História Um sonho em Londres - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Tom Holland
Personagens Tom Holland
Visualizações 124
Palavras 1.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 1 - O concerto


Pov's Isabelle 

SÃO PAULO 

Eu estava muito animada com minha viajem para Londres, eu realmente sentia que algo bom poderia se originar dessa nova experiência. É estranho pensar que vou viajar completamente sozinha, literalmente sozinha, um dia eu simplesmente resolvi que viajaria para Londres, acordei numa manha, e disse a mim mesma:
- Você vai ficar ai perdendo tempo ? Não mesmo! 
Eu tenho 20 anos e moro com meus pais, trabalho desde os 17 e comecei uma faculdade a qual não me encontrei. Juntei dinheiro por 3 anos para poder viajar com tudo que tenho direito e decidi que a hora é essa.
Me levantei liguei minha tv e coloquei no spotify, coloquei uma música animada enquanto arrumava minha mala e a bolsa de mão com os documentos, passagem e dinheiro.

LONDRES

Deixei as malas no quarto, fiz um passeio nas redondezas do hotel, almocei e tirei algumas fotos típicas de turista, ao voltar pro hotel tomei um banho e me arrume, enquanto me maquiava, chequei meu instagram, Tom Holland havia acabado de postar um story “até que enfim, em Londres!”. Eu não vou mentir que eu tinha um penhasco por ele, se eu dissesse “uma queda” eu estaria sendo no mínimo razoável. Há 5 anos atrás quando assisti 'The impossible', fiquei perdidamente apaixonada pelo Tom, e posso dizer que continuo apaixonada por ele. 
Eu decidi ir a um concerto clássico, precisava estar impecável, quando estava finalmente pronta para sair do hotel, era fim de tarde o sol estava se pondo e não fazia frio nem calor, era uma temperatura agradável de primavera ou no caso era o verão deles. Pelo olhar das pessoas havia ficado claro que eu estava deslumbrante ou havia perdido a noção do ridículo. 
Eu estava me sentindo incrivelmente poderosa por estar sozinha e ser independente em um lugar tão longe de casa mas ou mesmo tempo tão encantador como Londres, iria andando para o teatro onde seria o concerto, pois ficava apenas a duas quadras do hotel, parei no sinal esperando o mesmo abrir para os pedestres atravessarem, não haviam mais pessoas para atravessarem a rua e para a minha surpresa 3 carros pararam antes do sinal fechar, para que eu pudesse atravessar, sabe aquela expressão “linda de parar o transito”, me senti assim.
Logo cheguei no Royal Opera House ao subir as escada senti uma brisa que jogava meus fios avermelhados para traz o que fez com que eu me sentisse uma modelo desfilando, eu me sentia radiante, eu até percebi algumas pessoas olharem, quando entrei no teatro avistei um garotinho que eu jurava ser o irmãozinho do Tom, Paddy, espremi a visão e continuei andando em direção a ele que estava em pé mais ou menos aonde eu iria sentar, quando estava prestes a descobrir se era Paddy ou não, o mesmo apontou uma câmera enorme em minha direção e disparou me acertando com uma luz forte, quando recobrei meus sentidos puder ver que era realmente Paddy e ao seu lado estava sua mãe Nikki, seu pai Dom e os irmãos Harry e Sam que se viraram para olhar o que ou no caso quem o garoto fotografava, sorri gentilmente para o ele que pareceu tímido pela sua própria atitude.
- Filho, você não pode tirar foto das pessoas sem antes pedir - Nikki o  repreendeu, ele então olhou para mim e pediu desculpas.
Me acomodei no assento que ficava ao lado da família Holland porém havia uma cadeira vazia entre nós, procurei meu celular para tirar fotos do ambiente e falar aos meus país que estava prestes a assistir um concerto e claro meus amigos por meio de storys, foi quando um garoto meio apressado me pediu licença, ergui a cabeça e dei de cara com Thomas Stanley Holland, me levantei fingindo estar tudo bem dando passagem e então ele sentou na cadeira vaga ao meu lado, o espetáculo começou e por mais que eu quisesse prestar atenção ao que acontecia na minha frente eu não conseguia por ter Tom ao meu lado, de vez em quando tocávamos nossos braços no encosto da cadeira, e então o primeiro ato acabou e as luzes se acenderam.
- Quer ver a foto que eu tirei de você ? - disse Paddy passando por cima de Tom para me alcançar. 
- Quero, claro ! -  sorri, ainda tentando manter a calma por estar tão próxima do Tom, Paddy estendeu a câmera em minha direção - Nossa, ficou tão linda, a foto - eu disse surpresa e descrente, ele herdou os talentos da mãe, como fiquei tão bonita assim ? 
- A câmera é ótima, mas você sem duvida é encantadora- Nikki disse, a mulher que eu titulava de sogra nas redes sociais tinha acabado de me chamar de encantadora.
-  Obrigada... acho que fiquei sem palavras - agradeci, certeza que eu havia corado 
- Ela só disse verdades, você é linda mesmo - continuou Dom enquanto beijava a mão de sua esposa.
- Você é daqui ? - perguntou Harry.
- Não, estou passeando um pouco, sou brasileira - respondi percebendo que Tom erguia o olhar de seu celular em direção ao meu rosto.
- Você tem companhia para passear aqui em Londres ? - perguntou Sam.
- Bom, eu vim sozinha, minha companhia é o GPS e guias de bancas- disse rindo um pouco.
- Você precisa conhecer o London Eye ! - Tom falou e eu queria morrer ! Meu Deus ele falou comigo.
- Me disseram que é fantástico - sorri percebendo que o salto dava leves batidas no chão por conta do meu nervosismo vulgo tremedeira
- Depois daqui iremos jantar se quiser ir conosco está convidada - disse Nikki após comentar com Dom que havia gostado de mim.
Logo em seguida as luzes se apagaram para o segundo ato e eu fiquei com o convite na cabeça, mais atordoada do que antes e com menos atenção ainda, meu Fav estava ao meu lado e seus pais haviam me convidado pra jantar com eles será que era um sonho ? Se for não quero acordar. Quando o concerto acabou permaneci sentada meio em choque ainda sem saber se aquilo tudo era real e também devaneava com a imagem de Tom nos imagina aos beijos no banheiro do restaurante ou então no meu hotel ou ali mesmo só que sem a presença de sua família, isso seria constrangedor, foi então que o mesmo me chamou me tirando dos sonhos que estava tendo com a sua pessoa.
- Então você vai com a gente jantar ? - Ele disse esboçando um pequeno sorriso.
- Eu... Eu aceito... O convite - gaguejei.
- Bom então vamos que a reserva está marcada para as 22:00 - Dom disse ao se levantar.
O carro da família tinha apenas 5 lugares e neles foram Dom, Nikki, Sam, Harry e Paddy e eu fui junto a Tom em seu R8 estava ficando cada vez mais inacreditável eu estava me sentindo dentro de uma fanfic, na caminho fomos escutando música e eu ia observando cada detalhe de Tom cada imperfeição e cada maravilhosidade, acho que essa palavra nem existe mas por ele eu a crio, ele sorria timidamente e balançava a cabeça ao perceber que eu olhava para ele como uma criança olha para um doce, mas ele não falava nada, obviamente eu parecia uma louca mas ele parecia não ligar, se eu não fosse tão cara de pau como sou já teria soterrado minha cabeça na terra de vergonha.
- Então você não tem medo de jantar com pessoas que você conheceu a menos de três horas ? - ele disse quebrando o silêncio.
- Vocês não são estranhos para mim.
- Temos aqui uma Quackson então - soltei uma pequena risada ao escutar ele pronunciar quackson.
- Diríamos que sim.
- E como você entrou para essa vida?
- Bom, assistindo O impossível, com meu ex namorado!
- Você quer uma foto? Está me secando desde que entramos no carro.
- Desculpa... Eu... É surreal o que está acontecendo.
- Senti a mesma coisa ao encontrar Robert Downey Jr - rimos juntos.
Fomos conversando sobre coisas banais durante o restante do caminho e eu continuava com meu olha fixo nele e parecia que quanto mais tempo passávamos juntos mais eu tremia, já estava ficando notório Tom até ligou o ar do carro no quente achando que fosse frio, ao chegarmos no restaurante seus pais já estavam sentados na mesa e o lugar extra para mim já tinha sido colocado, era um daqueles restaurantes chiques aonde você pede um prato nas escuras pois os nomes nunca tem ver com a comida e depois você tem que passar num fast food pra matar a fome, minha sorte era que uma tia minha uma vez tinha cismado que eu e minhas primas tínhamos que aprender etiqueta e nos ensinou o básico. O jantar foi tranquilo, como esperado a comida era microscópica e aparentemente os Holland não eram acostumados a esse tipo de ambiente também, afinal Dom fazia piadas constantes e Harry e Sam haviam deixado a comida voar do prato com os instrumentos bizarros, ou também conhecidos como talheres nesses lugares, Tom comentou que depois da janta eles deveriam passar na casa dos avós para comerem de verdade e Paddy nem tocou na comida só comeu a sobremesa, fiquei bem à vontade com eles, conversamos sobre tudo e eles fingiam não ligar quando eu falava algo errado afinal meu inglês não era fluente e o jantar voou tão rápido que quando percebi já estava pedindo para pagar minha parte da conta.
- Claro que não querida nós te convidamos, nós iremos pagar - disse Nikki.
- Aliás deveríamos te pagar uma janta descentes agora afinal você ainda deve estar com fome assim como nós - Dom fez mais uma vez a mesa rir.
- Obrigada mesmo vocês são incríveis- disse não só pelo fato de não me deixarem pagar - Nunca vi uma família tão espirituosa e acolhedora como a de vocês muito obrigada por tudo mesmo.
- Eu te levo pro hotel - disse Tom - Aliás estou te devendo uma foto certo? - o sorriso que ele deferia a mim era a coisa mais encantadora que eu havia visto
- A sim a foto, posso tirar uma com a família toda também? - pedimos ao garçom que tirasse uma foto nossa na mesa ficou a coisa mais linda, eu já planejava imprimir, emoldurar e pendurar na parede do meu quarto.
Me despedi da família e entrei no carro com o Tom ele colocou o endereço no Wase e começou a seguir as indicações, eu estava um pouco triste o sonho estava prestes a acabar, eu tive uma oportunidade raríssima, passei a noite com meu Fav jantei com a família dele e tirei uma foto maravilhosa, eu estava muito estatizada com tudo mas ainda assim sentia que era pouco, já dizia aquele ditado "quanto mais se tem mais se quer" eu sei parece meio egotista isso mas quem não ia querer mais afinal. 
Continua...


Notas Finais


Me falem o que vocês acharam do ritmo da historia e comentem os ué vocês acham que vai acontecer, se tiverem sugestões também seram bem-vindas beijos até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...