História Um Último Pedido (Malec) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Catarina Loss, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jocelyn Fairchild, Lady Camille Belcourt, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Ragnor Fell, Raphael Santiago, Simon Lewis
Tags Alec, Bane, Drama, Gay, Lightwood, Magnus, Malec, Romance
Visualizações 171
Palavras 4.451
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olar!!

Capítulo 18 - 21 de junho


Fanfic / Fanfiction Um Último Pedido (Malec) - Capítulo 18 - 21 de junho


A rotina já era familiar, fazia pouco mais de três meses que Alec, Magnus e a pequena Madzie moravam juntos na casa nova. Os dois rapazes estavam namorando a praticamente o mesmo tempo, e se davam bem como se estivem juntos a anos. Nesses três meses passaram a dividir o mesmo quarto, deixando que o quarto de Alec se transformasse oficialmente em um quarto de hóspedes. Durante esses noventa e poucos dias, o lightwood descobriu que meias no chão do quarto irritam Magnus, sair do banheiro molhando o chão também, e deixar a pasta de dente destapada era a morte para seu namorado, se viu implicando com o seu espaço no closet do casal sendo invadido por calças de couro e blusas coloridas, ficava louco com toalha de rosto suja de maquiagem   e descobriu que detestava anéis espalhados pela casa, coisa que Bane fazia o tempo todo...

Nesses três meses Madzie havia tido menos pesadelos, mas em compensação, Magnus e Alec haviam sido chamados por três ou quatro vezes na nova escola por mal comportamento. A Pequena havia brigado com alguns colegas na sala, se recusado a fazer a lição e chamado a professora de feia. Aquele comportamento era estranho vindo da menina, então em uma das consultas médicas da pequena, foi sugerido pela Dr.Maya que os dois rapazes procurassem um psicólogo infantil. Talvez todas as mudanças estivessem afetando a menina em sala de aula.

Aceitando a sugestão, Alec pegou o número do psicólogo sugerido pela doutora e marcou a consulta. Madzie estava em sua terceira semana vendo o Dr.Morales, indo ao psicólogo uma vez por semana. Alec  saia mais cedo do trabalho, buscava Madzie na escola e dirigia próximo ao central Park  onde ficava o consultório, sentava na sala de espera e aguardava cinquenta minutos até a pequena sair da sala falando tchau para o doutor. 

Magnus estava atolado em reuniões e documentos, quase não conseguia sair da empresa, e estava frequentemente irritado, ele e Alec voltaram a ir e voltar em carros separados pois na maioria dos dias ele precisava ficar até mais tarde em sua sala tentando se livrar de alguns documentos a mais, mas parecia inútil pois quando voltava no dia seguinte, lá estava a mesa dele cheia de papéis e a agenda dele cheia de reuniões insuportáveis. Madzie estava tendo problemas na escola e ele se sentia culpado, acreditava que a mudança repentina na própria rotina da casa talvez estivesse afetando a pequena. Ele e Alec  haviam criado uma rotina tranquila para a menina, chegavam sempre por volta das 19:00, faziam o jantar,  jantavam juntos e brincavam com a pequena  até umas 21:00, colocavam a pequena para dormir contando alguma história, fazendo alguma brincadeira e então se despediam da menina; mas por varias semanas, Alec se virava sozinho na cozinha, ele chegava depois das 21:00 e não via a sua biscoitinho. Chegava exausto em casa, tomava um banho e se esgueirava quase derrotado para a cama.. se aquela rotina estava matando ele, um homem adulto, imagina uma criança de quatro anos, que estava se familiarizando com a nova rotina? 

...

Acordou ao lado de Alec e sorriu, mesmo com toda a correria, acordar de manhã e ver Alexander ressonando ao seu lado, com os braços em volta do seu corpo, era uma imagem que Magnus gostava de se presentear todos os dias por alguns vários minutos, antes de se colocar de pé e enfrentar um novo dia corrido. 

- encarar as pessoas é feio Magnus_ murmurou Alec ainda de olhos fechados

- ninguém mandou ser lindo até roncando_ Magnus disse entre risadas 

- Ei! Eu não ronco..._ se espreguiçou acomodando seu rosto na curva do pescoço do namorado.

- ronca sim _ gargalhou_ mas eu já me acostumei... até gosto 

- chato..._ murmurou mordendo o seu pescoço 

- Aí! _ reclamou da mordida jogando o corpo para o lado subindo em cima de Alec com uma perna de cada lado do mais novo_ Bom dia nervosinho_ roubou um beijinho 

- Bom dia meu amor..._ sorriu acariciando as costas do mais velho o puxando para perto lhe dando um beijo mais intenso

- Ei ei ei.. _ interrompeu relutante o beijo_ temos que levantar pra acordar a biscoitinho e fazer o café da manhã_ sentiu suas lábios serem roubados novamente

- que horas são? _ perguntou descendo as mãos para a altura do quadril

- 6:40..._ fez menção de levantar 

- a onde pensa que vai?_ puxou o corpo do mais velho para sentar novamente sobre si_ temos cinquenta minutos_ sorriu malicioso


- você é muito safado meu anjo... _ beijou-lhe os lábios

- você nunca reclamou_ gargalhou_ inclusive_ sussurrou_ você gosta bastante_ lambeu o pescoço dourado da altura da orelha até o final...

Magnus gemeu baixinho, sentindo seu corpo todo acordado. Segurou nos cabelos negros, puxando-os levemente, sentindo Alexander perder o controle em baixo de si, sentindo suas mãos apertando suas nádegas por dentro da cueca. Rebolou lentamente sobre o colo do mais novo ouvindo-o gemer em seu ouvido.

Ouviram barulho de batidas na porta e soltaram-se rapidamente, a porta se abriu e viram madzie entrando sonolenta arrastando seu urso chiclete.

- Bom dia Biscoitinho_ disse Magnus_ por que acordou tão cedo? 

- bom dia docinho... dormiu bem?_ disse Alec vermelho igual um pimentão.

- Bom dia..._ disse a pequena enquanto se arrastava pra cima da cama, sentando-se de frente para os dois rapazes_ só acordei_ bocejou 

- você parece com sono ainda princesa_ sorriu Magnus_ quer deitar aqui com a gente mais uns minutinhos? 

A pequena assentiu e engatinhou para o meio da cama. Alec puxou o edredom para cobri-la e deitou sendo seguido por Magnus que deitou do outro lado da menina. 

- você teve pesadelo biscoitinho?_ o mais velho perguntou fazendo desenhos com as pontas dos dedos do rosto da pequena, a algum tempo descobriu que aquilo tranquilizava a pequena fazendo-a dormir mais rápido.

- não..._ sussurrou sorrindo com o carinho_ achei que tinha perdido a escolinha

- e você quer tanto ir pra escola assim? _  Alec perguntou curioso

A garota assentiu tímida chamando a atenção dos rapazes, ela se colocou sentada novamente e disse: 

- é que estamos aprendendo uma dancinha_ sorriu_ vai ter uma apresentação..._ ficou em silêncio_ vocês vão me ver lá? 

Os rapazes sentaram voltando-se para a pequena e sorriram

- Claro que vamos! _ disse Alec olhando com os olhos brilhando para Magnus que não estava muito diferente dele, sorrindo grande deixando seus olhos menores ainda. 

- A tia vai colar bilhetinho e aí eu dou pra vocês_ sorriu animada pulando pra fora da cama_ chiclete tá com sono, eu to com fome! Vo deixar ele dormindo na minha cama e aí a gente toma café_ saiu correndo 

- Não corre de meia Madzie! _ Alec falou alto começando a se colocar de pé


- Vamos ter que deixar o que estávamos fazendo pra depois... _ sorriu malicioso para o namorado.

...

Alec estava levemente irritado, o escritório estava uma loucura, Clary havia ligado o relembrando da apresentação da Madzie, Magnus estava no escritório atolado de papéis e teria que retirá-lo de lá a força, precisava lembrar a promessa que fizeram para a pequena a dois dias. 

- Magnus_ entrou na sala sem bater encontrando Dorothea apoiada na mesa_ precisamos ir... 

- Ir  pra onde Alexander? _ perguntou sem olhá-lo 

- Senhor bane, o senhor tem uma reunião em uma hora com os acionistas..._ disse Dorothea afastando-se da mesa sem tirar os olhos de Magnus. 

Desde que havia levado um fora do indonésio, Dorothea havia parado de tentar conquistar Magnus, mas não deixava de ser inconveniente com relação à Magnus e Alec, sempre aparecendo no momento que estavam sozinhos, e relembrando as varias reuniões que precisavam estar presentes, avisando muitos minutos antes somente para alarmar os dois cortando qualquer clima entre eles. Alexander ficava muito incomodado, mas como a mulher havia parado de dar em cima do seu namorado, e de fato o trabalho dela era cuidar da agenda de Magnus, fingia que a mulher apenas não existia. 

- Magnus, não podemos ir para essa reunião..._ disse impaciente 

- Não posso faltar Alexander...

- você está de brincadeira né?!_ alarmou-se ganhando a atenção de Magnus que finalmente tirou os olhos do computador, e um sorrisinho sínico da secretaria que sentiu uma tensão entre os dois 

- Pode nos dar licença queria? _ disse Magnus sem olhá-la_ O que está acontecendo Alexander?!_ disse quando a mulher fechou a porta deixando os dois a sós.

- Eu que te pergunto Magnus! Você se esqueceu da apresentação da Madzie?! Jura?! 

- Eu não posso ir... _ falou baixo passando as mãos nos cabelos, voltando sua atenção para o computador_ eu tenho varias coisas pra fazer, tem a reunião, tem documentos...

- Você está se ouvindo?!_ aumentou o tom de voz_ você tem tudo isso, e eu também... mas prometemos para ela! 

- você não é o presidente! _ gritou_ me perdoe..._ falou logo em seguida vendo o rosto de seu namorado assumindo feições de chateação_ não queria gritar com você... 

- mas gritou!_ começou a caminhar para a porta_ você não volta pra casa no horário, não janta com a gente, não brinca com ela antes dela dormir... e nem sequer a coloca pra dormir tem semanas! Nós prometemos ir ver a apresentação... mas se você não pode desmarcar algo sendo o presidente, e prefere magoar a pequena... só lembre-se que se eu fiquei desapontado, ela vai ficar ainda mais quando te procurar na plateia e não encontrar.._ fechou a porta deixando Magnus sozinho na sala.

Magnus estava devastado, sabia que estava distante por conta do trabalho, mas não havia reparado que estava se perdendo em pilhas e reuniões, tornando-se aquilo que sempre odiou em seu próprio pai... um ser ausente. 

- quando foi que virei isso?!_ se questionou em voz alta. 

Alexander havia saído de sua sala a uns dez minutos e certamente já estava a caminho da escolinha, e lá estava ele sentando em sua cadeira, querendo ir embora atrás de Alec assistir sua biscoitinho na apresentação de escola, mas sentia o peso do seu cargo o segurar sentando em sua cadeira. 

- que se foda! Se não posso remarcar uma reunião... Então não mando em nada nisso aqui!_ se colocou de pé rapidamente e pegou seu paletó. 

- cancele minhas coisas hoje Dorothea! Não volto hoje..._ disse saindo da sala. 

Caminhou rápido até o elevador e agradeceu a rapidez com que abriu, entrou em seu carro querendo se bater pela sua demora em decidir o óbvio, pois agora estava atrasado para ir até a escola, e certamente chegaria perdendo o começo da apresentação.. 

Alec estava na porta da escola, e no fundo esperava que Magnus chegasse fazendo uma surpresa, mas os portões se abriram e ele entrou sozinho, engolindo o bolo que se formou em sua garganta. Caminhou junto a outros homens e mulheres,  entrou em uma espécie de teatro pequeno, percebeu que as cadeiras estavam com nomes e buscou o seu. Depois de alguns minutos encontrou seu nome ao lado do de Magnus e ficou mais triste. Esperava que só sua presença fosse o suficiente para alegar a menininha. 

- não é a coisa mais fofa essas apresentações de dia dos pais?_ perguntou uma mulher ao seu lado. 

- Dia dos pais?! _ estava confuso, não sabia que era sobre isso a apresentação. Seu coração se quebrou.... essas datas existiam e Madzie não tinha nenhum dos pais

- sim!_ a mulher riu_ você é pai de quem? Conheço quase todas as crianças aqui... 

- Er... eu... é... não... _ gaguejava sem parar, ficando mais vermelho ao observar a mulher o encarando sem parar 

- Madzie_ disse Magnus atraindo a atenção de Alec que o olhava surpreso com um sorriso grande _ estamos aqui para ver a Madzie_ sorriu sentando ao lado de Alec

- Ah..._ sorriu grande_ não conheço_ quantos anos ela tem?

- quatro_ disse os dois juntos se olhando e sorrindo 

- Ah.. meu filho tem seis! Por isso não conheço_ gargalhou_ e a quanto tempo são casados?! 

- Não somos_ disse Alec tímido

- ainda... _ sorriu Magnus segurando a mãos de Alec querendo rir dos olhos azuis que o encarava arregalados

- vocês são uma graça!! _ bateu palma_ e meu marido não chega logo!_ disse a mulher pegando o celular_ A propósito, Amanda_ estendeu a mão em direção aos dois 

- Alec_ apertou a mão da mulher 

- Magnus_ apertou a mão da mulher em seguida. 

- SENHORAS E SENHORES! _ disse uma voz masculina_ COM VOCÊS, NOSSOS ANJINHOS! 

A sala ficou em silêncio e as luzes diminuíram, uma música infantil começou a tocar e as cortinas se abriram, crianças dos dois aos seis anos começaram a aparecer em grupos pequenos com pompons e fitas. Duas professoras estavam na frente dos grupos dançando a coreografia fazendo as crianças repetirem, pulando e rodando como as professoras faziam.  Era tudo muito fofo e Magnus se pegou com os olhos marejados, pensando que nem em seus sonhos mais bonitos se imaginaria em uma apresentação infantil de escola. Olhou para Alec e o mais novo parecia tão extasiado quanto ele, sorrindo bobo olhando as crianças, era realmente um momento único e especial. Voltou seu olhar para a apresentação e pode ver Madzie procurando os dois enquanto dançava junto às outras crianças.  

A apresentação durou alguns minutos, cantaram mais uma musiquinha e finalizaram com um  coro infantil de “Feliz dia dos pais”  sendo aplaudidos por todos os adultos presentes. As crianças saíram correndo do palco indo de encontro a duas famílias, e Magnus parou de gravar quando encontrou Madzie ainda no palco tímida olhando para os lados tentando encontrá-los. Sorriu e chamou Alec começando a caminhar em direção da menina que abriu um sorriso ao vê-los 

- você foi linda!_ sorriu se abaixando na altura da pequena

- Dançou lindamente princesa!_ disse Alec também na altura da menina

- Achei que não viriam..._ sorriu tímida colocando seus bracinhos ao redor da dois 

- Não perderíamos por nada_ disse Magnus se levantando com a pequena no colo e vendo um sorriso orgulhoso nos lábios de Alec_ bom! Então que tal irmos até a sorveteria? 

- Ela tem conversa com o Tio Morales_ disse Alec olhando para Magnus com um olhar indicando que era dia da consulta no psicólogo_ E você tem que voltar pro escritório não? 

- Eu tirei a tarde pra ficar com vocês_ sorriu de lado_ estou perdoado?_ sussurrou no ouvido de Alec enquanto caminhavam para o carro recendo um sim com a cabeça_ então decidido! Vamos ver o Tio Morales e depois Vamos tomar sorvete que tal? 

Madzie bateu palmas enquanto ria, sendo acompanhada pelos dois. Ao entrarem no carro, ouviram a voz da pequena.

- antes... a gente pode ir visitar meu papai? _ perguntou tímida. 

Desde o acidente, madzie parecia nunca falar dos pais, e embora Alec e Magnus tentassem manter a memória dos amigos viva, era difícil conversar sobre eles com a pequena, por que não queriam chateia-lá e  ela parecia não querer falar sobre eles.

- claro docinho_ disse Alec ligando o carro_ Magnus, vai deixar seu carro aí? 

- sim, ligo pro Raphael pegar e levar pra casa_ disse dando de ombros.

No caminho, madzie cantava a musiquinha ensaiada na apresentação, e Alec trocava olhares com Magnus, eles estavam cada vez melhores em conversar pelo olhar, e naquela conversa silenciosa, desmontavam a preocupação em levar Madzie para visitar o túmulo do seu pai, ainda mais em uma data tão especial como aquela. Estavam dando graças ao anjo por logo depois seguirem para a consulta com o psicólogo. 

Sem trânsito, chegaram em poucos minutos até o cemitério, e antes de descer observaram como estava a pequena dentro do carro. 

- você está pronta docinho? _ perguntou Alec preocupado 

-hurrum_ a pequena murmurou 

- Alec e Magnus desceram do carro abrindo a porta da garotinha logo em seguida, vendo a menina dar um pulinho do banco até é o chão.

- preciso da minha mochilinha_ disse puxando a alça_ tem o presentinho aqui..

Os dois se olharam mas não questionaram, apenas deram as mão para a pequena. Magnus colocou a mochila no ombro direito e começaram a caminhar em direção ao túmulo do casal, encontrando-os  facilmente. Pararam na frente dos nomes e sentiram saudade, ficaram aflitos esperando o que poderia acontecer com a pequena naquela posição. 
Madzie soltou-se dos rapazes e olhou para Magnus.

- Tio Mag... da minha mochila _ estendeu a mãozinha em direção ao ombro. 

Magnus retirou do ombro e abaixou na altura da pequena entregando a mochila 

- se precisar estamos aqui_ sorriu e recebeu um balanço de cabeça da criança.

Madzie caminhou lentamente para mais perto do túmulo e sentou-se em frente dele, puxou a mochila para seu colo e abriu o zíper maior puxando um papel dobrado. Magnus e Alec observavam a menina atentamente, esperando qualquer momento em que precisassem correr até ela é socorrê-la de qualquer reação que fosse.

- Oi papai... oi mamãe_  ouviu a menina dizer_ hoje a gente dançou pros papais.. foi bem legal, pulamos bastante. A tia pediu para gente desenhar pros pais, eu fui a única que fez mais de um desenho... mas eu queria deixar um aqui. 

Magnus encarava a menina sem saber exatamente o que sentir, ela parecia muito madura conversando, ele não sabia até onde ia a conversa, mas percebeu que segurava firma a mão de Alec, que também observava a menina atônito.

- Então, eu sei que vocês não estão aqui_ suspirou_ o titio Alec disse que vocês foram embora, mas tão aqui_ tocou no coração_ eu sinto falta de vocês, mas Tio Mag faz o papa e é gostoso, o Tio Alec faz “coquinhas” e eles dois dão beijinho de boa noite.. Eles foram me ver dançar e eu fiquei bem feliz. Eu achei que eles não iam me ver dançar mas aí “acabo” e eu achei eles!! _ bateu as mãozinhas_ agora eu “vo” tomar um sorvete! _ levantou_ O Tio Morales disse que se eu quisesse podia pedir pra vim aqui, foi legal! Tchau papai, tchau mamãe. 

Madzie começou a  caminhar os poucos passos até a os dois que ainda a observava surpresos. 

- Podemos ir! _ sorriu limpando uma lagriminha_ depois quero sorvete de morango 

- v-vamos princesa_ disse Alec pegando a mãos da pequena e começando a caminhar

- pera! _ disse a pequena parando de andar abruptamente e soltando a mão de Alec, puxou a mochila colocando no chão e abrindo. 

- O que foi biscoitinho?_ perguntou Magnus preocupado 

A pequena não respondeu, procurava algo no fundo da mochila.

- O que está procurando princesa?! _ disse Alec abaixando na altura da pequena

- AQUI! _ falou animada puxando um papel dobradinhos_ é pra vocês! _ sorriu tímida 

Magnus abaixou na mesma altura que estava Alec,   pegaram o papel e abriram, Alec sentiu algumas lágrimas escorrendo quente em seu rosto, olhou de relance para seu namorado e pode ver Magnus tão emocionado quanto, segurou em sua mão e apertou em sinal de apoio, recebendo um aperto em troca.

- vocês não gostaram? Tão tristes?_ abaixou a cabeça_ desculpa... 

-nos amávamos biscoitinho_ sorriu grande_ vem aqui, vem!_ abriu os braços. 

Madzie pulou no colo de Magnus que também puxou Alec para o abraço, e assim ficaram por algum tempo. Alexander não conseguia conter as lágrimas, e sabia que o indonésio estava sentindo a mesma emoção. 

O desenho de Madzie era a coisa mais linda e inesperada, não esperavam receber da menina um desenho feito por ela, com os três, um típico desenho infantil, ela no meio dado a mão com os dois. Alec estava sem pintar, ela pintada de marrom e Magnus de dourado, arrancando um sorriso do indonésio e de Alec. Era a coisa mais linda! 

- A tia tava falando sobre família, disse pra gente fazer um desenho pros pais sobre nossa família, eu fiz um desenho pro meu papai... mas quis fazer mais um pra vocês porque vocês cuidam de mim como se fossem meus papais_ sorriu.

- ficamos muito felizes_ disse Magnus pegando a mochila da pequena e colocando no ombro enquanto voltavam pro carro

... 

O caminho foi tranquilo e sem trânsito, chegando sem dificuldade no consultório onde Madzie fazia seu acompanhamento. Desceram do carro e começaram a caminhar para o consultório conversando sobre assuntos triviais. 

- Olá Mônica_ disse Alec para a secretaria 

- Boa tarde senhor Lightwood, o senhor Morales já vai atender a Madzie okay? _ disse sorrindo 

Sentaram esperando, e assim ficaram por alguns minutos. 

- Amor... _ disse Magnus_ preciso ir no banheiro, fica com madzie e te encontro aqui_ sorriu se distanciando 

Minutos depois a porta se abriu, um homem com descendência peruana sorriu para a pequena, cumprimentando ela e Alexander com um aperto de mão, voltando para sua sala e deixando Alexander aguardando na sala de espera como de costume.

Pouco tempo depois, Magnus voltou para a sala e ficou com Alec aguardando o fim da consulta, conversavam animados sobre a apresentação e sobre o presente inesperado, e quando dedam por si, ouviram a porta abrir.

- Tchau tio! _ disse Madzie saindo da sala

- Tchau Madzie_ disse o psicólogo.

Magnus conhecia aquela voz, e acreditou nunca mais ouvi-la na vida. Estava enganado.

- Senhor Lightwood, podemos conver.._ o homem paralisou em frente aos dois_ Magnus? 

- Imasu... _ sua voz era fraca_ quanto tempo..._ se recompôs

Alec estava desconfortável, notou o olhar do Dr para seu namorado, e notou os ombros endurecidos de Magnus. 

-Muito tempo mesmo..._ disse sem tirar os olhos do indonésio_ o que faz aqui? 

- Meu namorado veio comigo para a consulta da Madzie..._ disse Alec ganhando disfarçar o incômodo 

- Ah, sim... _ pareceu decepcionado

- Então..._ iniciou Alec segurando a mão de Magnus_ o senhor ia me chamar, tem algo para dizer sobre a pequena? 

- Nada demais..._ sorriu amarelo, desviando novamente os olhos para Magnus que olhava para baixo_ só achei interessante compartilhar que ela se desenvolve muito bem, fala bem para sua idade e a terapia está fazendo melhoras, talvez seja interessante pedir para observar os alunos em sala, pode ser que ela esteja sofrendo algum tipo de piadinha.. por isso o comportamento mais agressivo... nos mais, você esta fazendo um ótimo trabalho senhor Lightwood_ sorriu rapidamente voltando a encarar Magnus

- Estamos_ Alec disse entre os dentes_ certo amor? 

- S-sim..._ respondeu sem graça_ mais alguma coisa Dr? 

- Por hora é só Magnus, e pode me chamar de Imasu, você me conhece bem_ sorriu insinuando algo

- Boa tarde Dr. _ disse Alec_ vamos princesa?_ segurou a mão de Madzie ainda dado a mão à Magnus e saíram do consultório.

Saindo da direção dos olhos de Imasu, Alec soltou as mãos de Magnus rapidamente, estava incomodado, e percebeu seu namorado aéreo. Entraram no carro em um silêncio constrangedor e seguiram todo o caminho assim, esqueceram de passar na sorveteria, e Madzie não os lembrou pois estava exausta na cadeirinha dormindo. 
Chegaram em casa pegando a pequena no colo, fizeram o jantar e acordaram a pequena para comer antes de dormir. Ela ainda se encontrava muito sonolenta, então não quis brincar, foi direto pro banho e dormiu rápido. 

Alec observa seu namorado em silêncio quase absoluto desde que encontraram o doutor, e percebeu que Magnus o estava evitando. Subiu logo depois de Magnus, e entrou no quarto ouvindo o barulho do chuveiro. Em outro momento teria ido até o banheiro e entrado para aproveitar um pouco o momento a sós, mas pegou sua toalha e foi para o banheiro dos hóspedes. Tomou seu banho de forma demorada, deixando a água bateram quente em seu corpo, saiu do banheiro depois de longos minutos e voltou para o quarto vestindo uma calça de moletom azul. 

- Porque não tomou banho comigo?_ perguntou Magnus olhando Alec entrar no quarto 

- não queria te interromper... 

- interromper o que?_ disse se ajeitando na cama

- eu sei lá... você parece estranho, desde a consulta da Madzie_ disse contendo a voz, não queria que aquilo começasse uma briga 

- só estava pensando... _ deitou 

- pensou bastante hen_ riu chateado 

- O que você quer saber Alexander? _ sentou-se na cama

- Quem é ele na sua vida? _ disse calmo 

- Ninguém... _ mentiu 

- Você mente muito mal_ começou a caminhar para fora do quarto_ não me permita te perguntar coisas se não está disposto a ser verdadeiro Magnus._ saiu do quarto 

Magnus pulou da cama e foi atrás de Alec, segurando em seu braço alguns passos longe da porta do quarto do casal 

- Ei! Onde vc vai? _ perguntou aflito 

- Dormir no quarto de hóspedes_ tentou voltar a andar, mas seu braço continuava nas mãos de Magnus 

- não vai... _ pediu

- você está segurando meu braço_ olhou em direção a mão do namorado, que soltou rapidamente

- me desculpe..._ pegou na mão de Alec_ mas não vai dormir lá, a gente dorme junto... casal que dorme separado em briga se separa_ sorriu triste

- você parece precisar pensar_ Alec estava chateado, Magnus nunca pareceu ter dificuldade de falar da sua vida passada e seus casos como estava no momento, o que fazia Alexander pensar que Imasu não era um simples caso. 

- eu preciso de você... _ suplicou_ dorme comigo? Como todos os dias... 

- Quem é Imasu na sua vida? _ repetiu a pergunta, e não observe resposta_ okay, quando quiser compartilhar eu volto a dormir com você, volto pro nosso quarto. Boa noite! _ soltou a mão de Magnus

- Um ex... _ sussurrou_ mas não me peça para te dizer mais que isso, pelo menos não hoje..._ suplicou_ mas também não vá dormir longe de mim por favor... 

- Amanhã? 

- amanhã o que?_ perguntou Magnus 

- amanhã conversamos sobre isso?_ questionou olhando o mais velho nos olhos 

- amanhã... _ assentiu cansado_ mas hoje, só preciso deitar com você do meu lado, pode ser? 

Alec assentiu e caminharam lentamente e silenciosos pelo quarto do casal e deitaram na cama, aquela era a primeira vez em que Alec não se aconchegava em Magnus, mas pode sentir o mais velho deitar sobre seu peito. 

- Não me deixe me afastar_ pediu Magnus_ eu te amo.

- Não vou..._ beijou-lhe a testa_ também te amo. 

Magnus parecia frágil, era a primeira vez que Alec o via assim, não questionou, apenas abraçou o namorado e depois de muito minutos silenciosos, dormiram. 

 


Notas Finais


😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...