História Um virgem em apuros - Imagine Chanyeol - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Huang Zitao "Z.Tao", Kris Wu, Lu Han
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Huang Zitao "Z.Tao", Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Comedia, Imagine, Romance
Visualizações 1.898
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 💜💛

Capítulo 2 - 02


Fanfic / Fanfiction Um virgem em apuros - Imagine Chanyeol - Capítulo 2 - 02

— Não dói dizer se é, ou não. — Continuei a sustentar o olhar, por mais que ele desviasse o dele para outro canto.

— Por favor.. Me deixe. — Neguei com o indicador, bem próximo ao rosto dele e o mesmo se inclinou pra trás. — Qual a cisma comigo ? 

Formou um lábio triste, o qual me deu vontade em morder de leve com meus dentes. Mas sorrindo, eu pressionei o poste mais ainda, ficando na ponta dos pés para poder aproximar meu rosto do dele.

— Não me diga que é gay, pois seria um desperdício. — Mordi meu lábio inferior, encarando os olhos fofos que Park tem.

— Aigoo.. Saia de perto, sua pervertida. — Segurou minha cintura, e levou meu corpo para o lado passan por mim. — A chave, (s/n). 

Pediu, após tentar abrir a porta e perceber que tranquei nós dois aqui. Meu sorriso foi de orelha a orelha, fitando a costa larga do garoto.

— Você está de brincadeira comigo, né ? — Se virou, com a cara emburrada de um jeito que o deixou mais fofo ainda.  — A chave, menina.

— Ela está aqui. — Aponto pro meu decote, dando a entender onde a guardei. O mais alto esbugalhou os olhos, e negou com a cabeça várias vezes. — Faço um trato, você me diz a verdade e eu lhe dou ela.

Tombou a cabeça pra trás, me dando a visão perfeita de seu pescoço. Suspirou várias vezes e logo voltou a postura reta, cedendo ao meu trato.

— Eu não sou gay.

— Namorada ? — Negou. — Casado ? — Negou de novo. — Foge das garotas por quê ?

Franzo o cenho, mas atenta ao garoto na minha frente que corou o suficiente, para eu rir por dentro.

— Eu... Eu... S-sou V...Virgem. — Meu queixo quase caiu, depois de ouvir essa revelação.

Pra mim é algo impossível, um homem desse tamanho, viril, lindo e sedutor ser virgem. Tendo várias garotas correndo atrás sempre, cercando ele como se fosse carniça para urubus e nem mesmo assim ele leva uma delas pra cama.

Mas não demorou nada, pro capetinha dentro de mim ativar e gostar dessa informação toda, como se tudo em Park Chanyeol tivesse ficado mais excitante. Talvez, seja o máximo ensinar certas coisinhas para ele.

— Ninguém nunca te chupou, pelo menos ? — Preguntei como uma menina inocente, e Yeol corou mais ainda, escondendo o rosto entre as mãos. — Ei.. Não precisa ter vergonha.

— Eu estou com vergonha. — Choramingou, e eu tive que segurar a vontade que estou de rir. — E não, ninguém nunca fez isso ai.

Eu queria saltitar de alegria, por saber que ele é todo intocável e ninguém desfrutou de nada desse corpinho.

— Já foi beijado ? — Negou, agora tirando a mão do rosto e me olhando. — Quer que eu lhe beije ?

Acho que fiquei mais ansiosa que de costume para saber qual será o gosto dos lábios dele, e esse silêncio dele chega a ser torturante. O mais velho só fazia fitar meus lábios, como se estivesse curioso, mas com receio. E com segundos depois, ele assentiu me deixando mais nervosa ainda.

Pegando suas mãos, eu levei até a minha cintura e fiz sinal para ele segurar aquele local com uma certa firmeza, e assim ele fez, me fazendo perder o ar só em sentir suas mãos grandes e quentes me apertando a carne. E do nada, o mesmo me puxou contra o corpo dele, e mais quente ainda ele estava. Levando minhas mãos até seu rosto, segurei as laterais com delicadeza e aproximei nossos rostos, roçando nossas narinas e fitando os olhos de Yeol que se fecharam.

— Você é muito bonito, Yeol. — Admiti, e o garoto abriu os olhos atento a mim. — Apenas relaxe.

Avisei, antes de sugar o lábio inferior dele, dando início à um beijo calmo que com minutos, ganhou uma velocidade. Percebi por seu beijo que realmente ninguém nunca o beijou, mas com segundos ele pegou o jeito e mordeu meu lábio, descendo uma mão pro meu bumbum e outra parou em minha costa.

Sorri entre o beijo, gostando desse meu aluno que aprende rápido.

— Nossa... Beijar é muito bom. — Comentou, após encerrar o beijo e eu me afastar dele. Seus olhos piscavam sem parar, como se não acreditasse. — Pode me dá outro beijo ?

Me fita, e eu engulo em seco vendo seus lábios inchados por conta do beijo. Mas rápido, puxo a nuca dele de novo atacando seus lábios.

(...)

— Onde estava ? Te procurei para voltarmos juntas pra cá e não a achei. — Questionou Serena, mudando de canal quando cheguei no apartamento que dividimos.

— Estudando. — Falei rápido, recebendo o olhar dela de quem não acredita. — Atacando Park Chanyeol!

Ela assentiu, mas não demorou nada para sacar o que eu disse e desligar a televisão, dando total atenção a mim. E eu contei tudo, rindo das caras e bocas que ela fazia, principalmente da parte do beijo.

— Coitadinho, sendo assediado por uma viciada em sexo. — Negou com a cabeça, fazendo um lábio triste.

— Coitado nada. E vai ser divertido atentar esse virgem. — Mordi o lábio inferior, deitando no sofá e pensando no poste.

— Alerta com Yifan, pois ele não é de deixar barato. — Dei de ombros, pouco me importando com meu namorado.

(...)

— Chegando cedo no treino, que milagre da natureza. — Brincou, assim que cheguei na academia.

Ignorando o loiro, rolei os olhos pelo local na busca do meu aluno, encontrando o mesmo no ringue como sempre, mas agora treinando com uma mulher que dava em cima dele na cara dura. Porém, Chanyeol nem ligava pra existência dela e treinava na dele, socando o saco que a loira segurava pra ficar firme aos golpes dado pelo grandão.

Voltando a atenção para meu namorado, percebi que o mesmo estava a flertar com uma das garotas. Revirei os olhos, mas apenas isso pois não tenho ciúmes de Kris, e nem pretendo ter.

— Mas então... Você sumiu depois da aula ontem. — Sorri, fitando Yeol de canto de olho para disfarçar.

— Cabeça doeu e fui embora. — Menti, e o loiro acreditou fácil. — Pega água pra mim ?

Olhei ele e fiz bico, ganhando um selinho rápido do mesmo. Em segundos ele foi atrás da minha água, e eu corri até o ringue após a loira sair e Yeol tirar a camisa, para poder respirar melhor.

— Oi, Yeol. — Sorri. Ele sentando no chão, levantou a cabeça e revirou os olhos ao notar que era eu. — Que foi, bebê ?

Sentei de frente pro mesmo, que estava com os lábios semi-aberto devido ao cansaço. Mas, não cortou o contato visual por nada comigo.

— Pare de me perseguir. Já tirei suas dúvidas e ainda deixei que me beijaste. — Olhou para os lados, antes de dizer isso baixinho apenas para mim ouvir.

— Eu não posso querer ser sua amiga ? — Ergui uma das sobrancelhas. De novo ele tombou a cabeça pra trás, fez bico e assentiu. — Ótimo. Passe onde eu moro pela noite.

Entreguei o papel com o endereço, e rápido eu voltei para o lugar de antes. E logo Kris voltou com minha água, sem se importar com o pescoço sujo de batom que deixaram nele. Mas tudo bem, enquanto ele pega vadias, eu me divirto com a inocência e pureza de um ser.

(...)

— Você é muito descarada. Já chamou o coitadinho pra vir aqui ? — Assenti para Serena, terminando de pentear meus cabelos para receber o baby da faculdade.

— Sim. E eu te quero longe daqui em.. Um segundo. — Encarei ela e sorri. Serena apenas revirou os olhos, pegando a bolsa e logo saindo.

Com um tempinho depois dela ter saído, a campainha tocou e eu corri para atender. Sorri abertamente, ao dar de cara com Chanyeol, bem vestido como sempre.

Ele ficou acanhado em entrar, e eu tive que o puxar com tudo pro apartamento. Fechei a porta e fiquei por detrás dele, encarando seu físico de costa enquanto ele olhava minha sala.

— Estamos sozinhos ? — Sua voz estava trêmula, e ficou mais ainda quando murmurrei um “uhum”. — Então… — Se virou pra mim, sorrindo mínimo por estar apavorado. — O que faremos ?

— Mente poluída... — Resmunguei baixinho apenas para mim ouvor, rindo fraco por levar essa pergunta para um duplo sentido. — Eu fiz pipoca para assistirmos um filme juntinhos aqui.


Continua.. 






Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...