1. Spirit Fanfics >
  2. Uma das histórias do Brasil >
  3. Conhecendo Território

História Uma das histórias do Brasil - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Conhecendo Território


Autora°pov

Primero dia de aula quem nunca ficou ansioso para esse dia? Pode ser um dia mais esperados para uns, e o mais indesejados para aqueles amantes de camas.

Assim como um garoto que esta quase se afogando na propria babá equanto agarra seu pobre ursinho amarelo.

Na consinha uma mulher nos seus trinta e seis anos mas sua aparecia dira ao contrario para quem não a conhecia ela tinha cabelos longos ruivos e nas pontas com um verde escuro e seus olhos vermelhos quanto sangue e com seu 1,54 de altura.

A mesma olha no relógio vendo que seu protegido iria se atrasa se não levantar logo ,souta um suspiro cansada e arruma os óculos que usava, indo em direça a o quarto do mais novo.

Chegando em frente a porta de madeira amarela ja entra vai ate as cortinas as abrindo vendo o brasileiro vira para o outro lado na cama cobri a cabeça.

-Brasil, vais chegar atrasado para a aula se não te levantares - Diz a mesma tirando a coberta do moreno.

-Ah não Tuga, só mais cinco minutinhos - O moreno coloca o travesseiro no rosto.

-Se der mais cinco minutes, chegará tarde - Ela vai ate a porta mas antes de passa avisa - Só tens alguns minutos antes do autocarro passar -(Você só tem uns minutos até o ônibus passar.)E por fim fecha a porta.

Já desistindo da ideia de ir para terra dos sonhos Brasil se levanta anda meio sem jeito ate o banheiro e ver seu estado de quase zumbi com seu cabelos loiros com as pontas azuladas quase verde de tão claras que são, todo arrepiados como se tivesse tomado choque.

O brasileiro começa a fazer sua higiene matinal, ele não esta muito animado como de costume pois Portugal o mudou de escola e cidade dizendo que seus antigos amigos eram má influencia.

*Só por causa que o Rio de janeiro colocou Funk no seu aniversário! Ou foi porque a Amazônia dava uma palestra de como cuida da natureza quando Tuga arrancava uma flor na rua ? Ou sera as brincadeira de polícia e ladrão do Espirito santo e São paulo?*Pensa o brasileiro voltando ao quarto e começando a se trocar.

É,Tuga tinha motivo para tal ato, mas poxa eram seu amigos (Mesmo doidos) ele os amava, não encontra outras pessoas que não olhassem para si e pensavam *Que bagunça*ou *Portugal devia coloca uma coleira isso não e uma pessoa isso e um animal* com sua turminha não tinha regras, não tinha silêncio, ninguém era excluído todos davam risadas das suas retardatises e protegiam um ao outro, apanhavam no final?Sim! mas depois riam das próprias desgraça.

O Brasileiro souto uma risadinha terminado de se arrumar,e foi até a sua escrivaninha pega seu celular vendo na mesa a foto sua e de todos seus amigos quando se despediram e do seu lado uma Portugal irritada por ter bolo na sua cara ,não e como se os outros estivessem diferente, isso foi meio que vingança por ter "tirado o Brasil de seus amigos" palavras de Bahia.

Saído de seus devaneio pegou a mochila amarela e azul e foi ate a cozinha vendo Tuga termina de embrulha seu lanche e lê entregar o mesmo coloca na mochila.

-É melhor correr - Ela diz começando a lavar as louças.

O brasileiro olha o relógio e logo sai correndo passando pela menor e bagunça seus cabelos, sabendo que a mesma já esta pronta para o trabalho, e continua correndo ouvindo os gritos da mais velha.

Brasil°pov

Corro mais rápido que consigo vendo que o ônibus já esta no ponto quase saindo peço para o motorista parar e ele abre a porta pra mim, faço um joinha para ele e passo na catraca vendo que já estou $12,03 na carteirinha É, ta [email protected] penso e vou para o fundo já que o ônibus estava cheio.

Meu celular vibra, vejo que uma mensagens do Mato grosso me desejando boa sorte no novo "inferno" suspiro vou precisa olho pelo lado de fora vendo que chegou no meu ponto logo desso nele, e pelo que o Tuga disse eu tenho que segui reto 'até acha um ninho de hormônios' palavras dela.

Sigo as instruções e vejo que cheguei nela.E ela e grande.Muito grande. Então e aqui que o governo ta acabando com nosso dinheiro, numa escola de riquinhos mimado. Entro no pátio já vendo olhares sobre mim, eu só ignora e entrando na escola procurando a diretoria, já que sei que não vou consegui, eu não sou um pinheiro pra te uma pinha, ai sou muito piadista.

Olho a minha volta e vejo um baixinho albino guardando os materiais no armário Deve ser representante e todo engomadinho, não que todos dessa escola não sejam penso indo até ele e tocando em seu ombro chamando sua atenção.


-Desculpa, mas cê sabe onde fica a diretoria? - Pergunto com um sorriso que logo e retribuído pelo baixinho,e suas bochechas ficam um pouco rosa *Que fofo*penso.

-もちろん、私はあなたをそこに連れて行きます - (Claro! Eu te levo até lá.) Ele responde e vai na frente e eu o sigo.

Enquanto sou guiado pelo o albino vejo a escola, e realmente ela e bem maior por dentro vou me perde fácil aqui ,penso vendo que já chegamos em uma porta enorme de madeira oque passa por qui um gigante?.

-そしてここで - (E aqui)Ele fala e percebo que ele cora mais ainda, ai me do conta que estou quase o beijando, e logo me afasto.

-An desculpa - Souto uma risada sem jeito.

-大丈夫 -(Não há problema) Ele fala balançando os braços também constrangido.

-Bom, acho que esse e meu destino valeu annn - Percebi que ainda não sabia seu nome.

-日本 - (Japão)Ele se apresenta com uma leve reverencia.

-Ah valeu Japão, me chamo Brasil - Falo prestes a abrir a porta - Nos vemos por ai bro - Peguei essa mania do Rj.

- さようなら ブラジル -(Ate mais,Brasil) Responde acenando enquanto entro na sala.

Entro pela porta vendo uma mulher de cabelos azuis, sentada em uma mesa enorme de madeira a mesma logo percebe minha presença.

-Ah!Olá. Deve ser o aluno novo certo? - Ela levanta e se aproxima e vejo que ela e bem alta.

-Sim. Sou Brasil - Me apresento estendendo a mão que logo ela aperta.

-Muito prazer Brasil, eu me chamo Terra, vise diretora , bom agora se puder me acompanha irei apresenta a escola a você - Ela vai ate a porta e vamos andando pelos corredores.

Ela falou um monte de baboseiras do passado da escola , e como ela reuniu os mais famosos em questão de notas altas, e pelo que parece estou em quinto. *como se isso fosse fazer diferença na minha vida*penso, já tinha parado de escuta ela a muito tempo ate que ela parou de frente para mim.

-Oque você acha Brasil? - Ela me pergunta e eu fico com a maior cara de mane.

- É bem interessante - Coloco o braço atras da cabeça e forço um sorriso.

-Ah, que ótimo - Ela ficou animada devo me preocupa? -Então você começa amanhã mesmo - Oque acabei de concorda? - Venha, irei levá-lo a sua sala - Fala por fim me guiando.

Chegamos em frente a uma porta azul, Terra bateu nela e logo um homem de cabelos azul escuro e nas ponta vermelho abril.

-Oui? -(Sim?) Ele fala.

-Bom dia,Paris vim traze o aluno novo - Ela fala saindo da frente deixando o Homem me ver.

-Ça doit être le brésil -(Você deve ser o Brasil) Ele sorri me deixando passar - Veuillez vous présenter - (Por favor apresente-se)Ele diz e me empurra para frente do quadro.

Olho em volta e vejo na segunda carteira perto da janela o baixinho de mais cedo, sorrio 'pra ele que logo retribuiu fazendo aquela bochechas gordinhas se rosarem *Meu deus alguém me segura se não vou morde aquela coisa fofa*penso, e acabo rindo da minha mini crise.

-Eai galera, tudo bem?. Eu sou o Brasil tenho dezesseis anos, e agora vou estuda com vocês - Na minha antiga escola não tinha essa de apresenta, todos se conheciam.

-Pouvez - vous répondre à quelques questions? -(Se importa de responder algumas perguntas?) Ele pergunta e eu nego logo alguns levantarão a mão.

Logo escolho um baixinho ruivo parecido com o Tuga só que de olhos verdes.

-¿Por qué hay tanto amarillo en ti? -(Por que há tanto amarelo em você?) Me pergunta e toda sala começa a rir e ele abaixa a cabeça e se encolhe na cadeira.

Eu forço uma tosse oque trás a atenção de todos a mim.

-Olha eu sou o exemplo de palhaçada mas não ví graça nem uma, todos nos temos duvidas, das mais simples e bobas que elas podem ser, mas só os mais corajosos tem coragem insuficiente para pergunta-las - Falo meio irritado, de alguma forma eles rirem do baixinho me deixou pistola -E respondendo sua pergunta - Falo sorrindo para o mesmo que me olha surpreso - Eu me atraio pelo amarelo, então se quiser me da um presentinho amarelo, verde e azul já vai ganha um pedacinho do meu Corazon - Pisco pra ele que logo cora e sorri ante de abaixa a cabeça. Serio se todos os baixinhos forem fofos assim eu vou ter que compra uma mordaça para mim

Toda classe fica em silêncio mas logo um cara loiro de olhos azuis com óculos levanta a mão.

-And seriously, what are you on top five? - (É verdade que você e um dos top cinco?) Ele pergunta.

-An sim! - Eu respondo meio sem jeito isso ainda e novo 'pra mim - Mas não ligo muito pra isso, não é como se mudasse minha vida - Dou de ombros enquanto ele me olha como se tivesse cometido o pior dos crimes.

-You and a joke anyway - (Você é uma piada de qualquer maneira)Ele fala arrumando os óculos, me senti um pouco ofendido.

-E você, quem seria? - Pergunto já me arrependendo de ter asseitado responde as perguntas.

-USA -(EUA)Ele responde com um sorriso convencido.

-Ah sim! A florsinha da tv~ - Penso auto demais e acaba que o mesmo ouve e um ruivo com mechas brancas ao seu lado também porque o mesmo começou rir muito.

-Little Flower - (Florzinha)Ele fala ainda rindo -this was good - (Essa foi boa)Ele para de rir depois que o prof olhou feio para ele.

-Plus de questions? - ( Mais perguntas )O prof pergunta e ninguém reponde - Super -(Ótimo) Ele vem ate atrás de mim e coloca sua mão esquerda no meu ombro enquanto a outra vai pra...minha bunda? - Bienvenue au brésil -(Bem vindo Brasil) Ele fala com um sorriso simpático como se não estivesse meio que cometendo crime *Mas ate que ele e bem gato*penso e sorrio para o mesmo.

-Valeu prof - Sinto o mesmo apertando minha bunda, levo minha mão para trás e tiro sua mão o cara pode ser gato mas eu não sou fácil chuchu. Com o meu ato seu sorriso só aumenta, ele diz para eu me senta na fileira do meio da sala.

Logo que me sento o prof. pervertido começa a aula.

Quebra de tempo

Com as aulas vão passando descobri que tem só um professor responsável por cada sala E eu fui fica logo com o pervertido.

O dia não foi nada legal essa sala e muito quieta dá ate 'pra ouvi meus batimentos, tentei puxa papo com os cara do meu lado, só que eles sempre me ignoram unica parte interessante era quando Paris vinha e passava a mão "inocentimente" no meu braço ou cabelo.

Tirando isso as tarefas são fáceis dez de que eu e Tuga nos mudamos 'pra esse bairro de riquinho ela me força a estuda pelo menos cinco horas por dia nas ferias. Deve ser por isso que ta tão fácil, se não estaria quebrando a cara ainda.

Olho em volta vendo todos concentrados na tarefa e o pervertido mexendo em algumas folhas, se fosse a prof Paraguai estaria mexendo no celular enquanto o resto da turma conversa e faz bagunça.

Eu acabo rindo dessa lembrança mas depois me desanimo de novo, saio dos meus devaneios quando o sinal bate. Logo todos se levantam e vão para fora da sala ate ela fica vazia e resta apenas eu nela 'suspiro'. Esse vai ser um longo ano.

Pego o meu lanche na mochila e começo a comer. Oque sera que aqueles retardados estão fazendo agora. Aposto que a Rio grande do Sul esta reclamando do calor dentro daquela sala sera que o Mt e Ms estão brigando espero que Tocantins consiga deixa eles na linha, sera que a prof Chile deixou eles de boa na primeira aula ouvindo Funk? Espero que sim se não aqueles la vão fica agitado o dia todo. volto dos meus devaneios terminando o meu lanche e vendo que ainda não acabou o recreio.

Me levanto, vou da uma volta fase oque né? Vou andando vendo vários corredores quase vazios e as pessoas que estão la só ignoram minha existência. Vejo uma porta escrito banheiro entro nele e logo sinto cheiro de limão ate. O banheiro é de rico

Vou ate a pia e me sento na bancada, pego meu celular começa a joga um joguinho, quando esta quase passando para próxima fase alguém entra no banheiro mas nem dou bola e continuo a jogar.

-What do you think is fastishing? -(Oque você pensa que esta fazendo?)- Eu levanto a cabeça e vejo que e EUA junto daquele ruivo que foi para uma cabine.

-Ah! Oi EUA -Sorrio para o mesmo que esta com uma cara bem seria.

-I asked you a question -(Eu te fiz uma pergunta) Ele fala com uma voz autoritária que arrepiou ate os último fio de cabelo.

-A-a eu tava jogando aqui - Mostro o celular para ele.

-I know-(Eu sei) Ele revira os olhos -Why are you ensisted on the bench?-(Por que você esta em sima da bancada da pia)Ele pergunta novamente-And you'd better get out of th- (É melhor você sair dai de sima)

-Oowww,This worried with the beginner,USA? -(Ooww Esta preocupado com o novato, EUA?) O ruivo fala saindo da cabine e lavando as mãos.

-What? (Oque?) -Ele questiona -Nor in my worst nightmare-(Nem no meu pior pesadelo) Fala por fim saído do banheiro.

-Don't get carrying on him -(Liga para ele não)Ele se vira pra 'mim -By the way, I'm Canada (A propósito me chamo Canada) Ele se apresenta sorrindo e eu retribuo mas ele me olha surpreso e se próxima um pouco o rosto.

-Ann ta tudo bem Canada? - Parece que ele acordou de um transe porque logo se afastou.

- I am sorry -(Me desculpa) Ele fica um pouco vermelho e sorri envergonhado*Meu deus não é só os baixinhos que são fofos, vou precisa mesmo de uma mordaça* -And that you stop someone I've met -(E, que você parece com alguém que eu conheci) -Ele logo para de sorri desvia o olhar -But she's gone -(Mas ela se foi) Sinto que o clima ficou horrível, melhor quebra o gelo.

-Ei Ruivinho fica assim não -Ele olha para mim -Sabia que as pessoas ficam mais bonitas sorrindo? Então sorria. -Falo sorrindo vendo o mesmo sorrir de lado.

Canada°pov

-Ei Ruivinho fica assim não -Ele chama minha atenção- Sabia que as pessoa ficam mais bonitas sorrindo? Então sorria. -Ele fala me fazendo lembra dela, ela dizia isso é eu sempre fazia a mesma pergunta, sorrio de lado.

-Mesmo pessoas banguelas? - Pergunto, ela dizia que pessoas banguelas não, elas não mereciam passar por esse vexame. 

-Quando se é feliz não importa a sua aparência todos nos somos diferentes, cada um tem sua própria beleza -Ele fala sorrindo com carinho, e eu me surpreendo com suas palavras - Se você está feliz não ligue para as pessoas ao seu redor, isso é ser feliz de verdade -Ele termina de falar e eu só consigo pensa Uau como um cara dessa idade pode ter a mente tão pura?.

Saio dos meus devaneios ouvindo o sinal bater, vejo o brasileiro sair da bancada e com isso posso ver que eu sou maior que ele.

-Olha já que vamos para o mesmo lado sera que você pode me levar pra sala eu acho que se eu for sozinho vou me perde -Ele ri envergonhado eu acabo rindo também.

-Vamos la baixinho -Bagunço o cabelo dele e ele ri mais ainda e me empurra.

Durante o caminho da sala fiquei provocando ele mais nenhum resultado de vergonha ele leva tudo a brincadeira, já gostei dele, ele também ficou contando um monte de piada tão ruins mas era tão ruim que eram boas, quando chegamos na sala continuei do seu lado ate sua carteira e ficamos conversando, tinha muita gente nos olhando mas parece que o BR não se importava e falava animado e empolgado com migo.

Logo Paris chegou e me mandou ir para meu lugar eu quase mandei o Paris ir se lasca quando quando vi a cara de desapontado do brasileiro mas tive que me segura, não quero começa o ano indo para diretoria, baguncei o cabelo do baixinho sabendo que iria arranca boas risadas, e na mesma hora foi oque aconteceu.

Fui para meu luga vendo Paris entregar folhas de atividade na minha vez ele quase quebrou minha messa e se olhar matasse eu já estaria cantando com anjos. Olho para traz vendo ele entrega outra folha para o brasileiro e afaga a cabeça do mesmo,BR só sorri.

Acho que alguém esta com ciúmes. Vejo que USA esta me olhando desconfiado com certeza vai querem fala com migo depois. Suspiro sabendo do meu terrível destino.

Quebra de tempo

Já estava no portão esperando o Inglês termina de conversa com o clube, alguém vai entra deve ser o BR já que ele esta no top five. Falando nele o mesmo vem ate o portão arrumando a mochila todo desajeitado, ele vai ate a saída ainda tentando fechar a mochila, assobio chamando sua atenção o mesmo que acena para mim antes de começa a correr para pegar o ônibus que estava quase saindo.

Rio um pouco logo vejo um loiro com papeis andando ate mim.

-E ai, oque queria? -Pergunto e pego uma balinha de morango no meu bouço a abro e coloco na boca.

-Só fiquei intrigado por você esta tão intimo da piada -Ele fala sem tira a cara das folhas.

-Eu não sei, só acho que ele possa ser diferente -Dou de ombros -E..ele também me fez lembra dela -Falo e por fim ele olho nos meus olhos entendendo de quem eu falo.

-Como você pode compara aquela piada com ela -Ele pergunta parecendo irritado mas continua com a mesma cara seria.

-Não estou comparando, só que eles se parassem...-Explico sabendo que essa conversa não vai leva a nada - Só!.

-Você realmente é complicado Canada -Ele fala indo até sua limusine e indo embora.

É, eu que sou o complicado Penso também indo até meu carro entro e o ligo começando a dirigir para casa.
Esse vai ser um longo ano.

Assinado:D.F


Notas Finais


Será que terá um final feliz?
Só eu sei, e você vai se surpreender com a respostas.

ASS: D.F


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...