História To Love-Ru: Nightmares of an Oblivion - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias To Love-Ru: Trouble
Visualizações 596
Palavras 7.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sim eu ainda estou vivo (não por dentro, já sabem né), e primeiramente acima de tudo, perdão. Sério, perdão mesmo, não queria ter demorado isso tudo pra postar, mas como eu disse anteriormente em alguma nota (eu acho), escrever é um dos meu hobbies que adiquri pra afastar a depressão e sentimentos do gênero. Durante todos esses meses digamos que esse hobby perdeu esse efeito, eu estava ABSOLUTAMENTE desanimado, então (de novo só pra ressaltar) perdão. E sim, eu coloquei uma imagem no capítulo, é um milagre em dobro, acreditem se quiser. Enfim, só queria agradecer (já até esqueci quantos eram desde o ultimo capítulo, que péssimo de minha parte) pelos novos favoritos e visualizações. Sério, eu NUNCA imaginei que isso chegaria perto de 100 favoritos, pensei que eu ia escrever só pra 10 pessoas, já que a fama do Rito não é uma das melhores pelo mundo dos animes, não garanto que vou ficar SUPER animado pra escrever de agora em diante, logo (como de praxe) não vou dar um prazo pro próximo capítulo surgir, já até peço desculpas antecipadamente. Mas independente disso, eu fico MUITO, mas muito grato mesmo por ter tanta gente gostando. Não sei como agradecer adequadamente, mas saibam que por trás destas palavras tem uma pessoa bem realizada por isso. Talvez eu esteja exagerando, mas é bastante satisfatório escrever algo e alguém comentar elogiando, pedindo mais (e angustiante até demais quando pedem o próximo capítulo e você tem nada), realmente espero que continuem gostando e que eu não desaponte por causa desses "hiatos" repentinos.

Capítulo 25 - Uma plena luz na escuridão


Fanfic / Fanfiction To Love-Ru: Nightmares of an Oblivion - Capítulo 25 - Uma plena luz na escuridão

—Rito-senpai!! Vamos sair daqui!! —grita Mea desesperada ao ver Rito atônito e sentado no chão olhando o casulo dourado de cabelos à sua frente.
—D-de novo não... —murmura ele aterrorizado olhando o casulo reluzir uma aura enquanto imagina a pequena Yami dentro dele.
—Vamos lo-
—Ah! Como é bom estar livre novamente! —diz Yami satisfeita após uns 5 minutos presa no casulo— Olá, Yuuki Rito~!
—D-d-darkness...! —diz ele trêmulo ao tentar se arrastar pra trás lentamente diante da pressão assustadora de Yami.
—Dessa vez, a Lala-hime não vai conseguir me parar. —diz ela encarando maliciosamente Rito ao agarrar seu queixo com suas garras vermelhas de sua mão direita— Finalmente vamos nos tornar um só!
—Não... vai conseguir parar...? —pergunta ele perplexo ao ver toda a confiança e prepotência da Darkness.
—Da última vez eu ainda não estava completa por ainda. —responde ela com um sorriso presunçoso enorme— Agora quando a outra Yami finalmente abriu totalmente seu coração pra você, o sentimento de conforto dela elevou ao máximo e me libertou!
—A culpa é minha então...? —pergunta ele atordoado e ficando deprimido as poucos.
—Que tal se sentir mais culpado ainda? —indaga Darkness com um olhar malicioso e colocando uma mão de Rito em um de seus seios.
—Onee... chan? —pergunta Mea perplexa ao ver a reação repentina de Yami.
—Quer se juntar também Mea?! —pergunta ela antes de rapidamente gerar dois portais na debaixo das mãos de Rito apoiadas no chão fazendo-o perder o equilíbrio por instantes antes de Mea soltar um gemido surpreso por ter seus glúteos agarrados.
—A-a-agora não, senpai! —diz Mea desconcertada— D-deixe pra pegar minha bunda depois!
—N-não foi porque eu quis!! —explica ele ao virar o rosto pra trás na direção de Mea.
—Que tal avançar mais um pouco, Yuuki Rito? —pergunta Yami alegremente.
—Como as-

E assim que foi dito, os portais que estavam as mãos dele se expandiram à ponto de formar um único, assim, engolindo seu corpo inteiro e o teleportando pra trás de Mea.

—Se você ainda insiste, eu não me importo de fazer isso na frente da Onee-chan... —diz Mea levemente envergonhada ao perceber Yuuki Rito agarrando seus seios por trás enquanto a cintura dele estava alinhada com sua bunda e os dois apoiados pelos joelhos no chão.
—D-deixe isso pra depois!! —diz ele envergonhado e nervoso— Espere, não é como você está pen-
—Promessa é dívida, Ri~to~sen~pai! —diz ela numa voz melosa e com um olhar malicioso ao olhar pra trás encarando Rito.
—Posso participar também?! —pergunta Yami alegremente juntando as mãos e as encostando no lado do rosto ao inclinar a cabeça.
—Cla-
—Não perca o foco Mea!! —diz Rito ao tampar a boca dela antes de se levantar e recompor-se.
—Ah... Eu realmente queria me divertir. —diz Yami nitidamente decepcionada, mas depois fazendo uma expressão levemente sombria— Anseia tanto assim por sua morte, Yuuki Rito?
—... N-não! —responde ele depois de engolir seco ao perceber o clima esfriar novamente, como se os pequenos acidentes agora pouco nunca houvessem existido.
—Então poupe tempo e esforço e aceite lo-
—Rito!! Tudo bem?! —grita Lala preocupada aparecendo pelo lado de fora do terraço com suas asas anti gravitacionais, mas ficando pasma ao olhar pra Yami— Yami-chan...?!?!
—Ah, olá Lala-hime! —diz Yami repentinamente feliz e fazendo uma ligeira expressão pervertida— Mais gente pra brincar!

”Ela é bipolar...?”, pensou Rito com gotas de suor escorrendo pela cabeça. Porém, mal acabara de pensar e caíra novamente por um portal criado por Yami, só que dessa vez em cima da Lala, que o agarrou entre os seios num relance.

—Te peguei Rito! Vamos fu-

Assim que virou o lado com ele abraçado à frente de seu corpo, um portal abriu-se na frente deles, que direcionava pro chão do terraço, empurrando Rito de costas contra o chão e ela caindo por cima dele, deitando em seu peito enquanto ele agarrava a bunda de Lala com ambas as mãos.

Quando ela apoiou-se no peito dele pra poder levantar-se levemente, acabou olhando-o nos olhos, fazendo-a corar levemente, tanto pela pose meio constrangedora quanto seus rostos estarem próximos.

—Se você queria um beijinho, era só pedir, Rito... —diz Lala com o rosto tingido de vermelho suavemente nas bochechas e olhando pros lados.
—M-mas eu queria! —responde ele nervosamente, mas depois surtando— Q-quer dizer, não agora! Ah, você entendeu!!
—Não vai se despedir adequadamente de sua noiva, Yuuki Rito? —pergunta Yami voltando com a mesma expressão levemente sombria.
—Deixe-o em paz, Yami-chan!! —grita Lala ao se pôr de pé rapidamente com os braços abertos na frente de Rito, que ainda estava se levantando.
—E o que você vai fazer pra me impedir dessa vez? —pergunta ela com leve tom de divertimento.
—Vou te parar como da última vez! —responde Lala determinada se colocando em posição de luta.
—... —murmura Yami silenciosamente ao ver a empolgação da jovem em defender seu noivo novamente, porém a encarando firmemente depois de um curto tempo pensando— Não irei te subestimar de novo, Lala-hime.
—Como as-
—Lala!!

Percebendo o perigo, Rito rapidamente puxou Lala pro lado pra evitar o corte quase imperceptível que Yami lançara com uma lâmina de energia cortando o terraço superficialmente.

—Temos que sair daqui ou ela vai acabar destruindo o colégio! —grita Rito preocupado pra Mea e Lala.
—O que aconteceu?! —pergunta Momo assustada aparecendo com suas asas anti gravitacionais, até olhar pra Yami, que virou o rosto pra ela com um breve sorriso de divertimento.
—Olá Momo-hime! —diz ela acenando com suas garras— Que tal fazer algo indecente?
—Eh...? —pergunta ela perplexa com o pedido repentino de Yami e se assustando novamente ao ser engolida por um portal e aparecer na frente de um surpreso Rito.

Porém, antes que pudessem se mexer, mais portais abriram ao redor deles com mechas do cabelo de Yami, agarrando-se aos seus membros.

—O-o-o que você está fazendo?! —pergunta Rito nervoso ao perceber que estava imobilizado e Momo também.
—Só brincando com meus bonecos um pouquinho! —responde Yami empolgada e agitando uma das mãos no ar como se fosse uma maestra.

E assim que foi dito, Yami controlou as mãos de Momo pra que rasgasse a camisa em frangalhos de Rito, deixando à mostra o tórax levemente tonificado do rapaz. Poucos instantes depois, ela ordenou que ele tirasse a blusa da Momo, levantando-a e passando pela cabeça dela, deixando apenas com seu sutiã.

—Espere Onee-ch-

Quando Mea tentou contestar ao ver Yami forçar o corpo de Momo contra o de Rito, um portal abriu-se em sua frente levando-a à algum lugar desconhecido, saindo do campo de visão deles.

—Pra onde você mandou ela?! —pergunta ele preocupado.
—Não se incomode com ela! —responde Yami rapidamente antes de lamber dois dedos com um olhar malicioso— Você tem assuntos mais importantes a serem tratados agora!
—Como o q-


Assim que Rito tentou falar, Yami colocou as mãos no ar como se estivesse brincando com suas bonecas, porém invisíveis, enquanto as mechas de cabelo anexadas às diferentes partes de ambos os corpos reagiam de acordo com os movimentos das mãos dela.

Ela ordenou que as mãos de Rito se direcionassem à bunda de Momo, agarrando ambas nádegas repentinamente e com força, assustando-a e deixando escapar um leve gemido.

—A-agora não, Rito-san!! —diz ela com o rosto corado e com seus antebraços apoiados no peito dele.
—M-mas não foi culpa minha!!

Continuando com seu teatro de marionetes, Yami agora mandou que Rito levantasse Momo e enterrasse o rosto no pescoço desprotegido dela, fazendo-a arfar lentamente com o novo susto repentino.

—P-pare Rito-san!! —volta ela a dizer com o rosto mais corado ainda e fechando os olhos quando Rito tentara falar algo porque sua boca estava incapaz de dizer nada graças à força que Yami exercia com suas mechas ao empurrar sua cabeça no pescoço de Momo.

—Ei Yami-chan! Não faça isso com eles! —diz Lala irritada e colocando as mãos na cintura.
—Por que não? —pergunta ela parecendo um pouco surpresa— Dá pra perceber na cara da Momo-hime que ela está adorando isso!
—Ela queria estar fazendo isso voluntariamente, não com você forçando assim!
—Assim você faz soar meio estranho, Onee-san... —diz Momo sem graça e ainda envergonhada.
—Hm... —murmura Yami pensativa com uma mão no queixo— Tudo bem então.

Com um breve acenar de mão, as mechas que envolviam Rito e Momo se desfizeram e os portais dos quais elas vieram se fecharam, fazendo ambos se sentarem aliviados no chão.

—Ufa... —dizem ambos ao suspirarem.
—Muito bem Yami-ch-

Porém pra a falta de sossego de Rito, um portal engoliu Lala pelos pés fazendo-a cair sentada sobre suas pernas e outros portais abriram ao redor deles, saindo outras mechas se agarrando à eles.

Voltando à controlar os movimentos de Rito, Yami ordendou que agora ele agarrasse um dos seios de Lala enquanto segurava com força a cauda dela, fazendo a rosada corar violentamente e começar a gemer suavemente.

—A-a-aí n-não Rito...!! —diz Lala tentando se contorcer, mas a mecha que Yami havia envolvido em torno dos dois amarrando-os limitava bastante seus movimentos, apenas permitindo-a que movesse seu pescoço.
—E-eu já disse que não é culpa minha!! —diz ele alarmado ao sentir o corpo de Lala mesmo por via do uniforme dela.

De repente o ritmo dos gemidos e das arfadas dela diminuiram na medida em que o olhar dela se fixava mais ainda no rosto de Rito com um olhar suplicante.

—V-você está bem Lala...? —pergunta ele parecendo levemente preocupado e soltando o seio dela.
—... —murmura ela silenciosamente enquanto os olhos turquesa dela reluziam e ela se aproximava lentamente do rosto de Rito— Seu corpo está quente, Rito...
—O-o-o que você queria?! Estamos colados!! —exclama ele nervoso ao sentir a aproximação dela combinado com a sensação dos seios dela esparramados por seu peitoral.
—N-não consigo resistir com você segurando minha cauda assim... —diz Lala num tom baixo de vergonha antes de juntar repentinamente os lábios com um surpreso Rito, que estava de olhos esbugalhados.
—Onee-san...?!?! —pergunta Momo pasma ao ver o ardor de Lala ao pedir passagem com a língua na boca de Rito, que ainda estava confuso por não saber se aceitava a explosão de carinho repentino imposto à ele graças à Yami ou se ficava receioso pela presença da Darkness no recinto, embora tenha se deixado levar pelo calor do momento devido à todo o carinho de Lala depois de poucos instantes indeciso.
—Oooooh~~!! —arqueja Yami maravilhada segurando o rosto com os punhos e de cócoras observando cada detalhe mínimo entre a esgrima de línguas particular entre Rito e Lala, que nem haviam percebido que Yami havia desfeito as mechas em volta deles de tão concentrados que estavam em seu momento ‘à sós’— Vocês definitivamente estão diferentes da última vez! Que incrível! —diz ela animada.
—... ? —murmura Rito confuso ainda no meio do beijo ao perceber que suas amarras se foram— P-p-pronto Lala!! —diz ele desconsertado ao desmanchar repentinamente o beijo— Já estamos livres!!
—Ara? —pergunta ela confusa e piscando os olhos, mas depois fazendo birra— Mas jáa?
—Já chega, Onee-san... —diz Momo sem esperanças e sorrindo sem graça, mas depois desconsertada— A-além disso vocês não podem fazer isso em público!!
—Por que não? Ele é meu noivo ué. —pergunta Lala confusa com um dedo no queixo.

Porém quando Momo iria contestar novamente, uma breve gargalhada de Yami pôde ser ouvida.

—Que hilário... —diz ela com um sorriso estampado no rosto enquanto estende uma das garras em direção deles e uma intenção assassina junto com uma pressão voltam a irradiar dela, fazendo Lala e Momo se colocarem rapidamente de pé na frente de Rito, que ainda estava sentado no chão levemente atordoado pela mudança brusca de clima.
—Desista de fazer mal ao Rito, Yami!! —diz Lala pegando seu D-dial em mãos, que foi sucedido por Momo fazendo o mesmo.
—Vocês implicam tanto em defendê-lo pra provarem suas forças... —diz Yami com um olhar sombrio, mas ainda com o mesmo sorriso de deboche— Mas não percebem que a mesmo tempo ele é seu ponto mais fraco?
—Como assim...? —perguntam ambas atônitas.
—Esqueçam. —corta Yami balançando a cabeça uma única vez em forma de negação e encarando Rito através das meninas— Que tal se entregar e evitar colocar as princesas em risco?
—Eu...

Ele voltou a se imergir em suas memórias dos acontecimentos passados e até os mais recentes, de todo o ritual que passara pra sofrer as alterações ou até a mais recente luta com a Nemesis, que deixara uma interrogação em sua mente. Além de pensar em seu vigor, que se fora grande parte dele após essa luta.

—Não ouse se sacrificar por nós de novo, Rito. —diz Lala num tom baixo e seriamente ao serrar os punhos.
—Deixe-nos voltar a protegê-lo como sempre. —diz Momo olhando pra trás com um sorriso breve.
—Você acabou de voltar totalmente devastado por algum motivo, descanse um pouco! —diz Lala olhando pra trás também e abrindo o sorriso que sempre encantava Rito fazendo ela dominar cada vez mais um espaço de seu coração.
—Vocês já tiveram tempo suficiente pra se despedir dele, desapareçam.

Aproveitando o breve tempo que elas utilizaram pra olhar Rito, Yami já havia criado uma lâmina de energia acima de si e a direcionando pra elas. Quando elas viram a lâmina de pelo menos 4 metros, ficaram abismadas e sem reação.
—MOMOO!!! —grita Lala ao ver Yami descer a mão levemente ordenando que a lâmina fosse até elas, colocou-se de braços cruzados na frente de Momo bloqueando a passagem dela e cobrindo-se de Devil Force— AAAH!!!

Porém não conseguira carregar energia o suficiente, logo a força da lâmina enviada por Yami acertara Lala em cheio, provocando na destruição parcial de seu uniforme, deixando meras tiras de roupa que apenas cobriam suas intimidades e um dos seios, além de empurrá-la com força total na parede da porta que levava de volta ao interior do colégio de Sainan.

—LALAAAAA!!! —gritam Rito e Momo ao vê-la desacordada e correndo em direção dela.
—Tch. —diz Yami estralando a língua em sinal de desprezo e decepção— Malditos devilukeanos com sua resistência gigantesca e energia milagrosa...
—Onee-san... —murmura Momo tristemente ao ver Lala sem reação, porém se aliviando bem pouco ao perceber ela respirando— Ufa...
—Se ela não tivesse usado seu poder natural, a lâmina teria a atravessado sem nenhuma dificuldade. —completa Yami com um mínimo sorriso de divertimento ao perceber a preocupação notável deles.
—... —murmura Rito silenciosamente observando a figura da Darkness com suas asas negras bloquearem a luz solar que deveria iluminá-las, mas apenas parecia sugar a luz pra um abismo interminável dentro de suas penas, fora seu rosto que quase sempre permanecia estático e inexpressivo, agora demonstrava um misto de prazer, desprezo, alegria, raiva, empolgação e outros sentimentos que normalmente Yami não demonstraria.
—E então? —pergunta ela mostrando um sorriso e um brilho maligno nos olhos rubi dela ao estender uma mão em direção dele.
—Yami!! Acorde!! —grita ele em direção dela antes de pegar Lala nos braços ao retirá-la da parede.
—Esqueça isso Rito-san! Vamos embora daqui!! —diz Momo ao abrir bruscamente a porta que leva ao terraço.
—Você realmente acha que consegue fugir de mim? Eu te perseguiria até no infe- —pergunta Yami com um sorriso de deboche antes de ser interrompida por um tiro de laser depois de um vulto surgir voando do nada, que foi desviado facilmente por ela ao abrir um portal na direção do tiro.
—Rito-senpai!! Saia daqui logo!! —grita Mea com um canhão materializado no braço e planando com suas asas do lado de fora do terraço.
—Mas Mea... —murmura ele indeciso ao ver a expressão complicada no rosto dela.
—Vamos!! —grita Momo empurrando ele pela porta com Lala desacordada em suas costas.
//////////////////////////////////////////////
—Será que ela está bem? —pergunta Rito ao parar de percorrer o corredor do segundo andar depois de passar rapidamente pelo terceiro andar.
—Mea-san é forte! —responde Momo acenando positivamente.
—Yuuki-kun?! O que está acontecendo no terraço?! —pergunta Yui ao avistá-lo e ficando corada ao perceber Lala quase nua em suas costas— O que você estava fazendo com ela lá?!?!
—V-você está entendendo tudo errado!!! —responde ele envergonhado, mas ficando alarmado ao lembrar da situação— Retire todo mundo do colégio Kotegawa!!
—Por quê...? —pergunta ela parecendo levemente chocada.
—A Yami está fora de controle! Desse jeito ela pode acabar destruindo a escola e machucando os alunos!!
—Yami-san? O que aconteceu com ela?! —pergunta ela assustada
—Depois eu explico!! —responde ele depois de olhar pra trás pensando ter sentido uma presença.

Dito isso, Yui correu pra o alarme de incêndio o mais rápido que pôde e acionou a alavanca fazendo o barulho ressoar por todo colégio.

—O que está acontecendo? —pergunta os alunos confusos ao sair da sala.
—Sigam em linha reta organizadamente pra evitar conflitos!! —grita Yui interrompendo os cochichos entre os alunos.
—Isso é um treinamento? —pergunta um dos alunos em meio à multidão, provocando os cochichos novamente.
—Não, é um incidente, apenas evacuem o colégio!! —grita ela de novo, porém dessa vez sem surtir muito efeito— Eles não me escutam... —murmura ela tristemente.
—Posso tentar, Kotegawa-san? —pergunta Momo com um sorriso.
—P-p-pode, mas por que eles te ou-
—Não querem tomar um pouco de sol, rapazes? —pergunta ela colocando um pouco de charme na voz e se inclinando levemente pra frente.
—SIM!! —dizem a maioria dos garotos em uníssono e saindo correndo em comoção na direção das escadas, provocando murmúrios de decepção das meninas em meio deles sendo arrastadas.
—Como você consegue...? —pergunta Yui com gotas de suor escorrendo atrás da cabeça.
—É natural! —responde Momo fazendo um ‘v’ com os dedos e colocando na frente do olho.
—Que seja, cuidem da Lala!! —diz Rito tirando Lala desacordada das costas e apoiando-a no ombro de Momo, que foi acompanhado por Yui pegando o outro braço de Lala.
—Q-que estado deplorável... —murmura Yui envergonhada ao ver o corpo de Lala exposto— N-não tem nenhuma roupa extra pra ela, Momo-san?
—Claro! —responde ela pegando um presilha do bolso e colocando na cabeça de Lala, fazendo um novo uniforme surgir— Nunca se sabe quando pode ficar nu do nada!
—Quando eu precisei você não tinha um desses pra mim... —murmura Rito descrente ao ver toda a precaução de Momo.
—Hihi...! —ri ela antes de expor a ponta da língua.
—Saiam logo daqui antes que Yami apa-
—Qual o problema se eu aparecer? —pergunta Yami num tom debochado ao aparecer por um portal pela parede ao lado deles.
—Y-yami-san!! Q-que roupas são essas?!?! —pergunta Yui com o rosto fervendo ao perceber o figurino da Darkness.
—Você com um corpo naturalmente indecente quer falar das minhas roupas? —pergunta ela fazendo uma cara de descrença.
—V-você que é indecente, sua indecente!!! —grita Yui atrapalhada em resposta, provocando divertimento em Yami.
—O que você fez com a Mea, Darkness?! —pergunta Rito preocupado.
—Ah, essa daqui? —pergunta ela fingindo se importar antes de abrir um portal no teto, fazendo uma Mea machucada e exausta cair nos braços dele.
—Parece que não fui útil pra você, senpai... —murmura ela tristemente.
—Mea!! —grita ele ao vê-la fechar os olhos lentamente.
—Eu não vou morrer senpai!! —diz ela parecendo levemente irritada, mas sorrindo brevemente— Só queria descansar um pouco, a Yami onee-chan é muito forte...
—Ah... —murmura ele respirando aliviado, mas voltando a ficar alerta— Levem ela daqui também!
—Tem tanto medo assim de mim, Yuuki Rito? —pergunta Yami num tom debochado.
—... —murmura ele silenciosamente ao ver a prepotência dela e baixando a cabeça vendo o corpo machucado de Mea em várias partes— Verdade... Você é assustadora...
—Então por que ainda ten-
—Mas mesmo assim tenho que lutar por uma amiga que se perdeu na própria escuridão!! —diz ele levantando a cabeça e a encarando firmemente— Eu prometi que iria ajudar a segurar seu fardo!
—Senpai!! —diz Mea maravilhada.
—Rito-san... —diz Momo abobada enquanto Yui corou levemente.
—Acho que eu mereço pelo menos um beijinho pra ajudar a sarar mais rápido, não? —pergunta Mea casualmente ao fazer um bico e se aproximar do rosto de Rito.
”Urgh, ela é boa...” pensou Momo com uma careta e enrolando uma mecha do cabelo nervosamente.
—E-e-ei!! Q-q-que história é essa?!?! —pergunta Yui com o rosto super avermelhado e apontando um dedo freneticamente pra eles.
—Melhor a gente sair daqui logo! —diz Momo puxando Mea dos braços de Rito e apoiá-la no ombro livre.
—Mas eu queria meu beijo!! —grita Mea ao ser arrastada por Momo forçadamente e sumindo rapidamente do corredor, deixando apenas Rito e Yami.
—... —engole Rito seco a saliva pelo clima tenso enquanto troca olhares com ela.
—Vamos pra onde começamos! —diz ela com um sorriso com o canto da boca antes de abrir um portal aos pés de Rito e fazê-lo reaparecer no terraço, caindo de costas pro chão.
—Ai... —diz ele esfregando as costas ao se levantar.
—Você se preocupa tanto com aquelas garotas à ponto de deixá-las fugirem e me enfrentar sozinho? —pergunta Yami com o olhar coberto pela sombra dos cabelos e pairando no ar com suas asas negras.
—Sim! Se for pra defendê-las, eu estou disposto a morrer! —responde ele decidido, mas com as pernas tremendo levemente.
—... Muito bem. —diz ela num tom baixo— Morra então.

Ao dizer isso abruptamente, vários portais se abriram em volta de Rito e deles saíram lâminas que o alvejaram, quase o acertando por pouquíssimos centímetros, ou fazendo talhos superficiais na pele e rasgando mais ainda a roupa dele, adicionando novas manchas de sangue.

Tentando fugir do enxame de portais ao redor de si com os punhos cruzados em frente ao corpo, ele recuou com um pulo simples, porém Yami materializou um punho enorme manipulando o piso do terraço, pegando-o desprevinido e acertando-o em cheio, fazendo arfar de dor e cair de joelhos no chão.

—Isso é tudo do mais novo guardião das princesas de Deviluke? —pergunta ela num tom de deboche.
“Nesse ritmo vou ser acabado mais rápido do que a Mea, preciso segurar ela por mais tempo..!” —pensa ele desesperado.
—Você acha mesmo que depois que eu matar você eu não destruiria o planeta junto com suas amigas? —pergunta ela exibindo um sorriso maligno.
—Não pode ser...! —murmura ele em estado de choque e a encarando com sua imponência.

Nesse momento Rito se viu caindo num abismo infinito de desespero, todas suas opções se foram, ele mal conseguia se mexer de tanto tremer. Suas mãos e rosto suavam junto com os diversos talhos pelo corpo que escorriam sangue lentamente, apenas um brilho lilás quase branco saía delas como se seu “poder” estivesse intimidado demais pra curá-lo.

—Você ainda tem a mim... —sussurra uma voz gélida e maligna na mente dele.

Entrando num transe breve, Rito ficou absolutamente imóvel após o sussurro.

—Onde estou...? —murmura ele atordoado antes de abrir os olhos e ver um céu estranhamente azulado— Espere, eu já estive aqui an-
—Isso é irrelevante. —diz uma voz feminina vindo de cima dele.
—Quem está a- —pergunta ele alarmado e olhando pra sua cintura avistando uma figura loira sentada em cima dele, aterrorizando-o imediatamente— Y-y-ya-
—O mesmo medroso de sempre... —suspira ela ao revirar os olhos.
—Espere... —murmura ele ao sentar na superfície lisa vermelha e olhar detalhadamente pra Yami e ver que os chifres e as garras dela são roxas, em vez de chifres negros e garras vermelhas como a Darkness habitual— Você é a Yami...?
—Sim e não. —responde ela rapidamente.
—Como as-
—Sou apenas sua Darkness. —diz ela sorrindo maliciosamente ao empurrá-lo novamente no chão e ficar cara a cara com ele, fazendo-o corar levemente.
—M-mas por que você está falando comigo logo agora? Eu estou no meio de uma luta com você! Quer dizer, a outra! Quer dizer, a origi- aaah esquece!! —diz ele surtando e nervoso.
—Só queria te lembrar que você também é uma arma Trans e que devia usar esse poder. —responde ela rispidamente.
—Mas mesmo assim ainda é impossível vencer ela! —grita ele frustrado.
—Na verdade existe uma maneira de você derrotar ela... —diz Yami com um sorriso maléfico.
—Que maneira...? —murmura ele suando frio e engolindo seco.
—Nada demais. —responde ela sorrindo inocentemente.
—Eh...? —murmura ele confuso.
—Mas você só precisa fazê-la se lembrar dela de verdade. —diz Yami se levantando de cima de Rito e ficando de costas pra ele.
—O-obrigado pelas dicas então! —responde ele animado, mas ficando indeciso depois— Como eu faço pra usar o poder Trans mesmo...?
—Você só deve imaginar que cada centímetro de seu corpo é uma arma. —responde ela se virando pra ele novamente.
—Melhor eu acordar então... não? —pergunta ele duvidoso.
—Vá logo, não quero que meu recepiente morra. —responde ela se aproximando instantaneamente da frente dele e o beijando rapidamente antes de empurrá-lo no chão e ser ‘engolido’ pelo solo ao cair numa espécie de portal.

“Minha Darkness eh...? Nunca imaginei que aquela criatura bizarra que aparecia nas minha alucinações podia ser ela...” pensa Rito consigo mesmo enquanto cai pelo abismo.

Quando parecia estar perto de recobrar a consciência de novo, ele ouviu outro sussurro como o primeiro: “Estarei aguardando pra quando você realmente entrar em desespero...” disse a Darkness seguido de uma gargalhada que ecoou pela cabeça de Rito quando ele despertou do transe.

“O que foi isso?” —pensa ele suando frio e olhando pra a mão trêmula ao se lembrar da última frase dita pela sua Darkness.
—Já está cansado, Yuuki Rito? —pergunta Yami num tom de deboche pousando no terraço e o olhando ajoelhado no chão— Você ficou imóvel por alguns segundos, por um instante eu pensei que tinha se rendido.
—É que... —murmura ele atordoado ao se levantar e olhar pra a mão— Nada, esquece.
—Ainda dá tempo de você desistir e se unir eternamente à mim sem sentir dor. —diz ela ao se pendurar no pescoço dele com as mãos e sorrir gentilmente.
—Você precisa acordar, Yami!! —diz ele preocupado e a agitando pelos ombros.
—Mas eu acabei de acordar. —diz ela rispidamente e o empurrando— Se você não entende da maneira mais fácil, terei de continuar com a difícil.

E ao dizer isso, voltou a pairar no ar e o olhar friamente antes de materializar vários punhos usando o piso do terraço pra acertá-lo.

“O que eu deveria fazer agora?” pensa Rito aflito ao olhar a quantidade de punhos indo em sua direção rapidamente.
“Você só deve imaginar que cada centímetro de seu corpo é uma arma”, lembrou ele como um choque passando pelo seu cérebro.

Quando os punhos se aproximaram, ele transformou ambas as mãos em lâminas e recuou um pouco, e na medida que eles tentavam o acertar Rito os fatiava no meio ou desviava fazendo com que o punho se chocasse contra o chão.

Depois de alguns minutos desviando e cortando, todos os punhos foram destruídos e ele ofegava um pouco graças ao esforço.

“Primeiro eu deveria dar um jeito de consertar essa roupa...” pensa ele recuperando a calma aos poucos e o ritmo da respiração. “A Yami tem aquela roupa de batalha, será que eu conseguiria fazer uma também?”

E ao mal pensar nisso, o antigo uniforme de Sainan aos trapos se transformou aos poucos numa roupa de batalha completa parecida com a da Yami, porém se diferenciava em sua blusa, que em vez de ser mangas folgadas, eram todas justas e alcançavam o punho dele deixando apenas as mãos de fora, que acidentalmente acabava realçando os músculos nada exagerados que o rapaz havia ganhado recentemente.
A estrela prateada de 4 pontas era ligeiramente mais abaixo do que na versão da Yami, e a região do abdômen era lisa, assim, mostrando um vislumbre do do abdômen definido dele.

Em vez de uma saia, uma calça justa tomou conta dos membros inferiores, que continuava até os pés, que era completado pelo coturno negro, junto com um cinto com fivela prateada que separava visualmente a calça da blusa.

—Essa calça é um pouco apertada, mas o material é supreendentemente confortável... —murmura ele pra si mesmo sorrindo sem graça ao ver o tecido totalmente justo ao corpo.
—Parece que aceitou seu lado Trans também. —diz Yami levemente surpresa.
—Pare com isso Yami! —grita ele apontando a lâmina pra ela— Ou eu vou ter que te a-
—Pode vir, qual o problema? —pergunta ela num tom desafiador ao perceber a intenção dele.
—... —murmura ele silenciosamente enquanto engole seco a saliva ao sentir a intenção assassina dela.

Mesmo hesitante e um pouco trêmulo, ele correu na direção de Yami rapidamente que até ela se surpreendeu, mas apenas provocou um sorriso nela ao desviar de uma lâmina passando por cima de seu rosto ao jogar a cabeça pra trás levemente.

E assim se seguiu, com Rito fazendo investidas rápidas e Yami desviando automaticamente ou criando portais na frente das lâminas pra debochar do esforço dele durante vários minutos.

Sem esperanças já de acertar um único golpe, Rito fez uma última investida em direção de Yami, só que pra supresa dele, ela ficou imóvel esperando a lâmina vir. Porém poucos centímetros antes dela acertá-la, ele parou abruptamente.

—Como eu pensava, você não me ataca com intenção de matar... —suspira ela frustrada— Até cheguei a pensar que você poderia me entreter um pouco.
—Como eu poderia te machucar?! —pergunta ele irritado com a falta de sensibilidade dela.
—... —murmurou ela silenciosamente o encarando, como se todas suas opções tivessem se esgotado— Que assim seja então, vamos terminar com isso.

Mostrando estar totalmente séria agora, Yami levantou vôo e ficou razoavelmente distante de Rito.

—Planet Slicer. —diz ela como quase que uma prece baixa antes de surgir um pilar de luz titânico à sua frente em forma de lâmina, que trazia sua reputação de arma anti-planetária.

Rito ficou imóvel e boquiaberto ao perceber toda a energia emanar do golpe de Yami, tentando achar palavras pra descrever sua situação, mas elas fugiam depois de engasgar na sua garganta.

—Desapareça junto com esse planeta, Yuuki Rito. —ordena ela que a lâmina descesse bem onde Rito estava.

“Kotegawa pode até ter tirado o pessoal do colégio, mas se eu não parar esse golpe vai acertá-los de qualquer jeito...! —pensa ele aflito ao perceber o pilar de energia vindo brilhando em sua direção.

Instintivamente, ele levou os braços cruzados ainda transformado em lâminas à frente do corpo formando um X e aparou o Planet Slicer.

”Está dando certo...!” —pensa ele empolgado ao perceber que conseguira parar o golpe, porém quando o chão abaixo de si começou a ceder com a força do golpe ele percebeu que não iria durar muito tempo— Essa n-

Quando percebeu que o terraço iria ceder pelo impacto, já era tarde demais, já havia atravessado o concreto e parando no andar inferior junto com os escombros ao redor de si.

”Desse jeito vou ser empurrado até o centro da Terra...! —pensa ele desesperado ao sentir seus braços começarem a ficar dormente pela força do golpe de Yami, que ainda não havia perdido seu poder— “Como Lala suportou defender esse golpe com a cauda...?”

—Lala... —murmura ele quase perdendo a consciência ao se lembrar da alienígena de cabelos rosados que havia caído do céu, e lembrou principalmente do sorriso mais puro do universo, junto dos olhos turquesa que foram a origem de toda a indecisão desde que chegara à Terra.

—Eu vou... proteger... esse sorriso!!! —grita ele ao recobrando todos os sentidos e se inflamando com seu desejo, assim , trazendo a Devil Force pra seu corpo e canalizando-a pra sua lâminas, que começaram a conseguir rechaçar o golpe de Yami.

Mesmo assim, uma cratera enorme surgiu sob os pés de Rito ao conseguir dissipar o golpe de Yami no andar inferior.

—Consegui...! —grita ele satisfeito ao ver o resultado, porém começou a ofegar mais ainda e ficou frustrado ao ver toda a destruição ao redor dele só pela força do golpe sendo defendido.
—Ainda não acabou. Planet Slicer.

E ao dizer isso, outro pilar de luz surgiu diante de Yami, que observava Rito através das crateras criadas pelos andares.

—Mas o q-

E antes que sequer pudesse pensar em qualquer coisa, levou os braços pra frente do corpo novamente, mas dessa vez quase não conseguiu defender direito e atravessou todos os andares até o térreo, onde ficou sendo pressionado de costas contra o próprio solo enquanto parecia afundar no piso destruído aos poucos.

—Desse jeito... não vou durar... muito tempo —diz Rito com dificuldades e os olhos quase fechando devido à força e a claridade que a lâmina de Yami causava, fora o fato dele estar extremamente exausto.

Mas ao se lembrar do sorriso de Lala novamente, a chama da vontade de defendê-la ressurgiu, fazendo-o levantar-se aos poucos enquanto a Devil Force dele brilhava tanto no corpo quanto nas lâminas, até estar em pé e com os braços cruzados acima de si e olhar pro chão tentando achar forças ainda.

Depois de alguns minutos resistindo assim, a lâmina finalmente dissipou e Rito estava absolutamente esgotado olhando pra cima procurando a figura dourada da Darkness, que estava parada no mesmo lugar ainda, mesmo depois dele ter atravessado todos os andares.

“Mal consigo dar um passo agora...” pensa Rito quase desmaiando “Por algum motivo sei que cheguei ao meu limite de uso da Devil Force, sinto que se eu tentar exagerar a partir daqui eu vou começar a encolher...”

—Devo parabenizá-lo por isso, Yuuki Rito. —diz Yami por um portal que abriu na frente de si e de Rito— Ninguém havia bloqueado meu Planet Slicer duas vezes.
—... —observa ele silenciosamente a pose séria dela, com um olho fechado e o outro semi fechado enquanto segura um dos braços.
—Mas você acha que consegue bloquear uma terceira vez? —pergunta ela com um sorriso levemente perverso.
—...! —arregala ele os olhos com dificuldade e olha pra cima rapidamente.

“Só tenho mais isso pra tentar...” pensa ele com um sorriso mínimo no rosto antes de usar o restante que tinha de Devil Force no corpo nos pés e saltar em direção à Yami, que ficou surpresa ao vê-lo acima dela e colocar as garras em frente ao corpo.

Já começando a cair, Rito se jogou na direção de Yami, que pra surpresa dela em vez de a atacar, a agarrou num abraço fraterno.

—Já chega, Yami... Vamos pra casa. —diz ele sorrindo e fechando os olhos ao repousar o queixo no ombro dela— A Mikan está nos esperando.
—Mas o quê?! —pergunta ela atordoada e se desesperando pela atitude inesperada dele.
—Mea também está te esperando... A Lala, a Momo, a Nana... —diz ele com a voz ficando mais sonolenta.
—O QUE DIABOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO?! AGORA VOCÊ QUER ACELERAR SUA MORTE É?! —grita ela se contorcendo no abraço dele sem saber o que fazer.
—Então pare com essa loucura e vamos comer Tayaki... —diz ele com o tom de voz quase sumindo— Eu também estou te esperando...

E ao acabar de dizer isso, Rito ficou inconsciente nos braços de Yami, que estava atônita o segurando enquanto as palavras engasgavam em sua boca.

—O-O-O-O —diz ela desnorteada, mas ficando furiosa logo depois— QUE ASSIM SEJA ENTÃO!!

Seguindo a ira em sua voz, ainda segurando ele usou a garra da mão pra atravessar o lado direito do peito dele, que saiu do outro lado gotejando sangue e se misturando com a cor natural da garra, como se o a própria garra estivesse derretendo.

—Finalmente nos tornamos um só!! —grita ela em êxtase ao puxá-lo pra ver sua expressão de desespero antes de ter sido perfurado, mas que na verdade era um sorriso singelo enquanto ainda estava inconsciente e um filete de sangue escorria timidamente pela boca—


Vendo isso, a mente de Yami começou a fragmentar enquanto cambaleava em pleno ar e caía em círculos até atingir o terraço pouco antes da cratera feita antes, onde soltou Rito com um buraco no peito e o sangue escorria pelo traje de combate e pelo chão ao redor dele.

—Aaaah!!!! —grita ela segurando a cabeça como se estivesse explodindo enquanto todas as memórias desde que chegara na Terra passava em fastforward e a culpa a consumia por ter ameaçado destruir tudo junto com elas, e acima de tudo acabara atentar contra à vida da pessoa que havia se tornado a fonte de amor dela.

“Já chega, Yami... Vamos pra casa.” lembra ela diante de toda essa torrente de memórias.

“A Mikan está nos esperando.”

“Eu também estou te esperando...”

E ao lembrar da última frase dele, sua mente finalmente ficou em branco, e quando olhou pro corpo inerte de Rito, que deitava tranquilamente com o rosto mirando o céu.

—Você não pode morrer...! —grita ela desesperada enquanto tropeçava ao correr em direção dele.

Quando encostou as garras no peito do jovem, a que havia o perfurado ainda estava com sangue, que acabou sujando uma parte do uniforme dele.

—Não pode ser... —diz ela arrasada num tom baixo quase desaparecendo ao vê-lo sem respirar— NÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!

E ao gritar isso com os olhos em prantos, uma luz dourada tomou conta dela e se expandiu por todo o terraço do colégio de Sainan e depois até ofuscou o dia, fazendo todos os alunos do lado de fora observar fixamente o topo do colégio.

/////////////////////////////////////////////////////////////////////

—Onde... estou? —murmuro atordoado e acordando aos poucos.
—Descanse... Você se machucou bastante recentemente. —diz um vulto acima de mim, não consigo enxergar direito, minha visão está toda embaçada.... Só vejo um misto indistinto de amarelo e branco me ofuscando mais ainda.

Que sensação macia é essa atrás de minha cabeça? Não me diga que estou deitado num travesseiro de co-

—RITOOO!!! —grita uma voz que reconheço bastante por seus choques de carinho repentino... Como esse agora— Você está bem?!?! —grita Lala preocupada ao deitar no meu peito. Ai.
—Eu acho que sim... —sorrio sem graça e aliso o que julgo ser a cabeça dela, minha visão ainda não voltou ao normal.
—Ainda bem... Eu fiquei preocupada, como sempre.... —diz ela aliviada, mas depois ficando surpresa— Yaami-chaaan?! O que aconteceu com você?! Ficou linda!!

—Yami...? —pergunto confuso ao olhar pra cima de novo pro vulto amarelo e branco acima de mim tentando focar a visão.

Depois de alguns segundos cerrando os olhos, minha visão foi clareando aos poucos até dar espaço pra a menina dos cabelos loiros usuais. Ou a que deveria ser normalmente.

—... —observo boquiaberto a aparência dela, em vez do preto usual e detalhes prateados estava o inverso, toda branca e com os detalhes dourados— Parece um anjo... —murmuro hipnotizado pela visão dela iluminada pelo sol atrás, com o cabelo captando a luz e junto com os a roupa branca refletindo-a e os detalhes brilhando mais ainda.
—Q-que exagero! —diz ela envergonhada e virando o rosto.
—Rito-sa-
—Rito-senpai!! —grita Mea ao atropelar Momo que quando ia se jogar em cima de mim e foi empurrada de lado pela afobação de Mea— Eu fiquei tão preocupada com todos esses clarões saindo do terraço, meu coração quase parou quando a Onee-chan usou aquele golpe enorme, e eu suei mais frio ainda quando ela usou pela segunda vez!!!! —diz Mea despejando as palavras rapidamente enquanto chora que nem um bêbê no meu peito.
—Q-que coisa, não? —pergunto sem graça, porém ficando envergonhado ao me lembrar onde estava deitado— N-não está desconfortável pra você, Yami?
—Nem um pouco. —responde ela sorrindo levemente.
—Onee-chan?!?! —pergunta Mea espantada como se tivesse percebido a irmã só agora, mas ficando maravilhada logo depois— Você está incrível!!!
—... —murmuro silenciosamente tentando achar palavras pra falar— Hmm? —pergunto confuso ao ouvir o som da porta que leva ao terraço ser aberta.
—Rito-san, você está b-
—Rito-kuun!! —grita Tearju correndo em direção dele e empurrando Momo no caminho novamente— O que aconteceu aqui?! —pergunta ela afobada, mas ficando em um misto de felicidade e confusão ao me ver deitado sobre as coxas de Yami.
—É uma longa história... —respondemos ambos suspirando, mas depois rindo ao perceber que falamos ao mesmo tempo.
—Se tudo está bem é o que importa então. —assente ela respirando aliviada e sorrindo, mas depois ficando maravilhada e surpresa ao olhar Yami— Eve? O que aconteceu com você? É uma nova evolução com essa roupa?!
—Hm... Sim e não. —responde ela com um tom leve de dúvida na voz ao olhar pra própria mão— É como se eu tivesse ganhado um novo atributo além da darkness. Como se eu tivesse aprendido a construir além de apenas destruir.
—Então agora você pode ser chamada de Konjiki no Hikari também? —pergunta Lala empolgada— Hikari-chan!!! Ficou bem legal!!!
—Não invente novos apelidos estranhos, Lala-hime, já me acostumei com o Yami. —responde Yami friamente dando um balde de água gelada em Lala ao se transformar na sua roupa negra e prateada como de costume.
—Aaah, poxa! —diz Lala fazendo birra.
—Posso falar com a Eve e o Rito-kun um pouco, Mea-san e Lala-san? —pede Tearju educadamente.
—Sim! —respondem ambas alegremente e se levantando do meu peito, porém Mea ainda fez um olhar malicioso com os cantos dos olhos na direção dele antes de descer pela escada que levava ao terraço. Por quê ela fez isso?
—... —observa Momo silenciosamente enquanto nos encara fixamente.
—Tudo bem com você Momo...? —pergunto confuso.
—S-sim! —responde ela como se tivesse tomado um susto.
—... Okay então. —assinto sem entender direito o que aconteceu. Ela já está indo embora?— Momo?
—... —murmura ela num tom quase inaudível.
—Você disse algo? —pergunto confuso novamente.
—N-nada! Vou comer algo então, mais tarde eu falo com você! —responde ela desajeitadamente antes sair do terraço num passo rápido.
—Ela disse algo como “mediadas drásticas” e “hoje à noite” se eu entendi direito. —diz Yami seriamente após a saída dela.
—Eh... —murmuro sem graça tentando imaginar o que ela poderia fazer. Momo é um tanto quanto previsível e imprevisível ao mesmo tempo se isso é possível... Melhor eu me levantar, Yami deve estar cansada de estar sent-
—Não levante ainda. —responde ela ao me empurrar de volta ao ver que não consegui levantar por estar sem forças— Vamos ficar assim mais um pouco. —diz ela sorrindo levemente.
—Não gosto de te incomodar. —digo fazendo bico e olhando pro lado irritado.
—Tear... —diz Yami num tom causal chamando a atenção da sensei que a olhou confusa— O que é aquilo no céu ali? —pergunta ela com tom de curiosidade.
—Hmm? —murmura ela antes de virar o rosto na direção que Yami apontou— Aonde?

E assim que ela virou, Yami desceu rapidamente e me colou nossos lábios na mesma velocidade, mesmo nessa posição invertida que fiquei olhando a garganta involuntariamente. M-mas o quê?

—Não tem nada... —murmura Tearju sem entender antes de voltar o olhar pra mim e ver o meu rosto corado e ficar confusa— Eve?
—Foi apenas impressão minha Tear, desculpe-me. —responde ela normalmente. E-ela não se envergonha mais com esse tipo de coisa?! O que anda acontecendo com a Yami que eu conheço? Aaah!!
—Enfim... —diz ela fechando os olhos rapidamente antes de corar— Isso é algo que eu queria fazer com o Rito-kun, mas aproveitando que você já está aqui e não vai ter aula temporariamente pro conserto da escola...
—C-c-comigo? —pergunto embaraçado.
—Hmm? —pergunta Yami confusa.
—Que tal sairmos um pouco? —pergunta ela com um sorriso enorme.


Notas Finais


Ps1: Se tiver algum erro de lógica ou gramatical, sinta-se à vontade pra avisar tanto nos comentários quanto por mensagem privada, fora que estou sempre aberto a críticas e sugestões, e se alguém quiser conversar comigo sinta-se á vontade pra me adicionar ou falar pela MP mesmo, todo dia abro pra ver se tem notificações novas.
Ps2: SE GOSTOU DO VIDEO DEIXA LIKE FAVORITO E SE INSCREVA NO CANAL, brinks rapaziada, mas sério, se visualizou e gostou, por que não favoritar? Se você escreve/pretende escrever deve saber que o favorito é um dos melhores sinais de reconhecimento, junto com os comments, mas esse último se não se não se sentir à vontade pra comentar, sem problemas, sei o que é isso.
Ps3: Alguém me dá Undertale na steam de presente, tá só por 10 conto nessa promoção <3 (brinks²)
Ps4: Se estiver pretendendo escrever algo e precisar de ajuda, talvez eu consiga opinar em alguma coisa, não que minha escrita seja perfeita, mas estou sempre disposto á incentivar pessoas a escreverem, então é só chamar que a gente troca um papo massa.
Ps5: Se alguém ainda quiser ler algo que escrevo, tenho algumas originais que escrevi, é um tema um tanto quanto mais sério, mas se estiverem interessados é só procurar no meu perfil.
Ps6: SÓ MITO DA LAIKE NO COMEÇO DO VÍDEO brinks³, se você leu absolutamente tudo desde as notas inicias até aqui, saiba que mora no fundo do meu coração <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...