1. Spirit Fanfics >
  2. Um sonho real - OneShot - Jung Hoseok (J-Hope) >
  3. Capítulo Único

História Um sonho real - OneShot - Jung Hoseok (J-Hope) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo Único


Estava escuro, meus olhos permaneciam fechados. Estava quieto, não se ouvia nenhum ruído. Estava calmo e sereno, só sentia uma leve brisa quente atingindo meu rosto.

Abro os olhos devagar. Minha visão está um pouco turva devido a claridade, mas vejo uma silhueta a minha frente. Meus olhos encontram os olhos dele e eu o consigo ver nitidamente. Nós dois nos afastamos rapidamente, devido ao susto. Eu estava deitada em uma cama, frente a frente com um completo estranho.

- Quem é você? – Dissemos juntos.

Olho em volta. Eu estava em quarto todo branco, com móveis brancos, paredes brancas, chão e teto brancos. Esse não era o meu quarto. Era o quarto dele? Olho para o menino e vejo que ele está observando o quarto também, com a mesma expressão confusa e assustada que eu estava. Olho para as minhas roupas, eu estava vestindo uma camisola de seda, que também não era minha. Olho para o menino, e ele está vestindo uma camiseta e uma calça. Nossos olhos se encontram novamente. Olhos confusos, olhos assustados.

- Quem é você? Onde eu estou? – Pergunto.

- Faço as mesmas perguntas. – Ele responde.

Vejo uma porta. Levanto da cama e vou em direção a ela. Está trancada. Começo a bater, pedindo ajuda e socorro. Ninguém responde. Não há janelas naquele cômodo. Sinto o chão tremer sob os meus pés. Ele começa a se despedaçar e volto correndo para a cama.

- Não pisa no chão! – Digo ao menino.

Meu coração está acelerado pela adrenalina que corre em meu corpo. Estou tremendo e apavorada. Me inclino para tocar o chão com a mão. Ao menor dos toques, o chão inteiro despedaça, e se transforma em um abismo negro.

- O que está acontecendo? – Pergunto baixinho para mim mesma.

- Moça... é... – O menino diz meio sem jeito.

Olho para ele e ele está apontando para a minha camisola, que está um pouco levantada, deixando minhas nádegas e calcinha a mostra. Arrumo ligeiro a camisola e me cubro com o edredom branco que está aos meus pés. Sinto meu rosto corar.

- Desculpa... – Digo sem jeito.

Sento na cama e começo a tentar entender tudo o que está acontecendo. Isso não é real, não pode ser real. Na realidade o chão não despedaça. Na realidade eu não estou trancada em um quarto com um completo estranho ao meu lado. Olho novamente para o menino, que está me olhando também. Analiso seu rosto. Traços asiáticos, cabelos castanhos caindo bagunçados em sua testa, olhos castanhos, nariz fino e perfeitamente alinhado, boca rosada e bem desenhada. Vejo que ele possui uma pintinha logo em cima do lábio superior. Quando volto a olhar em seus olhos, percebo que nós dois estamos nos analisando, com as cabeças inclinadas um pouco para o lado. Eu nunca havia visto essa pessoa na vida. Isso só pode ser um sonho. Claro, é um sonho.

- Meu nome é Jung Hoseok. – Ele finalmente diz.

- Meu nome é S/N. – Digo.

- O que está acontecendo? – Ele pergunta.

- Eu não sei, mas eu desconfio que isso seja um sonho, porque não é real, não pode ser...

- Estou pensando a mesma coisa... a última coisa que eu me lembro é de estar na minha cama dormindo. Fui dormir cedo, antes das 9h já estava deitado... – Ele diz pensativo.

- A última coisa que me lembro também é de estar dormindo no meu quarto, e eu acho que estava quase na hora de eu acordar de manhã... – Digo tentando lembrar de mais alguma coisa.

- Você estava quase acordando, e eu mal tinha ido dormir... – Ele diz confuso.

- 9h da noite para você, 9h da manhã para mim? – Pergunto confusa.

- 12 horas de diferença. Onde você mora? – Ele pergunta.

- No Brasil... e você?

- Na Coréia do Sul. Você fala coreano? – Ele pergunta.

- Não! Você fala português? – Digo.

- Não... como é que estamos nos entendendo? – Ele arregala os olhos.

- Não faço ideia..., mas bom, como isso é um sonho, tudo deve ser possível, certo?

- Pode ser.... – Ele diz pensativo.

Ficamos nos encarando por alguns segundos, sem piscar.

- Se isso é um sonho, porque ele está parecendo tão real para mim? – Ele pergunta.

- Como assim real? – Pergunto.

- Não sei, mas eu sinto que realmente estou aqui agora, de corpo, mente e alma. Eu tenho pleno controle das minhas ações, dos meus pensamentos e dos meus sentimentos. Eu sinto meu coração batendo, sinto o sangue correndo pelas minhas veias. Sinto a sua respiração, e o seu calor do meu lado.

- Eu sinto o mesmo... espera aí... será que... fomos abduzidos por extraterrestres? – Digo arregalando os olhos.

Hoseok me olha assustado.

- Isso não existe.... certo? – Ele pergunta.

- Eu já não duvido de mais nada! – Digo, mas começo a rir pensando o quão boba foi essa minha ideia de abdução.

Começo a gargalhar, talvez de nervosismo, e ele me vendo assim, também começa a rir. Presto atenção nele novamente e vejo o quão lindo é o sorriso que se formou em seu rosto. Seus olhos quase fecham quando ele sorri, como se estivessem sorrindo também. Fico hipnotizada por ele por alguns instantes, e quando volto a mim, percebo que estamos os dois sustentando sorrisos um para o outro.

- Jung Hoseok... – Digo.

- S/N... – Ele responde.

- Será que eu posso… - Digo e estendo minhas mãos, na intensão de nos tocarmos.

- Pode... – Ele diz e estende suas mãos.

Seguro as mãos dele. Sinto sua pele macia, tão real, tão quente. Meus dedos começam a formigar, e esse formigamento passa para a palma da mão e braço. Exploramos o tato das mãos e nossos dedos se entrelaçam. Sinto meu coração acelerar o batimento, e sinto a pulsação acelerada dele também.

- Tão real... – Sussurro.

- Sim... – Ele sussurra e aperta minha mão. – Está formigando.

- Sinto o mesmo... – Digo e olho em seus olhos.

- Nós estamos tipo... conectados? – Ele pergunta.

- Conectados? Você quer dizer que estamos tendo o mesmo sonho? Juntos?

- É... isso é possível? – Ele questiona confuso.

- Não sei... ou esse pode ser o meu sonho e você está nele, ou esse pode ser o seu sonho e eu estou nele... e somos o fruto da imaginação um do outro.

- Mas nós dois estávamos dormindo ao mesmo tempo... é possível duas pessoas compartilharem sonhos, e conversarem através dele? Conversas reais...

- Não acredito que isso seja possível. – Digo, mas com um pouco de dúvidas em minha cabeça. – Você é uma pessoa real? Você existe na realidade?

- Claro que existo. Eu me chamo Jung Hoseok, tenho 26 anos e moro na Coréia. E você, existe?

- Sim, me chamo S/N, tenho XX anos e moro no Brasil. Mas então digamos que exista essa conexão, porque nós? O que poderíamos ter em comum? – Pergunto.

- Não sei... será que precisamos ter algo em comum? Ou somos dois estranhos que por um acaso caíram em um universo paralelo de sonhos? – Ele questiona.

- Universo paralelo de sonhos... – Repito baixinho e pensativa. – Você costuma sonhar muito?

- Todos os dias, mas é difícil eu me lembrar dos meus sonhos... e você?

- Mesma coisa... sonho, mas quando acordo eles praticamente desaparecem, sobram somente alguns fragmentos de coisas sem sentido. – Digo.

Hoseok me encara e cerra um pouco seus olhos. Ele inclina a cabeça para o lado.

- Sorria para mim... por favor? – Ele pede.

Dou um sorriso e ele arregala os olhos.

- O que foi? – Pergunto.

Nisso, uma memória ou lembrança aparece em minha cabeça, como um flashback, deja vu, ou uma visão. Aparece um pouco borrada, mas eu vejo o sorriso dele em minha cabeça.

- Você também viu... – Ele começa a falar.

- Sorriso... sim... o seu sorriso apareceu como uma lembrança... – Digo devagar e pensativa.

- Nós já visitamos os sonhos um do outro anteriormente? – Ele pergunta.

- Se tivéssemos feito isso, iriamos nos lembrar, certo? – Questiono.

- Deveríamos nos lembrar, mas.... não sei, estou muito confuso agora. Eu comecei a sentir que já conheço você... o seu lindo sorriso não sai da minha cabeça, seu toque... – Ele diz apertando minhas mãos. – O que eu estou sentindo por você agora é bem real...

Eu também estava sentindo algo muito real por ele naquele momento. Eu sentia que o conhecia também. Mas da aonde? Dos meus sonhos? Eu já havia sonhado com ele? O analiso novamente.

- Você é lindo...

- Você é linda...

Dissemos ao mesmo tempo.  As palavras saem da minha boca automaticamente. Quando percebo o que acabei de dizer, começo a corar, e vejo que ele também ficou sem jeito.

- Me desculpa S/N... eu não consegui controlar...

- Eu também não... foi automático.

- Mas não que não seja verdade... você é realmente muito bonita... – Ele diz e dá um sorriso leve, que destaca suas lindas covinhas.

- Você também Hoseok... é realmente muito bonito e atraente. – Digo sorrindo.

- Porque meus lábios estão formigando agora? – Ele diz baixinho.

- Os meus também... – Digo.

Mais uma daquelas lembranças invadem minha cabeça. Vejo nossos rostos muito próximos um do outro.

- Nós já nos...

- Beijamos? – Digo completando o que ele iria falar.

- É... acabei de ter essa visão... – Ele diz e seus olhos estão fixos na minha boca.

Hoseok passa a língua em seus lábios e dá uma leve mordida em seu lábio inferior. Suspiro alto.

- Eu posso? – Ele pede.

Faço que sim com a cabeça, sem nem mesmo pensar a respeito. Eu já não tinha mais o controle de mim, o desejo estava me dominando por completa.

Hoseok segura meu rosto com as duas mãos e aproxima nossos lábios. Minhas mãos estão sob as coxas firmes dele. Ele acaricia meu rosto e deposita um leve beijo no canto da minha boca. Meu corpo arrepia com o seu toque ali. Dou um leve sorriso e ele também. Ele repete o beijo no outro canto da minha boca. Nossos olhos se encontram por um instante e em seguida se fecham. Sinto os lábios macios dele encontrarem os meus por completo, e eles se movimentam sincronizados, em um ritmo leve e calmo. Sinto minha boca formigando mais ainda, sinto meu corpo todo formigar e ser preenchido por uma sensação familiar, mas que eu não conseguia identificar o sentimento por trás dela. Meu coração acelera mais ainda. Meu corpo pede para se aproximar mais ainda do dele. Quando percebo, estou deitada na cama, com ele um pouco acima de mim, e nossos lábios ainda sustentando aquele mesmo beijo. Nos afastamos lentamente um do outro, quando o folego já não havia mais. Nossos olhares se encontram novamente.

- Tão...

- Real! – Digo suspirando.

- Um sonho real... eu senti cada pedacinho dos seus doces lábios, senti cada batida do seu coração. – Ele diz com um olhar sereno.

- Eu também... meu corpo todo está formigando agora...

Hoseok sorri e se inclina novamente sobre mim para me beijar. Dessa vez, com um pouco mais de intensidade. Agora nossas línguas dançam entrelaçadas, nossas salivas quentes e doces são trocadas, entre suspiros e arfadas. Estou entregue aquele beijo, aquela sensação real que invade meu ser. Aquilo era um sonho, mas era o sonho mais intenso e mais vívido que eu já tive. Eu não queria que ele tivesse fim, eu desejava dormir para sempre e ficar ali naquela realidade paralela. Ele me atraía. Eu não sabia quem ele era, o que ele fazia, mas eu sentia que no fundo eu já o conhecia, mais do que eu poderia imaginar.

- Se isso realmente for um sonho, eu não quero acordar... – Digo entre o beijo.

- Nem eu... – Ele diz e distribui leves selinhos em meus lábios.

Nos afastamos um pouco. Ele passa seus braços pelo meu corpo e me puxa para perto dele, me envolvendo em um abraço.

- Eu senti que deveria fazer isso, que era a coisa certa a se fazer... – Ele diz.

- Tudo bem, eu sinto o mesmo. – Digo.

Sinto seu perfume invadir o ambiente, nossos corpos estão colados um no outro. Formigamentos. Formigamentos em cada célula do meu corpo. E arrepios, muitos arrepios.

- Eu estou me sentindo... nas nuvens... e você? – Pergunto a ele.

- Também... e eu sei que eu já me senti assim com você antes. Mas dessa vez parece ser um pouco mais intenso. – Ele diz.

- Hoseok... será que vamos lembrar disso quando acordarmos?

- Eu gostaria muito S/N... – Ele diz sorrindo.

- Você tem memória boa? – Pergunto.

- Para sonhos não muito..., mas eu vou me esforçar por você...

Sinto a cama tremer. O teto começa a desabar.

- Hoseok! – Digo assustada.

- S/N! O que está acontecendo agora?

- Acho que estamos acordando! – Digo.

- Não... droga... não... – Ele diz angustiado.

- Hoseok... memoriza isso, é meu telefone... – E falo os números para ele.

- Esse é o meu... – Ele me passa o dele.

- Vamos tentar lembrar e vamos nos contatar no mundo real. – Digo falando alto devido ao barulho de tudo desabando.

- Combinado! – Ele grita.

Nos olhamos novamente, sorrindo um para o outro, antes dos nossos lábios selarem um beijo em meio aquele caos do mundo paralelo dos sonhos desabar por completo.

 

(...)

 

Apagão. Escuridão. Bem ao fundo ouço o canto dos pássaros. Meus olhos demoram para abrir por completo, eles estavam pesados devido ao sono que insistia em não querer sair do meu corpo. Espio uma claridade invadindo pela janela. Era manhã. Olho para o relógio. 9h. Olho em volta e estou em meu quarto. Olho para o lado e não há ninguém ali além de mim. Me espreguiço e ensaio para levantar da cama, mas parece que tem algo me prendendo ali. Meu corpo está pesado, parece um pouco cansado. Minha cabeça fervilha, mas não consigo me concentrar em nada do que está passando nela. Eu sonhei essa noite? Me esforço para lembrar de algo, mas somente fragmentos de coisas sem sentido aparecem. Quase nunca lembro dos meus sonhos. Sinto a ponta dos meus dedos e o canto da minha boca formigarem. Que sensação estranha. Com esforço, me sento na beirada da cama e fico ali alguns instantes. +82...43...47...25... repito esses números baixinho. O que eu estava falando? Só posso estar ficando doida. Me levanto e sigo para o banheiro para tomar um banho. Meus dedos e lábios começam a formigar com mais intensidade. Fragmentos do meu sonho aparecem enquanto a água quentinha cai em meu corpo. Chão e teto desmoronando, um vulto ao meu lado. Mãos, lábios. Números aleatórios. Tento com muito esforço encaixar tudo aquilo, mas sem sucesso. Deve ter sido um sonho bem louco mesmo, mas por mais que eu não consiga me lembrar dele com clareza, eu sinto que ele me pareceu bem real.

Volto para o quarto para me arrumar para sair. Quando pronta, pego minha bolsa, meu celular e sigo em direção à rua. Estou andando tranquilamente, checando as notificações dos aplicativos no meu celular. Vejo que há uma mensagem de um numero desconhecido. Abro para ler. Meu coração para na hora e sinto meu corpo inteiro começar a formigar.

“S/N? Você é a garota dos meus sonhos?”


Notas Finais


Obrigada pela leitura!
Que seus sonhos sejam tão lindos e reais como foi esse aqui :)

Quem quiser acompanhar, tenho uma outra fic em andamento (+18). J-Hope também é o personagem principal.
Minha luz, minha esperança, minha cura: https://www.spiritfanfiction.com/historia/minha-luz-minha-esperanca-minha-cura--jung-hoseok-18-18378512


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...