1. Spirit Fanfics >
  2. Uma agradável surpresa >
  3. One-shot

História Uma agradável surpresa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


• Neji está vivo nesta fanfic, dois anos se passaram desde a guerra.

Boa leitura!

Capítulo 1 - One-shot



Hinata gemeu miseravelmente enquanto tentava não vomitar pela quinta vez consecutiva naquela noite. Porém, aquilo se mostrava uma tarefa árdua e quase impossível, pois por mais que ela tentasse empurra o bile garganta abaixo, mais ela sentia vontade de por tudo para fora. 

Bem, merda, por que ninguém nunca lhe disse que uma gravidez era tão ruim? Bom, Talvez o motivo seja porque ela ainda nem havia se casado, era uma mulher jovem, muito jovem, Hinata nem havia chegado nos dezenove anos de idade e já carregava um sucessor no ventre e o homem com quem ela havia dividido a cama há algumas semanas atrás nem sabia disso. 

Deus, seu pai iria fazer o inferno na terra. Como se já não fosse ofensa suficiente engravidar antes do casamento, ela e o pai da criança, que não verdade é sei companheiro de time e também namorado, Kiba Inuzuka, estavam em um relacionamento há mais ou menos três anos, eles só haviam dormido juntos no aniversário dela que fora semanas atrás, ela não podia acreditar que na sua primeira vez havia ficado grávida. Raios, ela devia ter se lembrando de tomar algum remédio para evitar isso, ou simplesmente lembrar seu namorado da prevenção, mas pelo visto nenhum dos dois se preocupou com isso. Maldito desleixamento da juventude.

Acariciando a região onde internamente seu bebê estava, Hinata suspirava pesadamente pelo o que estava por vir daqui há uma hora, por que seu pai foi querer proporcionar um jantar justo agora? Aquele tipo de confraternização só ocorria no aniversário de pessoas importantes do clã, mas tanto o seu, de Hanabi, de Neji e de seu pai já haviam passado. Em qualquer outro momento ela teria ido de bom grado, mas não naquele, não quando todos poderiam ver o que estava dentro de seu útero, alguém provavelmente sentiria a única fagulha de chakra correndo pelo minúsculo ser que logo cresceria e tornaria impossível para ela esconder.

Ela sabia perfeitamente que seria descoberta, naquela noite todo o segredo seria revelado e seu pai, seu primo, eles não ficariam felizes com isso. Ela não podia fazer nada para impedir isso, a não ser rezar para que mostrem piedade a Kiba.

Decidida a enfrentar aquilo com dignidade, Hinata limpou o rosto, ajeitou se kimono e se pôs a sair do banheiro do restaurante que sua família havia escolhido para jantar, aquele local era somente para pessoas que pertenciam aos grandes clãs da vila, o lugar estava relativamente cheio com pessoas do clã Yamanaka, Aburame, Inuzuka, Nara e por aí vai... Hinata não gostava daquele lugar, na verdade, Hinata não gostava de lugar nenhum que separava as pessoas pela genética, classe social e status, na sua visão, todos eram iguais. Era uma pena que seu clã era tão obcecado com a pureza da linhagem que não permitiam que os integrantes se relacionassem romanticamente com pessoas de fora. Bem, Hinata não ligava para o que eles dissessem, ela iria se casar com Kiba, isso estava decidido nem que ela seja proibida de chegar a 100 metros do pavilhão que o clã Hyuuga ficava.

— Irmã, já estava indo te procurar, aonde esteve? — Hanabi, sua irmã mais nova veio correndo até ela, aflita.

— Estava no terraço. — ela mentiu, com um belo sorriso no rosto para encobrir suspeitas. — A vista daqui do anto da montanha dá uma vista incrível, você sabe como eu gosto dessas coisas, por isso me perdi no tempo.

Se Hanabi acreditou ou não, ela não sabe, mas a jovem Hyuuga apenas acenou em resposta, as duas caminharam em silêncio até a mesa mediana acupada por ela, seu pai, seu primo, sua irmão, Ko e Natsu. Eram poucas pessoas, algo que causou um deleite sem fim em Hinata, graças a Deus eram poucas pessoas, o tumulto seria menor.

Talvez.

— Hinata-sama, onde esteve? Pensei que algo podesse ter acontecido com você. — Neji, seu primo superprotetor levantou-se rapidamente e foi até ela assim que a viu. Era com esse com quem Hinata mais se preocupava quando a gravidez fosse descoberta. Neji ficava extremo em assuntos que a referiam, ela espera que ele esteja de bom humor hoje, pois seu querido primo não vai gostar do que vai acontecer. 

Depois de algumas desculpas e mentiras sobre seu paradeiro, Hinata se sentou no seu lugar e passou a comer e conversar tranquilamente com seu velho amigo e cuidador, Ko, por uum longo período até o som de alguém engasgando atraiu a atenção de todos, na sua frente, Hanabi estava com seu Byakugan ativado enquanto olhava espantada para sua barriga, mas precisamente o ventre.

"Oh, merda..." Hinata pensou, fechando os olhos com força. "Aí vem."

— I-irmã... — Hanabi disse trêmula, os olhos de todos os Hyuugas presentes estavam na filha mais nova do líder. — Isso na sua barriga é um bê-bê-bê... — seus dedos tremiam no momento que apontavam para Hinata.

Hinata tomou um generoso copo de água enquanto seu pai e os outros ativavam seus próprios jutsus oculares para verem o que deixou Hanabi tão espantando. 

Hiashi bateu forte o punho contra a mesa, Neji formou uma carranca terrível no rosto, Natsu pôs a mão na boca, horrorizada e Ko levantou-se abruptamente da cadeira a jogando para trás na ação.

— Eu não nosso acreditar no que meus olhos vêem... — Neji rosnou, entre dentes para logo depois sua voz subir em um tom alto. — Quem ousou te macular, Hinata-sama!

Hinata estremeceu com o grito de seu primo, mas fez de tudo para manter a expressão calma e controlada.

— Pelos deuses, como você pode deixar isso acontecer, Hinata-sama... — Ko disse, passando a mão pelos cabelos aflitamente.

— Quem é pai, Hinata? — seu pai falou, sua voz estava mais grave que o normal e isso a fez encolher os ombros. Seu pai estava irado. 

Hinata estava em um dilema sobre contar ou não o nome de Kiba, ela não tinha certeza se melhoria a situação de seu namorado se seu pai soubesse, mas mesmo se ela não contasse, encontrariam uma forma de descobrir e isso seria tão, tão pior para Kiba. Por isso, ela decidiu contar, quem sabe não seria mostrado clemência a ele se Hinata disse que não havia contado sobre a gravidez.

Porém, antes que a Hyuuga falasse, um farfalhar foi escutado atrás dela, quando ela se virou, viu Hana Inuzuka, irmã mais velha de Kiba farejando seu cabelo para logo depois passar para sua nuca e pescoço, aquilo causou cócegas e pelas bochechas rosadas da mulher, claramente estava bêbada.

— Mas que diabos...! O que pensa que está fazendo com minha prima, Inuzuka? — Neji que já estava muito zangado, quis saber.

Hana ignorou Neji e continuou cheirando a Hyuuga, até se dar por satisfeita, ela olhou a jovem com estranhamento, acariciando o queixo.

— Que estranho... — ela resmungou baixo, mas o suficiente para todos da mesa escutarem. — Por o cheiro do Kiba está vindo de você tão forte? Principalmente daqui... — apontou para uma parte do corpo que fez Hinata corar furiosamente, Hana deixou cair o copo de cerveja assim que percebeu do que se tratava. — Oh, meu...

— O QUÊ? — Neji se levantou violentamente, assuntando a todos. — Quer dizer que vou aquele maldito vira-lata... Eu... Eu.. EU VOU MATÁ-LO! — dito isso, Neji saiu que nem um raio do restaurante, Hinata tentou o impedir, mas Ko a segurou pelo braço e arrastou para fora do restaurante em direção ao hospital para fazerem exames para verem se não havia contraído nenhuma sexualmente transmissível. Hinata choramingou baixinho, rezando com todas as forças que podia para que qualquer deus possível proteja seu namorado.


•°•°•°•°•°•°•°•


Kiba Inuzuka estava sentando num banco na praça central da vila com Shikamaru, Chouji, Naruto e Akamaru, conversando tranquilamente sobre coisas do dia a dia. Apesar de estar com seus amigos e gostar muito deles, a mente do jovem voltava para sua adorável namorada, ele se considerava um homem de muita sorte pra ter uma garota tão maravilhosa ao seu lado. Cara... Ele queria tanto casar com ela, ter filhos e viver junto com ela até bem velhinhos. Ele parecia um idiota com esses pensamentos? Sim, mas ele não importava.

Seus pensamentos foram interrompidos por um arrepio forte subir por sua espinha e em menos de segundos, Neji apareceu na sua frente fazendo-o cair do banco de susto. Naruto e Shikamaru gritaram pela surpresa e Akamaru encolheu o rabo e as orelhas, prevendo o destino do dono.

— Caramba, Neji! Qual é a porra do seu problema? — ele praguejou, ofegante. — Não sabe aparecer como alguém normal não?

— Cale a boca. — a voz de Neji estava tão fria que fez Naruto e Shikamaru recuarem violentamente, já Kiba engoliu em seco ao reparar que o rosto do Hyuuga estava tomado de tanto ódio que poderia apavorar até a raposa que vivia dentro do seu amigo loiro. — Eu sinceramente te considerava um amigo... Mas depois do que você fez... Depois do que você teve a coragem de fazer...  Eu devo te eliminar...

— Do que você tá falando? — Kiba perguntou, confuso.

— Não finja que não importa, você sabe muito bem o que fez. — Neji começou se aproximar de Kiba enquanto ela instintivamente recuava para o mas longe daquele lunático que tinha o Byakugan ativado, seus punhos estavam tão fechados que chegavam tremer. 

Em menos de um segundo o Hyuuga avançou no Inuzuka proferindo as últimas palavras:

— Escória, se arrependa de seus pecados.

A única coisa que Kiba conseguiu pensar antes do punho furioso de Neji colidir com seu rosto foi:

"Mas o que diabos eu fiz?"


•°•°•°•°•°•°•°•°•


— E essa foi a história, me perdoe por não contar antes, estava com muito medo. — Hinata desculpou-se, olhando tristemente para seu namorado que agora estava na cama de hospital muito ferido.

A surra que Neji deu no Inuzuka foi tão brutal que conseguiu quebrar três costelas suas, quebrar seu nariz, um braço, as duas pernas e danificar minimamente alguns de seus órgãos. Kiba só não estava em um estado pior porque Naruto e Shikamaru conseguiram segurá-lo com muito esforço. O garoto estava praticamente todo enfaixado e seu rosto estava coberto por contusões de todas as cores possíveis. Mais cedo Hana zombou dizendo que ele parecia um palhaço, Kiba não podendo fazer anda, apenas rosnou. 

"Deus... Isso é tudo culpa minha..." Hinata pensou sombriamente.

— Eu sinto muito, Kiba.... — Hinata disse, com lágrimas nós olhos. — Por minha culpa você se machucou tanto... Se eu tivesse contado mais cedo e esclarecido as coisas isso não teria acontecido. — ela soluçou. — Entendo perfeitamente se você decidir não ficar mais comigo e-

— Do que você está falando, meu amor? — Kiba interrompeu, estupefato. — Eu nunca iria me separar de você por isso, Hinata!

— M-mas o Neji ele...

— É o que importa? O engomadinho fez uma boa tentativa, mas isso não vai me separar de você. — Kiba disse, convicto. — E olhe só? Você está grávida! Nosso filho, nosso bebê está se formando dentro de você, isso não é maravilhoso? — o Inuzuka sorriu, seus olhos já estavam cristalinos. — Agora que eu não sairei no seu lado. Seu pai, primo e seu clã terão que me aturar, pois você minha princesa... — Kiba pegou a mão dela e a beijou suavemente. — É a pessoa com quem eu quero passar o resto da minha vida.

Hinata não sabia o que dizer, então ela apenas se jogou nos braços de Kiba apesar de ele sibilar de dor, o Inuzuka logo a abraçou com o braço livre beijando-a nós lábios apaixonadamente. Hiashi e Neji entraram a tempo de ver o espetáculo, e logo marcharam até Kiba rosnando sobre a imprudência dele ou algo assim.

A Hyuuga apenas sorriu com a discussão que se formou quando Kiba se irritou com aquela bronca toda e começou a praguejar violentamente. 

Com certeza o começo daquilo não havia sido tão agradável, talvez o meio e até mesmo o fim, mas o que Hinata Hyuuga sabia era que Kiba sempre estaria com ela para tudo.

 E ela podia se considerar infinitamente sortuda por isso.


Notas Finais


Moral: Se previnam jovens, vocês não sabem quantos problemas uma criança em tenra idade pode causar, ainda mais se você for a filha do líder do clã Hyuuga.

Obg por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...