História Uma curva na estrada - camren - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camilacabello, Camren, Fanfic, Laurenjauregui, Lesbian
Visualizações 446
Palavras 1.229
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - 17 - capítulo


Lauren POV

Fui direcionando a Camila até o início da trilha, fomos andando olhando toda paisagem que tinha por todo o lado da trilha. E por cada gesto da Camila, seu olhar transmitia está encantada pelo o lugar. Ver o sorriso dela olhando para os macacos pulando, os passarinhos voando e as borboletas por todo lado. Era muito encantador. Eu não iria falar com ela, mas eu nunca trouxe ninguém nessa trilha antes, já tinha vindo aqui algumas vezes com a Ally no sítio que estamos, mas nesse lugar que eu estou levando a Camila não. É o meu lugar de descanso, de paz, que eu me renovo. Camila foi tagarelando o caminho todo e eu achava graça dela está tão surpresa com esse lugar, já que onde moramos é bem difícil ver. Fomos andando conversando até que a Camila da um grito; - laureeeeen - gritou-me

- oi Camila - falei assustada

- ‎ai que coisa mais linda - falou

- ‎o que ? - perguntei-lhe

- ‎olha que tanto de borboletas - falou

- ‎nossa é mesmo - respondi respirando fundo já que eu tinha tomado um susto pelo o seu grito.

- ‎me empresta seu celular para que eu possa tirar uma foto? - perguntou-me

- ‎claro... - falei entregando o meu aparelho

Camila ficou tirando várias fotos, de todos os ângulos de um tanto de borboletas que estavam juntas. Depois de alguns minutos paradas, entregou-me o meu celular.

- Muito obrigada - agradeceu-me

- ‎que isso, não foi nada! - falei

- ‎deoois você pode me enviar? - perguntou-me

- ‎claro que sim - falei sorrindo

Continuamos o caminho todo conversando até chegar ao um lago imenso, com a água azul e extremamente limpa.

- nossa - Camila falou regulando os olhos.

- ‎o que foi ? - perguntei-lhe sem entender

- ‎que lugar lindo - falou

- ‎gostou ? - perguntei-a

- ‎logico que sim. Nunca tinha visto um lago desse jeito - falou sorrindo

- ‎nem eu - falei - vem senta - chamei-a pra sentar ao meu lado na grama.

- ‎você vem sempre aqui? - perguntou-me

- ‎Tá, eu vou te contar, mas que seja um segredo nosso, ok? - falei e ela concordou com a cabeça - eu não venho aqui sempre, mas sempre quando eu tenho tempo por causa do meu serviço também. Mas ninguém sabe desse lugar, ninguém conhece, como você já percebeu a trilha fica meio escondida. Esse lugar me trás paz. Quando eu acho que estou com algum problema eu sempre venho relaxar aqui, mesmo que seja apenas pra passar o dia todo aqui, para acampar ou até mesmo para apenas respirar um pouco de ar fresco.

- ‎entendi agora - falou

- ‎deve ser muito cansativo trabalhar como médica né? - perguntou-me

- ‎não vou mentir. Não é moleza, mas quando fazemos o que amamos você sente prazer de fazer aquilo. Eu sempre sonhei em fazer o que eu faço hoje, eu sempre corri atrás dos meus objetivos, não foi fácil, tive que lutar muito pra chegar onde estou hoje. Sempre tive ajuda dos meus pais, das pessoas que eu amo e isso me deu muita força. Compreende? - perguntei-a - e você? o que você faz? - perguntei-a novamente.

- ‎Bem, não tive muita sorte como você. Pelo o caminho que eu percorri tive consequências depois. Eu sempre tive uma vida boa, financeiramente, confesso. Meus pais sempre me deu do bom e do melhor. Eu me casei bem nova, não curtir muito minha vida de solteira por quê estava apaixonada, encantada, com isso eu não me importei muito com profissão. Eu não trabalho na área, mas eu me formei em biomedicina, sou biomédica mas não me especializei na área. - falou

- ‎ essa área é linda - falei - mas por quê você não especializou nessa área? - perguntei-lhe

- ‎por quê o meu sonho mesmo, sempre foi ser perita criminal - falou

- ‎essa profissão é muito foda! - falei sorrindo pela a coragem dela de querer essa profissão, afinal não é fácil assim.

- ‎eu não fiz o concurso para começar a trabalhar nessa área e eu não vejo a hora de fazer o concurso para começar a trabalhar na área - falou - mas voltando no assunto para você não ficar confusa. Eu namorei o cara que achei que era o meu príncipe em cantado. Tanto que eu me casei com ele, não tivemos filhos, mas com o passar dos anos minha vida virou um inferno. - falou

- ‎esse cara que você está falando é o seu ex marido? - perguntei-a e ela balançou a cabeça em forma de "sim". - como assim sua vida virou um inferno? - perguntei-lhe

- ‎ele me batia, por qualquer motivo. Já me espancou até eu desmaiar. Ele era extremamente agressivo e hoje por mais que eu não desejava a morte dele. Eu me sinto livre. Livre para fazer as minhas escolhas. - falou

- ‎entendi a sua história, não foi fácil, mas por mais que você tenha traumas, tristezas e talvez tenha momentos de alegria você tem que seguir a sua vida, ser feliz novamente, realizar seus sonhos. Me entende? - perguntei-a

- ‎sim... te entendo! - falou

- ‎saiba que quando precisar de mim, de minha ajuda, é só me ligar - falei

- ‎eu sei disso, muito obrigada! - agradeceu-me.

- ‎não tem que me agradecer - falei

- ‎tudo bem.. - falou - acho melhor nós voltarmos antes que eles sentem nossa falta. - falou novamente.

- ‎é verdade... vamos voltar - falei

Depois de ficarmos conversando por um tempo, contamos sobre nossas vidas, levantamos e fomos caminhando pela a trilha novamente até chegar no sítio.

- eu já ia chamar a polícia pra vocês duas - Dinah falou - onde vocês andaram? - perguntou

- ‎fomos caminhar, respirar ar livre - falei

- ‎achei que vocês tinham ido se pegar - Dinah falou

- ‎ah claro, achou mesmo que iríamos perder tempo? - Camila perguntou irônica

- ‎vocês não sabem nem brincar! - Dinah falou dando as costas pra nós duas emburrada.

- ‎deixa de ser chata - Camila falou rindo

- ‎agora eu sou chata, que absurdo - Dinah falou fazendo um bico de todo tamanho em sua boca.

- ‎é muita manhosa mesmo - Camila falou - o normani, vem beijar o bico da sua mulher por quê ninguém merece quanta manhã - falou novamente apertando as bochechas da Dinah

- coitada da Dinah, camila. Ela sofre muito nas suas mãos - falou vindo de nosso encontro e depositando um selinho nos lábios da Dinah.

- ‎o amor é lindo, mas eu não sou obrigada a ficar vendo vocês se pegarem na minha frente - acabei falando

- ‎concordo com você - Camila falou e saímos deixando Dinah e normani aos beijos no lado de fora. Entramos dentro da casa e o cheiro de bolo de cenoura com cobertura de chocolate era maravilhoso.

- nossa que cheiro maravilhoso - Camila falou

- ‎vamos comer? - perguntei-lhe

- ‎vamos, por favor - falou

- ‎só pensa em comer - falei rindo.

- ‎olha só quem fala - falou dando nos ombros.

Sentamos na mesa da cozinha, cortamos cada uma um pedaço de bolo, colocamos no prato e começamos a comer.

- Lauren... - Camila me chamou

- ‎oi ? - respondi sem entender.

- ‎sua boca está suja - falou

- ‎limpa pra mim? - perguntei-lhe


Notas Finais


Vocês estão gostando? Querem que eu continuo ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...