1. Spirit Fanfics >
  2. Um sonho acima de tudo >
  3. E assim minha vida desandou

História Um sonho acima de tudo - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - E assim minha vida desandou


Fanfic / Fanfiction Um sonho acima de tudo - Capítulo 1 - E assim minha vida desandou

Tudo começou em uma manhã de natal, quando meus pais decidiram passar o feriado na casa dos meu avós. Eu tinha apenas 5 anos. 

Meus avós nunca foram a favor do casamento dos meus pais, e isso fez com que eles não fossem próximos uns dos outros. Sempre nos encontros familiares haviam brigas e discussões bobas, mas nesse Natal meus pais estavam dispostos a se desculparem por toda essa confusão e tentar reatar a família novamente 

Saímos de casa por volta das 8:00 da manhã, queríamos chegar cedo para aproveitar o dia. Estávamos a caminho de Seattle, nevava muito e a pista estava escorregadia, o tempo estava frio mas era bem agradável.

Estávamos quase chegando, quando na estrada 86 um carro desgovernado bate contra o nosso. O carro rodopiou e capotou várias e várias vezes, quando finalmente parou, um rapaz veio e nos socorreu, ele afirmava ser médico.

Ele me tirou do carro (eu estava acordada e apenas com pequenos arranhões)  me analisou rapidamente, me levou para o canto da estrada e pediu para que eu ficasse lá. Assustada eu não conseguia dizer se quer uma palavra.

Depois de me deixar fora de perigo ele voltou para o carro e tirou meus pais de lá de dentro a tempo do socorro chegar . 

Fomos levados as pressas para o hospital onde esse moço trabalhava, meus pais precisaram de uma cirurgia de emergência e eu apenas levei uns pontos. 

Quando a médica terminou os pontos o rapaz moreno veio falar comigo .

- Olá mocinha! Qual o seu nome? 

- Cadê minha mamãe?  - Confusa e assustada foi a única coisa que consegui dizer , e ele calmamente me explicou: 

- Sua mamãe e seu papai estão sendo cuidados por médicos muito bons!

- Eles vão ficar bem? 

- Esperamos que  sim ! 

Não entendi bem porque ele torcia para que ficasem bem ao invés de me dizer com convicção o que eu esperava ouvir .

Depois de umas horas ele já tinha ganhado minha confiança, era um cara muito legal . Quando eu finalmente resolvi falar eu perguntei : 

-Qual o seu nome? 

- Eu sou o doutor Patrick James ! E você, ainda não me disse seu nome. 

- Ana Elise .

- Ana Elise! Que nome lindo ! Qual seu sobrenome Ana Elise?

- Peterson, Ana Elise Peterson! 

- Você poderia me dizer qual o nome dos seus pais ? 

- Katherine Eli Peterson e Maicon Peterson 

- Muito obrigado! 

Eu tinha esquecido dos meus pais, mas quando ele perguntou o nome deles eu relembrei e queria vê-los logo.

Até que o médico q fazia a cirurgia do meu pai chegou, ele olhou para o Dr. James e balançou a cabeça em sinal de não , o Dr. logo respirou fundo mas não me disse nada, ele estava aguardado notícias da minha mãe. 

O caso dela era bem mais delicado , lembro de ter esperado em torno de um dia inteiro para ter notícias dela .

Tudo começou a ficar estranho quando ligaram pros meus avós, e junto com deles uma moça dizendo q era assistente social . Eu não sabia bem o que era isso mas ela disse ser minha amiga . 

O médico da minha mãe chegou , meus avós foram para o canto para receber a noticia , a única coisa que me lembro e de ver minha avó  chorando desesperadamente e o meu avô balançando a cabeça em sinal de negação  . 

Ouvi eles conversado com o Dr. James, algo do tipo, "Como vamos contar a ela?" 

Minha avó se aproxima, me pega no colo e acaricia meu cabelo, com um sorriso frágil no rosto e uma lágrima descendo ela beija a minha testa . 

- O que foi vovó? Por que a senhora está chorando ? Cada a mamãe e o papai? 

Ela sem saber oq responder olha para o meu avô que está com uma cara muito fechada , de fato aborrecido com algo que eu nao sabia o que. Então ela responde a minha pergunta 

- Seus pais viajaram para um lugar muito lindo, mas eles não podem mais voltar...

- E porque não me levaram com eles? 

Ela aperta os olhos com força e mais uma lágrima cai .

- Acharam melhor deixar você aqui. 

- Eu vou poder visita - los? 

E ela simplesmente responde 

- Vai querida, um dia você vai !

Eu dou um sorriso pra ela é vou até o doutor contar da "viajem" de meus pais 

A assistente social foi conversar com os meus avós no canto, discutir sobre a minha guarda . Minha avó diz que acina os papeis e se torna responsavel por mim mas meu avô contradiz :

- Não quero cuidar de uma criança bagunceira que um dia ficara igual o pai ! - De cara fechada ele se vira 

- Mas ela não tem pra onde ir, é apenas uma criança! - responde minha avo questinando ele 

- Se ela pisar naquela casa eu saio e não volto nunca mais ! 

Minha avó amando muito o meu avô concordou 

E me entregaram para a assistente social , minha avó  se despedindo apenas com um beijo na testa e um sincero "Eu te amo" partiu, chateada por não poder me levar junto.

Meu desfecho agora era incerto e eu me perguntava todos os dias 

- Para onde é que eu vou ? 




Notas Finais


Leia o capítulo 2 para saber o desfecho dessa história


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...