1. Spirit Fanfics >
  2. Um Príncipe em minha vida >
  3. Donatella

História Um Príncipe em minha vida - Capítulo 12


Escrita por: FannyLi

Capítulo 12 - Donatella


Fanfic / Fanfiction Um Príncipe em minha vida - Capítulo 12 - Donatella

 

Dentro de um dos dormitórios dos Soldados de elite, uma moça olhava as luas de Vegeta-sei através de sua janela, seu nome era Donatella uma jovem Soldado das tropas de Vegeta-sei e fazia parte da guarda real do Príncipe, estava com ele em todas as missões, todas as batalhas e mais que isso, também era uma das suas amantes, sempre o aquecia nas noites mais frias e o satisfazia da forma que sabia que ele mais gostava. Sua relação com Vegeta para ela não era só sexo, ela queria muito mais. Queria ser a princesa, a rainha, queria se casar com ele está ao seu lado como sua mulher e não como amante.

Ele sempre a procurava quando este tinha vontade e depois voltavam a lutar juntos como se nada tivesse acontecido. Olhava para aquela noite quente, o céu de Vegeta-sei estava cheio de estrelas. Seus longos cabelos castanhos que sempre usava em uma trança única naquele dia estava solto, o rosto jovem estava pensativo. Era uma bela mulher forte e determinada que conquistou a todos no planeta com sua destreza e habilidades no campo de batalha, se tornou uma das poucas soldados mulher do palácio e atuava diretamente ao lado do Príncipe.

 Estava inconformada com o casamento de Vegeta, sentiu esperanças que talvez fosse escolhida por ele, já que também era uma Saiyajin. Esperanças de que ele quebrasse todas aquelas regras e tradições da princesa perfeita e fosse escolhida, ela se achava qualificada ao posto mais do que ninguém, ela o conhecia mais do que qualquer outra pessoa. A mulher com que ele se casou não saberia satisfazê-lo, não como ela sabia e agora o homem que ela tanto queria estava se deleitando nos braços de outra mulher.

***

Sozinha no quarto Bulma tentava se acalmar, ainda sentia o corpo afogueado pelo toque do Príncipe as mãos estavam trêmulas e ainda não entendia o que aconteceu com seu corpo, porque tinha o desejado, desejado um homem que desde que se conheceram se mostrou tão frio em relação, mas um homem que lhe despertava sentimentos estranhos.  Se olhou no espelho e sua aparência a assustou estava tão exposta, mas estremeceu ao se lembrar do toque dele em seu corpo, nunca tinha sentido a sensação do toque de um homem antes, achou que fosse pegar fogo quando estava com ele, e mal sabia como tinha conseguido resistir a ele.

 Tirou o robe e depois a camisola pela cabeça e entrou dentro do closet, procurou sua camisola rosa de algodão de mangas compridas que batia em seus tornozelos, era bem larga e escondeu seu corpo inteiro, mas se sentiu bem mais confortável assim, ao se vestir sentiu o cheiro dele em seu corpo, o cheiro almiscarado de macho que marcou território em seu corpo, começou a pensar. Onde será que ele foi? Será que voltaria? E se ele voltasse e a obrigasse se deitar com ele? Não poderia impediu ou fugir, estava à mercê dele agora, mas não queria pensar nisso torcia para que ele ainda cumprisse a promessa que lhe fez.  Após se vestir enfiou-se debaixo das cobertas, um soluço escapou de seu peito enquanto encarava o teto do quarto, mas não queria chorar não iria resolver toda aquela situação chorando.

***

A porta do dormitório de Donatella foi aberta bruscamente. Olhou em direção a ela e viu o príncipe entrando, usando apenas um short de algodão de treinos, ele tinha raiva no olhar, mas não deixou de notar a ereção protuberante em seu short. Sentiu uma pontada de esperança ressurgir, aquela hora ele deveria estar em sua lua de mel, mas no momento estava em seu quarto. Pensou em estar sonhando e piscou os olhos algumas vezes, mas não era uma visão, era mesmo seu amado Príncipe.

_ Preciso de Você Agora! - ele disse tomado por uma fúria misturada a excitação.

 _ Eu sempre vou estar aqui meu príncipe! -  ela disse prontamente formando um enorme sorriso em seus lábios, sabia muito bem o que ele queria, e só ela saberia lhe da.

 Vegeta a empurrou para cama e começou a tirar as roupas dela rapidamente. Donatella sentia raiva em cada gesto, mas não se importava, já o conhecia muito bem. Após deixá-la nua Vegeta puxou pelos cabelos com um pouco de força, mas sabia que não precisava de nenhuma sensibilidade com ela.

 _ A Princesa não o satisfez meu príncipe? -  Ela perguntou de forma sensual, passando as mãos no membro ereto dele por cima do short, ele não respondeu apenas tirou o short revelando o seu membro duro e extremamente excitado. A jovem princesa o deixou louco e não poderia dormir assim. A Soldado passou a língua nos lábios e o agarrou habilmente o levando a boca, o masturbando. O chupou do jeito que sabia que ele gostava, sugava sua essência como se sua vida dependesse disso. Vegeta gemia e rosnava entre os dentes, era daquilo que ele precisava, acalmar seu membro inquieto.

 Puxou Donatella pelos cabelos novamente a colocando de joelhos no chão para que continuasse seu trabalho. Empurrou seu membro mais fundo dentro da boca dela e jogou a cabeça para trás em puro êxtase, mas a imagem de uma entregue Bulma em seus braços não saia de sua mente e isso deixava seu membro cada vez mais duro. Donatella o segurava com satisfação levando até o fundo da garganta quase se engasgando, adorava ouvi-lo gemer. Num puxão pelo cabelo ele a jogou novamente na cama subindo por cima dela. Vegeta já havia esperado tempo demais para estar enterrado dentro de uma mulher.

***

Era de madrugada quando Vegeta voltou para o quarto, a chama dos carvões da lareira bruxulearam quando ele entrou, o calor e o cheiro dos aposentos o receberam, mas estava diferente de até um dia atrás, era porque agora ele dividiu com mais alguém e o cheiro dele se misturava ao dela, apesar de que o cheiro dela já tinha tomado conta de tudo.

 Se aproximou da cama vendo sua jovem esposa dormir encolhida em um canto da cama, puxou a coberta e a encarou fitando a mulher que agora era sua esposa, usava uma camisola larga e comprida certamente para esconder seu corpo dele. Ainda não entendia porque ela não foi até o fim, parecia está entregue, gostando de suas caricias, e no entanto o mandou parar. Nunca tinha sido rejeitado por uma mulher antes, e essa sensação era estranha e frustrante.

Estava exausto, os olhos e o corpo pesado. Corria os olhos pelo corpo dela, ela dormia de forma calma e tranquila e ele a olhava pensando se conseguiria se acostumar com aquela sua nova vida. Era tão estranho ter uma mulher dormindo em sua cama. Uma mulher que ele não possuiu.

As imagens eróticas dos seus minutos com ela encheram sua mente e seu membro endureceu em resposta.” droga o que essa mulher está fazendo comigo!” resmungou e tornou cobri-la. Entrou no banheiro tirando o short, aquele dia tinha sido exaustivo, nenhuma batalha o deixava tão cansado. Entrou debaixo do chuveiro para tomar um banho e tirar o cheiro da Soldado de seu corpo, mas só o que conseguia sentir o cheiro dela por todo o banheiro. Após o banho se enfiou embaixo das cobertas e fitou o teto do quarto até conseguir dormir.

***

Amanhece em Vegeta-Sei. Um dia que prometia ser bem quente. e Vegeta acordou cedo, mas quase não dormiu à noite, nunca tinha dormido com ninguém na cama e foi um pouco estranho sentou a cama por uns minutos e fitou a face adormecida da Princesa que ainda dormia profundamente, sentiu o cheiro doce dela durante a noite inteira e precisou se controlar para não acorda-la e exigir que ela se entregasse a ele. Se levantou e vestiu sua roupa de treino precisava gastar suas energias. Treinava muito para manter a forma e às vezes chegava treinar 3 horas por dia tudo para manter seu desempenho nas batalhas para que seu poder Saiyajin aumentasse ainda mais, todo seu esforço poderia ser notado em seu corpo que estava cada vez maior, gostava de treinar antes do café e isso o ajudava a pensar.

***

Bulma acordou sem seu marido na cama, olhou para todos os lados e nem sinal dele, mas o lado amarrotado da cama ao seu lado indicava que ele dormiu ali estava tão cansada por conta do dia anterior que simplesmente apagou na cama e nem viu a hora que ele retornou e nem a hora que saiu novamente. Se espreguiçou achando estranho acordar em outro quarto, era seu primeiro dia longe de casa, e não pôde deixar de se sentir triste ao pensar nos pais.

Em poucos minutos o quarto se encheu de criadas lhe dando bom dia, cada uma se espalhou com um afazer diferente. Uma abriu as enormes cortinas brancas da sacada deixando o sol entrar, outra entrou no banheiro para lhe preparar um banho e outra arrumava os lençóis. Uma criada mais idosa estranhou não ver nos lençóis o “sangue” da primeira noite da Princesa e arqueou uma sobrancelha para outra moça que lhe ajudava e as duas compartilharam um pensamento silencioso, ou a Princesa não era mais virgem ou nada aconteceu ali.

Bulma foi até a janela para ver o dia como sempre fazia, a visão do palácio ainda era mais estupenda pela manhã pode ver melhor o quanto era alto, via as pessoas lá embaixo como formiguinhas e pensou: “uma queda daqui seria fatal”.

_ Princesa seu banho está pronto. -  uma criada jovem lhe tirou de seus devaneios, sorrindo para a moça foi tomar seu banho, as criadas lhe perguntaram se ela gostava de companhia e ajuda no banho, mas ela disse que preferia ficar sozinha, e assim se viu sozinha no quarto, todas as criadas saíram levando roupas e lençóis para serem lavados. Bulma tomou um banho rápido, não sabia o horário que o Rei o Príncipe gostava de tomar café e não queria se atrasar para o seu primeiro dia como Princesa de Vegeta-Sei e se vestiu, escolhendo um vestido simples verde claro de mangas curtas e colocou botas sem salto marrom, ao sair do quarto uma das criadas a esperava no corredor para lhe acompanhar a sala de café.

...

Essa sala era diferente da que foi servida o seu jantar de noivado e o banquete do casamento, era uma sala menor com uma mesa em formato triangular de apenas 20 lugares. Uma sala mais íntima destinada apenas as refeições da família real. Ao descer as longas escadas e chegar a sala Bulma se deparou com uma mesa digna de um Rei, pois o próprio Rei estava na mesa todo elegante e sorridente. Com uma breve reverência ela cumprimentou sogro que foi recebê-la como um abraço afetuoso. Correu os olhos pela mesa e nem sinal do Príncipe.

_ Dormiu bem minha querida? - ele perguntou gentil.

_ Sim muito bem. - ela respondeu sem graça sabendo que ele se referia como ela estava depois da lua de mel, não soube o que responder. Será que o Príncipe tinha lhe contado que a noite de núpcias não aconteceu?

_ Sente-se as criadas irão servi-la. - ele disse a vendo um pouco tímida, sabia que ela não estava acostumada a tantas cordialidades.  _ O Príncipe está treinando, ele sempre faz isso todas as manhãs antes do café. - completou ele pensando que talvez ela estivesse se perguntando onde o marido estava. Bulma não respondeu nada, ainda era estranho ouvir aquela palavra “marido”. As criadas começaram a servi-los. Bulma estava morrendo de fome, com todos os acontecimentos do dia anterior ela mal tinha comido e aquele café estava simplesmente delicioso com vários tipos de pães, bolos, queijos, frutas. Era muita comida para apenas três pessoas comerem.

...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...