História Uma conexão entre heróis - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Miraculous
Visualizações 8
Palavras 1.862
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pra oces, turo bom? Olha mais um capítulo saindo.

Capítulo 2 - O azar de chat noir


Fanfic / Fanfiction Uma conexão entre heróis - Capítulo 2 - O azar de chat noir

MARINETTE/LADYBUG

no dia seguinte, eu estava morrendo de sono, passei a noite em claro, com o pesadelo rodando a minha cabeça. tikky dormiu como nada estivesse acontecido, quer dizer ela não teve um pesadelo assustador aonde seu parceiro morria, então ta tudo legal, mais para mim não, em quanto eu não ver o chat, esse pesadelo me rondara. peguei o celular para ver as horas, já eram 05:43, ainda estava muito cedo, mais como sei que não conseguirei dormir, decidi levanta e toma um banho, mais antes fui ate a cozinha pega alguns cookies para tikky, quando subi, coloquei os cookies em cima da mesa, e fui para o banheiro. o banho foi rápido eu te levei as roupas para me visti lá mesmo, a roupa era um casaco de maio Rosa uma blusa social com algumas flores desenhadas, uma calça cinza meio azulada e um sapatenês Branco. quando sai do banheiro vir tikky comendo os cookies, eu me aproximei dela.

- eu te acordei?.

ela apenas negou com a cabeça.

- e você não dormiu.

tikky afirmou com tanta certeza, será que ela estava acordada o tempo todo e eu não percebi?

- você estava acordada? - fiz uma cara de confusa.

- não, e só olha para sua cara, para ver que você não dormiu.

fui até a frente do espelho. É, ela tinha razão eu está acabada, de baixo dos meus olhos tinha olheiras horríveis, e eu não estou sendo dramática, talvez um pouquinho.

- é, eu não dormir nada - falei desanimada.

- foi o pesadelo não foi? - tikky voou até mim e ficamos encontrando o espelho.

- foi, ele não sai da minha cabeça - a encarei - enquanto eu não ve-lo isso vai me atormentar - ela também me encarou.

- não fique assim, você vai ver com ele está bem.

Eu fossei um sorriso, e ela também sorriu para mim. aproveite que já estava na frente do espelho e penteei o meu cabelo e amarrei com sempre, fiz minha higiene, tikky entrou no meu casaco, peguei minha bolsa, e desci para toma café. não vi nem minha mãe nem meu pai, então tikky sai voando livremente, e foi direto para a bandeija de cookies que estavam em cima da mesa, peguei as coisa e me sentei, sorri com a cena de tikky devorando todos os cookies, ela gosta mesmo de cookies. Eu não estava com fome, então eu só biliscava.

- você não vai come? - tikky me olhou com seu lindos olhos azuis.

- não, não estou com fome.

- marinette Dupain-cheng se anima e isso é uma ordem - tikky ficou na altura dos meus olhos.

sorrir.

- e assim que eu gosto de tiver, sorrindo.

- sim, senhora comandante - fiz uma continência.

nos duas rimos. peguei o celular dentro da bolsa e vir as horas, já eram 06:39, me levantei, tikky entrou dentro da bolsa, e fui para a escola. quando cheguei, procurei Alya com os olhos, mais não a vir, era cedo para ela chegar e também tinha poucas pessoas. fui até um dos bancos que fica perto da escada e me centei a espera de Alya chegar, quando encostei as costa no banco, meus olhos pesaram, e não estava conseguindo mante-los abertos, e a última coisa que vir foi tikky com a cabeça para fora da bolsa, e meus olhos se fecharam. Eu estava dormindo profundamente quando ouvir uma voz, e sentir alguém me balançando, quando abrir os olhos peguei um susto.

ADRIEN/CHAT NOIR

depois que plagg me deixou sozinho, fiquei pensando o que poderia ser esse a perto no peito, e a Ladybug vim imediatamente na minha cabeça, com se alguém disse que ela precisava de mim, mais nada veio em minha mente. como estava com a tarde livre e não tinha nada para fazer, comecei a jogar vídeo game, devo ter passado quase uma duas horas jogando, mais logo o tédio chegou, e eu não tinha nada para fazer, o plagg estava todo mistério, e para falar a verdade eu já estava sentindo falta dele me atazana, mais so um pouquinho. mesmo com aquela rotina chata de sessão de fotos e tudo mais, eu gostova por que me mantinha ativo, não é que eu não gaste de um pouco de folga, eu gosto mais ficar trancado em um guarto sem fazer nada e horrível, ainda mais com o plagg pensativo. o plagg não é muito de pensa e quando isso acontece me assusta. foi ai que uma ideia me veio.

- plagg? - o chamei.

Ele não respondeu.

- plagg?.

- me deixa em paz to dormindo - falou de algum lugar.

peguei um pedaço de queijo e levantei para o alto, e imediatamente o plagg se materializou na minha frente, foi tão rápido que nem vi da onde ele saiu.

- eu já te falei desse meu talento? - ele me encarou.

soltei o queijo, que caiu no chão, e ele voou até ele

- plagg? - falei com um sorriso maroto no lábios.

- hum! - me olhou.

- mostra as garras.

- não, ainda terminei de come meu queijo - reclamou sendo sugado pelo anel.

Eu me transformei, pulei a janela e sai pulando em telhado em telhado sem destino aparente. decidir ir para a torre Eiffel, talvez eu até encontra-se a Ladybug por lá, ela ama aquela vista, e eu sinceramente também. em poucos minutos já estava subindo a torre como se fosse a coisa mais normal do mundo, para minha era. parei quase perto do topo, e me sentei, esperando ter sorte que a Ladybug aparecesse. é parece que todos estam certos em dizer que gatos pretos não tem sorte, por que a Ladybug não apareceu, fiquei ao menos umas duas ou três horas, que para mim passou voando. eu não sou um gato bisbilhoteiro - eu sei que eu sou muito humilde - mais não resisti e ficar observado as pessoas passando, até teve um pedido de namoro frustrado. no começo eu não entendi direito mais foi até ele se ajoelha e abrir um pequena caixa com um anel dentro, várias pessoas ficaram ao redor deles, ele falou algo mais não conseguir entender, por que estava muito longe, peguei meu bastão e dei um zoom na imagem e só o que consiguir ouvir foi " namora comigo " pela imagem vi a menina com uma cara de assusto - há ela está de frente para torre - de repente ela deu um tapa no menino e saiu correndo, eu quase cai da Torre de tanto sorrir, mais logo o sorriso sumiu do meu rosto quando pensei que a Ladybug podia fazer a mesma coisa comigo quando eu fosse me declara para ela. então voltando ao presente, eu cansei de espera por ela é fui para casa, pulando de telhado em telhado, o ceu ja estava escurecendo quando cheguei em casa, me destransformei, plagg saiu do anel e voou até a cama e começou a reclamar mais não deu muita bola.

- seu queijo ta no frigobar.

Ele parou de reclamar voou o mais rápido que podia para pega seu "precioso" eu fui toma um banho era tudo que eu queria, mais antes peguei uma muda de roupa, para mim vestir no banheiro, e esquisito me vestir com dos olhos Verde me olhando, eu ainda não me acostumei com isso. fui para o banheiro, e rapidamente me banhei e me vestir. quando sai do banheiro, eu pisei em algo frio e pegajoso, que me fez perde o equilíbrio e cai sentado no chão.

- ai.

olhei para o que havia me feito cai, fechei a cara e gritei.

- PLAGG!!.

Eu me levantei e comecei a caça-lo por todos os lugares mais não achei. de repente ouso uma rodinha baixa vindo de detrás do computador, eu me aproximei devaga, e cada vez que me aproximava a risada aumentava, quando ja estava o perto o suficiente para pega-lo a porta se abriu.

- o que você está fazendo? - a pessoa me olhou confusa.

Eu estava com a mão atrás do computador em uma posição vergonhosa, quando olhei para ela. rapidamente coloquei a mão na mesa e cruzei as perna, que quase me fez cai mais me equilibrei.

- nada Natalie, só... só uma... coisa que caiu atras do computador - apontei com a mão para atrás computador meio desajeitado e sorrir - é foi isso.

- está bem, mais so vim avisa que o jantar está servido - ela parou de me olhar e voltou se para o tablet em sua mão.

aproveite esse momento, para fazer a melhor cara se bravo para o plagg que ainda estava atrás do computador, mais ele apenas riu. pelo canto dos olhos percebi que Natalie ia levanta a cabeça, rapidamente olhei para ela é sorrir. ela olhou para mim e fez uma cara esquisita, ela deve esta me achando um doido. ela se aproximou de mim e pegou meu rosto bruscamente, eu levei um susto e quase dei dois passos para trás mais ela me impediu.

- você esta com uma espinha horrível - ele começou a vira meu rosto, analisando a espinha de vários ângulos - isso é ruim para as sessões de fotos.

esse drama todo por causa de uma espinha, eu sou um adolescente em fase de crescimento. ela saiu me deixando sozinho, eu fiquei imóvel olhando para a porta confuso, a única coisa que fiz, foi olha para o plagg, franzi a testa, e fazer uma cara que dizia " o que a contecei a aqui" ele deve ter entendido por que riu. Natalie entrou no quarto com algo na mão além do tablet.

- isso e uma pasta para espinha - ela quese esfregou a embalagem da pasta na minha cara - e isso é um sabonete também para espinhas.

esperai da onde ela tirou essas coisa, eu não sabia que tinha isso aqui, eu tenho uma farmácia em casa e não sei, to me sentindo em um desenho animado a onde os personagens tiram coisa do nada.

- use hoje mesmo.

ela apenas me entregou e saiu mexendo em seu tablet. coloquei a pasta e o sabonete em cima da mesa, plagg entrou na minha camisa, mais antes lançou um sorriso para mim, e eu disse palavra sem som "você me paga", eu decir com a esperança de que meu pai iria esta na mesa, fazendo sua refeição, mais quando passei pela porta, vi apenas um lugar com um prato, era aonde eu sentava. sentei desanimada.

- que legal, mais uma vez só - sussurrei.

plagg saiu da minha camisa, e ou para mim, ele voou na direção de um queijo, que eu sempre pedia para Natalie trazer, ela achava esquisito eu pedir queijo no almoço e no jantar, mais ela não perguntava nada, coisa que eu agradecia mentalmente. plagg devorava o queijo vorazmente, que me fez sorrir um pouco. jantei rapidamente e subir para o quarto, quando fechei a porta na chave plagg saiu da minha camisa e saiu voando até a minha cama e deitado em um dos travesseiros, se espriguiçou e fechou os olhos, eu desliguei as luzes e me deitei, me cobrir com o lençol, e olhei atrás vez da janela o lindo céu com vários estrelas, me lembrei da minha mãe, ela gostava muito de olha as estrelas, com esse pensamento me virei, fechei os olhos e em poucos segundos dormir.


Notas Finais


Gostaram? Espero que sim.
Beijinhos pra oces.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...