1. Spirit Fanfics >
  2. Um youtuber em Woodstock >
  3. Cristais de gelo

História Um youtuber em Woodstock - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Também postada em minha conta no wpp
Escrito em 15/01/2020

Capítulo 1 - Cristais de gelo


2019

Lucas POV


"Você vai para casa" fico remoendo essa frase que a minha mãe me disse antes de embarcar, "casa", não sei o que pensar quando falam essa palavra. Cresci em São Paulo, minha casa, mas me mudar para NYC transformou a minha vida. Independência. Liberdade. Varias palavras vem a mente quando penso no meu apartamento, mas não casa.
Coloco os meus fones e reclino a poltrona do avião, será um voo longo até o meu destino, e não devo voltar tão cedo ao Brasil.


Just when life gets messed up

Just when you can't turn back

Sometimes, life gets like that

It's my addiction

Take my foot off the gas

Step on paper-thin glass

Play the music and dance

It's my addiction

'Cause we are the lonely ones

We are the lonely ones

We are the lonely ones

All you gotta do is die a little, die a little

Die a little to survive

Help me take my precious time

All you gotta do is cry a little, cry a little

Cry a little to be fine

Help me figure out my mind

You help me sleep at night

Help me turn off the lights

Calm down my obsessed mind

You're my religion

You can follow the lines

Piece by piece, time by time

Hold my hands when I'm blind

Like a magician

We are the lonely ones

We are the lonely ones

We are the lonely ones

All you gotta do is die a little, die a little

Die a little to survive

Help me take my precious time

All you gotta do is cry a little, cry a little

Cry a little to be fine

Help me figure out my mind

We are the lonely ones

We are the lonely ones

We are the lonely ones

'Cause we are the lonely ones

We are the lonely ones

We are the lonely ones

And just when life gets messed up

Just when you can't turn back

Sometimes, life gets like that

It's my addiction


XXX

Sinto um floco gelado encostar na minha pele, a doce e congelante brisa nova iorquina, mesmo estando morando aqui já a alguns meses, ainda tenho saudade do forno brasileiro.
tento andar mais rápido, sem sucesso. Não entendo o por que haver tantas pessoas andando pela rua, com esse frio gostaria de estar debaixo das cobertas, penso enquanto tento desviar de um cara falando ao telefone. Rude. Retiro a mão do bolso do casaco e tento ver a hora em meu relógio, que a essa altura estava com uma fina camada de gelo, limpo-o e vejo que estou atrasado. Papai vai ficar furioso.

XXX

finalmente chego ao local combinado, um museu no centro de NYC. Pelo menos em seu interior estava quentinho, penso enquanto ando admirando algumas obras.

-Dadda - digo quando vejo um homem mais velho sentado, elegantemente, em um banco que dava de frente para A noite estrelada. - desculpa o atrasado - falo enquanto me arrumo para sentar ao seu lado

- eai garotão - ele diz me olhando de baixo para cima, poxa era só uma vIsItA Ao MuSeU, roupas confortáveis são tipo o uniforme desse tipo de role.

XXX

Andamos por horas, ou era isso que parecia.

Estava chovendo e nevando lá fora. O barulho da neve no telhado era encantadora. Era como uma musica.
Fico hipnotizado pelos cristais de gelo que caem cada vez mais forte pela grande janela principal.

Vou novamente para a exposição do Van Gogh, tudo era tão bonito e ao mesmo tempo enigmático, Dadda estava bem atrás de mim, andando mais devagar para observar os quadros.

- Olha - digo entusiasmado apontado - uma cabine de fotos com decoração do Van Gogh!

- Ok. Vamos nela - ele diz com pressa - e só mais isso. Esta nevando muito e essa chuva me preocupa. 

Realmente estava uma mistura de ventos fortes, nevasca e  raios com trovões cada vez mais altos.

Entro primeiro na maquina, coloco um quarter (moeda de  25 cents) e aperto um grande botão vermelho.

Estranho. Nada ocorre. Papai tenta apertar o botão. Nada.
Apertamos o botão ao mesmo tempo enquanto estávamos nos arrumando no banco unitário da maquina, o qual dividiamos, quando escutamos um estalo. As luzes apagaram e ambos caímos do banquinho.

XXX

Rio enquanto tento me levantar.
- Belo tombo - digo entre gargalhadas - devíamos ter filmado.

Mas ele não estava lá. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...