História Uma Chance para Recomeçar - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Visualizações 12
Palavras 1.327
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo >< tudo bom? Olha, foi difícil conseguir escrever esse capítulo. Toda hora me distraia com alguma coisa aqui e ali, e tinha também que fazer o jantar pra minha família kkkk mas eu consegui \o/ até que ficou fofinho ^^

Recomendações desse capítulo: Davichi - Forgetting You

Boa leitura :*

Capítulo 17 - Capítulo Dezessete


--- Minhyuk ---

Provavelmente eu ainda estou anestesiado pela madrugada incrível que eu tive com a s/n ou pode ser que eu esteja com sono, mas eu não entendi absolutamente nada do que aconteceu naquele restaurante.

Depois que terminamos de comer, Kihyun ainda dava algumas risadas super aleatórias com o Changkyun e o Jooheon, eles deveriam estar sabendo de algo que eu não percebi.

Em fim, o que mais me surpreendeu, foi que durante o caminho até o aeroporto, e principalmente lá, a s/n ficou de mãos dadas o tempo inteiro comigo.

- O que foi aquilo no restaurante hein s/n? – ouvi o Changkyun perguntar a ela enquanto fazíamos o check-in.

- Nada demais... – respondeu piscando.

Acho que já sei o que está acontecendo por aqui, e isso me deixou extremamente feliz. Fomos caminhando até o avião conversando sobre a turnê até que vejo a s/n adormecer assim que nos sentamos.

-Ei Minhyuk, você ficou sabendo que o aniversário dela é em três semanas, né? – Hyungwon perguntou nos olhando.

- Sei sim, o que tem? – pergunto ajeitando-a melhor no meu colo.

Sorte que as divisórias entre os assentos podem ser erguidos, assim foi mais fácil fazê-la ficar um pouco mais confortável.

- Já tem algo em mente? – agora era Jooheon que perguntava.

- Claro que tenho. – digo confiante.

Eu já planejava fazer uma surpresa para ela desde o momento em que vi a data de nascimento na ficha que o manager fez quando a avaliou na audição. Digamos que nossa primeira vez era para ser no dia do aniversário dela, como uma das surpresas, mas a danadinha não soube esperar, então tive que mudar algumas coisas, acrescentar outras, mas vai dar certo.

- Quando chegarmos ao hotel, vamos todos descansar e só depois revisaremos as músicas, coreografias... Entenderam? – se antes a omma já era brava com esses assuntos, agora com a gravidez ficou cem vezes pior.

- Entendemos! – respondemos juntos.

--- s/n ---

Mal entramos no avião e eu já estava com sono, talvez por ter dormido pouco antes de arrumar as malas. Em um momento estávamos conversando e em outro eu já estava dormindo. Pude sentir uma movimentação quando Minhyuk me fez deitar em seu colo, mas depois apaguei totalmente.

Acordo 1h depois com Minhyuk me chamando baixinho, avisando que estávamos pousando. Esfrego meus olhos e recebo um beijinho na testa.

- Você já é fofa naturalmente, mas quando acaba de acordar fica ainda mais. – disse acariciando meu rosto, me fazendo corar.

- Obrigada oppa... – sussurro.

O avião pousou e enquanto saíamos, recebo uma mensagem do manager.

“S/n, você consegue preparar duas coreografias solo para o show de amanhã?”

Duas? Solo? Mal havia acabado de acordar e já recebo uma mensagem dessas. Nem penso muito e logo o respondo.

“Claro, consigo sim. Para o que exatamente?”

Guardo o celular no bolso e segundos depois já havia outra resposta.

“Você vai abrir e encerrar o show dos garotos! É só o que posso dizer.”

Abrir? Encerrar? Ele está brincando né? Só pode. Tento manter a calma e continuo caminhando até chegarmos antes da porta do aeroporto para pegarmos nossas malas.

Havia uma multidão esperando pelos garotos, e a quantidade de flash’s estava irritando meus olhos, então coloco meus óculos e uma máscara, assim como todos também fizeram. E pensar que eu também sou uma fã como elas, me faz perceber o quão sortuda eu sou.

Enquanto caminhávamos cercados pelos seguranças, vejo uma garotinha sair correndo por baixo da faixa de proteção e escorregar próximo a um dos seguranças. Instintivamente, fui até ela e me ajoelhei ficando do mesmo tamanho, fazendo com que os outros parassem para me esperar.

- Ei anjinho, você se machucou? – pergunto tirando somente os óculos.

- Me-Meu joelho ta doendo muito moça... – disse com os olhinhos cheios de lágrimas. Isso me partiu o coração. – E-Eu só queria... Ti-tirar uma fo-foto com eles... – soluçava.

Ok. Levanto-me e a pego no colo, voltando até onde estava antes do incidente acontecer. Quanto mais nos aproximava deles, mais seus olhinhos brilhavam e as lágrimas cessavam.

- Garotos, essa coisinha fofa quer tirar uma foto com vocês. – digo ajeitando o cabelinho dela.

- Claro, vai ser um prazer. – falaram ao mesmo tempo apertando sua bochechinha e acariciando o rostinho.

– Qual o seu nome, bebê? – Kihyun perguntou enquanto chamava o pai da menininha para que ele tirasse a foto.

- É Choon-Hee... – respondeu escondendo o rostinho com as mãos. – Posso tocar sua barriga? – perguntou baixinho encarando Kihyun, nos deixando surpresos.

Dizem que crianças são anjos, e eu não duvido. Ninguém sabia sobre a gravidez de Kihyun além da gente e dos mais próximos da empresa, então a pergunta foi totalmente surpresa.

A coloco no chão e vejo Kihyun se aproximar colocando as mãozinhas dela sobre sua barriga por baixo do moletom. Ninguém estava entendendo nada do que se passava aqui, pois enquanto ela sorria abertamente, totalmente focada no que estava fazendo, com medo de que pudesse machucar tanto ele quanto o bebê em sua barriga, ele estava se controlando para não chorar.

- Vamos filha, eles precisam descansar também. – disse o pai da menina a pegando no colo. – Obrigado rapazes, e obrigado também moça por ter ajudado minha princesinha.

- Não precisa agradecer não. – respondo sorrindo ao vê-los se afastar.

Depois desse momento estranho e fofo, pudemos ir até o carro que nos esperava sem nenhum outro incidente.

--- Jooheon ---

Quando estávamos indo até o carro, vimos uma menininha vir correndo até nossa direção e escorregando perto de um dos seguranças. Eles nem pareciam humanos de tão grandes que eram. Sério, até eu sentia medo quando olhava para eles.

Chang e eu estávamos caminhando um do lado do outro, conversando enquanto a s/n ia até a menininha e voltava com ela em seus braços pouco depois.

- Garotos, essa coisinha fofa quer tirar uma foto com vocês. – disse ajeitando o cabelinho dela.

- Claro, vai ser um prazer. – falamos ao mesmo tempo apertando sua bochechinha e acariciando seu rostinho.

Tiramos a foto, brincamos um pouquinho com ela e tão rápido quanto veio, ela se foi com o pai. Assim voltamos a andar até o carro.

- Ei Chang... – chamo meu bolinho, atraindo sua atenção.

- Que foi honey? – ai ai, acho tão fofinho quando ele me chama assim. Foco Jooheon, foco.

- A gente bem que podia né...? – pergunto fazendo biquinho.

- Podíamos o que Jooheon? – sempre acho que ele vai me bater quando me chama pelo nome.

- Bem que podíamos ter um bebê também, o que acha? – sinto pena do Hyungwon que recebeu um jato de água nas costas.

Dou batidinhas nas costas dele para ver se ajudava a se desengasgar. Não tenho um motivo específico para pensar na ideia de ser pai. Talvez seja a alegria no olhar do appa e da omma quando ficam conversando com a barriga ainda invisível, ou a expectativa em imaginar a quem o bebezinho irá puxar ao nascer.

Eu sou meio sensível com assuntos assim, ou talvez sobre qualquer assunto, então admito que fiquei com medo do que ele poderia responder.

- Honey... – lá vem à bronca, penso ficando amuado. – Amorzinho, não tem porque ficar com essa carinha ok? Eu só fui pego desprevenido. – disse suspirando.

- Desculpa... – sussurro.

Ouço-o suspirar e em seguida recebo um selinho demorado, antes de ser abraçado por ele.

- Olha, vamos deixar acontecer, está bem? – disse mexendo no meu cabelo. – Não precisamos apressar isso.

Por essa eu não esperava, mas pelo menos eu não recebi um não. Sinto meu humor melhorar e deposito um beijinho em seu pescoço o vendo fazer careta ao se arrepiar.

Sem nenhuma sombra de dúvidas, eu escolhi o cara certo para amar! Im Changkyun me completa de várias maneiras e eu sou extremamente feliz por ser correspondido.

O hotel era um pouco longe, então enquanto alguns resolveram cochilar, incluindo meu bolinho, eu fiquei acordado durante o trajeto pensando no quão sortudo eu sou por fazer parte dessa família.


Notas Finais


Obrigada a quem chegou até aqui, viu? É difícil explicar o quão feliz eu fico por ver tantas visualizações assim ;-; >< então meu mais sincero obrigada! <3

Até o próximo capítulo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...