer isso não foi uma boa ideia já que o moreno entendeu que o mais velho flertava pelas suas costas, e é claro que o orgulho não deixou Dean pedir desculpas já que fez mal uso das palavras e agora está a dias sem seu Sammy, sem os toques gostosos e fortes do maior, sem sua voz rouca sussurrando sacanagens na hora do sexo... sem sexo!!

Dean colocou as cervejas e os sanduíches no banco do carona e ligou o carro, era dia dos namorados e  em hipótese alguma queria passar bebendo cerveja barata e comendo lanche de procedência duvidosa, em outras circunstâncias levaria o irmão para um restaurante caro, cheio de flu flu do jeito que o moreno gosta, comeriam algo bom, como lagosta e beberiam vinho, champanhe.. mas Sam não quis colaborar não é mesmo?! Ele prefere passar essa data brigado!



...

- Sam eu trouxe o jantar! - Dean adentrou o bunker acendendo as luzes que até então estavam apagadas, o silêncio não era normal nem o som da televisão era ouvido, Sam havia dormindo, as oito da noite? - Sammy? - Chamou desconfiando já temendo pelo pior.

- No nosso quarto, Dean. - A voz do moreno suou baixa e rouca.

Nosso quarto? Dean questionou de imediato para si mesmo, Sam havia o expulsado do quarto a uma semana, deixando bem claro que aquele quarto era dele, somente dele.

O loiro andou desconfiado até o cômodo, as luzes do corredor também estavam apagadas e aquilo não era normal, chegando na porta a encontrou fechada.

- Posso entrar? - Perguntou já girando a maçaneta.

- Sim. - Foi o que ouviu antes de dar de cara com o irmão...

Dean foi atingido pela imagem mais pecaminosa que já viu em toda sua vida, Sam estava deitado na cama, apenas de cueca boxer preta, uma máscara da mesma cor e não podia se esquecer da enorme capa atrás de si que ocupava grande parte da cama de casal, o moreno sorria safado, em sua mão direta havia um chicote fino, sua mão esquerda estava atrás da cabeça, suas pernas levemente afastadas completavam a visão erótica.

O loiro perdeu o fôlego e a capacidade de falar, nem em seus sonhos mais eróticos imaginou algo assim.

- S-Sammy, o que é.... meu Deus o que é isso? - Disse em um sussurro muito baixo, sua calça já estava apertada, tudo por culpa de sua enorme ereção dolorida e pulsante.

- Isso? - Se levantou devagar se sentando na cama. - Bom, isso é o seu presente e... - Mordeu o lábio inferior e sorriu com malícia. - ... e o seu castigo também.

Dean não conseguiu entender uma palavras sequer do que o mais novo havia dito, e como entenderia tendo aquela perdição em sua frente o olhando como se fosse o devorar a qualquer momento e ainda exibindo um sorriso tão obsceno que deveria ser crime usá-lo assim de forma descarada.

- Dean? - Sam se pôs de pé e caminhou em direção ao loiro que permanecia estático. - Você não gostou? - Fez um bico exagerado.

- Se eu gostei? - Dean sorriu safado e puxou o moreno pela cintura. - Seu nerd tarado! - O beijou com urgência e levou as mãos a bunda farta do maior.

Sam se afastou na mesma hora e movimentou seu dedo indicador em negativo.

- Hoje não Dean. - O maior puxou o loiro para um beijo forte e andou ainda agarrado a ele até perto da cama. - Eu sou o Zorro baby e vou te bater muito usando isso. - Apontou para o chicote largado em cima da cama e empurrou o irmão na mesma. - Me desculpa, eu não sou uma garota.  - O  moreno riu de canto e na mesma hora Dean sacou tudo que acontecia.


As vezes eu quero apanhar no sexo de uma garota vestida de zorro

A lembrança veio a sua mente e Dean riu largo, nunca imaginou que Sam fosse lembrar disso, afinal só falou aquilo uma vez pra tirar sarro da cara do Crowley, não que não seja verdade, afinal, essa sempre foi sua fantasia mais indecentemente e nunca pensou que seu irmão estivesse disposto a realizá-la, e com Sam parece ainda melhor e mais excitante.

- O que você vai fazer comigo maninho? - Dean estava a ponto de explodir de tesão, seu pau doía, sua cueca já estava toda melada de pré gozo e Sam ainda mal o tocou.

- Coisas horríveis. - O moreno sussurrou rouco.  Sam abriu a gaveta da escrivaninha ao lado da cama e de lá pegou duas algemas felpudas de cor vermelha, Dean arregalou os olhos, Sam pretendia prendê-lo? - Tire a camisa . - Ordenou.

- O que planeja fazer? - O loiro perguntou receoso e quando se deu conta o chicote atingiu seu abdômen. -Aaaiii. - Resmungou alto. Sam não bateu com força, mas mesmo assim doeu muito.

- Vamos as regras, okay? - Sam se sentou na cama ao lado do mais velho e antes de voltar a falar retirou a camisa do mesmo. 

- Regras? - Questionou ainda confuso.

- Você vai me obedecer, caso o contrário. - Sam pegou o chicote e sorriu com o olhar assustado do loiro. - Agora vou te prender na cama, amor..

- Não você não vai.... Aaaaaiii...  porra!

Dean massageou a perna esquerda onde o chicote o atingiu,  agora com muito mais força.

- Vou sim. - O mais novo se abaixou e tomou posse dos lábios vermelhinhos do irmão, Dean logo se entregou ao beijo, e quando se deu conta uma das mãos estava algemada rente a cabeceira da cama. - Te peguei. - O moreno se afastou e sorriu vitorioso. 

Dean puxou  o punho e suspirou fundo ao perceber que realmente estava preso.

- É, você me pegou. - Dean sorriu de canto, talvez aquilo não seja tão ruim assim. - Seja bonzinho comigo amor, é dia dos namorados. - Riu sacana e ofereceu o outro punho para o mais novo algemar.

- Isso depende de você. - Sam pegou a outra algema e a prendeu como a primeira, na cabeceira da cama.

O moreno retornou a pegar o chicote e o passou de leve por cima do peitoral nu do loiro lhe arrancando gemidos arrastados, Sam desceu para a barriga de Dean e seus gemidos se tornaram altos e ofegantes, tinha um misto de medo e excitação naquilo e Sam adorou ver o irmão tão entregue.

Por vim o chicote pousou por cima da ereção bem marcada pela calça jeans do mais velho, o loiro engoliu em seco.

- C-cuidado com isso aí. - Riu nervoso.

- O que você acha que eu vou fazer, em Dean? - O moreno arqueou uma sobrancelha. - Te punir por flertar com aquela vadia no bar? Descontar minha raiva no seu brinquedinho?

Com o chicote Sam acariciou a ereção do loiro.

- V-você não faria isso, faria? - Dean sentia o ar fugir de seus pulmões. - Eu não flertei com ela Sammy, droga acredita em mim, porra! Aiiiii... - Dean arqueou as costas ao sentir o chicote atingir sua barriga, a sua pele queimava.

- Fica quietinho, por favor. - Sam sorriu com malícia. O moreno largou o chicote ao seu lado e o loiro suspirou aliviado ao ver o objeto bem longe do seu pau. 

- Eu não menti, eu...

- Eu sei.. - O encarou. - Sei que não mentiu, mesmo assim eu tenho ciúmes droga! Você realmente tem que sorrir pra todo mundo, você é meu Dean, só meu!

Dean sorriu safado com o ataque de ciúmes do irmão e isso lhe rendeu outra chicotada, desta vez o loiro não reclamou, mereceu aquilo e já tinha se acostumando com a dor e diria até que aquilo era excitante.

- Aaaaah Sammy. - Dean olhou para o teto, seus lábios exibiam um sorriso sínico. - Você com ciúmes e um chicote na mão não presta...!

- Eu te machuquei? - Sam se preocupou ao ver o vermelhidão sobre a barriga do loiro, não deveria ter batido tão forte.

- É, você está me machucando. - Dean tinha o olhar repleto de luxúria. - Meu pau Sam!  Ele precisa de atenção...

O moreno sorriu com malícia, havia uma mancha escura na calça do loiro por cima do grande volume.

- Vou resolver isso agora. 

Sam desafivelou o cinto do outro e o arrancou afoito, toda aquela brincadeira misturada com muito ciúmes e uma pitada de vingança levou Sam a loucura, o Winchester mais novo só queria apreciar a delícia do pau do namorado e o chupar muito gostoso, e depois foder aquele buraquinho apertado do loiro como nunca havia feito antes.

Dean viu sua calça junto com a cueca boxer serem arrancadas de seu corpo, seu membro agora estava livre sem o aperto doloroso do Jeans, no entanto, ainda doía muito, precisava gozar, por pra fora todo aquele tesão acumulado de dias sem sexo.

- Vou te chupar Dean. - Sam segurou o pênis do loiro pela base e começou a movimentar a mão em volta do mesmo de forma lenta, espalhando todo o pré gozo pela extensão.

Dean gemeu em resposta, sentiu saudades daquela mão grossa o tocando, é só ela sabia fazer direitinho do jeito que o loiro gosta.

- Vai Sam, eu preciso dessa boquinha safada em volta do meu pau, me chupa.... Aaaah vai Sam! Eu quero foder sua garganta até você ficar rouco..... Aiiiiiiii -  O loiro riu. O chicote o atingiu no peito. - Quando você me soltar eu vou te foder tanto, mais tanto!! Aaaaahhhh - Desta vez um tapa forte na cara.

- Está gostando Dean? - Sam voltou a massagear o pau do menor. - Está apanhando no sexo de um garoto fantasiado de zorro, queria isso não é?

- Isso é tão bom Sammyyyy. - Dean mordeu o lábio inferior, aquilo mexia com todas as suas taras.

O moreno se abaixou e chupou a glande inchada do mais velho e amou o gritou que o outro deu, Dean estava sensível. Sam iniciou o boquete, de inicio apenas na cabeça rosada do membro do irmão, arrancando gemidos altos do mesmo e depois escorregou todo o membro por sua boca até o fundo, em uma garganta profunda que fez Dean delirar de prazer.

- Meu Deus Sammyyyy!! - O loiro puxava os braços  presos rentes a cabeceira da cama e sentia as algemas beliscarem seus punhos, com certeza ficaria roxo no local, se Dean estivesse solto ele agarraria os cabelos do moreno e ditaria um ritmo absurdamente rápido, queria tanto foder aquela boca, afundar tudo de seu pau. - Mas rápido! Aaahhh vai Sam, me faz gozar, porra! - Dean fechou os olhos se dando conta do que falou e esperou pela punição que não veio, em vez disso Sam o obedeceu indo ainda mais rápido, forte e fundo, o moreno usava tão bem a língua que Dean revirava os olhos de prazer. - Aaaahhh, Caralhooo Sam, isso, isso !!!  É desse Jeito, Aaaahhh maninhooooo!! Eu vou gozar Sammy! 

Os gemidos do mais velho eram como músicas para os ouvidos do moreno, Sam sentia sua ereção implorar por atenção, precisava se enfiar logo no cuzinho apertado do loiro ou surtaria de vez!

Não demorou para Dean chegar ao ápice e se derramar em um orgasmo delicioso e intenso, seu semen quente invadiu a boca do moreno e o mesmo vez questão de engolir tudo, cada gota, amava o gosto agridoce do irmão.

O loiro ainda sentia os espasmos do orgasmo quando suas pernas foram afastadas sem delicadeza alguma e sua entrada foi invadida por um dedo grande e grosso.

- Caralho! - Dean buscou por ar, havia acabado de gozar e Sam já queria lhe foder. Um segundo dedo foi colocado em sua entrada  e o loiro gemeu alto e falou palavras desconexas que nem ele saberia explicar o que disse.- Aaaahhh Sammyyy.

Sam gemeu em apreciação, Dean gemendo seu nome com a voz rouca de tesão era sua fantasia mais gostosa, gostava de foder aquele cuzinho apertado, gostava de ouvir o loiro gemendo e gritando quando seu pau estava bem fundo, tudo com Dean era perfeito e excitante.

Sam retirou seus dedos e posicionou seu membro na entrada do mais velho, assim que percebeu que o irmão já estava pronto o penetrou de uma só vez, entrando fundo e Dean gritou quase sem ar, mas logo se calou mordendo forte o lábio inferior fazendo o mesmo sangrar.

- Grita pra mim Dean. - Provocou, Sam sabia que o irmão tinha vergonha de seus gemidos e gritos na hora do sexo, isso abalava seu ego e sua pose de machão. - Grita!

Sam começou a se movimentar rápido, as estocadas eram fortes e intensas, ele afundava para depois sair quase todo e novamente voltar com toda força. Dean gemia abafado, Sam havia se superado, o moreno nunca o pegou daquele jeito, sempre o fodia com delicadeza e excesso de amor e agora o comia como se Dean fosse uma vadia de bar e o loiro estava amando aquilo tudo.

- Grita Dean! -  O moreno deu um tapa estalado no rosto do loiro.

- Aaaaaaahhhh... Porra de pau gostoso!! - Dean estava em êxtase de tanto tesão. - Vai Sammy, continuaaaa. - O mais velho rebolava no membro do irmão. - Eu vou... - Dean fechou os olhos.

- Diz! - Sam gritou.

- Eu vou gozar Sam! De novo... ahhhhh Sammyyy tá tão gostoso, Deus....! 

O moreno levou a mão ao membro duro do irmão e começou a movimentá-lo no ritmo de suas estocadas brutas, cada palavra que saía da boca do loiro o excitava mais e mais, Dean gemia, gritava, xingava, saiam tantos palavrões daquela boquinha obscena que daria para fazer um livro com todas elas.

Então Dean gozou melando a mão e abdômen do moreno, Sam veio logo em seguida, ele urrava de prazer seu gozo veio forte, se derramou dentro do loiro e só então se lembrou que não usou camisinha, mas pensaria nisso depois..

Sam saiu de dentro do mais velho e se jogou para o lado, estava sem forças e ofegante, aquilo foi tão  bom o melhor sexo dos dois com toda certeza.

- Que incrível. - Sam sussurrou sem ar olhando para o teto. - Como você está ? - Se virou para o irmão que também olhava para o teto, seus olhares se encontraram e Dean sorriu.

- Dolorido. - Seu sorriso se alargou. - Eu vou mancar por um bom tempo e esse chicote. - Dean olhou para o chicote sobre o chão . - Ele me deixou todo marcado e ainda assim eu amei..  Caralho Sam eu amei tanto, isso me torna um masoquista? - Arqueou uma sobrancelha.

Sam gargalhou.

- Acho que sim. - O moreno se aproximou do menor e lhe deu um beijo forte, em seguida retirou a chave das algemas de dentro da escrivaninha e soltou as algemas dos punhos do irmão. - Feliz dia dos namorados Dean, esse foi o meu presente. 

- Feliz dia dos namorados amor. -Dean subiu em cima do mais novo e beijou seu pescoço. - Minha vez de te dar um presente. - Sussurrou em seu ouvido.

- E o que seria esse presente? - Sam perguntou sínico. - Um jantar romântico?

- Não. - Falou rouco. - Eu te alertei sobre o que acontecia quando você me soltasse. - Dean sorriu com malícia.

- Oh.. - Foi a única coisa que o moreno conseguiu dizer até ser agarrado pelo loiro.




Notas Finais


😊♥️

Feliz dia dos namorados pra vcs que namora 💓😁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...