História Um verão inesperado, uma pessoa inesperada. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Romance
Visualizações 102
Palavras 950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Deixando de serem estranhos


Fanfic / Fanfiction Um verão inesperado, uma pessoa inesperada. - Capítulo 6 - Deixando de serem estranhos

Acordei me arrumei e sai para correr, passei em frente a sua casa mas não via ninguém, não sabia se o encontraria no bosque mas mesmo assim fui lá, olhei ao redor mas nada dele então me sentei próxima a uma arvore e fiquei por alguns minutos depois voltei para casa. Chegando fui direto para o chuveiro, tomei café da manhã e me arrumei, vesti uma sais de cos alto rodada cor vinho e uma camiseta branca de tecido fino por dentro da saia, coloquei tênis branco e peguei minha câmera. Sai andando e tirando foto de paisagens, pássaros e qualquer outra coisa que achasse bonito, caminhei em direção da casa vizinha, pretendia ir no lago tirar algumas fotos. Quando cheguei em frente vi movimento na casa mas nada do rapaz sem nome aparecer, continuei a caminhar até chegar no lago, tirei algumas fotos das árvores, flores e do lago, enquanto tirava as fotos senti uma presença atrás de mim, quando virei o vi de bermuda preta camiseta branca e tênis, é claro que com sua mascara no rosto.

- Oi.

???- Oi. Não queria atrapalhar.

- Já terminei. A quanto tempo está ai ?

???- Uns cinco minutos. Se eu fosse um sequestrador você estava perdida.

- Ainda bem que não é... Ou é?

Ele ri e acena em negativo com a cabeça, ele se aproxima ficando ao meu lado.

???- Posso ver suas fotos ?

- Claro.

Entreguei minha câmera e ele começou a passar as fotos.

???- Se você ajustasse o brilho nessa foto iria ficar melhor, ela ficou boa mas muito clara.

- Você entende de fotografia?

???- Um pouco.

- Agora sei algo de você.

???- Você sabe mais de uma coisa.*diz em um tom brincalhão*

- Sua idade e o fato de estar passando as feria aqui não conta.

Ele me entrega a câmera então aponto ela para ele.

- Posso? Só uma. *sorrio*

Ele me olha pensativo (não sei se vai dar certo mas não custava tentar)

???- Ta.

Sorrio ainda mais e aponto a câmera ajustando o angulo e tiro a foto.

???- Por que quer uma foto minha?

- Guarda de lembrança. Voltando ao assunto anterior, eu não sei quase nada á seu respeito.

???- O que mais quer sabe ?

- O que você gosta de fazer?

???- Muitas coisas.

- Hoje você está todo engraçadinho. Quais coisas ?

- Canta, fotografia, esporte, dançar... Ta bom pra você?

- Muito legal. Eu gostaria de aprender a dança mas tenho vergonha.

???- E você, o que gosta de fazer além de correr?

- Alguns esportes como corrida, ciclismo, luta, alpinismo. De entretenimento anime, series e filmes.

???- Então você é uma nerd.

- Não exatamente.

Sentamos próximo ao lago e ficamos conversando por algumas horas.

- vamos indo? 

???- Sim, minha mãe deve estar me procurando.

Nos levantamos e fomos em direção a sua casa.

- Te vejo de noite?

???- Não sei se vai dar para ir... Minha mãe quer ter um jantar em família e ela ficou meio preocupada ontem achei melhor ficar em casa hoje.

- há... Entendi, então nos vemos por ai.

???- Se der eu passo lá.

- Tá, Tchau.

???- Tchau.

Fui para casa, chegando fui para cozinha prepara meu almoço, depois que comi fui para o quarto e deitei na cama. Já passava das três das tarde, fiquei pensado se deveria ir na árvore já que ele não iria, seria chato pois me acostumei com sua presença. 

Fiquei mexendo no celular ate dar umas sete da noite, me levantei e coloquei uma calça e uma camisa, tênis e desci para cozinha pegar algum lanche para levar, peguei um salgadinho e um suco, sai pela porta e segui caminho pelo campo até a arvore. 

Quando cheguei não o vi, sentei e observei o céu, abri o salgadinho e comecei a comer junto com o suco, quando terminei encostei a cabeça no tronco fechei meus olhos e acabei adormecendo. Quando abri meus olhos estava com a cabeça apoiada em alguma coisa, quando levantei a cabeça e olhei vi ele do meu lado, eu estava deitada em seu ombro e coberta por sua blusa dava para sentir seu perfume quando respirava. Me levantei de seu ombro e o olhei.

- Você por aqui?

???- Depois da janta consegui escapar de minha mãe.

- Está aqui a muito tempo?

???- Um pouco. Se continuar dormindo aqui vai ficar resfriada.

- Dormi sem quere.

Peguei sua blusa de moletom que me cobria para devolvê.

- Obrigado.

???- Fique com ela, esta meio frio hoje.

- Mas e você?

???- Já me acostumei, vamos embora?

- Sim.

Vesti sua blusa que ficou enorme em mim, nos levantamos e caminhamos.

???- Quase... você só tem que crescer o dobro.

Ele ria de seu próprio comentário, mostrei a língua como criança quando se ofende.

???- Desse jeito é fácil te confundir com uma criança.

- Bom que posso sempre ser carregada no colo.

???- Verdade, só tem que ter alguém que queira te carregar.

- Já encontrei.

Pulo em suas costa quase nos levando para o chão.

???- Nunca disse que te levaria.

- Por favor, só hoje.

Ele me ajeita em suas costas e envolvo minhas pernas em seu quadril, senti suas mãos se encaixar na parte de baixo de meus joelhos.

???- Não se acostume.

Meus braços estavam sobre seus ombros envolvendo seu pescoço, aproximei meu rosto de sua pescoço e pude sentir seu perfume e seu shampoo. Fomos em silencio até onde nos separavamos, infelizmente tinha que descer.

- Foi legal.

???- Para você que estava sendo carregada.

- Isso mesmo. *sorrio *

???- Nos vemos amanhã.

- Sua blusa.

???- Fica, amanhã você me devolvê. Tchau.

-Então ta, tchau.

Chegando em casa fui direto para o quarto, tirei a roupa mas vesti sua blusa novamente ( Não sou pervertida, isso só faz com que eu me cinta protegida), tento me convencer de que não era errado ou estranho o que estava fazendo mas era inútil pois eu sabia que é estranho. Deito e abraço minhas pernas e durmo sentindo o perfume dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...