História Um Romance Militar - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor Militar, Cartas, Distância, Guerra, Luna Valois, Militar, Romance Militar
Visualizações 2
Palavras 1.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Formatura


Fanfic / Fanfiction Um Romance Militar - Capítulo 5 - Formatura

Estava um sol gostoso, amo sol, já era gostoso junto a neve da Ucrânia, aqui é mais gostoso ainda. 

- Você pretende voltar para a Ucrânia? - perguntou Pinto sentando-se ao meu lado na areia.

- É claro. É meu país. - respondi como se fosse óbvio - desculpa se pareci grossa, é que pensar em tudo que está havendo lá... Me sinto egoísta por ter saído enquanto muitos estão morrendo de fome, bombas ou balas perdidas. 

- Nunca vi alguém tão patriota como você. - disse Vieira. 

- Fui criada por militares. 

- As vezes fica difícil entender o que você diz - disse Caleb, o olhei e sorri. 

- Aqui é sempre tão quente? - perguntei fechando meus olhos apoiando meu peso sobre meus braços enquanto jogava a cabeça para trás. 

- Quente? Não está tão quente. - disse Ventola sentado numa cadeira. 

- Nasci num país feito de gelo. - falei sorrindo o olhando - para mim, está bem quente. 

- Que tal darmos um mergulho? - eu não conseguia tirar os olhos do mar. Eu morava perto da cidade de Prypriat, que abrigava as pessoas que trabalhavam em Chernobyl, bem longe do mar, era coisa de televisão para mim. Nunca vi algo tão infinito. O convite de Caleb era tentador, mas aquelas ondas... Não sei se é seguro mergulhar ali.

- Talvez outra hora - eu não demonstro medo. 

- Hora, vamos, prometo que vai amar. - arqueei uma das sobrancelhas e me levantei retirando apenas a blusa. 

- Morrerei feliz se me afogar hoje - disse em ucraniano.

- O que disse? - perguntou o Cabo White. 

- nada. - comecei a caminhar em direção a imensidão azul. Conforme ia me aproximando, meu coração ia se apavorando e meu corpo negando os mandatos de meu cérebro, mas não parei. Quando a água tocou meus pés logo voltando para formar outra ondinha, agarrei com a palma da mão o braço forte de Caleb que segurou-me acima do cotovelo, ficamos parados no tempo por alguns minutos enquanto sentia o líquido gelado puxar areia de baixo dos meus pés. Sorri olhando aquilo. 

P.O.V CALEB

Os olhos dela brilhavam como se fosse a coisa mais linda que ela já viu na vida, essa garota é apaixonante. 

Meu corpo se arrepiava enquanto sentia sua mão apertar meu braço numa tentativa de afastar o medo. 

- Vamos. - desci minha mão até a sua e a puxei, ela me seguiu sem contestar, parecia que nem percebeu como estávamos, ela apertava meus dedos e se desequilibrava de vez em quando. Abaixou até atingir a água e depois lambeu os dedos me olhando perplexa. 

- É salgada mesmo - logo deu lugar a uma cara estranha - e muito - falava lambendo os próprios lábios de cenho franzido, eu só conseguir rir. Joguei um pouco de água nela que se afastou jogando em mim. Foi questão de segundos para que ela caísse e uma onda passasse por cima dela praticamente jogando-a, tenho certeza que se assustou, pois quando a levantei ela se agarrou a mim ofegante. 

- Você está bem? - perguntei segurando sua cintura enquanto sua cabeça estava em meu peito. 

- As ondas... São fortes. 

- É, tem que tomar cuidado, você levou um caldo - falei rindo e ela me deu um tapa sem me soltar - vamos para areia. 

A água não passava no joelho. Mas ela parecia apavorada e não queria demonstrar. Fomos para onde os outros estavam jogando vôlei, Luna retirou seu short ensopado, lhe entreguei minha toalha e ela se cobriu sentando no sol. 

- Está tremendo. - falei sentando ao seu lado passando os braços pela mesma, seu cabelo pingava.

- Já senti mais frio - disse sorridente - escuta - ela fez um sinal para que eu tirasse o braço de si - não posso criar laços com você. Prometi nunca me envolver com militares, nem amigos, e em apenas algumas horas já conheci 3 pessoas que gostei muito, e você...

- Mas o combinado foi virmos como desconhecidos. - ela abaixou o olhar, o mesmo estava esposto em sua íris brilhosa, ela sorriu fraco. 

P.O.V LUNA

Foi um dia maravilhoso, quando cheguei em casa me sentia pesada, Pinto disse que seria normal deitar na cama e sentir como se ela estivesse mexendo, por causa das ondas. 

Tomei um banho demorado, sequei meu cabelo e me joguei na cama. 

- Como foi o dia? - perguntou minha mãe na porta do quarto de braços cruzados apoiada na parede. 

- Maravilhoso. Temos que ir juntas. - ela sorriu e apenas saiu fechando a porta, sentia meu cansaço. Ainda era cedo, eu pendia de sono e pensava se no outro dia acordaria cedo para atender ao convite de Caleb. 

FLASHBACK

Estávamos sentados no carro sozinhos enquanto os meninos guardavam as coisas no porta-malas. 

- Amanhã é minha formatura. 

- Dois dias, foi o que eu disse. - falei sorrindo. 

- Gostaria que você fosse - meu sorriso se desfez e virei meus olhos para o mar. 

- Não acho uma boa ideia. - curta e grossa sem desviar o olhar. 

- Luna - não o olhei - é meu último convite. Ninguém nunca foi a uma formatura minha, nem minha mãe. Gostaria muito que você fosse e depois fosse a festa. 

- Já são dois convites - falei o olhando e ele riu olhando para frente do volante. 

- Por favor. - desviei o olhar novamente, seria. Não respondi - vou estar em baixo da estátua do regimento após a formatura. Se você não estiver lá. Prometo deixá-la em paz.

FLASHBACK

Eu não respondi. Eu não vou... Ele é apaixonante. Maldito Cabo. 

Virei de lado fechando meus olhos com força. Eu não vou...... 


Eram 7h da manhã, despertei sozinha, e sem sono algum, me debati na cama irritada. Levantei e fui tomar banho para relaxar o corpo, não acredito nisso....

Sentei em frente a penteadeira fazendo uma maquiagem leve. 

- Eu não acredito nisso. 

Bufei sozinha me dirigindo ao closet, peguei meu vestido branco de renda até o joelho, um sobretudo quentinho com pelos nos ombros, coloquei um cinto preto e um sapato lilás clarinho com salto brilhoso. Coloquei luvas e peguei minha bolsa brilhosa descendo as escadas estressada. 

- Bom dia. - falei seca entrando na cozinha. 

- Acordou com o pé errado menina? - perguntou minha mãe colocando uma vitamina a minha frente. 

- Só estou cometendo um erro mãe, só isso. - falei sorrindo falsa e bebi a vitamina. 

- Vai a formatura? 

- É mãe, eu vou a droga da formatura. - nosso diálogo era num inglês horrível, mas concordamos em treinar essa língua estranha para nos acostumarmos. 

Peguei a chave do carro, sentei-me, tirei os calçados, bati no volante várias vezes. 

- Ele não, por favor coração. - suspirei fundo dando partida - que ódio, eu vou matar esse cabo.

Quando cheguei e o vi de longe, ele estava na estátua como havia dito, mas ainda não tinha começado a formatura. Por que já estava ali se havia dito que ia depois da formatura? Me escondi atrás da árvore o olhando. 

- O que está fazendo? - dei um pulo e minha mão correu até meu peito. 

- Pinto, que susto - ele riu. 

- Você está linda. - disse sorridente. 

- Obrigada - falei sorridente.

- Por que parece que você está se escondendo? 

- Não se atreva a contar para o Caleb que eu vim ok? Não fale um a e se falar eu vou saber. 

- Wow, eu não entendi quase nada que você falou, fala mais devagar - merda de sotaque, repeti tudo tentando ser o mais perfeita possível no inglês para ele entender bem que se ele falar eu corto a língua dele. - relaxa, de mim ele não vai saber.

- Obrigada.

Ele riu e foi entrar em forma junto com os outros. A formatura foi linda, como sempre, e lá estava Caleb, sob a estátua olhando para todos os lados, passei o dia passando longe dali, e ele não saiu nem por um segundo, a formatura terminou ao meio dia. Ele ficou lá até às 19h da noite. 

- Você não vai falar com ele? - novamente dei um pulo, mas desta vez dei um tapa, era Vieira - aí!

- Vocês ficam me assustando.

- Vocês? 

- É, o Pinto já me assustou duas vezes e agora você. 

- Olha, ele tá esperando você. Disse que não sai dali até você ir lá. Ele disse que sabe que vai vir... Ele vai acabar virando o novo Hachiko. - dei outro tapa nele - aí! 

- Nao fala assim! Ele supera... 

- Eu nunca o vi gostando de ninguém Luna. Caleb sempre foi desapegado de pessoas e apegado ao trabalho. Ele nunca foi de levar garotas a roles, ele era mais do tipo que ligava para garotas só depois do role, se é que me entende. 

- Não sei, seu inglês podre me confunde - falei irônica, eu brava fico um saco. 

- Só digo que se quiser investir, agora é a hora. Você é a primeira que ele espera 19h em baixo de sol e com fome.

- Fome? - ignorei Vieira que saiu andando, me encostei na arveor de costas para ele e olhei o céu estrelado. Eu não vou lá...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...