1. Spirit Fanfics >
  2. Um problema que começa com Bang e termina com Chan-Changchan >
  3. Capítulo 11.

História Um problema que começa com Bang e termina com Chan-Changchan - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Capítulo 11.


- Eles estão fofinhos.


- Fofinhos? Isso é pouca vergonha, agarrados desse jeito.

- Vai começar com o ciúmes.

- Não é ciúmes, eles precisam dormir assim? Na próxima o Bang Chan dorme no sofá.

- Mas que falação é essa. - Resmungei me aconchegando mais nos braços do Chan.

- Changbin já são 06:40 está atrasado. - Escuto minha mão falar e levanto minha cabeça rapidamente.

- já são 06:40? - Falei e olhei para Bang Chan deitado ao meu lado, dormindo que nem um anjo.

- Eu mandei o Bang Chan colocar o despertador eu vou matar ele. - Falei me sentando.

- Eu ajudo. - Meu pai pigarreou e minha mãe revirou os olhos.

- Seu pai está com ciúmes, não aceita que você não é um bebê mais.

- Eu já falei, não estou com ciúmes.Só acho que eles não precisam dormir agarrados, nem namoram ainda, quer dizer, está muito cedo para os dois começarem a namorar ou vocês namoram e não estou sabendo? - Disse com um olhar difícil de distinguir o que estava sentindo.

- Ainda não. - Escuto o loiro ao meu lado falar.

- Vamos querido. - Minha mãe fala saindo do quarto com meu pai aos resmungos.Assim que fecham a porta sento em cima do Chan desferindo vários tapas no mesmo.

- Você ama me dar tapas. - Bang Chan fala segurando minhas mãos. - Aliás se seu pai já ficou daquele jeito porque só estávamos dormindo juntos, imagina se ele soubesse do que aconteceu no banheiro ontem. - Disse e senti meu rosto esquentar.

- Você não colocou o despertador para tocar idiota. - Falei fingindo não ter escutado a última parte.

- Não tenta mudar de assunto. - Disse, soltou meus braços levando suas mãos até minha cintura a apertando.

" Eu me coloco nessas situações e fico com vergonha não entendo "

- M-me solta, estou atrasado e você ainda mais. - Falei conseguindo me levantar. - Saia do quarto para eu trocar de roupa.

- Por que eu tenho que sair sendo que já vi todo o seu corpo hum? - Disse, levantou da cama vindo em minha direção.Senti minhas costas esconstarem no guarda roupa, é estou encurralado.

- É d-diferente a-agora...eu faço tudo o que você quiser se sair. - Falei sem pensar me arrependendo na hora.

- Tudo o que eu quiser... - Disse e se afastou. - Certo. - Sorriu e foi em direção a porta mas antes de sair se virou para me olhar. - Se prepare. - Disse saindo do quarto.

- Changbin pense antes de falar. - Falei para mim mesmo.

Me troquei rapidamente, peguei minha mochila e fui ao banheiro, feito minhas higienes desci vendo minha mãe e o Bang conversando.

- Bang Chan disse que não tem aula hoje e irá passar o dia aqui. - Minha mãev fala, não acredito.

- O que? Daqui a pouco ele está morando aqui.

- Não quer passar o dia de novo comigo binnie? - Disse me olhando com um olhar inocente.

- Eu só te trouxe aqui ontem porque foi atropelado.

- Atropelado? Como assim? - Minha mãe pergunta olhando para nós dois

- Longa história...mãe eu te conto tudo depois mas agora realmente tenho que ir. - Falei indo em direção a porta.

- Espera, seu pai irá leva-lo.Hoje iremos abrir a confeitaria mais tarde. - Escuto minha mão falar.

- E o meu tchau? - Bang Chan fala, levantou e veio até mim parando em minha frente.

- Não tem aula é. - Falei em um tom de voz apenas para que o loiro escutasse. - Não chore depois que ser reprovado por faltas.

- Que fofo está preocupado. - Disse colocando suas mãos em cada lado do meu rosto e me dando um selinho.

- Minha mãe... - Nem me deixa terminar de falar e junta seus lábios com os meus, num beijo apaixonante que me faz sentir um frio na barriga.

- Seus lábios são viciantes. - Sussurrou entre o beijo.

- No tempo de vocês. - Escutei meu pai falar e nos separamos envergonhados.

Me despedi da minha mãe com um aceno, olhei para o Bang que estava extremamente envergonhado e sorri para o mesmo.Bang Chan envergonhado essa é nova.

...

O trajeto inteiro fomos em silêncio, assim que parou o carro me despido rapidamente, indo correndo entrando no colégio.
Paro em frente a porta da sala que estava fechada e dou dois toques.Escuto o professor dizer " entre " e abro a porta indo ao meu lugar.

- Hyunjin. - Susurrei para o garoto sentado a minha frente, parece que Yunin cedeu seu lugar para Hyunjin definitivamente.

- O que foi? - Perguntou se virando para me olhar.

- Você sabe quantos dias de suspensão o Changkyun levou?

- O resto dessa semana, ele falou que a diretora está por um fio de expulsa-lo. - Disse passando as mãos em seu cabelo. - Ele sempre foi assim?

- Sempre, achei que nesse último ano ele ia tomar juízo. - Falei tirando meus pertences da mochila.

- Silêncio vocês dois. - O professor fala nos olhando e volta a ficar de costas passando o conteúdo na lousa.

- Senti saudades, temos muito o que conversar. - Hyunjin fala e se vira para frente.

...

Point of view - Changkyun.


Se alguém me dissesse que Yoo Kihyun o garoto em que estou apaixonado iria vir em minha casa mesmo depois de ter sido rejeitado pelo mesmo, eu não acreditaria.

- O está fazendo aqui? Quer dizer, não deveria estar no colégio? - Falei.Mesmo que não sejamos da mesma sala, raramente eu o via faltar.

- Eu...eu menti para minha mãe, disse que estava doente para poder vir aqui. - Disse meio envergonhado brincando com os dedos de suas mãos, ato que me fez achar extremamente adorável. - Eu posso entrar?

- Claro que pode. - Falei e o deixei entrar.

- Sua casa é muito bonita.

- Muito obrigado...vem vamos para o jardim dos fundos, é um ótimo lugar para conversar. - Falei e o mesmo veio atrás de mim.Seguimos pelo corredor em silêncio, abri a porta deixando ele passar primeiro e fui logo atrás.

- Como aqui é calmo e relaxante. - Kihyun fala admirado, olhando para o jardim.

- A maior parte do tempo eu fico aqui.

- Legal balanças. - Disse se sentando em uma. - Você tem irmãos?

- Não tenho. - Falei me sentando na outra que está do seu lado. - Moro aqui já faz uns 8 anos e essas balanças já estavam aqui antes de meus pais a comprarem. - Falei e comecei a se mover para frente e para trás mas parei assim que começou a fazer barulhos estranhos. - Ou elas estão velhas ou sou eu que preciso perder alguns quilinhos. - Minha fala fez Kihyun rir e pude perceber que sua risada era gostosa de se ouvir. - Então como você descobriu onde moro?

- Fui no escritório da minha mãe, ela tem cópias dos arquivos de cada aluno.Eu vim aqui porque desde o dia em que se declarou para mim tem uma coisa que eu queria te dizer. - Disse me olhando.Me lembrar do dia em que me declarei era vergonhoso demais.

- E o que seria? - Perguntei ansioso. 

- Eu...eu gosto de você, desde o primeiro ano.Mesmo que nunca tenhamos nos falado você me chamou atenção e as vezes me pegava te observando. - Disse e vi que suas bochechas ganharam um tom rosado. - Eu sempre rejeitei as pessoas com grosseria por causa da minha mãe, ela não quer que eu me relacione com ninguém e que não tenha amigos nenhum.Desde que meu pai morreu ela ficou assim, controla toda a minha vida e eu não tenho ninguém que possa me ajudar. - Disse e começou a chorar, peguei em sua mão apertando levemente. - Quando você se declarou para mim eu senti uma pontada de esperança que as coisas iam melhorar, então eu vim aqui me declarar...eu espero que não seja tarde demais.

- Não é tarde demais. - Disse e me ajoelhei na sua frente. - Você não está sozinho, tem a mim agora. - Falei, e limpei as lágrimas que caíam em seu rosto.

...

- Posso acompanhar vocês? - Eu e Hyunjin nos viramos e vimos que era Jooheon.

- Claro. - Falei.

- E seus amigos? - Hyunjin perguntou.

- Eu preciso falar com o Changbin. - Disse e o olhei curioso.

Eu, Hyunjin e Jooheon é com certeza o trio mais estranho e inesperado que esse colégio já teve.
Entramos no refeitório e várias pessoas ficaram nos olhando, pegamos nossas bandejas e fomos nos sentar em uma mesa mais afastada do que as demais.

- Então qual de vocês dois vão querer falar primeiro? - Perguntei, confesso que me senti " poderoso " depois de ter falado.

- Queria perguntar o que aconteceu naquele dia, depois que você sumiu o...não lembro o nome dele foi atrás de você e sumiu também e depois Changkyun foi atrás de vocês e sumiu também. - Hyunjin fala dando uma mordida no seu sanduíche.

Respirei fundo antes de contar tudo, Hyunjin e Jooheon escutaram tudo o que eu falava atentamente e as vezes adicionavam comentários no meio.

- Ele foi atropelado? Bang Chan não tem jeito mesmo. - Jooheon fala.

- Pois é e o folgado nem foi para o colégio está na minha casa. - Falei e os dois me olharam maliciosos. - Idiotas.

- A noite foi boa né? Por isso chegou atrasado. - Hyunjin fala.

- Cala a boca, não é nada disso.Eu mandei ele colocar o despertador e ele não colocou foi isso.

- A gente fingi que acredita. - Jooheon fala dando um gole em seu suco.

- E você Jooheon o que tem para me falar? - Perguntei querendo desviar de assunto.

- Vou direto no assunto, eu gosto do Changkyun. - Disse e fiquei surpreso, comecei a dar batidas nas costas de Hyunjin que engasgou. - Naquele dia em que eu me sentei com vocês eu ia te pedir ajuda, mas depois que o sinal tocou vocês saíram correndo.

- Em minha defesa eu não sabia o que estava acontecendo. - Hyunjin fala depois de ter se recuperado.

- Mesmo depois de você ter dito que era amigo do Chan, fiquei com um pé atrás por causa dos boatos que circulam sobre você e seus amigos, desculpa. - Falei abaixando minha cabeça.

- Tudo bem.Nós nunca negamos ou confirmamos o que circula sobre nós, mas isso é assunto para outra hora. - Assim que Jooheon fala o sinal toca.

- E a operação Jooheon conquistar Changkyun também. - Hyunjin fala e eu e Jooheon nos entreolhamos. - Eu não consegui pensar num nome melhor então vai ser esse. - Disse e rimos, nos levantamos.

- Hyunjin posso te perguntar uma coisa? - Falei quando estávamos perto de chegar na sala.

- Claro.

- Você já conhecia o Changkyun antes de entrar no colégio? - Perguntei, estava curioso sobre isso.

- Não conhecia, naquele dia em que me viu no " Tudo ou nada " - O olhei confuso e voltou a falar. - É o nome que deram para aquele lugar das corridas, foi meu primeiro dia lá.Já sabia desse lugar a tempos por um amigo que não tenho mais contato, ele me deu sua chave que da acesso antes de ir embora, fui lá apenas por curiosidade a chave estava mofando em casa. - Disse, tirando todas as minhas dúvidas e curiosidades.

Nós entramos na sala e Jooheon foi para o seu lugar do outro lado da sala nos fundos e eu e Hyunjin fomos juntos para os nossos lugares.

...

- Bang Chan? Está aqui? - Chamei pelo mesmo quando entrei em casa.

Olhei em todos os cômodos da casa mas sem sinal dele, fui para o meu quarto tirando meu uniforme enquanto procurava meu celular.

- Onde aquele garoto colocou meu celular vou matar ele. - Falei e senti alguém me pegar no colo e me jogar na cama.

- Você tem problema que susto do caralho. - Falei pondo a mão no meu peito e senti que meu coração estava batendo muito rápido. - Onde se escondeu? Procurei você pela casa toda e não te vi.

- Estava atrás da cortina da sala não sei como não percebeu. - Disse e me colocou sentado em seu colo. - Está prontinho para mim. - Disse percorrendo seu olhar para baixo e percebo que estava apenas de cueca.

- Vou ir colocar uma roupa. - Falei mas ele segurou em minha cintura com firmeza me impossibilitando de sair de seu colo.

- Hoje de manhã você disse que eu poderia te pedir qualquer coisa lembra?

- Eu só falei aquilo para você sair do meu quarto.

- Binnie...binnie não é assim que as coisas funcionam. - Disse, tirou uma de suas mãos da minha cintura e foi para o meu pescoço, segurando e alisando o mesmo. - Quero que rebole em meu colo agora. - Disse sério e autoritário, nunca tinha visto ele dessa forma.Assim que ia abrir minha boca para falar ele me interrompe. - Reclame e vai ser pior para você. - Disse com uma voz rouca que me arrepiou por inteiro.

Certo, como rebola em alguém? Pelo amor de Deus alguns dias atrás eu dei meu primeiro beijo e agora estou aqui tendo que rebolar no colo de um garoto.O que eu fiz para merecer isso?
Bang Chan me olhava sério e ainda estava com as mãos em meu pescoço.Passei meus braços em volta de seu pescoço e comecei a me movimentar para frente e para trás devargar, o loiro atacou minha boca com um beijo lento no ritmo dos meus movimentos o que deixou o momento mais perfeito.

- Você é muito gostoso. - Disse e suas mãos foram parar nas minhas nadegás dando um aperto que me fez soltar um suspiro entre o beijo.

Nos afastamos por causa da falta de ar, timidamente me aproximei de seu pescoço dando alguns beijos e mordidas e senti o corpo do loiro se arrepiar.

- A-acho que já e-está bom. - O loiro fala e me surpreendo ao ver que ele gaguejou.

- Ficou envergonhado hoje de manhã e agora gaguejou você não é o Chan. - Falei, agora que ele estava vulnerável iria aproveitar.

Ele me tirou de seu colo e foi até uma mochila que estava na cadeira da escrivaninha tirando de lá uma muda de roupas.

- Antes de você chegar eu fui em casa pegar algumas roupas, vou ir tomar banho.

- Quer que eu vá com você? - Perguntei, queria ver se ele reagiria de uma forma um tanto incomum do Bang Chan que estou acostumado.

- Eu vou s-ser rápido não p-precisa. - Disse e saiu correndo do quarto.Então eu causo grande efeito nele, bom saber.

Coloquei meu adorável pijama com estampa de gatinho e fui a cozinha vendo que havia uma panela no fogão e assim que abri me deparei com um ramen.Coloquei uma porção em uma tigela e me sentei começando a comer.

- Está bom? - Desvio minha atenção vendo que o Bang estava sentado ao meu lado, ele usava uma bermuda preta com uma blusa de frio com a mesma cor, e ainda estava usando o capuz da blusa o deixando fofo.

- Está mais que bom, está perfeito.Foi você que fez?

- Fui eu sim.

- Obrigado então

- Não precisa pedir obrigado. - Disse bagunçando meus cabelos.

- Você já comeu?

- Já eu comi antes de sair.

Após eu terminar de comer, fui a pia e lavei minha tigela.Fomos para a sala e nos sentamos no sofá.

- Seu celular. - Bang Chan fala com meu celular em mãos.

- O meu bebê. - Falei, peguei meu celular e dei um beijo na tela.Assim que liguei a tela, o papel de parede estáva com uma selca do Chan fazendo biquinho. - É sério isso.

- Seu celular precisava de um novo visual.

Revirei os olhos e escutei o barulho de notificação.Era Wonho que havia me mandado mensagens.

Bebezão Wonho 

- Estou com saudades 

- Precisamos colocar o papo em dia!

- Vamos sair hoje?


-  Estou com saudades também!

- Vamos sair sim

- Posso levar o Minho? Ele está chato precisa sair um pouco

- Claro pode sim

- Tem algum lugar em mente a onde podemos ir?

- Bom eu achei que você teria 

- Quando chegar em sua casa decidimos 

- Até daqui uns 30 minutos 


- Até



Sai do chat com o Wonho e mandei mensagem para o Changkyun perguntando se queria sair e ele aceitou, aproveitei para pedir o número do Jooheon e assim que salvei seu número, perguntei se queria sair e o mesmo aceitou e passei meu endereço.Nem precisei mandar mensagem ao Hyunjin, ele havia mandado que iria ir e ia passar na casa de Changkyun para virem juntos e foi o próprio que avisou que íamos sair.


- O que foi? - Perguntei para o loiro ao meu lado emburrado.

- Achei que iríamos ficar agarradinhos nesse sofá o dia todo.

- Você está carente. - Falei e me aproximei dando lhe um beijo. - Vou me trocar já volto. - Falei me levantando.

" Estava sentindo que esse passeio vai ser divertido " 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...