1. Spirit Fanfics >
  2. Uma chance para ser feliz. >
  3. Enfrentamento, uma ideia e novos sentimentos.

História Uma chance para ser feliz. - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem 😘😘😘

Capítulo 14 - Enfrentamento, uma ideia e novos sentimentos.


Fanfic / Fanfiction Uma chance para ser feliz. - Capítulo 14 - Enfrentamento, uma ideia e novos sentimentos.

Rafael entrou na casa da mãe na ponta dos dedos, antes que chegassem aos quartos a luz da sala foi acesa revelando Lúcia e Rosa de roupões.

- boa noite crianças- disse Rosa com um sorriso.

- boa noite rosa- disse Rafael e Regina juntos.

- não vou receber boa noite?- perguntou Lúcia com irritação.

- mãe eu posso…- antes que Rafael ou Regina pudesse dizer algo ambos receberam um tapa na cabeça.

- mentiram para mim- disse a Latina com raiva.

- a culpa é minha tia- disse Regina.

- não, eu também tenho culpa nisso- foi quando novamente receberam tapas na cabeça.

- os dois sentem- ordenou Lúcia, eles logo sentaram e as duas mulheres mais velhas a sua frente.

- é gay Rafa?- perguntou Rosa.

- por que todo mundo acha isso- disse Rafael com revolta.

- se for não têm problema vai ser melhor do que aguentar sua mãe querendo matar uma futura nora- disse Rosa com cansaço.

- não, eu não sou gay- disse Rafael bufando.

- mas eu sou- disse Regina.

- sabemos- disse Lúcia- vimos o vídeo- Regina abaixou a cabeça envergonhada.

- e minha mãe?- perguntou Regina nervosa.

- bom- Lúcia olhou para Rosa- venha- Lúcia levantou e levou eles para o quarto de hóspedes.

- suas coisas- disse Rosa- ela pois tudo para a fora da sua casa e pedi para Charles buscar- Regina viu algumas caixas e sacolas.

- ela disse alguma coisa?- perguntou Regina.

- que agora só têm Zelena como filha- disse Lúcia com pena.

- ela só teve a Zelena sempre- disse Regina chorando.

- vocês erraram- disse Lúcia abraçando Regina pelo os ombros- eu fiquei uma fera por conta da mentira, não precisava disso, mas eu não os odeio e nem perto disso, você terá que ter paciência com Cora- Regina suspirou fundo.

- eu tive medo tia- disse Regina.

- eu sei, mas agora não adianta chorar, amanhã você irá conversar com Cora- disse Lúcia firme.

- ok- disse Regina entrando no quarto.

- e eu mãe?- perguntou Rafael.

- eu deveria dar uns tapas com cinto em você- disse Lúcia com irritação.

- Lúcia- advertiu Rosa.

- mas eu também tenho meus segredos- disse Lúcia olhando para rosa- eu e Rosa somos um casal- Rafael e Regina olharam espantados.

- o que?- perguntou Rafael pasmo.

- faz quase um ano- disse Rosa abraçando Lúcia.

- quando iam contar para mim, que a minha mãe e a mulher que é praticamente minha segunda mãe estavam tendo um caso?- perguntou Rafael .

- quando você contasse que a garota que eu vi crescer e se forma mentiu para mim junto com o meu filho durante anos- disse Lúcia no mesmo tom.

- vamos dormir- disse Rosa indo até Rafael e dando um beijo nele.

- boa noite mãe- disse Rafael dando um beijo em cada uma.

- boa noite mentiroso- disse Lúcia já indo para o quarto.

- tudo bem?- perguntou Rafael a Regina.

- elas são incríveis- disse Regina sorrindo fraco.

- vem dormi comigo é impossível dormir nessa bagunça- Regina aceitou e foi abraçada com Rafael até o quarto.

Chegando lá ela foi a primeira a tomar banho e logo depois ele, quando saiu do banheiro Regina estava com uma blusa sua ( que nela ficou parecendo um vestido) e enxugando os cabelos.

- lembra da vez que tentou ir para cama comigo?- Regina olhou para trás e viu Rafael apenas de toalha.

- você beija bem, mas eu nunca ia conseguir- disse Regina.

- foi estranho- disse Rafael indo até o guarda roupa e pegando uma cueca.

- eu sei desculpa- disse Regina.

- seriamos o casal perfeito- disse Rafael enquanto procurava algo para vestir.

- sim- disse Regina suspirando- mas acho que nunca sentiria tesão no cara que me pegou no flagra com a babá dele- Rafael riu da lembrança.

- Cintia- disse ele desistindo do pijama- Rosa havia ficado doente e minha tinha viajado- Regina riu.

- acho que pelo fato que nois sabemos hoje, elas devia estar fazendo outra coisa- Rafael fez uma careta.

- meu deus- ele se jogou na cama- você estava na minha dispensa de joelhos- disse Rafael rindo.

- foi depois da Emma- disse Regina triste.

- eu sei- disse Rafael pensativo- eu perdi minha virgindade com ela- Regina olhou espantada para ele.

- com a Cíntia?- perguntou ela.

- sim, na mesa de centro- disse Rafael, ambos riram.

- uau- disse Regina deitando no peito dele.

- foi legal- disse Rafael com um pequeno sorriso.

- eu perdi a minha com Emma- disse Regina saudosa.

- e como foi?- perguntou Rafael.

- incrível- disse Regina sorrindo.

- acha que ela e Olivia podem ter algo?- perguntou Rafael.

- não sei, mas Emma é muito fácil de se apaixonar- disse Regina percebendo que o sono já estava le vencendo.

- Olivia é tão maravilhosa, ela é única- disse Rafael suspirando.

- está mesmo apaixonado- disse Regina achando engraçado.

- estou, e você têm que concordar comigo ela é linda e deus que corpo- disse Rafael lembrando de Olivia.

- já me peguei olhando para ela, uma deusa não chega aos pés daquela mulher- disse Regina.

- eu vi primeiro- brincou Rafael.

- já vi ela te olhando- disse Regina.

- como assim?- perguntou ele curioso.

- no seu primeiro dia na unidade, ela disse que você tinha porte- Rafael riu.

- não é a mesma coisa que se diz a cavalos- disse ele rindo.

- bobo- disse Regina dando um tapa nele.

- vamos dormir, amanhã enfrentaremos a vilã dos livros de infância- Regina olhou feio para ele- mas é verdade- ela rolou os olhos e eles se ajeitaram para dormir.


.......

Olivia olhava Nova York pela janela, ela havia ligado para Fin perguntando como andava as coisas ele disse que a única coisa diferente foi Rafael e Regina saírem correndo ele disse que a Mills informou problemas familiares.

A curiosidade de Liv estava fazendo ela imaginar, mil e trezentos cenários diferentes para o tinha acontecido, pensava em Rafael no último encontro dos dois e de como ele saiu magoado com ela.

Também lembrava se Debra e de como a ruiva ficou interessada no moreno e como claramente ela queria algo mais " íntimo" com advogado.

- já é tarde- Olivia olhou para o lado e viu Emma.

- eu sei- disse Olivia suspirando- está tudo bem?- perguntou Olivia.

- comigo sim e você?- perguntou Emma preocupada.

- pensando- disse Olivia voltando a olhar para ilha de prédios.

- no promotor?- perguntou Emma arqueando uma sobrancelha.

- eu dei o número dele para Debra- Emma olhou surpresa para ela.

- por que fez isso?- perguntou Emma intrigada.

- ela pediu- disse Olivia simples.

- eu não tinha dado- Olivia olhou para a loira.

- por que não?- Emma rolou os olhos verdes.

- por deus Olivia, você sempre faz esse doce com todos que gosta- perguntou Emma em um tom cansado.

- não é nada disso- disse encomodada com a sinceridade de Emma- mas já que estamos acordadas vamos falar sobre você- Emma olhou curiosa para a morena.

- o que quer falar?- perguntou Emma.

- você é uma excelente cozinheira pensa em algo nesse estilo para trabalhar?- perguntou Olivia.

- sim- Emma sorriu animada- eu amo cozinhar e sempre sonhei em abrir um pequeno negócio- os olhos de Emma brilhavam.

- talvez podemos ser sócias- disse Olivia, Emma riu- estou falando sério- Emma olhou séria para ela.

- não Olivia, você já fez muito por mim- disse Emma surpresa.

- eu preciso de algo para quando me aposentar e eu gosto da ideia de um bistrô- disse Olivia encatanda com a ideia.

- eu não tenho tanta competência assim- disse Emma.

- claro que têm, mas é claro que têm que ser aprimorada, você pode ter um curso ou faculdade, existe disso de culinária né?- Olivia olhou para Emma e viu uma loira levemente emocionada.

- você é um anjo- disse Emma.

- é incrível a capacidade que eu tenho de ser boa com os outros ou até mesmo na minha vida profissional, mas como na pessoal eu sou um desastre completo- disse Olivia com um riso fraco.

- você não é um desastre Olivia- disse Emma abraçando os ombros dela.

- não, eu sou, a única pessoa que amei de verdade me traiu por conta que eu não conseguia ficar com ela sem o trabalho- Olivia podia sentir algumas lágrimas escaparem.

- hey- Emma segurou o rosto de Liv- você não têm culpa de nada, se ela disse que traiu você por isso é porque ela não merece você e outra você não têm culpa se ela não foi fiel, a única culpada é ela- disse Emma firme.

- obrigada- disse Olivia limpando o rosto.

- que tal dormir- sugeriu Emma.

- acho ótimo, boa noite- Emma deu um beijo na testa de Liv e saiu.

- será que ainda está acordado?- perguntou Olivia olhando para o celular.

Rafael e Regina estavam deitados juntos ( como eles faziam quando um precisava do outro), ele estava inquieto, sua mente e corpo pareciam ter ficado em Nova York junto a uma morena de 1,73 de altura e com um belo sorriso.

- uma hora dessas- ele pegou o celular com cuidado na mesinha ao lado da cama.


Ligação onn.

- Rafael?- a voz famíliar fez ele estremecer.

- sargento?- ela mordeu o lábio inferior nervosa.

- já disse que pode me chamar de Olivia- ele riu pelo nariz.

- tudo bem em Nova York?- Liv andava para um lado e para o outro.

- sim, na verdade não- ele sentiu o nervosismo dela.

- o que está havendo Olivia?- ela parou e sentou suspirando.

- eu não queria que tivesse saído daquela forma da minha casa- ele sorriu.

- e nem eu perdão- Olivia deu uma pequena comemoração com as pernas para ar.

- eu também queria te pedir perdão- Rafael mordeu o lábio.

- então tudo bem?- Olivia sorriu como se estivesse com ele em sua frente.

- melhor impossível- disse ela sorrindo.

- é tarde- disse ele.

- sim, eu só quero saber está tudo bem, Fin me contou que você e Regina saíram as pressas da cidade- Rafael olhou para a morena que dormia ao seu lado e suspirou.

- está tudo mais ou menos, descubriram nossa farsa e amanhã Regina vai ter que enfrentar a mãe dela- disse Rafael com pesar.

- espero que não seja tão ruim- disse Olivia sincera.

- eu também- Regina se mexeu resmungando baixinho- eu vou desligar se não vou acordar ela, boa noite- disse Rafael sussurrando.

- ahh claro, boa noite- Olivia desligou.

Ligação off.


Rafael comemorou baixo e acabou dormindo com um enorme sorriso.

Pela manhã Regina acordou primeiro que o moreno e foi tomar banho, depois de pronta ela logo desceu para a cozinha e viu Lúcia e Rosa.

- bom dia casal- disse Regina.

- bom dia menina- Rosa deu um beijo em Regina e fez o sinal da cruz em sua testa.

- como você está?- perguntou Lúcia.

- estou bem- disse Regina com desânimo.

- pronta para falar com Cora?- perguntou Rosa.

- sim, e aliás eu vou logo- Regina pegou apenas uma maçã.

- não vai esperar o Rafael?- perguntou Lúcia.

- não, eu preciso fazer isso sozinha- dizendo isso Regina saiu da casa.


...

Chegando na frente do enorme casarão, Regina sentiu seu sangue gelar e seu corpo inteiro se arrepiar ela lembrou de seu pai e a lembrança a acalmou, ela saiu e viu que o jardim ainda era o mesmo e pouco por fora a casa havia mudado.

Ela tocou a campainha e ouviu passos apressados vindo até a porta, Granny quando abriu pós uma mão na boca para abafar o grito se surpresa ela deixou a mais nova entrar.

- bom dia- Cora e Zelena olharam espantadas para Regina.

- o que faz aqui?- o tom de Zelena era amargo.

- mãe posso falar com a senhora?- Regina ignorou completamente a irmã.

- claro que não- disse Zelena com irritação.

- eu não tenho nada para tratar com você Regina- disse Cora com frieza.

- eu sei que errei mãe- disse Regina olhando para baixo- mas eu tive medo- Zelena riu abertamente dela.

- não me chame assim- era possível ver uma véia do pescoço dela saltar.

- por favor mãe- foi quando Cora avançou para cima de Regina.

- EU JÁ DISSE PARA NÃO ME CHAMAR ASSIM, EU NÃO SOU MÃE DE UMA ABERRAÇÃO- gritou Cora com ódio.

- por favor me escuta- implorou Regina, Cora a pegou pelo braço e a jogou na rua.

- se volta aqui eu faço uma besteira- Cora se virou para entrar mas Regina pegou sua mão.

Foi tão rápido que nem mesmo Regina viu, Cora tirou a mão dela da morena e le deu um tapa que fez a detetive cair no chão segurando o rosto, as pessoas que passavam olharam abismadas para a cena.

Regina ficou alguns segundos no chão e depois se levantou, a marca do tapa era evidente e também o choro que ela havia desistido de segurar.

- monstro- Regina disse isso e saiu correndo para o carro.

- Cora ela é sua filha- disse Granny com pena de Regina.

- não, ela é filha do Henry aquele fraco,não minha…


Notas Finais


Então me digam o que acham???

Sei que o foco deveria ter sido Cora e Regina.
Porém, contudo, por tanto e todavia...

Eu amo fazer esses diálogos meio que "aleatórios" dos personagens, sabe para ver que eles têm mesmo uma conexão.

Quero saber o que estão achando de todos Olivia, Rafael, Regina e Emma.

Bjs 😘😘😘.

Até o próximo 🌈🌈🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...