História Um verão inesperado, uma pessoa inesperada. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Romance
Visualizações 27
Palavras 955
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Me olhe nos olhos.


Fanfic / Fanfiction Um verão inesperado, uma pessoa inesperada. - Capítulo 4 - Me olhe nos olhos.

Acordo e me visto para ir corre, saio de casa e me a longo em seguida saio correndo... Quando chego em frente a casa vejo ele na sacada quase caio olhando em sua direção, me recupero do quase tombo e volto a correr sem olhar para trás, não queria velo depois de pagar mico. Entro em meio às árvores e vou até o lago cento próximo da água, era um lugar gostoso de ficar então me deito encima da folhagem e fecho os olhos, perdi os sentidos por um momento... Quando abro os olhos o rapaz estava ao meu lado sentado apenas olhando para água.

???- Você dorme em qualquer lugar. Deveria ser mais prudente.

Me sento e olho para água.

- Eu não dormi.

???- Dormiu sim. Se não teria me visto chegar.

Eu o olho por um segundo e volto a olhar para água, ele tinha razão.

- Eu realmente tenho que ser mais prudente mas me cinto a vontade aqui então não me importo muito.

Ficamos em silêncio então decido falar algo.

- Por que está sempre de mascara?

???- Prefiro não fala.

- Tem alguma coisa que pode fala?

???- Tem. O que quer saber?

- Esta passando suas ferias aqui?

???- Sim. Com minha família.

- Entendi. Quanto a anos tem ?

???- Por que quer sabe ?

- Atoua, não tenho nada para fazer , eu e você sempre nos encontramos então seria bom saber alguma coisa.

???- vinte, vou fazer vinte e um. E você?

- Fiz vinte.

???- Então sou mais velho... Você deveria me respeitar mais.

Ele me olha eu tinha certeza que estava sorrindo. Quando o olhei ele ficou por um momento me encarando e depois virou para frente, eu realmente não o entendia.

- Talvez eu faça isso se você for mais gentil comigo.

???- Nunca te maltratei.

- Não... mas já foi grosso.

???- Talvez um pouco. Você está com sua família aqui?

- Não, estou sozinha.

???- Por que ?

- Precisava pensar um pouco, então vim sozinha.

???- E pensou?

- Não muito, estive distraída ultimamente.

???- Pelo que?

Nem eu sabia responder essa, mas parte de minha distração era ele e é claro que não iria dizer isso.

- Nada em especial... Você canta muito bem, aquele dia fiquei impressionada com sua voz.

Senti que o deixei com vergonha mas eu também estava afinal não tinha costume de elogiar as pessoas principalmente um completo estranho e homem.

???- Obrigado. Mas ficar ouvindo escondida não foi muito legal.

- É... Eu sei, mas foi sem quere. Fiquei sem jeito então o silencio foi minha forma de lidar com a situação.

???- Agora sempre que vou em algum lugar olho em volta para ver se não tem ninguém por perto.

Rimos com seu comentário, pelo incrível que parecesse estávamos nos dando bem e a conversa estava fluindo naturalmente.

- Queria ter ouvido você cantar mais aquele dia, mas alguma coisa passou em minha mão e aconteceu o que você já sabe.

Ele ficou em silêncio e eu também, novamente estraguei o momento, meu comentário foi desnecessário.

???- Talvez eu cante para você novamente.

Sorri com sua resposta, não pesei que diria aquilo.

???- Posso te perguntar uma coisa?

- Sim.

???- A quanto tempo você mora aqui? Seu coreano é perfeito mesmo sendo estrangeira.

- Faz oito anos, vim para cá com meus doze anos.

???- E de onde você é?

- Brasil.

???- Posso saber porque veio mora na Coreia?

- Meu pai se casou com uma coreana, então viemos mora aqui.

???- Entendi.

- Você é bem tímido. 

???- Por que diz isso?

- Você nunca me olha nos olhos.

Ele ficou em silêncio e eu também mas derrepente ele se virou para mim e me olhou nos olhos.

???- Agora olhei.

Senti que ele estava com vergonha mesmo que não pudesse ver seu rosto e eu não fiquei muito diferente, senti meu rosto esquenta com seus olhos escuros me olhando tão fixamente, então desviei os olhos.

- É... você olhou.

Ficamos em silêncio novamente olhando para água... Aquilo foi estranho, não esperava ser encarada tão repentinamente.

- Só uma dica, faça isso mais naturalmente desse jeito você assusta uma pessoa.

Ele riu de meu comentário, pude ouvir algumas gargalhadas e acabei rindo junto.

???- Eu olho para as pessoas normalmente mas você é diferente.

- Como assim?

???- Além de ser garota, estrangeira e não te conhecer... seus olhos me intimidam um pouco.

Ele pereceu envergonhado por dizer aquilo, como se estivesse confessando algo importante.

- Por que meus olhos te intimidam? Tenho olhos de mau?

Ele ri mas não vi graça, queria saber o que ele tinha a dizer. Ele vira o rosto em minha direção e olha nos olhos.

???- Seu olhos são diferentes do habitual, o formato, tamanho e cor são completamente o oposto dos coreanos. São grandes, bem abertos , você tem pálpebra dupla, cílios longos e cheios, e por fim a cor.... Um verde vibrante que tira a atenção de qualquer um.

Ele para de me olhar e vira o rosto, fiquei sem palavras, sua discrição foi tão detalhada, não pensei que ele avia reparado tanto em meus olhos sendo que me olhou poucas vezes diretamente.

- Não precisa se sentir assim... Meus olhos não são diferentes do seu, servem para mesma coisa.

???- Eu sei isso é coisa da minha cabeça.

- Vamos indo?

???- Sim.

Nos levantamos e vamos em direção a estrada, fomos andando até sua casa.

???- Então nós vemos mais tarde.

- Com certeza.

???- Tchau.

- Tchau.

Espero ele se afastar e volto a correr, chegando em casa tomo banho, como algo e deito no sofá para terminar de ler. Dando a hora do almoço vou e preparo uma salada, como alguns bolinhos de arroz, subo para o quarto e deito na cama, penso sobre o que ele me disse mais cedo talvez esse seja uma das razões das algumas pessoas não me olharem nos olhos, mexo no celular um pouco e ouço música até o horário de nos encontrar. Estranhamente me sentia anciãos para revelo, a conversa mais cedo foi tão natural e legal.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...