1. Spirit Fanfics >
  2. Um romance contra regras ( Jungkook) >
  3. Y-a-o-i?

História Um romance contra regras ( Jungkook) - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


História totalmente feita por mim
⚠️ Não copie ou cole ⚠️
⚠️ Não alugue ou resposte ⚠️
⚠️ História totalmente gratuita ⚠️
🚫 Plágio é crime 🚫

Desculpa a demora pra postar! Tava sem internet.
Boa leitura ❤️❤️❤️

Capítulo 28 - Y-a-o-i?


Fanfic / Fanfiction Um romance contra regras ( Jungkook) - Capítulo 28 - Y-a-o-i?

Ele se senta a seu lado e fica a te olhar. Vc dormia calmamente abraçada com o moletom dele. Mas essa calma vira desespero...

Sonho/ on

—eu estava em um corredor, que parecia levar ao infinito. Aquele lugar parece ser um castelo antigo. Eu caminho sem entender onde estou, caminho até o fim do corredor que levava a uma porta. Sem dúvidas, entro. Olhando aos redores, percebo que é um quarto (capa), um quarto antigo. Exatamente! Eu estava em um castelo medieval. Indo mais adentro dele, vejo uma cama, que avia alguém a dormir. Me aproximo e vejo que era o Jungkook. Abro um sorriso ao vê-lo. Eu ando até, mas paro. Sinto água molhar meus pés que estavam descalços. Eu olho para mim, vejo que estou vestindo um vestido de noiva, e que estou propícia a um casamento . Eu toco e giro para ter certeza. Eu olho para o chão e vejo que estou pisando em um lago. Mas como?! Eu não afundo! Olho melhor para aquele líquido e detecto que não é água, e sim sangue. Eu me apavoro ao ver o sangue subir pelas barras do tecido do vestido. Eu coloca as mãos na boca e vou até a cama. Me sento ao lado dele e tendo não encostar os meus pés e meu vestido naquilo. Eu fico a olhar pra ele por um tempo. Ele estava de lado para mim, mas mesmo assim pude ver seu rosto. Ele parecia amargurado, com dor, medo de algo ou alguém. Sem resistir, acaricio seu rosto delicadamente. Mas paro ao sentir sangue escorrer de sua cabeça. Eu o chamo, mas sem resultado. Decido tirar a coberta que cobria seu corpo. Ao fazer isso, vejo seu corpo todo enfaixado, faixas que já estavam sujas de sangue. Eu seguro seu pulso para ver sua pulsação, mas não sinto nenhuma... Eu solto seu braço, que cai como se estive morto. Eu me levanto. Coloco ele de barriga para cima e tento reanima-lo. Sem chance de ajudá-lo, me ajoelho e deito minha cabeça em seu peito. Começo a me derramar em lágrimas. Entro aos prantos alí. Eu fecho meus olhos e penso e desejo ser um sonho. De repente, ouço passos a entrar no quarto eu me viro e...

Sonho/ off

Jk— S/n? Acorda meu amor! -ele fala em seu ouvido- vc tá bem?

Vc abre seus olhos e o abraça fortemente.

Vc— eu quem te pergunto, vc está bem? Não tá machucado em nenhum lugar? -vc afasta o abraço, o interrogando e passando a mão no peito dele- 

Jk— eu tô bem minha pequena, não tô machucado em nenhum lugar. Mas por que vc tá assim? -ele segura seu rosto- 

Vc— eu sonhei que tinha te perdido! -vc o abraça- 

Jk— mas, por que vc me perdeu? -ele separa o abraço- 

Vc— não sei, quando eu ia ver vc me acordou.

Jk— mas foi tão ruim?

Vc— foi muito estranho, eu senti como se tivesse morrendo...-ele te interrompe- 

Jk— não diz isso! Eu não vou morrer, vou ficar com vc pra sempre meu amor! -ele fala e te beija- 

Vcs se beijam por um momento. A cada segundo esse beijo ficava mais ardente. Ele te deita subindo em cima de vc, ficando cara a cara, ele para o beijo e te acaricia.

Jk— melhor tomar seus remédios antes que eu me empolgue. -ele sai de cima de vc- aqui,  toma! -ele te alcança um comprimido e o copo de água- 

Vc pega e ingere. Ele te ajuda a ir ao banheiro tomar um banho e fazer suas higiênes. Logo depois ele te carrega até a cozinha e prepara algo para vc comer. Um milagre que as armys não entraram em guerra com vc, elas pareciam felizes por vcs. A Big Hit já tinha dado seu depoimento para todo o mundo, mas é claro, o Jungkook teve participação nisso. Ele twittou uma mensagem de desculpa e agradecimento pelos recados de parabenização a vcs. Mesmo assim, com a sua gravidez e seu problema de locomoção, o Jk não se livraria do trabalho de Idol. Ainda teria que fazer a viagem da turnê naqueles dias. Algo bom, era que vc poderia acompanhá-los! 

********************♡*****************

5 dias já se passaram desde o seu incidente. Era hora da viagem. Vc não tinha força em suas pernas, mas já as sentia. Vcs arrumavam as malas para ir. Até aí tudo bem, mas o destino dessa viagem lhe assustava. Vcs estavam indo para Portugal, mas específicamente, para um castelo antigo, mas ainda habitável. Estavam indo para lá, apenas para gravações e divertimento, ou, para a morte de alguém. Aquele sonho ainda te perturbava. Pequenos fragmentos dele apareciam do nada em seus pensamentos e sonhos. As vezes o Jk tinha que te acordar, por que vc delirava, suava em frio. E toda vez que vc se virava para ver quem era, vc era acordada ou o sonho parava e outro entrava em seu lugar.

Medo não era algo que vc sentia, mas sim curiosidade. Saber o que aquilo significava, o por que. Até por que, não achou que aquilo podesse acontecer não é?! Exatamente, era impossível aquilo ser real, pois sempre que algo ruim vai acontecer, nunca é premeditado, nunca avisa, nunca dá sinal de vida antes do acontecimento. Vc deveria ir apenas por conta dele, mas seu real motivo era ir para descobrir se aquele lugar tinha alguma ligação com seu sonho e descobrir se ele corre perigo.

Já no avião...

Jk— S/n? Ei? Ta viva? -ele passa a mão na frente dos seus olhos- 

Vc— hãn? Que?

Jm— faz um tempo que vc tá aí, no muunndoo...da lua! -ele aparece sentando no colo do JK- 

Vc— yaoi...-vc fala para o lado- 

Jk e Jm— y-a-o-i? -eles falam juntos- 

-Vc ri-

Vc— vcs sabem que agente shippa Jikook né? -vc pega uma mão de cada um e entrelaça-as- 

Jk— credo! Sai do meu colo milk. -ele desfaz as mãos e o tira de seu colo-

Jm— meu amor supera seus nãos! -ele cruza os braços- 

JK— cruz credo! 

Vc— eu vou ser a madrinha! -vc levanta sua mão- 

J— vc não tem como ser a madrinha. -ele se escora no Jm- se vc é que vai ser a noiva! 

Jm— verdade! Eu vou ser o padrinho junto com a sua amiga! -ele sorri malicioso-

J— vai sentar criança! 

Assim ele faz, o Jin se despede de vcs. Sem ver ele se esbarra com o RM fazendo os dois caírem. O RM cai por cima do Jin ficando com os lábios unidos e muito bem colados. Vc começa a rir e tira uma foto como prova.

Vc— eu disse, Yaoi! -vc se arrasta de volta para seu lugar- 

Jh— vcs podem fazer o favor de se pegarem em terra firme? -como sempre, ele brota do nada- 

Sg— podem calar a boca tam...pera que?-ele chega e vê os dois a se beijarem loucamente no chão- tá né! 

V— me convidem para o casamento! -ele passa por vcs e comenta- 

Os dois se levantam limpando a roupa. 

J— ninguém comenta nada! OUVIRAM? -ele ergue seu tom- 

Todos— sim senhor! 

J— e S/n, se vc ousar colocar essa foto na internet, eu juro que o JK vai pagar! -ele se aproxima de vc-

Jk— por que eu? -ele se aponta- 

RM— parem de brigar. O passado não volta para ser mudado, o que já foi não volta. -ele puxa o J pela camiseta- 

J— me solta Nanjoon! NANJOON?! -ele grita-

RM— cala a boca, se não eu calo! 

O pobre homem só abre a boca inconformado. Vc faz um coração com as mãos para eles, e ri sem parar. O JK se senta a seu lado e desfaz seus gestos, em seguida te beija.

Jk— eu te amo! -ele fala entre o beijo- 

Vc não responde, até porque, não podia. Vc passa seus braços ao redor da cabeça dele e afunda mais o beijo. Ele faz o mesmo, te segura pela cintura e trás mais desejo para suas bocas. Mas param ao ouvir o som de uma câmera e a voz do...

V— Xs! -ele pega vcs no flagra- 

Vc ri ao ver o JK correndo atrás dele pelo avião. Vc se aconchega no macio assento do avião, fecha os olhos e apaga.

Sonho/ on

— eu estava naquele mesmo quarto, mas dessa vez, sem um lago de sangue para banhar meus pés, e sem o JK na cama. Eu não estou vestida de noiva, estou com um vestido preto, como se eu fosse ir em um velório. Eu ando pelo quarto, não encontro nada. Eu vou até a sacada e olho para baixo. Fico lá por um momento, mas paro de admirar a vista ao ouvir a porta ser aberta. Eu me viro e corro até lá. Quando chego, já pondo as mãos na boca, me deparo um lugar totalmente diferente do lugar onde eu acordei. Eu estava em uma sala, que parecia ser de música. Eu vejo uma pessoa tocando o piano em um amelodia triste. Uma melodia que parecia contar uma história que nunca teve um se quer minuto de felicidade. Eu caminho até ela ou ele, mas paro ou ouvir a música parar. Continuo, chego nela, a vejo e não a vejo. Era apenas uma estátua, mas como? Se estava tocando o piano? Eu paro meus pensamentos e me viro ao escutar o violino começar sua melodia. Não vejo ninguém, apenas um violino tocar suas cordas sozinho. Eu fico chocada, no mesmo minuto, o piano volta a revelar suas lágrimas em notas musicais. Não pode ser! Eu falo ao ver um violão aparecer atrás de mim. Eu corro até a sacada e vejo outra paisagem, agora, um jardim com um sepultura. Eu me viro de volta para a sala, mas me deparo com o quarto, vejo o JK em pé em minha frente. Eu vou até ele, ele me pergunta o porquê do vestido e o porquê do meu desespero, sem resposta eu apenas o abraço. Mas quando vejo, estou no jardim, abraçando uma árvore, eu fico escondida ao ver que avia pessoas alí na sepultura. Eles choram a morte de alguém, eu ainda assim com medo, me aproximo para ver quem era. Mas caio. O chão vira um lago vermelho. Vermelho de sangue. Eu vejo um corpo afundar, ainda com oxigênio, vou até ele. Sem ver o rosto, eu seguro a mão dele e o puxo para a superfície. Eu tiro a marcará do seu rosto, vendo quem era, eu grito e chamo seu nome sem parar: JK?! JK?! Sem resposta. Eu fecho meus olhos e o abraço. Quando os abro, eu estava se volta no quarto abraçando meu próprio corpo com uma rosa em minha mão. Eu estava sentada no chão, em um tapete de pelo de algum animal. Eu me olho, estou completamente nua, sem nem mesmo minhas roupas íntimas. Eu olho ao redor para ter certeza que estou no quarto, e eu estava. Eu volto meu olhar para a rosa branca que eu segurava. Eu vejo que nela não avia nenhum espinho, ou marca de alguma tesoura ter cortado seus rancores. Era uma rosa única. Depois de admira-la, eu me levanto. Não me cubro com nada, vou do jeito que eu estava. Caminho até a porta do quarto, a abro e vejo quem estava a fazer aquilo comigo. Ele não brincou em seu serviço. O...

Sonho/ off

Jk— ei? S/n! -ele grita com vc— 

Vc— não grita! Aí meus ouvidos...

Jk— mas também, eu tô a te chamar faz meia hora, e tu nem sinal de vida dava! Vem agente chegou! -ele pega sua mão- 

Vc apenas concorda, ele te pega no colo. Vcs saim do avião entrando no aeroporto. As pessoas alí, tiravam fotos e shippavam os nomes de vcs. Ninguém os ameaçou ou disse algo que pudesse ofende-los. Ele te coloca na van que iria levá-los para o castelo. Vcs não iam ficar em um hotel, pois o castelo ainda era e é habitável. Como o casal do grupo, vc e o JK ficam um quarto de casal. Antes mesmo de entrarem no castelo vc já o reconhece como o hospício do seu sonho.


 

                      Continua...

                                  Próximo capítulo...




Notas Finais


Oi gente!
Eu voltei com tudo!!!
Obrigada por esperarem! Eu amo vcs... muito, muito, muito mesmo! Até o próximo····
Beijos de longe 😘😘
Se cuidem e bebam bastante água 🍶🥛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...