História Um Puzzle Chamado Sarada - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Visualizações 41
Palavras 1.098
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo 1 - Um começo mau. Uma esperança no fim.


As questões perduraram a muito tempo nas mentes dos pais de Sarada e, enquanto as respostas tardavam, Sarada foi seguindo o seu percurso com maior ou menor dificuldade, como as outras crianças. A pequena Sarada completou o seu 3º aniversário Sasuke e Sakura integrou-a no jardim de infância para que Sarada pudesse desenvolver mais convivendo com outras crianças já que a família não tinha crianças para poder brincar com Sarada. A mesma entrou numa turma com muitas crianças, a jovem criança encolheu no ombro de sua mãe não queria ir para a escola, a professora pensou que seria uma birra da criança pela mesma estar muito apegada à mãe nesses últimos anos.

Sakura contou à professora que Sarada sofria de perturbação autista, mas a professora a professora ignorou a informação da mãe e quase que arrancou Sarada dos braços de Sakura, quase que expulsou Sakura da sala de aula deixando a pobre mãe de coração apertado e angustiada quando sentiu os gritos de sua filha suplicando pela sua mãe.

Sakura decide contar o que se passou naquela manhã a Sasuke fazendo com que os dois decidissem ir juntos buscar Sarada naquela tarde.

Quando Sakura e Sasuke voltem de seus trabalhos para poderem ir buscar sua filha na escola encontram a mesma separada da turma num canto sozinha na sala de aula, a mesma balançava seu corpo para frente e para trás seu olhar estava perdido entre a parede e o chão, suas mãos abanava ao lado de seu rosto com muita agitação, a pequena Sarada encontrava-se desorientada e nervosa, sua professora não se encontrava na sala de aula com os outros colegas de turma que ainda restavam os pais ir buscar. Sasuke e Sakura ficaram em choque, a Haruno aproximou de sua filha e abraçou-a a primogénita apertou os braços de sua mãe magoando-a fazendo Sakura se queixar, mas a mãe ignorou a dor, afinal sua filha estava demasiada agitada naquela hora queria saber o que havia se passado naquele dia, já que da manhã foi que expulsa pela profissional, Sakura e Sasuke tentaram acalmar Sarada, a mesma começava a bater na sua própria cabeça, lágrimas em seus olhos se formava e os gemidos de reclamação eram ouvidos.

Quando a professora chega na sala de aula Sasuke a confrontou, queria explicações o que havia se passado com Sarada, sabendo que Sakura havia contado à professora que Sarada tinha que ter cuidado especial por ser autista. A professora rudemente disse que Sarada bateu nos alunos todos, não queria fazer as tarefas que a mesma impôs e que Sarada perturbava a aula constantemente fazendo ruídos considerados bizarros para a educadora e que a mesma não merecia estar na escola com outras crianças e sim numa jaula como animal selvagem. Sasuke ao ouvir tal absurdo vindo da educadora de infância o mesmo pega no colarinho da blusa da professora apertou e indagou ferozmente, como ela ousa em falar de sua filha daquela maneira, animal era a profissional por não dar atenção a uma criança especial e que iria fazer queixa ao ministério de educação sobre a negligência vindo da parte dela.

E naquele dia os jovens pais decidiram que iria mudar Sarada de escola, e um processo contra aquela professora, visto que a professora desprezou sua filha sabendo quais condições que ela deviria ter com Sarada.

Sakura e Sasuke decidiu então que Sarada ficaria em casa para que pudessem encontrar outra escola com condições para a pequena Sarada, mas por sorte uma das amigas chegadas do casal, Karin, havia visitado o casal naquele dia e viu que os pobres pais estavam desolados e perdidos em questões sem respostas naquele momento Karin perguntou ao casal o que havia se passado? Sasuke e Sakura olharam-se entre si e ambos com os olhares entristecidos contaram à ruiva o que havia se passado no dia e o que havia acontecido entre Sarada e a professora, indignada, Karin disse que iria resolver o assunto para que Sakura e Sasuke não se preocupasse que ela mesma iria resolver o caso.

No dia seguinte Karin e Sakura foram resolver outra escola com melhores condições para Sarada. Sakura explicou à direção tudo o que havia se passado naquele dia com Sarada, a Diretora Kaguya olhava atentamente para a mãe desesperada e com compaixão transferiu Sarada para outra escola que tinha apoio especial para a mesma, e mandou um relatório para a Direção de Educação sobre o que havia se passado com a antiga professora.

Sakura e Karin saíram da direção da diretora Kaguya com os seus corações leves, e contentes por ter arranjado uma solução para Sarada, e Sakura esperava ansiosamente para contar tudo a Sasuke.

Ao chegar à casa Sakura encontra Sarada a brincar com uns cubos e formava pequenas casinhas quadradas e meio deformadas com os blocos, a filha do casal brincava com tanta determinação que Sakura parou para olhar para a sua filha, apesar de ter perturbação do espectro do autismo, dos olhos de Sakura lágrimas saíam, com o coração em aflição e ansioso esperançava que a nova escola que Sarada ia acolhesse a mesma e que não a desprezasse. Afinal é uma criança como outras, precisam de atenção de ser ouvidas e observadas, sentem amor como as outras, sentem medo como as outras. Quando Sakura notou, que em seus olhos já não conseguia parar o seu choro, notou que Sarada olhava para ela atenta, seus olhos negros estavam arregalados, prestando atenção em sua mãe, quando a mesma aproxima devagar de sua mãe, Sarada levanta os seus braços em direção de sua progenitora, Sakura percebe que sua filha queria ir para o colo dela, foi então que a mesma pega-a em seus braços e abraça-a Sarada também retribui o abraço fazendo com que Sakura chorasse ainda mais e por incrível que parece ou por obra de Deus ou não, a pequena Sarada solta sua primeira palavra, as mais belas palavras que pode ser considerada por todos os seres humanos, Sarada pela primeira vez chamou Sakura de mãe, fazendo com que a Sakura arregalasse seus olhos e que seu coração acelerasse com aquele momento mágico e naquele momento a rosada abraça mais a sua filha para mais perto de seu corpo, recebendo aquele calor de filha, e em seu coração um preenchimento de um amor tão incondicional e profundo que seria impossível qualquer um quebrar aquela relação tão linda e inocente entre mãe e filha, que até Sasuke mesmo de longe ouviu o que sua filha havia dito e presenciado o amor entre as duas seus olhos não conseguirem aguentar as lágrimas da esperança e de alegria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...